quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Acretismo Placentário

Esta é uma situação que ocorre num em cada 1500 partos, em que "enquanto se desenvolve, a placenta" entra no músculo uterino, "ao invés de penetrar na superfície interna do útero." 

Se existir esta complicação, em lugar da normal expulsão da placenta, também chamada dequitadura, "os vasos da parede uterina começam a sangrar, razão pela qual pode tornar-se necessário extrair o útero, com a finalidade de estancar a hemorragia."

Se for detectado previamente, o acretismo placentário, leva a mãe a ter de "limitar a actividade física" e a deixar de lado "as relações sexuais com penetração."(1)


Bibliografia:

(1) - "Afinal, para que serve a placenta?" - Crescer com Saúde, Fevereiro de 2006

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Cesariana: necessidade ou nem tanto?

Ontem nasceu mais um membro da família, uma menina que já me disseram ser muito cabeluda! Foi um parto programado, de cesariana porque parece que a bebé também se encontrava sentada. Assim, esta foi a opção pensada e escolhida pelo médico e pela mamã para a bebé nascer. Tirendo esta e outras justificações, a verdade é que muitas vezes se opta pela Cesariana por motivos que não serão para o meu entender os mais válidos, o que tem levado a um aumento considerável da taxa de Cesarianas no mundo e, também, no nosso país.

"Acredita-se que o recurso à Cesariana tem vindo a ser utilizado de forma excessiva, sobretudo nos países desenvolvidos, sendo poucos os que conseguem manter a taxa de cesarianas inferior a 15%, como recomendado pela OMS."(1)
"Em Portugal, cerca de um em cada quatro bebés, nasce actualmente por cesariana."(2) "Há mesmo unidades de saúde privadas onde a taxa de intervenções cirúrgicas no parto é superior a 85%"(3)

Parabéns!


Ao G. que nasceu no Domingo pelas 00h59m, no Hospital Garcia de Orta, com 3730 gramas! Parabéns aos papás e ao matulão! Assim que voltar das férias tenho de o ir conhecer!!!

À L. que nasceu ontem, segunda-feira, de Cesariana, na Maternidade Magalhães Coutinho. Mais uma menina que chegou à Família. Parabéns!

domingo, 26 de setembro de 2010

Férias!

Cá estamos nós por terras algarvias, a passar uma bela semaninha de férias!
Ontem foi a primeira viagem grande do piolhito, que correu muito bem, não fora ele ter dormido o tempo quase todo! Cheio de sorte, com 19 dias já anda no laréu!

A noite de ontem foi horrível com o menino a acordar quase de minuto a minuto e a requerer toda a atenção dos papás, mas hoje até dormiu bem, na cama dos pais claro está, pois não trouxemos uma cama para ele. Só acordou mesmo para comer, o que foi óptimo!

Na quinta-feira ficámos muito orgulhosos, porque fomos à consulta e o pequeno já tinha passado para 3060 gramas! Eh eh, afinal o leitinho da mãe até é bom! Aproveita filho, que as papas são bem caras!!! E quanto à hérnia, nunca mais se viu - espero que continue assim. Da consulta é que nem sinal, por enquanto.

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Descolamento prematuro da Placenta

Voltando ao tema da Placenta, existe ainda outro problema que leva a hemorragias e que pode conduzir à morte do feto durante a gestação: o Descolamento prematuro da Placenta.

"Em condições normais, a placenta desune-se da parede uterina, no momento do parto consequente da explusão do feto."(1)

"Todavia, em caso de descolamento prematuro, a placenta desune-se antes do final da gravidez, por vezes quando ainda faltam algumas semanas, em alguns casos somente alguns milímetros, mas noutros quase por completo, originando hemorragias." (1)

Quando ocorre, pode levar a "um aborto espontâneo, porque ao desprender-se, o feto deixa de receber oxigénio e nutrientes, podendo perecer no útero materno."(2)

Factores de risco:

"Embora apenas seja possível determinar uma causa directa do problema em alguns casos, como por exemplo um traumatismo abdominal ou a existência de um cordão umbilical demasiado curto que exerça tracção sobre a placenta, constatou-se que o problema é mais comum nas mulheres com outros filhos, nas com mais de 40 anos, nas fumadoras e nas afectadas por hipertensão, diabetes ou doenças renais crónicas."(1)

Sinais e Sintomas:

Presença de uma "hemorragia muito reduzida, geralmente de cor escura, com coágulos e acompanhada de dores abdominais ou cólicas."(2)



Bibliografia:

(1)- http://www.midipedia.inf.br/;
(2) - "Afinal para que serve a placenta?" - Crescer com Saúde, Fevereiro de 2006;

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Placenta prévia



Voltando ao tema da placenta... "Fala-se de Placenta Prévia quando este órgão se encontra implantado no endométrio, mais abaixo do que o normal."(1) Este problema é um dos maiores responsáveis por hemorragias na segunda metade da gravidez.



Dia de consulta

Hoje, depois de uma péssima noite, mal dormida, lá fomos ao Centro de Saúde para o piolhito ser pesado. Já tem 3060gramas! Nada mau, já estou mais descansada quanto ao meu leite. Se aumentou de peso, mau não deve ser!

E desta vez, a enfermeira era uma querida e nem chateou com nada.

Depois foi só passear o resto da manhã...

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Emergência da Escrita

O novo ano lectivo já começou, pelo menos para a maioria das crianças. Este post é para os meninos e meninas que este ano se estreiam na aventura da Escola... Primária, como se dizia no meu tempo, "dos grandes", como lhe chamam os mais novos ansiando por pertencer ao clã que admiram dos irmãos mais velhos e dos primos que já sabem ler!
Na mochila levam a vontade de conhecer amigos novos ou reencontrar antigos colegas do Jardim-de-Infância.

Mas aprender a ler e a escrever não começa no banco da escola "primária". Vem de muito antes, desde as primeiras conquistas da linguagem e das primeiras tentativas de gatafunhar! A criança de certo já escreveu as suas primeiras letras, umas vezes ao seu jeito, outras mais perfeitinhas copiando a mão do adulto. De certo já representa de forma gráfica o seu nome e já reconhece letras e palavras que vê escritas em todo o lado.

Já aqui falei anteriormente sobre a aquisição das capacidades linguísticas e da escrita. É um tema transversal a Creche e ao Jardim-de-Infância, tratando-se de um processo gradual e sequencial em que a Criança vai adquirindo as capacidades que lhe permitem aprender mais tarde a ler e escrever.

