domingo, 29 de novembro de 2009

Petição

Direito à Educação desde o Nascimento

Assinem em:
http://www.peticaopublica.com/PeticaoVer.aspx?pi=P2009N602

Porque:

(...) As novas tecnologias e instrumentos de pesquisa estão a tornar cada vez mais claros os contributos da neurociência, sendo fundamental que estes aspectos resultantes da pesquisa sejam divulgados junto de políticos, da imprensa e do público em geral.

De referir que a OCDE, em vários relatórios, refere como principais conclusões das pesquisas realizadas pela neurociência o seguinte:
As interacções precoces das crianças com os outros e, nomeadamente com a família, e com as pessoas que cuidam delas, são as responsáveis por estabelecerem os padrões das conexões neurais e os equilíbrios químicos que influenciam profundamente o que vamos ser, o que vamos ser capazes de fazer e como vamos reagir ao mundo que nos rodeia. (...)
A neurociência está a começar a confirmar e explicar o que a ciência social e a experiência comum há muito vêm a dizer: “as relações afectuosas, estáveis, seguras, estimulantes e gratificantes com a família e com as pessoas que cuidam das crianças nos primeiros meses e anos de vida são cruciais para quase todos os aspectos da vida da criança”

(...)Para uns a “crença na santidade da família” como instituição insubstituível leva a conclusões que conduzem a respostas que apontam as creches, todas as creches, como um mal absoluto que apenas serve para libertar as famílias e muito em particular a mãe, da sua tarefa de educar ou ainda considerando que o desenvolvimento inicial da criança é precioso demais para ser colocada com outras pessoas.

Outros argumentam que a triste realidade económica e social do trabalho das mães as leva a deixar as crianças nas creches. Desse modo, e sendo as creches encaradas como um mal, não se investe em materiais, espaços, ratios, estabilidade humana, nem mesmo na formação do pessoal, uma vez que tais lacunas tornam a guarda diurna das crianças menos dispendiosa e desse modo mais acessível aos pais.

Mais um caso a lamentar...

Possivelmente, já todos viram nas notícias a tragédia que atingou uma família de Silves. Um rapaz de 14 anos que acidentalmente disparou uma arma, conhecida como "pressão de ar".

Neste momento está em morte cerebral e não há esperanças para esta criança que, um dia, alguém achou piada, até sabia disparar uma arma.

Não quero parecer rude para com os pais e família deste rapaz, a dor deles deve ser imensa neste momento e o sentimento de culpa irá sempre acompanhá-los.

Mas a culpa será da mentalidade portuguesa (e não só, mas hoje estou só a criticar o nosso povo, pois com os outros "posso eu bem") que continua a achar que não faz mal ter uma arma em casa e que é giro que o rapaz aprenda a disparar sozinho. É nesta sociedade que se coloca na mão de um filho pequeno uma arma e se incita a disparar para uma lata, um pássaro ou um rato que passe no quintal. Esquecem-se que há tempo suficiente para o fazerem quando forem mais velhos e que, pegar numa arma, não faz deles homens.

Aconselho todos os pais a tirarem de casa todas as armas. Sim, mesmo as "pressões de ar"! Elas causam morte, dor e sofrimento. E aconselho as mães a porem as mãos nesta ameaça que têm em casa. Mesmo que os pais chorem e gritem, ou que até saiam de casa. Tenham coragem de tirar as armas de casa e salvar a vida de alguém que não merece morrer.

Elsa Filipe


Brincadeira com pressão de ar acaba em morte cerebral


Jovem de 14 anos nos cuidados intensivos após ter sido atingido na cabeça

Um jovem de 14 anos está na Unidade de Cuidados Intensivos do hospital de Faro, depois de ter sido atingido na cabeça com um tiro de pressão de ar. O acidente aconteceu na sexta-feira à noite quando o jovem e um amigo de 16 anos disparavam contra latas, à porta de casa da vítima, no concelho de Silves.

De acordo com a irmã do jovem ferido, a arma terá embatido numa parede e disparado acidentalmente, atingindo o jovem na cabeça. O rapaz está ligado a um ventilador, mas em morte cerebral. A equipa médica vai realizar alguns exames médicos para avaliar o grau de morte cerebral. A arma com que os dois amigos brincavam era propriedade do jovem, que garante nunca ter imaginado que uma pressão de ar pudesse provocar a morte cerebral do filho.

A GNR apreendeu a arma, identificou o jovem de 16 anos, bem como os pais do rapaz ferido. O processo vai agora passar para o Ministério Público para depois em Tribunal se apurarem as responsabilidades do acidente.

In.: http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/arma-faro-jovem-pressao-de-ar-ferido/1106712-4071.html

Óbidos, Vila Natal

Este ano pela quarta vez consecutiva, Óbidos transforma-se na Vila Natal. A tradição, a magia e a animação misturam-se para, de 28 de Novembro a 3 de Janeiro transformarem Óbidos num local a visitar com os mais pequenos.

Um grande Musical de Natal, Espectáculos de Magia para Crianças, O Mistério das Prendas (Teatro Infantil), Ópera dos Brinquedos – Teatro musical infantil, e A Revolta dos Brinquedos – Espectáculo de Dança (infanto-juvenil) serão os ingredientes principais para Óbidos Vila Natal.


sábado, 28 de novembro de 2009

Jogos Tradicionais

Jogo da malha

Material: 4 malhas de madeira, ferro ou pedra (duas para cada equipa); 2 pinos (paus redondos que se equilibrem na vertical).

Jogadores: 2 equipas de 2 elementos cada.
Jogo: Num terreno liso e plano, são colocados os pinos, na mesma direcção, com cerca de 15/18 metros de distância entre eles. Cada equipa encontra-se atrás de um pino. Joga primeiro um elemento de uma equipa e depois o da outra, tendo como objectivo derrubar ou colocar a malha o mais perto do pino onde está a outra equipa, lançando-a com uma mão.

Pontuação: 6 pontos por cada derrube, 3 pontos para a malha que fique mais perto do pino. Quando uma equipa atinge 30 pontos, ganha. Uma partida pode ser composta por três jogos, uma equipa para vencer terá de ganhar dois.




Jogo dos bilros

Material: 1 bola de trapos ou madeira; 9 bilros (pinos); 1 bilro maior (o vinte).

Jogadores: Equipas com o mesmo número de jogadores cada uma.

Jogo: Num terreno liso e plano formam-se três colunas, de três bilros cada, com os bilros mais pequenos, estando todos separados cerca de 15 centímetros. O bilro grande coloca-se no prolongamento da coluna central, distando dos outros cerca de 30 centímetros e estando separado por um risco feito no chão.

