domingo, 27 de dezembro de 2009

Feliz ano novo!

Agora que o inverno se instalou e que gela até as barbas do pai natal... chega o tempo de em poucos dias recuperarmos das festas da consoada e prepara a entrada do novo ano. Ele já se prepara!
Com os meus desejos de muita alegria, paz, amor e simplicidade, para viver ao máximo cada dia!


Um brinde ao velhinho 2009...
e Olá! 2010!

Boas Festas

Pois é! O Natal deste ano ficará para sempre marcado pela correria paravisitar a família, que apesar de viver perto parece sempre andar a léguas uns dos outros e por uma abóbora, que no final não sei se ainda não dará uma bela sopa.
Mas que faz uma abóbora neste Natal? Pois é, por muito que se pense que as crianças são pedinchonas, querem tudo o que a vista abarca e o que de mais caro houver na loja, há uma excepção! A minha irmã este ano bateu o pé por uma abóbora! Não leva pilhas, nem dança, nem nada. Apenas uma abóbora da horta, normalíssima, rude e feia, mas que ela adorou quando desembrulhou. Sim. Porque em algumas ocasiões até podemos fazer a vontade às crianças.
Mas por outro lado, após ver a expressão dela, que ainda não percebi se era de felicidade ou de confusão, mimei-a com mais algumas prendas, mas essas não ficarão marcadas. A abóbora sim. Para o próximo ano, falaremos dessa abóbora e quando ela for mais velha havemos de gozar com toda esta situação.
E agora, porque o ano está a acabar, um bom resto de fim-de-semana, o último do ano. Gozem bem.

Elsa Filipe

sábado, 19 de dezembro de 2009

Está quase aí!

Pois é!
O Natal aproxima-se a passos largos e as ruas enchem-se de gente. Pessoas, compras, carros, chuva, gorros, casacos, acidentes, atropelamentos... excessos, de gente, de prendas que no banco de trás tapam a visibilidade de quem conduz, de filhos, sobrinhos e amigos que vão no carro, para evitar os transportes ou um pouco de chuva....
A azáfama cega quem antes diz que não faria isto ou que nunca faria aquilo. A chuva abafa os sons da estrada, dos carros, das pessoas...
Por todo o lado, está tudo entupido de carros. Já ninguém passeia a pé pelas ruas das cidades, nem se detém uns minutos a apreciar uma montra montada com carinho de quem quer vender nesta quadra. Agora, entra-se a correr, pega-se, paga-se e nem se pensa, pois lá fora está o carro mal estacionado, com os dois filhos lá dentro.
Não estou a inventar. São cenas do dia-a-dia, que tenho visto nestes últimos dias e que me têm chamado a atenção.
Afinal? É isto o Natal?
Espero que todos cheguemos até lá sem mais precalços, sem dramas e sem mágoas. Sem arrependimentos, pelo que se fez ou se deixou de fazer. Se esta é uma quadra de amor e um tempo de paz, porquê tanta pressa em passá-lo? Deixem fluir o Natal, com calma. Esta é a minha mensagem de Natal.

Elsa Filipe

domingo, 13 de dezembro de 2009

Feliz Natal

Ando atarefada a preparar a casa para receber esta quadra natalícia, mesmo sabendo que não vou passar nenhum dos dias importantes em casa, mas sim a trabalhar. Por isso, talvez ainda nem tenha montado a árvore este ano.

Mas já fui comprar as prendas para os meus mais pequenos. Adoro vê-los a desembrulhar cada prenda, com um sorriso travesso e de brilho nos olhos. Por isso compro várias prendas mais baratas para cada um, em vez de alguma coisa cara. Adoro dar prendinhas, escolhê-las durante horas ao longo de várias semanas antes do Natal. Detesto o rebuliço que já se está a instalar nas lojas.Adoro ser eu a fazer os embrulhos em casa, mesmo que não fiquem tão bonitos. Adoro escrever postais de Natal, para os mais velhos, pois acho que são uma recordação maior do que qualquer prenda comprada "sem saber se vai gostar". Podem guardá-lo na gaveta, emoldurar ou deitar no lixo, mas fez a sua função, levou uma mensagem de carinho e de afeição para aqueles a quem se escreve.