"Neste processo emergente de aprendizagem da escrita, as primeiras imitações que a criança faz do código escrito vão-se tornando progressivamente mais próximas do modelo, podendo notar-se tentativas de imitação de letras e até a diferenciação de sílabas. Começando a perceber as normas da codificação escrita, a criança vai desejar reproduzir algumas palavras. Por exemplo aprender a escrever o seu nome, que tem um sentido afectivo para a criança e lhe permite fazer comparações entre letras que se repetam noutras palavras, o nome dos companheiros, o que o educador escreve. "
Orientações Curriculares


Pois é, a escrita "emerge" do dia-a-dia, sem que as próprias crianças se apercebam que estão a aprender e muitas vezes sem que os pais se apercebam dessas aquisições, a não ser quando finalmente vêem a criança a pegar num lápis e a escrever correctamente o seu nome no canto do desenho que acabou de fazer.

O que é a Placenta?

Voltando um pouco ao tema da gestação, todas nós já ouvimos falar da placenta e da sua importância durante a formação do nosso bebé. Reconhecemos também que ao haver um problema com este órgão, a gravidez pode ficar em risco. Mas o que é que faz deste, um órgão tão especial?

A placenta desempenha um papel vital na gravidez, uma vez que"permite a troca de nutrientes (hidratos de carbono e proteínas entre outros)," entre a mãe e o bebé, "através do cordão umbilical."(1)

"Dentro do útero, o bebé desenvolve-se à custa de um sistema que é constituído pela placenta, cordão umbilical, e a bolsa de líquido amniótico, em cujo líquido o bebé organiza alegremente as suas actividades diárias. "(2)

Em primeiro lugar convém distinguir que este "é um órgão transitório que se forma com o embrião e cuja localização correcta e normal funcionamento são essenciais para um bom desenvolvimento da gravidez, do parto e do pós-parto imediato."(2)

"A forma da placenta assemelha-se à de uma panqueca com 2 a 4 cm de espessura, de consistência esponjosa, que se une à parede uterina no lado materno e ao feto pelo cordão umbilical, que dela emerge, normalmente ao centro, no lado fetal. No final da gestação, atinge cerca de 500 gramas, sendo o órgão responsável pela manutenção da gravidez, ao produzir hormonas com ela relacionadas, como a gonadotrofina coriónica (HCG), o estrogénio e a progesterona." (2)

"A placenta funciona como um filtro entre o sangue materno e o sangue fetal, possuindo circulação materna de um dos lados e circulação fetal do outro, separadas por uma barreira membranosa. Quando o sangue fetal atravessa o cordão umbilical e percorre a placenta, recebe nutrientes e oxigénio do sangue materno e liberta dióxido de carbono e produtos de degradação fetal (ureia, creatinina, ácido úrico) para a circulação materna, regressando ao feto para novamente o alimentar, oxigenar e purificar. Algumas substâncias, como os lípidos, não chegam sequer ao feto, uma vez que o fígado deste não tem capacidade metabólica durante a maior parte da gravidez. Os lípidos são, então, armazenados na placenta até às últimas 10 semanas da gestação, altura em que o fígado fetal começa a funcionar, sendo, a partir daí, lentamente libertados para a circulação fetal."(2) Ela é assim, nada mais nada menos do que o "elo de ligação" entre o organismo da mãe e o do novo ser.

No interior da placente, "o sangue fetal e materno" estão como que "ligados, embora não entrem em contacto directo," o que permite a troca de inúmeras substâncias. "A placenta é muito selectiva, pois apenas deixa passar algumas substâncias do sangue materno para o fetal, o que justifica a designação de barreira placentária."(3)

"Esta estrutura específica é formada tanto pelo tecido embrionário como pelo tecido uterino, nomeadamente o endométrio, que se altera para acolher o ovo, denominado decídua. Pouco depois da nidificação, a camada externa do novo embrião emite prolongamentos, denominados vilosidades coriónicas, que se inserem nos lagos de sangue materno presentes no endométrio, no interior dos quais se formam reduzidos vasos sanguíneos. Isto permite que o sangue fetal presente nestes minúsculos vasos troque substâncias com o sangue materno, chegando ao endométrio através de pequenas artérias, para depois ser recolhido por inúmeras vénulas."(3)

"Com o passar do tempo, todas as vilosidades placentárias unem-se a vasos maiores, a veia umbilical e as duas artérias umbilicais que chegam até ao feto através do cordão umbilical. Em suma, este "elo de ligação" irá permitir que o feto obtenha as substâncias de que necessita e elimine os resíduos. A placenta adopta uma forma de disco e cresce ao longo da gravidez até alcançar 20 cm de diâmetro e um peso de 0,5 kg."(3)


Bibliografia:

(1)- "Afinal, para que serve a placenta?" - Crescer com Saúde, Fevereiro de 2006;
(2)- http://www.mae.iol.pt/;
(3)- http://www.medipedia.pt/home;

domingo, 19 de setembro de 2010

O que se faz por aí pela amamentação?

Estes são alguns dos Hospitais que apoiam a amamentação desde a 1ª hora e que fazem parte de uma iniciativa chamada: "Hospital amigo do bebé":

 - Hospital Garcia de Orta (Almada), desde 2005
 - Maternidade Bissaya Barreto (Coimbra), desde Julho de 2007
 - Hospital do Barlavento Algarvio (Portimão), desde Outubro de 2008

 - Maternidade de Júlio Dinis (Porto), desde Outubro de 2009
 - Maternidade Alfredo da Costa (Lisboa), desde Janeiro de 2010

Durante os últimos 20 anos, mais de 20.000 maternidades (cerca de 28 % de todas as maternidades do mundo), implementaram integralmente normas que pretendem aumentar a taxa de sucesso na amamentação.

Destas destacam-se dez passos que guiam a implementação da amamentação e permitem o seu acréscimo com uma elevada taxa de sucesso nestas unidades, e que a seguir são apresentados:

1. Ter uma norma escrita sobre aleitamento materno, a qual deve ser rotineiramente transmitida a toda a equipa de cuidados de saúde.
2. Treinar toda a equipa de cuidados de saúde, capacitando-a para implementar esta norma.
3. Informar todas as grávidas atendidas sobre as vantagens e a prática da amamentação.
4. Ajudar as mães a iniciar a amamentação na primeira meia hora após o parto.
5. Mostrar às mães como amamentar e como manter a lactação, mesmo que tenham de ser separadas de seus filhos.
6. Não dar ao recém-nascido nenhum outro alimento ou bebida além do leite materno, a não ser que seja por indicação médica.
7. Praticar o alojamento conjunto - permitir que mães e os bebés permaneçam juntos 24 horas por dia.
8. Encorajar a amamentação sob livre demanda (sempre que o bebé quiser).
9. Não dar bicos artificiais (tetinas) ou chupetas a crianças amamentadas.
10. Encorajar a criação de grupos de apoio à amamentação, para onde as mães devem ser encaminhadas por ocasião da alta hospitalar.