As equipas devem encontrar-se a uma distância dos bilros que irá de 6 a 8 metros. Um jogador de cada vez lança a bola de forma a que esta role pelo chão, tentando derrubar os bilros.
Pontuação: 20 pontos pelo derrube do bilro diferente; 2 pontos pelo derrube de um bilro pequeno se este não ultrapassar o risco, se o fizer o derrube vale 10 pontos. Ganha a equipa que fizer primeiro 100 pontos. Cada partida pode ser composta por três jogos, uma equipa para vencer terá de ganhar dois.


Jogo da vara

Material: Varas. O número de varas é de menos uma em relação ao número de participantes.

Jogadores: Número variável.

Jogo: Espetam-se as varas no chão, os participantes alinham, atrás de uma marca, de costas voltadas para as varas. Após um sinal, dado por alguém que não esteja a jogar, cada jogador corre para tentar apoderar-se de uma vara. O jogador que não o conseguir é eliminado, os outros dirigem-se novamente para a marca de partida e o jogo prossegue com cada vez menos varas até que reste só um jogador, que será o vencedor.



Jogo da tracção com corda em linha

Material: 1 corda e 1 lenço (deverá estar atado a meio da corda).

Jogadores: 2 equipas com o mesmo número de jogadores cada uma.

Jogo: Num terreno plano e livre de obstáculos, duas equipas com forças equivalentes, seguram, uma de cada lado e à mesma distância do lenço, uma corda. Entre as equipas, antes de começar o jogo, traça-se ao meio uma linha no chão. O jogo consiste em cada equipa puxar a corda para o seu lado, ganhando aquela que conseguir arrastar a outra até o primeiro jogador ultrapassar a marca no chão. É também atribuída a derrota a uma equipa se os seus elementos caírem ou largarem a corda. Não é permitido enrolar a corda no corpo ou fazer buracos no solo para fincar os pés.

Brincar com as Crianças



Este fim de semana convido todos os pais a brincar com os seus filhos.

A infância é uma fase muito importante para uma criança. É nesta etapa que está em formação a personalidade, o carácter; e é nesta fase que a criança aprende a ser feliz também.
Portanto a educação é muito importante, e a participação dos pais nas brincadeiras dos seus pequenos também. Uma brincadeira simples e divertida, vale mais do que qualquer game online, ou qualquer playstation.


Enquanto você faz uma actividade com o seu filho, relaxa a mente e consegue trazer alegria e prazer para ambos. O corpo sofre uma série de reações benéficas que lhe farão bem e mudarão o seu dia.

As brincadeiras podem ser as mais simples e variadas, desde um jogo que a criança ganhou no Natal passado e que tanto pede para você jogar com ela, ou uma partida de cartas, de dominó ou de gamão que ela agora começa a aprender a dominar e a querer testar os seus dotes. Pode também optar por uma saída ao parque da cidade para um passeio de bicicleta ou de partins, ou quem sabe, uma ida a praia para uma corrida entre pai e filho pela areia.

Experimente algumas sugestões, como o Bilros.

Afinal são estes pequenos momentos que marcam para sempre as lembranças de uma criança.

Elsa Filipe

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Dia Internacional para a Eliminação da violência contra as mulheres

Com algum atraso é certo, esta postagem, mas com a sua relevância na mesma. Ontem assinalou-se o Dia Internacional para a eliminação da violência contra as mulheres.

Foi a ONU que designou oficialmente 25 de Novembro como Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra a Mulher em 1999.
Antes desta indicação da ONU, o dia 25 de Novembro já era vivido pelo movimento internacional de mulheres, sendo que a data está relacionada com a homenagem a Tereza, Mirabal-Patrícia e Minerva, presas, torturadas e assassinadas em 1960, a mando do ditador da República Dominicana Rafael Trujillo.

Em 2006, foram registados pela PSP e pela GNR 20.595 crimes relacionados com violência doméstica. Nos dados divulgados pelo Ministério da Administração Interna (MAI), o número de vítimas diárias ascende às 43 e os agressores são maioritariamente do sexo masculino, com 25 anos ou mais e geralmente companheiros, ex-cônjuges e ex-companheiros das vítimas.
Dados oficiais da violência doméstica em Portugal: 39 mulheres portuguesas assassinadas pelos maridos ou companheiros no ano passado.

Neste Natal, lembre-se de todas as Crianças!

Olá.


Este ano senti que o Natal começava demasiado cedo: as campanhas acumulam-se e todos pedem por uma causa; as ruas estão enfeitadas com luzes e por todo o lado os pais-natal trepam as varandas, janelas e chaminés, numa demanda furtiva por entrar nas nossas vidas.


Eu gosto do Natal, claro está. Mas gosto do Natal pela alegria das crianças a desembrulhar um presente, pela Família reunida, pelo cheiro a doces em casa... Gosto em particular das noites frias e chuvosas e do clima romântico e acolhedor que isso proporciona.


Não gosto de saber que na casa ao lado uma criança chora com fome ou que no Hospital os idosos são abandonados para a Família festejar descansada, sem lamúrias...


Não nos podemos esquecer que em algumas instituições, seria óptimo que se garantisse que as crianças ou jovens que vivem nelas, usufruíssem de um pouco de carinho e conforto por parte de quem deles cuida, tendo em conta que o afecto faz falta a todas as crianças para poderem crescer e ser pessoas adultas.


Bem hajam os que este Natal, têm de trabalhar para prestar os cuidados diários a estas crianças, jovens e idosos.

Para vocês, um miminho!







segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Sei menos que uma criança da Primária...

Recebi por mail de uma amiga minha, professora do 1º ciclo.

Segue-se um apanhado de sabedoria infantil compilado em turmas da Primária.
E desde já afirmo que sei menos que um miúdo da primária!




- A Bíblia dos Muçulmanos chama-se Kodak (e Fuji em Japonês)

- O Papa vive no Vácuo (Era bom!)

- Antigamente na França os criminosos eram executados com a Gelatina (pelo menos assim não doía tanto)

- Em Portugal os homens e as mulheres podem casar. A isto chama-se monotonia. (É frustrante que até na 2ª Classe já pensem assim!)

- Em nossa casa cada um tem o seu quarto. Só o papá é que tem de dormir sempre com a mamã. (Um destino terrível)

- Os homens não podem casar com homens porque então ninguém podia usar o vestido de noiva (que pena ahh)

- Um seguro de vida é o dinheiro que se recebe depois de ter sobrevivido a um acidente grave. (Certo! E estas pessoas em regra vivem com outro nome no Brasil)

- Adoptar uma criança é melhor! Assim os pais podem escolher os filhos e não têm de ficar com os que lhes saem. (Com os animais de estimação também funciona assim)

- Adão e Eva viviam em Paris (Sim, sim, lá também é Paridisiaco).