Para os que me têm visitado e que com carinho me têm deixado lindas mensagens, só quero que saibam que mesmo sem vos conhecer, partilho com vocês parte dos meus dias, quando vos visito nos vossos cantinhos e quando recebo a vossa visita aqui no meu lugarzito. Um Natal rodeado de sorrisos para vocês!

sábado, 5 de dezembro de 2009

Campanha em Leça da Palmeira e Santarém

Acredito que vamos vencer a doença

"Milhares de pessoas já aderiram à campanha de recolha de sangue que visa encontrar um dador de medula óssea para a pequena Carmen, de 4 anos, que sofre de Leucemia à três meses."

Correio da Manhã de hoje

Como a Carmen, outras crianças esperam também por dadores compatíveis, por isso, se puder e estiver perto vá até lá e dê. Como dizia a campanha, vai ver que não dói nada.

O país em Notícias

"Libertado após ferir Criança"

No Correio da Manhã de hoje, a notícia de uma rixa entre traficantes no Bairro da Cruz Vermelha em Lisboa que ocorreu em 26 de Março deste ano, que termina com 11 disparos.
Um menino de 10 anos ficou ferido numa perna, o que lhe causou uma deficiência para sempre. O atirador, segundo o mesmo jornal, foi anteontem libertado porque o juíz não considera que "o acto configurasse um crime de homicídio tentado." Esta criança ficou marcada para toda a vida. E o atirador está em liberadade, quem sabe para voltar a disparar, sobre outras pessoas e outras crianças, talvez matando alguma.

Os projéteis foram disparados de uma viatura em andamento sobre um grupo. Foi para acertar à sorte não? E não é tentativa de homicídio?? O atirador deve ter pensado: "Vou atirar com cuidado para não matar ninguém!" Que pessoa conscienciosa!

Lá estou em outra vez! Estas coisas revoltam-me. Não importa quem são, mas a verdade é que andamos todos a pagar o realojamento destas pessoas, as quais na maioria das vezes só destroem o que lhes é oferecido. Mais uma vez questiono: Justiça??? Onde está?


No mesmo jornal...

8 anos de Prisão por abuso sexual

"Um homem de 55 anos, realizador, foi condenado pelo tribunal de Braga a oito anos de prisão efectiva pela prática de sete crimes de abuso sexual de crianças." As suas vítimas foram um menino de 13 anos e duas meninas, de 7 e de 5 anos.


Elsa Filipe

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Restauração da Independência

Hoje, dia 1 de Dezembro é (foi) Feriado. Festeja-se a Restauração da nossa Independência, ganha a 1 de Dezembro de 1640. Mas o que se passou realmente nessa data?
Conta-se que falecido o cardeal-rei D. Henrique, em 1580, sem se ter tido tempo de designar um sucessor, Filipe II de Espanha, neto do rei português D. Manuel I invadiu Portugal e submeteu-o a 60 anos de domínio. Foram três os reis espanhóis que governaram Portugal entre 1580 e 1640 – Filipe I, Filipe II e Filipe III.

A capital do Império passou a ser Madrid e Portugal foi governado como uma Província espanhola. E como seria natural, os portugueses viviam descontentes e compreendiam que só uma revolução bem organizada lhes poderia trazer a libertação.

Assim, no dia 1 de Dezembro de 1640, um grupo de 40 fidalgos dirigiu-se ao Paço da Ribeira onde estavam a Duquesa de Mântua, regente de Portugal, e o seu Secretário, Miguel de Vasconcelos.

A Duquesa foi presa e o Secretário morto. Foi assim que Portugal recuperou a sua independência, sendo D. João IV, Duque de Bragança, aclamado rei, com o cognome de "O Restaurador".



A primeira bandeira da Comissão Central 1.º de Dezembro de 1640.

Em 1640, com a restauração dá-se um retoque no escudo da bandeira anterioirmente utilizada,que passa a ser arredondado ou de formato dito Português.
 


Esta bandeira foi usada por D.João IV (1640-1656) e por D.Afonso VI (1656-1667). É também neste período que se inicia a distinção entre armas e bandeiras reais e armas e bandeiras do Reino.

Hoje, em Belém, também somos anfitriões da XIX Cimeira Ibérico-americana, onde se marca mais uma vez o destino das nossas relações com os países envolvidos e da Comunidade Europeia em si, uma vez que entra hoje em vigor o Tratado de Lisboa. Mais um motivo para nos sentirmos orgulhosos e patriotas.