Bibliografia:
(1)-"Semana Mundial do Aleitamento Materno 2010" - http://saudeinfantilfeira.blogspot.com/

Simbiose mãe-bebé:

"Os laços que unem mães e filhos ao longo de toda a vida podem ter raízes no modo como os cérebros reagem quando vemos a face da nossa progenitora, defendem cientistas canadianos e britânicos.
Os pesquisadores das universidades de Toronto e Winchester realizaram estudos para tentar determinar de que forma acontece o processo de vinculação e através de ressonâncias magnéticas descobriram que ao observar imagens da mãe – misturadas com outras de desconhecidos, celebridades e membros da família próxima – o cérebro «acende» áreas-chave nos domínios do reconhecimento e emoção.

Em contrapartida, a visão da face do pai produz reacções cerebrais fortes na área dos afectos mas está longe de implicar respostas tão fortes como no caso da mãe.
Os resultados sugerem, de acordo com um artigo publicado na revista científica Brain and Cognition, que as mães gravam uma resposta emocional e cognitiva duradoura na mente dos filhos, como resultado das experiências de vinculação ao longo da primeira infância.

Os cientistas acreditam ter avançado no conhecimento do processo de impressão (ou imprinting) nos seres humanos. Este fenómeno é mais conhecidos noutras espécies, como por exemplo os patos, e constitui a criação de laços fortíssimos com a primeira criatura que as crias vêem após o nascimento.

Os bebés humanos não possuem essa capacidade imediata, mas os especialistas canadianos afirmam que a qualidade da ligação precoce estabelecida entre mãe e filho tem implicações cruciais durante toda a infância e também na idade adulta. «A activação cerebral em resposta ao rosto da mãe acontece mesmo entre pessoas que vivem afastadas dela durante largos períodos de tempo, mesmo anos, o que sugere que estamos perante efeitos muitíssimo alargados», afirma Marie Arsalidou."(3)

Bibliografia:

(1)-CASTRO, Ana Vieira, "Tão pequeno e tão sábio", Pais e Filhos, Julho de 2007;
(2)-CALDEIRA, Pedro - psicólogo - in.: CASTRO, Ana Vieira, "Tão pequeno e tão sábio", Pais e Filhos, Julho de 2007;
(3)-"Descobertas sobre o processo de vinculação", Pais e Filhos, Setembro de 2010;

Alguns conselhos para uma boa amamentação:

Preparar o peito e cuidar dele é meio caminho andado para uma amamentação eficaz. No meu caso, o bebé veio para o peito logo pouco tempo após ter nascido, logo após eu ter comido alguma coisa primeiro. A enfermeira ajudou-me a colocar o mamilo na sua boca, embora ele pouco tenha mamado. A aprendizagem é dos dois - mãe e filho -  e deve ser construída em conjunto.

Agora já sabe mamar e eu já aprendi como o posso ajudar a fazê-lo da melhor forma. Se umas vezes mama mais tempo e outras menos, resulta de outros factores. Por vezes, a mama é fonte de alimento, noutras fonte de aconchego e de conforto. Parece que lhe alivia a dor das cólicas - embora me tenham dito que a frequência das mamadas aumenta a entrada de ar e o aumento das cólicas do lactente.

Cuidar das gretas é também importante. Estou a usar a lanolina e até agora estou a dar-me bem. Experimentei também os discos da Aquamed, que são muito bons, mas muito caros - 8 discos, 10.87€. Para usar em SOS. No Centro de Saúde, proibiram-me o uso do Gretalvez, não sei o motivo, mas a enfermeira quase saltou da cadeira quando disse que era esse que tinha comprado.

Tirar o leite com a bomba e também massajar o peito no banho, com água quente, é também uma forma de evitar os caroços e aliviar as dores da amamentação. Sim, porque amamentar é bom, mas dói, não se iludam. O leite retirado pode ser congelado, devidamente acondicionado em embalagens próprias. Nunca se sabe quando vamos precisar dele. Não se pode é voltar a congelar este leite uma vez que seja descongelado e outros cuidados que habitualmente temos com os restantes alimentos.

Quanto à alimentação das mães que amamentam, aqui ficam algumas precauções fáceis de seguir:


- Evitar grandes quantidades de café, chá preto, chocolate, alimentos com corante, alimentos light e adoçantes;
- Não exagerar em temperos de odor forte, como o alho;
- Não fumar;
- Não beber bebidas alcóolicas;
- Comer peixe duas a três vezes na semana;
- Não tomar medicamentos sem orientação médica, pois alguns podem ser transmitidos para o leite.

Não é proibido comer um chocolate ou beber um pouco de café, mas sem exageros claro está. Há que pôr a funcionar também o senso comum nestas coisas da amamentação. Eu tenho comido um pouco de tudo, embora moderando alguns comportamentos alimentares. Além dos apontados em cima, diz-se que outros alimentos poderão ser causadores de cólicas no lactente, quando comidos em demasia: bróculos, couve-flor, laranja...

Nada de exageros, mas também nada de cortes radicais, os quais podem causar stress e tensão na mãe. Álcool, tabaco e drogas é que estão mesmo mesmo fora!

sábado, 18 de setembro de 2010

A chegada do bebé ao Mundo

A chegada do meu bebé foi um momento maravilhoso, apesar das dores e do medo que eu tinha que algo corresse mal, mas quando o meu menino foi deitado sobre o meu peito, tudo se acalmou. Era só eu e ele, num momento irrepetível e que nunca mais se vai repetir.

"«Num parto normal, logo que o bebé é expulso é envolvido numa toalha aquecida e colocado em cima do abdómen na mãe. Nesse momento é feita a expressão das vias aéreas e a clampagem do cordão umbilical», diz Nélia Alves, enfermeira graduada da maternidade do Hospital de D. Estefânia. «Em seguida, é explicado aos pais que o bebé vai ter de ir para a mesa, sob uma fonte de calor, para não arrefecer e lhe serem prestados os cuidados iniciais»."(1)

Foi aí que mo tiraram do colinho e o levaram para ser examinado. O que se passou entretanto não sei, embora de facto saiba os testes habituais, tais como o teste de Apgar, pesagem... Pouco tempo depois estava de novo em cima de mim. Começaram a preparar-se para me coserem e logo logo o tiraram de novo para o mostrar ao papá que esperava ansioso cá fora.

Estes momentos são imprescindíveis. Para mim, foram maravilhosos e muito gratificantes. Mas há quem pense que é mais importante aquecer o bebé numa fonte de calor externa.