- O hemisfério Norte gira no sentido contrário ao do hemisfério Sul (Viver ao longo do Equador deve ser divertido)

- As vacas não podem correr para não verterem o leite. (Que bom saber  isso)

- Um pêssego é como uma maçã só que com um tapete por cima (Nunca tinha pensado nisto)

- Os douradinhos já estão mortos há muito tempo. Já não conseguem nadar! (Conseguem sim! No óleo da frigideira)

- Eu não sou baptizado, mas estou vacinado. (Efectivamente deve ajudar mais)

- Depois do homem deixar de ser macaco, passou a ser Egípcio. (Mmm Isto ainda não sabia!)

- A Primavera é a primeira estação do ano. É na primavera que as galinhas põem os ovos e os agricultores põem as batatas. (Nunca mais como batatas)

- Quando o nosso cão ladrou de noite, a minha mãe foi lá fora amamentá-lo. Se não os vizinhos ficavam chateados. (E assim como terão  ficado)

- A minha tia tem tantas dores nos braços que mal consegue erguê-los por cima da cabeça e com as pernas é a mesma coisa. (Acho que a mim  aconteceria o mesmo ás pernas)

- Um círculo é um quadrado redondo (Também pode ser visto assim)

- A terra gira 365 dias todos os anos, mas a cada 4 anos precisa de mais um dia e é sempre em Fevereiro. Não sei porquê, talvez por estar muito frio. (Um génio)

- A minha irmã está muito doente. Todos os dias toma uma pílula, mas às escondidas para os meus pais não ficarem preocupados. (Sem comentários).


domingo, 22 de novembro de 2009

High Scope em Creche?

Como é que os bebés e as crianças mais novas aprendem? - segundo o modelo High Scope:
Numa sala HighScope, as cr ianças exploram, perguntam e respondem a questões, resolvem problemas e interagem com outras crianças e adultos.
 
No site http://www.highscope.org/
encontramos estratégias e conselhos para a implementação deste modelo na nossa sala e com os nossos pequeninos.

sábado, 21 de novembro de 2009

"Cultura é o que fica depois de esquecermos tudo o que aprendemos"

Esta foi-me enviada por uma grande amiga por email. Os jovens hoje dão-nos estas surpresas...


A obra dramática de Gil Vicente, vista por um a aluno do ensino secundário:


«Eu não tenho dúvidas que o Gil Vicente é muito importante, apesar de nunca ter ganhado o campionato de futebol. É importante porque ás vezes ganha ao Benfica, otras ao Sporting e otras ao Porto, tirando a eles o primeiro logar. E também por isto é que a sua obra é dramática porque é um drama para os benfiquistas, os sportinguistas e os portistas quando ganha.»
Esta foi a resposta de um aluno do secundário a uma pergunta sobre a obra dramática de Gil Vicente.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Amor de pai

http://crescicontigo.blogspot.com/2009/03/video-que-demonstra-o-amor-de-um-pai.html#comment-form

Visitem. Só vendo mesmo.

Lista de livros

Do lado das crianças

Do autor, Vitorino Andreoli, um livro que foca as necessidades e a protecção das crianças dos zero aos doze anos. "Dirige-se, naturalmente, aos pais e aos educadores, enquanto responsáveis directos pelo desenvolvimento psíquico e físico das crianças e pelo seu crescimento harmonioso e feliz."

A criança e a disciplina

Um dos vários livros sobre bebés e crianças de T. Berry Brazelton.


Mais obras a acrescentar à minha lista de livros sobre e para a infância.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Prematuros

Hospitais assinalaram ontem Dia de Sensibilização

Quatro hospitais nacionais assinalam esta terça-feira o primeiro Dia Internacional de Sensibilização para a Prematuridade, uma «brusca realidade», que afecta cerca de 10% dos bebés em Portugal.

Este dia dedicado aos prematuros foi criado pela Fundação Europeia para o Cuidado dos Recém-Nascidos (EFCNI, na sigla em inglês) e será comemorado pela primeira vez terça-feira em diversos países europeus, na Austrália, Estados Unidos e Canadá.

Em Portugal, a data será assinalada nos hospitais S. João, no Porto, e Central de Faro, bem como nas maternidades Bissaya Barreto, em Coimbra, e Alfredo da Costa, em Lisboa.
In.: Diário Digital / Lusa

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Venda de Crianças

Notícias tristes com crianças envolvidas deixam-me sempre com um amargo de boca. Como esta que vinha no Correio da Manhã de 26 de Outubro de 2009.

China: Rede vendeu 52 bebés

As autoridades chinesas prenderam 42 pessoas alegadamente ligadas a uma rede de tráfico de crianças que vendeu pelo menos 52 bebés nos últimos dois anos. A rede comprou 19 rapazes e 33 raparigas a famílias pobres e revendeu-as com lucros superiores a 60 mil dólares.

Como é possível que alguém pense sequer em fazer dinheiro à conta de crianças inocentes?

sábado, 14 de novembro de 2009

Dia Mundial do Diabetes

Muitas pessoas vivem com esta doença, incluindo centenas de crianças por todo o mundo.

A diabetes é uma doença caracterizada pela incapacidade do organismo produzir insulina, ou de utilizá-la adequadamente, e pela presença de concentrações elevadas de glicose no sangue, uma vez que a insulina é a "chave" que abre a "porta" por onde a glicose entra nas células. Se houver falta de insulina, a glicose permanece no sangue em vez de fornecer energia às células.


Diabetes tipo 1 - que é causada pela destruição das células do pâncreas que produzem a insulina. Manifesta-se habitualmente antes dos 30 anos de idade mas pode ocorrer em qualquer idade.
Diabetes tipo 2 - é muito mais frequente e representa cerca de 90-95% de todos os casos de diabetes a nível mundial. Esta forma de diabetes ocorre quase inteiramente em adultos e resulta da incapacidade do organismo em responder à acção da insulina.

Doenças e complicações relacionadas com a diabetes:

A diabetes tipo 2 pode conduzir a diversas complicações que podem resultar em incapacidade permanente ou morte, entre as quais:

- Doenças cardiovasculares;

- Lesões renais;

- Lesões neurológicas;

- Doenças oculares e cegueira;

- Doenças digestivas;

- Síndrome do pé diabético, que pode obrigar à amputação.



Grupos de risco:

- Pessoas com excesso de peso;
- Pessoas com má alimentação ou falta de exercício;

- Pessoas com história familiar de diabetes;

- Idosos;

- Pessoas que tomam determinados medicamentos.
 
 

Sabia que?
 
- De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a diabetes tipo 2 é uma epidemia a nível mundial?
- Dados recentes mostram que entre 120 e 140 milhões de pessoas em todo o mundo têm diabetes tipo 2?

- A organização Mundial de Saúde prevê que os casos de diabetes tipo 2 venham a aumentar para mais do dobro atingindo, em 2025, cerca de 300 milhões de pessoas?

A diabetes na infância:

Quando a diabetes se instala numa idade muito precoce (até três anos), só os pais estão aptos a lidar com a diabetes da criança. Nestas idades precoces, o importante é prevenir episódios graves de hipoglicémia, pois corre-se sempre o risco de que ocorram subtis défices cognitivos.

Na criança de 4-7 anos, aparece a necessidade de educar os outros sobre diabetes: os problemas de separação, que se apresentam frequentemente nestas idades, são passíveis de serem aumentados numa criança com diabetes. Estas crianças têm, frequentemente, um pensamento de causa-efeito: podem culpar-se a si próprias por serem diabéticas e considerar as injecções e restrições alimentares como castigos, pelo que é sempre benéfico o encontro com outras crianças igualmente diabéticas, pois assim podem trocar ideias, desmistificar fantasmas. Assim, é importante o apoio psicológico destes pais, no sentido de melhor ajudarem a criança a adaptar-se à diabetes, sem lhe criarem problemas acrescidos e permitirem uma aprendizagem das tarefas diárias (tal como o é o duche e o lavar dos dentes, por exemplo), naturais e facilmente integráveis na sua rotina.

Na alimentação, os pais podem melhorar bastante e substituir alimentos menos saudáveis pela alimentação correcta que o diabético é «obrigado» a fazer, mas que todos deveríamos seguir. Estes bons princípios vão-se integrando naturalmente na criança que, ao crescer, os vai levando consigo sem os considerar um peso ou um castigo, permitindo uma boa evolução da doença e retardando ao máximo eventuais complicações. Para tanto, é necessário criar um sentimento de confiança básico, que assente em alicerces profundos, com um ambiente gerador de confiança, que permita à criança sentir que é amada e aceite; estes aspectos são fundamentais para uma boa socialização e também para o desenvolvimento de sentimentos positivos sobre si mesma, que lhe permita ser autónoma e segura e, no futuro, um adulto equilibrado e bem adaptado ao meio que o rodeia.


É importante que a criança caminhe para a autonomia; mas os pais serão sempre os responsáveis por ela e, mais ou menos discretamente, deverão fazer a sua supervisão e controlo, no sentido de prevenir expectativas irreais ou prematuras, que a sua criança possa ter relativamente à diabetes.
Os pais vão ter que aprender «tudo» o que diz respeito à diabetes, sobretudo para poderem tratar a criança em casa, ajudando a conseguir o equilíbrio pretendido, não só ao nível físico mas também emocional, tanto da criança como da família.

Adaptado de: Helena Seabra

Sites consultados:




sexta-feira, 13 de novembro de 2009

O fim de semana está aí!






Aqui fica um miminho, para este fim de semana. Este que aqui partilho descobri numa visita ao blog "A fada Sinhinho" em
http://afadasininhonaterradossonhos.blogspot.com/

Visitem também!



Violação

Na Ilha terceira

Açores: Homem violou as próprias filhas

A Polícia Judiciária deteve esta sexta-feira um homem suspeito de abusar sexualmente das duas filhas, de 13 e 17 anos, respectivamente.
Segundo explica o Departamento de Investigação Criminal de Ponta Delgada da PJ, citado pela agência Lusa, o grau de parentesco “terá facilitado a prática dos actos ilícitos'. O detido vai agora a interrogatório judicial do qual poderão ser aplicadas medidas de coacção.

In.: Correio da Manhã - 13 Novembro 2009 - 14h48



Sem comentários. Onde é que vai parar o nosso país?
Onde é que as crianças se poderão sentir seguras?

Elsa Filipe




Decisão sobre Martim adiada

Filho da mãe adolescente que fez greve de fome

O Tribunal de Cascais adiou a decisão sobre a guarda do Martim, o menino que foi retirado à mãe com poucos meses de vida e que esteve entregue ao Refúgio Aboim Ascenção até Ana Rita Leonardo ter iniciado uma luta para reaver o filho.

Martim foi transferido em Julho para uma instituição de acolhimento em Carcavelos e passou a ter as visitas regulares dos pais. A decisão sobre qual dos progenitores ficaria com a guarda do menino de dois anos estava prevista para o final de Setembro, mas foi adiada devido a um requerimento da instituição onde se encontra a pedir mais 30 dias para apresentar um relatório final.

Isilda Pegado, advogada da mãe, explicou, em declarações à agência Lusa, que "o Tribunal de Cascais aceitou o requerimento da instituição onde está o Martim a pedir mais um mês para apresentar o relatório e só por isso é que o processo não avançou na data em que estava previsto". A decisão deve ser tomada até ao final deste mês.

A advogada informou que o Martim se tem integrado positivamente na sua família, "uma vez que "o bebé está todos os dias com os pais e aos fins-de-semana já vai passear com eles e com o resto da família".
Martim foi retirado à mãe adolescente em Fevereiro de 2007, com poucos meses de vida, por alegadamente não ter condições para cuidar do filho. Em Maio deste ano, Ana Rita Leonardo foi informada que o filho, por decisão do tribunal, seria dado para a adopção. Inconformada, iniciou de imediato uma luta para reaver a criança. Durante 11 dias acampou em frente ao Tribunal de Cascais e chegou mesmo a fazer greve de fome. Após a polémica ter estalado na comunicação social, o tribunal revogou a decisão e permitiu Ana Rita e a família de verem o menino.

In.: Correio da Manhã de 13 Novembro 2009 - 18h02

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Dia de S. Martinho

No calendário litúrgico, o dia de S. Martinho celebra-se a 11 de Novembro, data em que este Santo, falecido dois ou três dias antes em Candes, no ano de 397, foi a enterrar em Tours, França. (...)

Com efeito, S. Martinho foi, durante toda a Idade Média e até uma época recente, o santo mais popular de França. O seu túmulo, abrigado desde o séc. V por uma Basílica (sucessivamente destruída e reconstruída) em Tours, era o maior centro de peregrinação de toda a Europa Ocidental. A sua generosidade e humildade, aliadas a uma enorme fama de milagreiro fizeram dele um dos santos mais queridos da população. E ainda hoje o seu espírito de partilha é fonte de inspiração.
São Martinho é santo patrono dos alfaiates, dos cavaleiros, dos pedintes, dos restauradores (hoteis, pensões, restaurantes), dos produtores de vinho e dos alcoólicos reformados, dos soldados... dos cavalos, dos gansos, e orago de uma série infindável de localidades de Beli Benastir, na Croácia, a Buenos Aires, na Argentina (fonte Catholic Community Forum) passando, evidentemente, por numerosíssimas sítios de Norte a Sul de Portugal.
O facto de o seu dia coincidir com a época do ano em que se celebra o culto dos antepassados e com a altura do calendário rural em que terminam os trabalhos agrícolas e se começa a usufruir das colheitas (do vinho, dos frutos, dos animais) leva a que a festa deste Santo tenha toda uma componente de exuberância que actualmente tende a prevalecer.