"Grande parte do pessoal médico e de enfermagem defende que é imprescindível manter o bebé aquecido com recurso a fontes externas. O pediatra e pedopsiquiatra Diudonné Volker tem outra opinião. «Se o bebé nasceu bem e se a mulher também se encontra bem, não há motivo para que não permaneça os minutos que sejam precisos em cima da barriga dela, evidentemente com o corpo resguardado, mas beneficiando da melhor fonte de calor que existe: a mãe.» Momentos «irrecuperáveis que vão ser determinantes para a vinculação precocíssima entre mãe e filho, que tantos efeitos terá nos tempos seguintes. A mulher precisa de começar essa ligação e é também uma grande ajuda para o bebé, cujo ambiente físico e psicológico é completamente transformado em poucos segundos, com todo o stresse que isso acarreta», advoga o médico alemão, que presta serviço no Hospital São Francisco Xavier, em Lisboa." "O pediatra Mário Cordeiro partilha esta argumentação. Após o parto, a natureza faz aumentar a temperatura do peito e dos braços da mãe. E isto acontece precisamente para garantir que ele não arrefece e que pode começar a conhecer quem é a sua mãe – e, preferencialmente também o pai."


É que é mesmo verdade. Pois ele ali comigo, a tocar-me, deixou-me acalmar e nem sentia tanto o estarem a coser-me naquele momento. Quando o tiraram, senti logo as picadas e a linha a passar, porque a analgesia tinha perdido o efeito e eu já estava a sentir tudo. Comecei a stressar a partir desse momento.
"Mas existem procedimentos essenciais que são possíveis de realizar, quer o bebé esteja junto dos pais, numa mesa aquecida na sala de partos – como acontece no D. Estefânia –, ou numa sala diferente daquela onde ocorreu o nascimento. É o caso do teste de Apgar, imprescindível para avaliar de forma rápida e eficaz o estado da criança que acaba de nascer. Determinar o sexo, nos casos em que ainda é desconhecido, e a observação de eventuais grandes malformações e uma primeira auscultação ao coração e pulmões são também intervenções que não dependem de nenhum posicionamento específico."

O que se passou quando ele esteve afastado de mim, não sei. Mas sei que ele voltou bem e estive descansada na sua ausensia, apesar das saudades que senti logo que o levaram dos meus braços.

Por vezes, os bebés têm de ser aspirados e não só:

"Existem enfermeiros e pediatras que, por norma, realizam a aspiração e a sondagem gástrica (ver caixa) a todos os bebés. Outros avaliam o choro e a respiração e só depois optam pelos dois, por um ou por nenhum dos procedimentos. «É uma decisão que cabe ao profissional de saúde e depende de muitos factores, entre os quais a formação de base, as convicções técnicas e a experiência», afirma Nélia Alves. Por exemplo, Diudonné Volker não é adepto da aspiração em todos os casos - «existe um sistema de auto-limpeza das vias áereas que é muito eficaz na maioria das vezes», afirma – mas considera essencial garantir que não existe «uma malformação que impeça a comunicação entre a boca e o estômago», o que é realizado por sondagem."

"Aspirados ou não, sondados ou não, todos os bebés que nascem no hospital ou na maternidade são, nos minutos que se sucedem ao parto, limpos do líquido amniótico e/ou do mecónio, através de lençóis e toalhas aquecidos, soro fisiológico ou água. Se existe risco de transmissão de doenças infecciosas, o recém-nascido é lavado antes de lhe serem ministradas gotas nos olhos e vitamina K."

Ainda não o tinha feito - há tanto em que pensar - mas tenho de agradecer ao médico que me acompanhou nesse dia, pela confiança que me transmitiu naquele momento em que me sentia tão desamparada. Nunca pensei, mas ali precisava mesmo era de alguém a segurar-me e a apertar-me para me dar forças para pôr o meu bebé no Mundo. Esse papel teve a madrinha do bebé, que conseguiu assistir ao trabalho de parto, quase sem querer. E só pensava que queria ali o meu marido ao pé de mim também para partilhar aquele momento comigo, mas como era para ser cesariana ele não podia entrar. Afinal, pouco tempo depois, o bebé surgiu junto dele, pelas mãos de uma enfermeira, para se apresentar ao papá: Aqui estou eu!



"Antes de pesar, identificar e vestir o recém-nascido, o pediatra é chamado a realizar uma observação mais pormenorizada. O médico avalia o estado do sistema nervoso, explorando os reflexos do bebé; a configuração do abdómen e o posicionamento dos órgãos internos; a flexibilidade e a mobilidade dos membros; os órgãos genitais e a região anal. «Se houver necessidade de proceder a uma acção clínica imediata, como é o caso de cirurgias correctivas ou de emergência, os momentos que se seguem à limpeza do bebé são os ideais para o pediatra tomar uma decisão que pode fazer toda a diferença», afirma o pediatra Frederico Leal, que há mais de duas décadas e meia presta serviço no D. Estefânia. Segue-se a identificação do recém-nascido, realizada através de uma pulseira de plástico, de cor rosa ou azul e – nas instituições que já possuem o sistema – a colocação de uma pulseira electrónica anti-rapto num dos tornozelos."(1)
 
No Garcia, já existe a pulseira electrónica. Só reparei nela a noite quando mudei a roupinha ao meu filhote com a ajuda de uma enfermeira. É um sistema eficaz para evitar o rapto de bebés. 
 
Bibliografia:
 
(1)-PÁSCOA, Elsa, "Os primeiros minutos do bebé", Pais e Filhos, 20 de Maio de 2010;

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Um pouco mais descansados

Já fomos ao Hospital. Foi muito rápido. A urgência pediátrica estava vazia e fomos logo atendidos.
O menino tem uma hérnia inguinal, que surge no testículo. A médica diz que não é grave, é normal nos bebés e pode passar sem qualquer intervenção.
De qualsquer das formas, foi encaminhado para consulta de cirurgia.

Hoje também...

- estreámos a chucha pela primeira vez. Atrapalha-se ainda um pouco, mas também não quero dar grande importância à chucha. Prefere a maminha à chucha...

- caiu o umbigo! Foi quando o despimos no Centro de Saúde.

Hoje estamos em baixo

Dia de consulta no Centro de Saúde. Ganhou peso. Voltaram a chatear-me por causa dos produtos do banho porque a pele do bebé está seca. Sim eu tomo cuidado com o que uso e também estou a colocar produtos para hidratar, mas ainda não passou. Que culpa tenho eu? Uma fala em óleo de amendoas doces, outra em Oleoban. Decidam-se que eu não tenho paciência para estas coisas. Usei o que mandaram usar no Hospital para o banho. Ontem usei um diferente para experimentar a ver se havia diferença. Mas hoje vou mesmo ver se consigo comprar o Oleoban.

Para mim, parece que é desidratação, mas dizem para não dar água. E se ele precisar de mais do que eu consigo dar-lhe quando o amamento? Não seria isso também importante de se ver?