Assim, em Portugal, o dia de S. Martinho é invocado nas cerimónias religiosas dos locais de culto, e o seu espírito de solidariedade lembrado, quanto mais não seja, através do relato do episódio em que partilhou a sua capa com um pobre; mas de resto, e por todo o lado, as pessoas andam ocupadas nas actividades mencionadas nos provérbios sobre este dia: assam-se castanhas, prova-se o vinho...

«(...)Mas ele é hoje sobretudo a festa do vinho, a data em que se inaugura o vinho novo, se atestam as pipas, celebrada em muitas partes com procissões de bêbados de licenciosidade autorizada, parodiando cortejos religiosos em versão báquica, que entram nas adegas, bebem e brincam livremente e são a glorificação das figuras destacadas da bebedice local constituída em burlescas irmandades. Por vezes uma dos homens, outra das mulheres, em alguns casos a celebração fracciona-se em dois dias: o de S. Martinho para os homens e o de Santa Bebiana para as mulheres (Beira Baixa). As pessoas dão aos festeiros. vinho e castanhas. O S. Martinho é também ocasião de matança de porco.» (in As Festas. Passeio pelo calendário, Fundação Calouste Gulbenkian, 1987)



In.:http://smartinho.blogspot.com/

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Dia Mundial da Ciência pela Paz e pelo Desenvolvimento

Já me esquecia!
Hoje festejou-se o Dia Mundial pela Paz e pelo Desenvolvimento.

O “Dia Mundial da Ciência pela Paz e pelo Desenvolvimento” foi estabelecido pelo Sistema das Nações Unidas em 2001 e é comemorado no dia 10 de Novembro.


Campanha CVP

Venho por este meio divulgar a Campanha da Cruz Vermelha Portuguesa - Delegação de Setúbal, em parceria com o CEDACE, a Câmara Municipal de Setúbal e o Blogue http://treschavenasdecha.blogs.sapo.pt/ para recolha de sangue para Histocompatibilidade - Medúla Óssea, a realizar-se no próximo dia 24 de Novembro, entre as 10h00 e as 16h00, nas suas instalações no Largo da Misericórdia, nº1 - 2900-502 Setúbal.


Agradeço que divulguem esta actividade, pelo seu grande interesse e nobreza, aos v/ familiares e amigos, para que estes possam participar. Certos da v/ colaboração, ficamos desde já à disposição para esclarecimentos que entendam necessários.


Rita Esteves Ferreira

CVP - Delegação de Setúbal

Coordenação Pedagógica

Tel: 265522578

Mail: cvpsetubal@iol.pt / ritaestevesferreira@iol.pt

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

High Scope - Rotina Diária

Para mim, este é um tipo de modelo que já utilizava naturalmente, adaptando-o as salas de Creche. O hábito que ganhei com a sua utilização (embora associando também a outros modelos) define a forma como o dia segue o seu rumo:

A Rotina Diária

As crianças necessitam de consistência. No caso da Creche esta é ainda uma realidade maior. Esta necessidade é apoiada através de uma estrutura diária que ajuda as crianças a antecipar o que vão fazer a seguir. Estabelecida a sequência de eventos que se repete diariamente, as crianças sentem-se seguras e com controlo sobre o que se passa à sua volta.


No caso do Jardim de Infância, esta rotina diária  inclui o processo de "planear-fazer-rever" implementado ao longo do dia. Significa isto, que as crianças podem escolher e planear as actividades que vão fazer, o que aumenta o seu interesse nas mesmas, executar essas actividades e falar daquilo que fizeram. O apoio do adulto é uma realidade fundamental, embora o seu papel não seja o de "chefiar" essas acções, mas sim apoiar as crianças.

Quando estão a recordar, o educador reflecte sobre as escolhas e as experiências que foram feitas, desenvolvendo nas crianças confiança no seu próprio poder de decisão ao mesmo tempo que lhes reforça o sentimento de autonomia.

A Rotina Diária inclui ainda actividades realizadas no exterior e desempenhadas em pequenos e grandes grupos.


Irei ainda falar acerca de:


  • Interacção Adulto-Criança


  • Ambiente físico de aprendizagem



Elsa Filipe

Boa semana!

Olá!

Mais uma semana a começar e de certo que com muita vontade de fazer coisas novas. Esta semana festeja-se o Dia Mundial pela Paz e pelo Desenvolvimento (o qual podemos assinalar com os mais crescidos, no intervalo das castanhas) e também o S. Martinho!

O tempo já convida a comer as castanhas quentinhas, a brincar com os colegas das outras salas em grandes jogos colectivos. Convida também a Família a vir à sala, conhecer as crianças que acompanham o filhote, bem como mostrar algumas coisas importantes: como fazer doce de abóbora, por exemplo. Se a chuva o permitir, um passeio pelo exterior e uma visita ao lar de idosos perto também era uma excelente ideia para esta semana. Levando uma canção e uma prenda - as trocas de experiências são excepcionais e todos vão adorar.

Mas também convida a ficar na sala, sentados, deitados, relaxados, nas almofadas, no tapete, com cobertores, a ouvir uma história de encantar e a ouvir a chuva e o vento lá fora. Como faz o vento? O que é o vento? Ideias para mais um projecto poderão nascer nestes momentos.

Afinal, estamos sempre a aprender, em todos os momentos.


Elsa Filipe

domingo, 8 de novembro de 2009

De regresso

Ufa. Já cheguei a casa. Foi uma tarde em cheio, imensa de actividade e brincadeira. Fui trabalhar onde já não ia à muito tempo e adorei lá regressar. Os colegas são o máximo também.
Comecei por ficar um pouco nas pinturas faciais. De início sentia-me com a mão ainda trôpega, mas depois lá fui desenhando algumas coisas: flores, borboletas e um menino pediu um dragão de quatro olhos!
Depois passei o meu lugar a uma colega e fui brincar com as crianças para dentro do parque. Uma das monitoras precisou de auxílio para juntar as crianças para a festa de anos. Aproveitei para, enquanto a ajudava, relembrar o ritmo e as tarefas que me esperariam pouco depois, qaundo chegasse a vez da festa que me estava destinada.
A minha festa, a da J. (8 anos) correu mais ou menos. As crianças eram mais do que os lugares colocados na mesa e, se há uns tempos isso não me causava qualquer confusão, agora senti-me um pouco atrapalhada. Fiquei praticamente sozinha toda a festa: eu e as 14 crianças. Quase tudo meninas. Senti-me um pouco desnorteada, mas depois de entrar nos eixos, tudo correu melhor.