E ainda por cima ontem reparámos que ele tinha um testículo muito inchado. Hoje mostrámos à médica. É uma Hérnia inguinal. Primeiro disseram que não era nada e depois já nos estavam a enviar para as urgências para ele ser visto o mais rápido possível.
Será que é grave e que ele tem dores? Achávamos que chorava por causa das cólicas, mas agora estou cheia de dúvidas e a pensar que podia ter reparado nisto mais cedo! Fogo!

Sinto-me tão mal...

Gestação - O desenvolvimento do tacto

Antes mesmo de conhecer o mundo cá fora, o feto começa a descobrir-se a ele próprio e às suas capacidades e a explorar o mundo de água que o rodeia. O tacto é uma das capacidades que mais precocemente se desenvolve sendo o primeiro sentido a entrar em funcionamento.

Por volta das 7 semanas surge em redor da boca o primeiro sinal de sensibilidade. Depois, durante as duas semanas seguintes, a região da pele que é sensível à estimulação táctil estender-se-à progressivamente ao resto da cara, à palma das mãos e ao tórax.

Quando a gestação vai a meio já é toda a sua pele e as suas mucosas que reagem plenamente à estimulação tátil.

E sabiam que é a partir do 6º ou 7º mês, que o feto ao tocar na cara com as mãos, abre a boca e chupa no dedo?

Ele é também capaz de distinguir diferenças  nas texturas do interior do útero: as paredes da bolsa amniótica, do cordão umbilical e da sua própria pele.

Ao nascer, ao tocarmos com o dedo na face do bebé, este abre a boca. É um reflexo que foi adquirindo durante a gestação e que lhe permite encontrar a sua fonte de alimento: a mama da mãe.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Ditos e tradições na gravidez

Agora que a gravidez acabou e chegou a fase de puerpério, ou de pós-parto, aqui ficam algumas considerações sobre uns poucos mitos que assolam as mulheres nesta fase de incertezas - que agora se finalizou. Ao olhar para trás é mais fácil perceber o que nos metia medo - mesmo que fosse infundado - e o que nem ligávamos por percebermos logo a sua antiguidade e tradicionalidade não confirmadas nem fundamentadas pela ciência.

Tidos como verdade:
"As futuras mães têm desejos"(1), eu devo ser diferente porque nunca tive. O que parece existir é uma vontade, ditada pela nossa sabedoria biológica e pelos nossos instintos maternos, de nos alimentarmos daquilo que faz mais falta ao bebé. Isso não deve ser confundido com aquelas vontades que algumas grávidas têm de comer coisas estranhas, como esfregão verde.

"A lua influencia o início do parto."(1) Já tenho lido bastante sobre este tema, até acredito que a lua influencie a gestação em locais mais remotos em que a vida se rege sob os ciclos lunares e que poderá haver mulheres mais influenciáveis do que outras. Não sei... se influencia as marés, os rios, porque não influenciar também as nossas marés interiores, do berço de água que embala o nosso bebé?

"As datas significativas para a mãe predispõem-na a dar à luz." Será? O meu menino nasceu tal como eu tinha prometido no dia de anos do meu pai. Nesse dia (dia do Pai) dei-lhe o envelope com a eco e disse-lhe: "É a tua prenda, mas só abres no teu dia de anos," o que por coincidência assim aconteceu.

Os falcissímos...

"Se não satisfizer os seus desejos, o bebé nascerá com alguma mancha."- ????

Se temos azia, o bebé nasce cabeludo. Não é verdade, poderá ser apenas coincidência em alguns casos. O meu bebé tem pouquinho cabelo e eu tive horrores de azia! Se assim fosse, nascia de tranças! O aumento dos níveis hormonais e a pressão do útero sobre o estômago e que dificultam a digestão, podem ser as explicações mais plausíveis.

E outras que se poderão acrescentar aqui, com o vosso contributo é claro.



Bibliografia:

(1)-CÁDAMO, Sílvia, "O que se sabe ao certo sobre os mitos da gestação.", Babies, Janeiro de 2004;

Material para contar histórias

Olá!

No meu outro blogue eraumaeoutravez.blogspot.com, estão já algumas imagens de material didático, neste caso fantoches, dedoches e bonecos muito interessantes para contar histórias. Aqui ficam apenas alguns exemplos:


História: "A Bela adormecida"



História: "Caracolinhos de Ouro e os 3 ursinhos"

Contactar:
e.filipe552@gmail.com
ou em resposta a esta postagem!

Beijos!

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Mãe babada...

Alguém tem por aí um lençol?

É para limpar a baba... tenho um bebé tão lindo! Fico horas a olhar para ele e a adorá-lo. Tão doce, sossegado e adoro os "sorrisos" que me faz e amo conversar com ele.
Sim, que ele "conversa" comigo desde o momento em que me o colocaram em cima do meu peito após o parto e ele olhou para mim e segurou o meu dedo com os seus dedos finos. É uma sensação maravilhosa, indiscritível de felicidade. Por momentos, ficámos os dois ali "sozinhos", não havia já dores, nem medos.

Na primeira noite não dormi e também não tinha sono. Estava completamente extasiada e passei toda a noite a admirar o rosto do meu menino. Claro que as dores também ajudaram à falta de sono, mas o importantante é mesmo que isso não interessava para nada. Ora iria eu perder a sua primeira noite neste mundo? Nem pensar!

E claro que em casa - mesmo tentando adormecer - não dormi. Ele, no seu berço, nos lençóis novos, a primeira noite com o papá também... e eu acordada a admirá-lo, a babar-me...

Já chegou o lençól?

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Já nasceu!

O meu príncipe chegou ao mundo no dia 6 de Setembro, às 12h51m de parto eutócito (normal) com apresentação pélvica. 

Nasceu com 2990 gramas e 49 cms. Tive de ser sujeita a episiotomia e estou com muitas dores ainda por causa da costura.

Já estamos em casa desde 4ª-feira, mas estes dias têm sido só para nós os três e para a família e amigos. O bebé está a passar bem - salvo algumas cólicas - e os papás ainda se estão a habituar ao novo ritmo.

Quando tiver melhor e com mais tempo eu deixo aqui mais alguns comentários.

Um beijo!

domingo, 5 de setembro de 2010

Sobre as 39 semanas

Mais uma vez, venho partilhar informação - útil penso eu - sobre a gravidez, desta feita, sobre as 39 semanas e o que esperar...