Um dos mais pequeninos da última festa, o D. de apenas 2 anos, queria muito sair da sua piscina de bolas e explorar o espaço dos maiores. A C. também da mesma idade segui-o assim que ele saiu da pequena piscina. Apesar dos mais pequenos terem o seu próprio espaço e não poderem estar no parque principal, às vezes, quando a confusão diminui abrimos uma excepção. Eu fiquei apenas com essas duas crianças, de forma a garantir que não se magoam. Todo o espaço é coberto de esponja e podemos cair à vontade. O perigo é quando algum dos mais velhos, durante as brincadeiras, "atropela" um dos mais novos. Mas de fraldinhas e cheios de energia, os dois pequenos participaram em todos os jogos e imitaram todos os movimentos dos mais crescidos.

A animação reinava à nossa volta, com musica, dança e muita confusão (da boa) com jogos, bolas a saltar de um lado para o outro, pais a jogar a dança da vassoura e muitos risos felizes das crianças. É trabalho? É. Mas também foi uma tarde muito bem passada.
Ali trabalhamos bastante, pois também nos cabe a nós ajudar a manter o espaço limpo e tudo animado. Mas todos ajudamos com um sorriso na cara, pois gostamos do que fazemos.

Elsa Filipe



De regresso

Após algum tempo ausente destas andanças, hoje vou voltar a trabalhar com os mais pequenos. Estou ansiosa e acho que tudo vai correr bem.


quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Como não educar os seus filhos

Este texto encontrei no blog "Educando com o coração", mas já o tinha recebido por e-mail também. E resolvi postá-lo pois faz-nos pensar em como por vezes também cometemos erros.



COMO NAO EDUCAR SEUS FILHOS


Policiais de Houston, no Texas, publicaram uma norma de 10 pontos de “como criar um delinqüente”. É interessante meditar neste resumo:



1- Comece na infância a dar a seu filho tudo o que ele quiser. Assim, quando ele crescer, acreditará que o mundo tem obrigação de lhe dar tudo o que ele deseja.



2- Quando ele disser nomes feios, ache graça. Isso o fará considerar-se interessante.


3- Nunca lhe dê qualquer orientação religiosa. Espere até ele chegar aos 21 anos e “decida por si mesmo”.

4- Apanhe tudo o que ele deixar jogado: livros, sapatos, roupas. Faça tudo para ele,
 para que aprenda a jogar sobre os outros toda a responsabilidade.

5- Discuta com freqüência na presença deles. Assim não ficará muito chocado quando o lar se desfizer mais tarde.

 

6- Dê-lhe todo o dinheiro que quiser.


7- Satisfaça todos os seus desejos de comida, bebida e conforto. Negar pode acarretar “frustrações prejudiciais” .

8- Tome partido dele contra vizinhos, professores e policiais. (Todos têm má vontade com seu filho).

9- Quando ele se meter em alguma encrenca séria, dê esta desculpa: “Nunca consegui dominá-lo”.E, finalmente…

10- Prepare-se para uma vida de desgosto. Vivemos num mundo com tanta violência e visível falta de educação. Vale a pena pensarmos melhor em que tipo de valores estamos repassando aos nossos filhos. Se você achou interessante esta mensagem repasse ao maior número possível de pais, professores e de, futuros pais. O mundo precisa de cidadãos de bem, e a responsabilidade também é nossa.



(fonte desconhecida) De Jonathan Polk traduzido por Ricardo Gomes
Postado por Paty Longo no blog Educando com o Coração

Pedagogia de Projecto-1

No Jardim de Infância será importante construir com as crianças projectos que as levem a criar objectivos e formas de os pôr em prática. A Educadora tem a tarefa de fazer propostas ou de lançar desafios, mas sempre podendo deixar a vontade das crianças imperar na razão da livre escolha dos temas a tratar e dos objectivos que pretendem atingir.
Estes projectos podem começar por uma pergunta que uma criança coloque e que a Educadora pode devolver ao grupo de forma a que sejam eles a tentar responder-lhes. Essa tarefa pode durar uma tarde, uma semana, um mês ou todo o ano, dependendo da sua complexidade e do interesse das crianças em achar uma solução.
O mesmo pode ser trabalhado em grande grupo, envolvendo todas as crianças da sala, embora não necessariamente todas em simultâneo, ou por pequenos grupos.
Num projecto podem ser trabalhadas diferentes áreas do conhecimento e do desenvolvimento da criança. Partindo de um tema central, podem depois expandir por outras temáticas de acordo com as questões que sejam levantadas pelas crianças. Podemos dar um exemplo:

- Começando de uma questão levantada por uma menina de 5 anos: "Como nascem os bebés?", o adulto pode devolver a pergunta ao grupo e registar as suas opiniões, lendo-as depois e expondo-as na sala. As crianças podem ilustrar as suas frases com opiniões. No dia seguinte, a Educadora pode trazer para a sala um livro sobre o Corpo Humano e outro sobre o tema de como nascem os bebés (existem diversos, mas convém ter em atenção qual se adeqúa melhor à maturidade do grupo em questão). A partir daqui o interesse das crianças pode ficar por aqui. Mas também podem querer fazer mais questões e procurar outras respostas. Deve ser dada total liberdade para que o façam.

Do mesmo tema, podem depois ser propostas outras variantes:

- trazer um ovo cru para a sala e falar de como nascem as aves;
- trazer sementes e fazer uma sementeira com as crianças, para observarem o ciclo de crescimento de um planta;
- pedir às crianças para fazerem a representação gráfica da sua família e começar a construir com elas a sua própria árvore genealógica...

Existem diversos caminhos para seguir um projecto e é nisto que consiste a base da Pedagogia de Projecto.

Elsa Filipe

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Supremo reduz pena de pedófilo confesso

Hoje estou numa de explorar algumas notícias que fazem a nossa actualidade. Esta é de hoje, 02 Novembro 2009 - 00h30. E, embora algo complexa, dá muito por onde pensar...

Justiça: Tinha sido condenado a sete anos, vai passar seis na cadeia

Obrigava-os a despir a roupa, tocava-lhes no corpo e mandava-os fazer o mesmo. Depois chegava mesmo a masturbar-se em frente às crianças. Foi desta forma que durante mais de um ano um emigrante, de 55 anos, abusou de três irmãos – duas meninas de 9 e 11 anos e um menino de 12, filhos da empregada de limpeza. O caso veio a descoberto em 2008. O pedófilo confessou parte dos crimes e o Tribunal de Moura condenou-o a sete anos de cadeia, pena que o Supremo Tribunal de Justiça reduziu agora para seis anos.
Tudo começou em 2006 quando, após a separação dos pais, os menores começaram a acompanhar a mãe para o trabalho. A mulher passava graves dificuldades financeiras e o pedófilo ofereceu-se para a ajudar: dava de comer às crianças, oferecia-lhes dinheiro e deixava-as tomar banho em sua casa. Daí até aos abusos começarem foi um pequeno passo. Aproveitando-se da confiança que a mãe das crianças tinha em si, o pedófilo levava-as para sua casa. Aí, deitava-as na cama, despia-as e começava a tocá-las até se masturbar. Em outras ocasiões o emigrante chegou mesmo a tirar a sua roupa e a do menino e a obrigar a criança a sentar-se durante vários minutos no seu colo.


Com medo e vergonha, as crianças nada contavam à mãe e os abusos continuaram durante quase dois anos, até que um dos irmãos resolveu dizer o que se passava. O pedófilo foi imediatamente preso e as crianças retiradas à progenitora pois o tribunal considerou que esta teve uma atitude negligente, e decidiu colocar os três menores numa instituição.


EMIGRANTE DIZ SENTIR-SE ENVERGONHADO


Para além de confessar o que fez, o pedófilo admitiu ainda que se sente "culpado e envergonhado" por ter abusado dos menores e que quando ajudou a família nunca o fez com segundas intenções.


Emigrante na Suíça durante mais de vinte anos, o homem voltou para Portugal em 1999, onde trabalhou num bar. Um ano depois o pedófilo abandonou a companheira e desde esse dia começou a envolver-se com adolescentes e crianças, sendo estes os seus companheiros do dia--a-dia. Os exames psicológicos realizados revelaram que o emigrante tem características paranóides. Para além da baixa auto-estima e desvalorização pessoal, o homem revela uma grande instabilidade emocional e os médicos consideram inclusive que há risco de suicídio.


TRIBUNAL SEPAROU OS TRÊS IRMÃOS


Após os abusos serem descobertos, o tribunal retirou as crianças à mãe. Desde esse dia vivem em instituições separadas: o menino foi colocado na Casa Pia e as meninas na Fundação Manuel Gerardo.


Ainda hoje as crianças têm vergonha do que aconteceu. Os menores revelam uma enorme tristeza por terem sido alvo de abuso e têm muita dificuldade em falar do que se passou. Na escola o insucesso dos menores é bem visível e os comportamentos delinquentes revelam a revolta que os irmãos sentem.

Perante o juiz, o pedófilo confessou grande parte dos crimes que cometeu ao longo de quase dois anos. No entanto, durante o julgamento, o emigrante negou sempre ter abusado da menina mais nova. Para além disso, o homem chegou ainda a afirmar que as duas crianças mais velhas se expuseram e "tinham comportamentos provocatórios", o que o motivou a abusar deles.


Em alguns casos que leio nas notícias, fico desolada ao ver que as crianças além de tudo o que sofriam ainda eram maltratadas pela mãe. No entanto, neste caso segundo pelo menos o que se lê na notícia, a mãe apenas pecou ao não se aperceber do que se passava e por ter confiado demais num estranho. Mas aqui as crianças foram retiradas do seu agregado familiar e até separadas. Qual será o motivo para este desfecho?

Mais do que a redução da pena do pedófilo (porque isso já parece ser normal, apesar de absurdo, no nosso país) o que mais me choca é a forma como as crianças foram tratadas no decorrer de todo o processo. Nas suas cabeças, estará a culpa do que sucedeu - isso é comum - e o castigo pelos seus actos: ficarem longe da mãe e longe uns dos outros. Não será mais ou menos isso em que pensam? Que acompanhamento tiveram ou têm nas Instituições onde estão?

Nenhum, ou pelo menos, não o que parece adequado. Se não é assim, corrijam-me. Ficarei muito feliz se souber que o quadro destas crianças não é assim tão negro.

Elsa Filipe

Atira-se com filho ao rio

Esta é a notícia do Correio da Manhã de 29 Outubro 2009 - 00h30

Impressionante!


Gaia: Mulher foi salva mas menino de 6 anos está desaparecid
Anabela vivia amedrontada com a ideia do filho morrer e a cada dia que passava ficava mais convencida de que o menino de seis anos tinha uma doença incurável. Anteontem à noite a mulher decidiu acabar com o "sofrimento": em desespero pegou no filho e atirou-se ao rio Douro, levando o menino para a morte. Anabela sobreviveu, ao contrário de André. O corpo da criança continuava ontem à noite por encontrar.  
Esta foi a primeira versão apresentada pela mulher à polícia, logo após ter sido resgatada. Ao longo do dia Anabela acabou por apresentar inúmeras histórias, sendo que numa delas dizia que o menino caiu ao rio acidentalmente e que ela se tinha atirado para o salvar. As autoridades estão seguras que a versão inicial é a verdadeira.

Tudo leva a crer que a mulher preparou a morte do filho ao pormenor. Anabela saiu da sua casa, em Vilar do Andorinho, com o menino. Eram 15h00 de anteontem. As horas passaram e a família começou a ficar preocupada com o desaparecimento. Eram 08h00 de ontem quando os receios se confirmaram. "A polícia ligou à família a contar que ela estava viva e que tinha aparecido no rio. Não sabiam onde estava o menino", contou ao CM Francisco Fernandes, amigo da família.


Anabela foi resgatada por dois remadores que passavam junto à ponte D. Luís, a mais de três quilómetros do esteiro de Avintes, onde abandonou o carro, se atirou e ao menino ao rio e onde diz estar o corpo de André. Estava em hipotermia e só chamava pela criança. "Ela dizia que queria ir ter com o filho, que precisava de o ver ", disse Fernando Silva, que viu a mulher ser salva.

 No vidro da frente do carro, que foi abandonado fechado à chave, a mulher deixou dois bilhetes: com o nome e o número de telemóvel do marido.


FAMÍLIA FAZ BUSCAS NO RIO
Em desespero, alguns familiares do pequeno André pediram um barco emprestado a um pescador para assim eles próprios tentarem descobrir o corpo do menino. "Fiz questão de emprestar o meu barco à família. Eles estão desesperados e quanto mais gente procurar o menino melhor", explicou ao CM Francisco Fernando, o dono da embarcação. Quer a família quer os bombeiros procuraram o corpo do menino durante várias horas, no entanto, sem resultado.