Sinais de parto:


"Em cada consulta, a parteira ou o médico irão fazer um exame abdominal para verificar o crescimento e a posição do bebé. Poderá também realizar um exame interno para ver se o colo do útero começou a apagar (a ficar mais fino) ou a dilatar (abrir). Se a semana passar e o bebé continuar sem dar sinais de querer sair, não se aflija. Apenas 5 por cento dos bebés nascem na data de termo prevista. Se passar a data de termo, o médico irá marcar testes fetais (normalmente um sonograma) após as 40 semanas para se assegurar de que é seguro prosseguir com a gravidez. Se não iniciar o trabalho de parto sozinha, a maioria dos médicos induz o parto uma ou duas semanas após a data de termo. Nas séries de televisão, as mulheres grávidas vêem sempre as suas águas rebentarem de forma dramática — numa sala cheia de gente, é claro – e logo a seguir começa o trabalho de parto. Não se preocupe: não vai acontecer consigo cena semelhante. A ruptura da bolsa antes do início do trabalho de parto ocorre em menos de 15 das gravidezes. De qualquer modo, se as águas rebentarem ou mesmo que suspeite de estar a ter uma perda de líquido amniótico, contacte de imediato o seu médico e mantenha-se calma – pode demorar horas até sentir a primeira contracção. (Se for portadora de estreptococos do grupo B, pedir-lhe-ão que vá já para o hospital para receber o antibiótico intravenoso e, ao mesmo tempo, é possível que lhe induzam o parto se as contracções não começarem sozinhas.) Contacte também logo o médico se sentir algum abrandamento dos movimentos do bebé, independentemente de estar a perder líquido ou não."

"Existem sinais mais comuns da iminência do trabalho de parto do que a ruptura da bolsa. Pode dar-se conta da saída de uma pequena quantidade de muco espesso que bloqueia o canal cervical – na roupa interior ou na sanita. Pode estar tingido com uma pequena quantidade de sangue acastanhado, rosado ou vermelho. (Se tiver perdas ou hemorragias vaginais que não este muco raiado de sangue, contacte de imediato o médico.) O trabalho de parto começa normalmente um dia ou dois após a perda do rolhão mucoso. Outro sinal de parto são as contracções em intervalos regulares – e cada vez mais curtos. O médico dir-lhe-á quando deve telefonar, mas será provavelmente quando as contracções durarem cerca de um minuto, com intervalos de cinco minutos, durante cerca de uma hora. (Meça o tempo que decorre entre o início de uma contracção e o início da seguinte.)"

Fonte:
http://familia.sapo.pt/johnson/calendario_de_gravidez/o_seu_corpo/828854.html

Falámos sobre estas coisas nas aulas de preparação para o parto, mas com algumas nuances. Claro está que as opiniões diferem de enfermeiro para enfermeiro. É normal que isso aconteça.
 

Gravidez - 9 meses à frente do Mundo

Por aqui o menino continua aclimatizado na barriga da mãe, sem vontade de sair. Ando a aproveitar para descansar bastante e preparar a sua chegada. Ainda parece haver tanto para fazer! Quanto tempo ainda andarei à frente do mundo? Poucos dias espero...

Este é um excerto de um texto de Gonçalo Tavares (1) que descobri numa revista. Simplesmente maravilhoso.

"A gravidez é a máquina natural de viajar no tempo.
A mãe, no momento da procriação, vive nove meses à frente do mundo. Depois, com o avançar do tempo de gravidez, esta diferença vai diminuindo. Dois dias antes do bebé nascer, a mãe já só vive dois dias à frente do mundo. As contas são fáceis.
O dia do nascimento da criança é então o dia em que a mulher deixa de possuir o futuro dentro dela. A viagem no tempo terminou."

In.:
TAVARES, Gonçalves, "O nono mês", Pais e Filhos, Março de 2000;

sábado, 4 de setembro de 2010

Gravidez-hábitos nocivos a evitar - parte 5

Hoje volto a falar dos hábitos que podem prejudicar gravemente o bebé. Substâncias a evitar sempre, mas, em particular durante a gravidez, pelos danos que podem causar à própria mãe e ao seu bebé. Além de algumas drogas, vou focar também os medicamentos e os exames radiológicos:

Cocaína:

Por ser um importante vasoconstritor, impede "o normal aporte de sangue aos tecidos" e provoca o "aumento da tensão arterial."
"Na grávida pode provocar enfarte do miocárdio, hemorragia cerebral" entre outros e no feto, "aborto, anomalias embrionárias (mais frequentemente do intestino, dos membros, do coração, do cérebro e do aparelho urinário)", entre outras complicações.(1)
"O filho de uma mãe adicta a esta droga é mais propenso a ter escasso peso ao nascer, além de uma medida corporal e uma circunferência da cabeça menores do que é normal."(2)


Opiáceos:

Como a heroína. Pode restringir o crescimento, aumentar a prematuridade e ainda levar a uma "maior mortalidade perto do parto e nas primeiras semanas de vida."(1)
Leva ainda a que entre 40% a 80% dos recém-nascidos sofra de síndrome de abstinência, "que se manifesta por irritabilidade, alterações do sono, aumento dos reflexos, febre, tremores, convulsões"... (1)
"Os sintomas de abstinência manifestam-se habitualmente dentro das 72 horas posteriores ao nascimento. Esses sintomas incluem irritabilidade, com choro excessivo, nervosismo, tensão muscular, vómitos, diarreia, suor, respiração acelerada e convulsões. Os sintomas de abstinência ligeiros tratam-se agasalhando a criança e alimentando-a frequentemente para reduzir a inquietude. Os sintomas graves podem ser controlados com pequenas doses de tintura de ópio, um narcótico. A dose reduz-se muito gradualmente no termo de alguns dias ou semanas à medida que os sintomas desaparecem."(2)

Anfetaminas:

Ou drogas estimulantes. "Como sugere o termo, são de substâncias que aceleram (estimulam) a atividade do Sistema Nervoso Central (cérebro), que passa então a funcionar mais rapidamente. A pessoa então anda mais, corre mais, dorme menos, fala mais, come menos, etc."(3)
O seu consumo pode estar relacionado com o aparecimento de lábio leporino e de "risco de parto pré-termo e de crescimento fetal deficiente."(1)

Marijuana:

O seu consumo pode conduzir a "anomalias dos membros, restrições do crescimento fetal e parto pré-termo."(1)

Medicamentos:

"Tendo em conta que quase todos os medicamentos administrados por uma mulher grávida, e que, consequentemente, passam para o seu sangue, conseguem atravessar a barreira placentária, chegando à circulação do feto, muitos destes medicamentos, mesmo os mais comuns, alcançam o organismo do feto em concentrações elevadas, podendo alterar o processo de desenvolvimento dos tecidos e órgãos em plena formação. Apesar de ser maior na primeira fase da gravidez, ao longo da etapa embrionária, o perigo persiste, em muitos medicamentos e tratamentos, ao longo de toda a gravidez."(4)
Foi nos anos 60, "que pela primeira vez graves alterações no feto foram relacionadas com a administração de (...) talidomina" na grávida. Dos "medicamentos de alto risco" fazem parte "alguns componentes para tratamento de formas graves de acne, anticoagulantes orais, antineoplásicos, antiepilépticos, entre outros." No entanto, poderão não ser suspensos, no caso de algumas doenças porque pode ser mais grave a sua suspensão. A auto-medicação é, de facto, o maior perigo a evitar.

Exames radiológicos:

"Presentemente, o que se sabe é que a dose de radiação utilizada na grande maioria dos exames complementares de diagnóstico, não parece provocar danos no embrião ou no feto. No entanto (...) deve evitar-se a realização de exames radiológicos durante a gravidez e, principalmente, no primeiro trimestre", salvo em situações mesmo necessárias. (1)
"Por isso, antes de se realizar radiografias a uma mulher, deve-se sempre perguntar se ela poderá estar grávida, pois nesse caso convém optar por uma técnica mais inofensiva. Esta precaução deve ser sempre adoptada no primeiro trimestre da gravidez, já que no segundo trimestre, caso a sua realização seja realmente necessária, pode-se efectuar radiografias de partes do corpo afastadas do abdómen, revestindo-se o abdómen da mãe com uma protecção especial de chumbo. Por outro lado, as radiografias realizadas no terceiro trimestre não representam qualquer perigo, pois nesta fase o organismo já se encontra totalmente formado."(4)



Bibliografia:

(1)-SANTOS, Ana, "Perigos a evitar na gravidez", Pais e Filhos, Junho de 2002;
(2)-http://www.manualmerck.net/?id=278&cn=1449
(3)-http://www.adroga.casadia.org/drogas/estimulantes-anfetaminas.htm
(4)-http://www.medipedia.pt/home/home.php?module=artigoEnc&id=754

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Material didático e equipamentos

Olá a todos!

Agora que o ano está a começar e que se adequam as salas às várias faixas etárias e aos grupos de crianças, chegou a altura de ver os materiais mais antigos e repor novos.

Deixo-vos aqui algumas ideias de equipamento destinado a bebés e crianças, neste caso de berçário. Quem quiser comprar algumas destas peças, fazer uma encomenda ou, simplesmente, marcar uma visita para ver os catálogos, é só respoder a este post ou enviar-me um mail para e.filipe552@gmail.com.

Material de desgaste - lápis de cor, tintas para tecido, digitintas, pincéis de vários tamanhos, papel crepe, massas de modelar...

Equipamentos - mesas de actividades, cadeiras, tapetes, almofadas...


Aqui ficam alguns produtos adequados aos mais pequeninos e a respectiva descrição dos mesmos:

 

Digital Excellence:

Escutar o bebé como para comunicar com ele e com ZERO interferências. Com o receptor os pais podem acender, apagar e mudar facilmente as melodias e a luz ambiente da unidade emissora do bebé . No ecrã digital visualiza-se a temperatura do quarto do bebé, e os seus alarmes de temperatura garantem o conforto do mesmo. A unidade dos pais incluí uma lanterna que evita ter que acender a luz e incomodar o bem estar do bebé, se está a dormir ou a descansar.



Características:
- Digital
- Comunicação bidireccional.
- Sem interferencias.
- Controle de temperatura ambiente.
- Gestão de 4 melodias e do volume desde o receptor.
- Unidade receptora com Leeds indicadores da intensidade de recepção do som.
- Lanterna no receptor.
- Pilhas recarregáveis.

Brinquedos vários:














Livros para bebés:








Tapetes de actividades:



Estes são apenas alguns exemplos de artigos que tenho para venda. Peçam os catálogos que enviarei ou irei ao vosso colégio com todo o gosto. Não são apenas artigos desta marca, mas de várias outras também. Pode também interessar às mamãs, porque podem sempre adquiri-los a título individual.

Existe também uma gama para Jardim de Infância e para ATL.


Desenvolvimento do bebé - o nono mês

Em contagem decrescente... muito descanso, mas também muita ansiedade. Tempo para preparar o resto da casa e verificar as malas a levar para a maternidade: mala da mãe, mala do bebé e documentos necessários.

Ao atingir o 9º mês de gravidez, o bebé está quase totalmente preparado para vir ao mundo. Aproveita o tempo que lhe resta no útero materno para crescer. "Nas últimas semanas de gravidez, o bebé aumenta consideravelmente de peso e desenvolve uma camada de gordura subcutânea."(1) Pode chegar a medir até 50 cm e pesar de 3 a 3,5 quilos.

"O fígado deixa de ser o responsável pelo fabrico dos glóbulos vermelhos e brancos. A partir de agora, será a medula a encarregue  desta tarefa."(1)

Por volta da 36ª semana aproximadamente, "guiado pelas mensagens hormonais e pelo escasso espaço que lhe sobra para se mexer, o seu bebé introduzirá a cabeça no perímetro superior da pélvis, ficando literalmente encaixado nela."(2)

Está a preparar o seu caminho para o mundo que o espera. Falta pouco para que a mãe conheça finalmente o seu bebé, mas sem antes o ajudar a lutar por atravessar o canal de parto. "Para o proteger no momento do nascimento, o cérebro está rodeado de uma série de ossos, ainda não totalmente unidos, que são muito moldáveis, para se adaptarem ao canal de parto. Os espaços onde os ossos da cabeça se unem recebem a designação de fontanelas e só se fecham vários meses após o nascimento."(1)

"No útero, a placenta faz o trabalho dos pulmões, mas após o nascimento, o sangue tem de circular por eles, para que se produza a respiração."(1) Esta última etapa completa-se quando o cordão umbilical é cortado permitindo a abertura das válvulas que facilitam o funcionamento do sistema respiratório.



Bibliografia:

(1)-"Assim cresce o seu bebé", Anuário 2004, Super Bebés;
(2)-"Finalmente vai conhecer o seu bebé", Anuário 2004, Super Bebés.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Creches em Portugal

Hoje vi nas notícias uma reportagem sobre uma Creche clandestina no Barreiro, sem condições para ter ali crianças (nem sei se seria a valência de Creche que estava ali a ser falada, porque me ficaram dúvidas acerca das idades das crianças que ali frequentavam). Via-se um berço numa salinha pequenina - seria um berçário? E viam-se crianças mais velhas - ATL - sentadas num canto de uma outra sala, talvez a conversar ou a brincar - que quando há jornalistas, nunca se sabe como é de facto a realidade do dia-a-dia, porque muita coisa será alterada para as filmagens. Pena a dona da Creche ou alguém responsável, não ter falado. Se não queriam falar, porque deixaram filmar? Não entendi.
Enfim, outras "Creches" assim haverão no nosso país, sem licenças e sem condições.