"ELA SOFRE DE UMA DEPRESSÃO HÁ VÁRIOS ANOS"
Anabela sofre de uma depressão pós-parto desde que o filho nasceu. A partir dessa altura a mulher começou a refugiar-se em casa e deixou mesmo de trabalhar. "Desde que o menino nasceu ela ficou com uma depressão. Nunca mais foi a mesma pessoa. Andava sempre muito calada e raramente saía de casa", contou ao CM Mónica Correia, vizinha da família.

No hospital não há registos de outras tentativas de suicídio. No entanto, alguns vizinhos dizem que Anabela tinha um comportamento estranho. "Por várias vezes ela ameaçou que se ia matar. Dizia que a vida dela já não tinha importância", disse Fernanda, outra vizinha. Apesar de tudo, a mulher tinha uma boa relação com o marido e o casal raramente discutia.



Como Educadora e como mulher, estas questões também me preocupam imenso, pois custa-me imenso a perceber e compreender o que terá passado pela cabeça desta mulher. Como é que ela chegou a este ponto sem que ninguém tivesse dado conta de nenhum sinal de alerta? Será possível que andemos todos de olhos fechados com o que se passa à nossa volta?
E quantas crianças estarão em risco neste país, com progenitores como esta mulher?
 
Elsa Filipe

domingo, 1 de novembro de 2009

Dia de Finados

Amanhã celebra-se o Dia de Finados e, sejamos crentes ou não, penso que é importante partilharmos com as crianças as nossas heranças culturais.
Assim, aqui ficam algumas notas importantes:


O culto aos mortos (mais precisamente dos que se encontram no Purgatório) foi estabelecido pela Igreja católica com o nome de Finados.

É comemorado no dia 2 de Novembro de cada ano, logo depois do dia de Todos os Santos (1 de Novembro).
No início não se comemorava nos cemitérios. Só com o tempo é que a festa evoluiu e se fez acompanhar com velas e flores nos cemitérios.
Sabias que o culto dos mortos existe em quase todas as culturas do mundo? Até nas que nunca ouviram falar umas das outras!
Em Portugal e noutros países da Europa, o Dia de Finados é celebrado com tristeza, pois recordam-se as pessoas de família e amigos que já morreram.
As pessoas vão aos cemitérios, deixam ramos de flores nas campas e acendem velas para iluminar os falecidos no caminho até ao Paraíso e mandam rezar missas em seu nome.
Sabias que as flores que se põem nas campas são, por tradição nesta altura do ano, os crisântemos?
Mais um pormenor muito mórbido (brrr) acerca do Dia de Finados e o Dia de Todos os Santos: o terramoto de 1755, aquele enorme que houve em Lisboa e que matou milhares de pessoas, foi no dia 1 de Novembro!
Imagina as pessoas nas igrejas, a rezar pelos seus mortos... Foi uma grande tragédia, e tudo isto fez com que as consequências do terramoto fossem ainda piores. Houve incêndios, pessoas soterradas, etc.
Mas existem países em que o Culto dos Mortos é comemorado de uma maneira completamente diferente.

Por exemplo, no México, que também é um país católico, fazem uma festa enorme e alegre!



México - Festa dos Mortos


A celebração do Dia dos Mortos revela-nos a espiritualidade dos mexicanos e a sua relação estranha com a morte.

Nesta data acabam semanas de preparação para se comunicar com os seres queridos que já morreram.
Diz-se que esta festa une a família e fortalece as relações da comunidade mexicana, já que é uma tradição que vem desde a época dos astecas (povo que aí vivia antes dos espanhóis chegarem).
Os astecas eram conhecidos como "o povo da morte", porque acreditavam que, depois que um rápido encontro com a vida, as pessoas iam para o "Reino dos Nove Mundos".

Dois meses do ano eram, então, dedicados ao culto dos mortos:

- um para as crianças pequenas que tinham morrido;

- e um para os adultos.
Cinco séculos depois, essa tradição asteca começou a usar também ideias e tradições da religião católica.
Segundo a tradição mexicana, nos dias 1 e 2 de Novembro, Deus deixa os mortos virem visitar os seus familiares que ainda estão na Terra.

Ao mesmo tempo, têm a oportunidade de comer e beber aquilo de que gostavam, e é por isso que se preparam os altares.
Todo o México se prepara para receber bem os "muertitos", como carinhosamente lhes chamam.
Assim, no dia 1 de Novembro, ao meio-dia, chegam as crianças que já morreram. Para elas é feito um altar com muitas velas, que iluminam o seu caminho de volta a Terra.

O altar é decorado com flores e papel recortado com motivos da morte. Além disso, são colocados doces, brinquedos e "pão de mortos" (um pão que se assemelha aos ossos humanos).
No dia 2 de Novembro, à meia-noite - 0 horas da madrugada, chegam os adultos. Para se ter a certeza de que encontrarão o caminho do cemitério para as suas casas, são espalhadas pétalas de flores e velas pelas ruas.

No altar preparado pela família, o morto encontrará as oferendas feitas pelos seus parentes, com os seus pratos favoritos em vida.
Nesses dias, além de montar os altares, as famílias vão aos cemitérios, onde acendem milhares de velas, fazem mais oferendas, colocam imagens de santos e rezam.





Sabias que durante estes dois dias poucas pessoas dormem? Pois é, faz-se festa dia e noite! Há música, comida e dança por todo o lado!





Também são organizados desfiles de homens e mulheres mascarados para evitar que as almas se apeguem demais aos familiares e se demorem por cá.





No dia 3 de Novembro é tudo recolhido.

O Dia dos Mortos acaba com visitas aos parentes (vivos!) para que sejam distribuídos os presentes.

Tudo isso acompanhado, claro, por muita festa!
Sabias que alguns dos familiares das pessoas mortas até vão ao cemitério mudar-lhes de roupa para que estejam bonitos no dia do seu regresso?

Para nós é uma tradição muito estranha, não é?



Estas e outras curiosidades podes encontrar no site:


Dia de Todos os Santos

Hoje festeja-se o dia de Todos os Santos.

A festa do dia de Todos-os-Santos é celebrada em honra de todos os santos e mártires, conhecidos ou não. A Igreja Católica celebra a Festum omnium sanctorum a 1 de novembro seguido do dia dos fiéis defuntos a 2 de novembro. A Igreja Ortodoxa celebra esta festividade no primeiro domingo depois do Pentecostes, fechando a época litúrgica da Páscoa. Na Igreja Luterana o dia é celebrado principalmente para lembrar que todas as pessoas batizadas são santas e também aquelas pessoas que faleceram no ano que passou. Em Portugal, neste dia, as crianças costumam andar de porta em porta a pedir bolinhos, frutos secos e romãs.


In.: http://pt.wikipedia.org/wiki/Dia_de_Todos-os-Santos