Por outro lado, também tenho ouvido falar muito nas notícias sobre outras Creches. As que o Primeiro-ministro tanto aclama, numa repetição de reportagens sobre a inauguração de uma Creche na Amadora. Pois com tanto falatório ainda me passou pela cabeça - ingénua - que finalmente se considerassem as crianças até aos 3 anos como fazendo parte do sistema educativo. Afinal estava enganada. Nada mudou.


Até aos 3 anos, a criança não é criança, não existe para o Sistema Educativo português e por isso é tão fácil haver Creches clandestinas a funcionar e outras licenciadas, mas que funcionam mal nesta valência que tantas vezes é posta de parte. Os próprios pais em alguns casos não estão informados sobre as diferenças entre Creche e Jardim de Infância e quais as responsabilidades destas duas valências. Não sabem qual o papel da Educadora na sala da Creche. Já me confrontei até com a ideia "para quê uma educadora se eles não fazem nada?" (Nada = trabalhinhos, desenhinhos, para mostrar aos pais).

Acrescento: fazem mil e uma coisas. Todos os dias! As salas de Berçário e a sala parque são das que mais trabalho dão a uma (boa) educadora. Uma (boa) equipa educativa de uma destas salas, sente necessidade de reunir todas as semanas, senão todos os dias. Prepara exaustivamente o dia seguinte e, mesmo assim, a toda a hora é "surpreendida" com alterações, ditadas (assim deveria ser) pela evolução e desenvolvimento individual de cada criança, com as suas vontades pessoais e com as suas necessidades.

É também pela falta de Creches em Portugal e por estas nem sempre serem convenientemente estruturadas, que há tanta dificuldade em encontrar vagas para colocar os nossos bebés numa boa Creche. É por isso, que muitas mães ainda grávidas começam a procurar um sítio onde colocar os bebés quando o dia chegar e, até, quem o comece a fazer quando planeia engravidar.

Existem de certo boas excepções, mas algumas das colegas que trabalham na valência de Creche, já foram ou são tratadas de forma diferente das colegas do Jardim de Infância. Mas o seu trabalho é tão importante quando o das outras educadoras.

Elsa Filipe

39 semanas de gravidez!

Já está quase, quase!
Estou em contagem decrescente para a chegada do meu bebé! Antecipando um momento maravilhoso, um momento a recordar para sempre, de partilha de amor, de comoção, de plenitude quando o tiver nos meus braços.

Mas também estou ansiosa por saber como vai ser o parto, que sinais terei de que este se está a despoletar. As dúvidas que não tinha agora surgem cada vez mais a cada dia que passa. Como será a primeira noite com o bebé em casa? Como será a primeira vez que lhe darei de mamar? Como será o primeiro banho? Quero de certeza reter todos estes momentos, seja em fotografia, seja em registo, mas mais importante ainda, gravar tudo na minha memória.

Elsa Filipe

Um aparte...
Estive a actualizar o meu outro blogue. É um pouco mais raro lá ir, mas não está esquecido! Não se esqueçam também de lá ir e comentar. Falem sobre livros, histórias, contos...

eraumaeoutravez.blogspot.com


Desenvolvimento do bebé - do 6º ao 8º mês de gestação:

Ao chegar ao 6º mês de gestação, muito já aconteceu. O feto passou a ter um aspecto claramente humano e já se move imenso no útero, deixando a mamã e o papá perceber que ele ali está.

6º mês:

O bebé "adora tocar nas paredes com as mãos, os pés ou o resto do corpo: está a descobrir o sentido do tacto." Os seus pulmões ainda precisam de mais tempo para se desenvolverem em pleno, embora caso o parto prematuro ocorresse, "já poderia sobreviver com ajuda médica."(1)

"Entre a 22ª e a 24ª semanas pode abrir os olhitos."(1)

7º mês:

"Com 29 semanas de gestação", tem cerca de "35 cm e pesará mais de 1 quilo."
"Os movimentos respiratórios já não são descoordenados, sucedendo-se de forma ritmada", porquanto que "os pulmões e aparelho digestivo estão quase totalmente desenvolvidos."(1)
Devido à carência de espaço, os seus movimentos tornam-se menos amplos.
"A sua capacidade auditiva aumentou tanto, que é capaz de ouvir os ruídos externos e, inclusive, reagir a eles."(1)

8º mês:

Graças ao aumento de gordura debaixo da pele, "desapareceram as rugas". O bebé fica com um aspecto mais rosado e de pele mais lisa. Nesta fase, "o bebé engole muito líquido e urina com igual frequência. O mecónio que eliminará poucas horas após o parto, acumula-se no intestino."(1)


"Cerca de 95% dos bebés colocam-se durante o 8º mês na posição adequada para o parto, isto é, de cabeça para baixo"...

...mas como é o meu caso, outros 5% estão em outras posições...



Bibliografia:

(1)-"Assim cresce o seu bebé", Anuário 2004, Super bebés;

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Parabéns!

Para mim pode ser um destes assim só de chocolate!

Ou também pode ser um destes aqui, lindíssimo!

De embrião a feto

O bebé vai-se desenvolvendo dentro do ventre da mãe a um ritmo alucinante. A 1ª ecografia revela já um bebé "real" e formam-se novas emoções nos futuros papás.

3º mês:

"Ao finalizar o 3º mês, o embrião mudou tanto que recebe outra designação: passa a chamar-se feto."
"Por volta das 12 semanas, já se formou o contorno das articulações e dos ossos, bem como numerosos músculos, que lhe permitem realizar movimentos espontâneos com todo o corpo."

"A sua pele é vermelha e translúcida, tão fina que é permeável ao líquido amniótico."(1)
E sabiam que os primeiros pêlos que surgem são as sobrancelhas?













4º mês:

O bebé já deve ter 16 cm de comprimento e 250 gramas de peso e um "aspecto inequivocamente humano."(1)
"A partir da 14a. semana todos os orgãos internos do feto estão com suas estruturas principais já formadas. O figado começa a produzir o primeiro suco gástrico, e os rins iniciam a produção de urina, que é diluída e formada basicamente de líquido amniótico."(2)

5º mês:

Agora o bebé já cresceu imenso!
"A partir do 5º mês, também começa a estabelecer ciclos de vigilia e de sono (...) Costuma dormir durante 16 a 20 horas e pode permanecer acordado, precisamente, quando você quer descansar."
"O bebé já é capaz de abrir a boca e realizar alguns movimentos de sucção."(1)


Bibliografia:

(1)-"Assim cresce o seu bebé", Anuário 2004, Super bebés;
(2)-http://www.clubedobebe.com.br/Manual%20da%20Gestacao/oquartomes.htm