domingo, 31 de outubro de 2010

Tema da semana

S. Martinho:

No calendário litúrgico, o dia de S. Martinho celebra-se a 11 de Novembro, data em que este Santo, falecido dois ou três dias antes em Candes, no ano de 397, foi a enterrar em Tours, França. Este é o mote para a exploração deste tema que pode ser tratado de imensas maneiras... basta imaginação!

Actividades:

- trazer o tema "à baila" no tempo de grande grupo, levando ouriços para a sala;
- pesquisar com as crianças este tema em livros ou na Internet - fazendo uma pré-selecção de conteúdos interessantes, levando imagens, vídeos, canções alusivas ao tema;
- construir uma peça de teatro em redor do tema "Eu sou um castanheiro", deixando as crianças, a partir de algumas dicas do adulto criarem as próprias personagens e registar os textos que daí surgirem;
. construir um livro com as histórias que as crianças criarem a partir da actividade da peça, ilustrado totalmente pelas crianças;

Sites interessantes:

http://www.malhatlantica.pt/netescola/omouro31/Smartinho.htm
http://smartinho.blogspot.com/
http://educacaodeinfancia.com/lenda-de-s-martinho/
http://proverbios.aborla.net/pesquisa/s.%20martinho


sábado, 30 de outubro de 2010

Soluços

Termina a mamada, arrota e fica todo satisfeito. Umas vezes desperto, outras mais sonolento. Tudo bem, excepto os soluços. Aparecem do nada, ele começa a ficar irritado e chora. Acalma quando o volto a colocar no peito. Falei deste problema nas consultas e reponderam-me que é "mesmo assim" e para não dar peito porque ele não tem fome e isso só vai provocar gases e cólicas. E o problema continua.

Agora descobri um artigo numa revista sobre este tema. É um problema fisiológico que passa de forma espontânea.
"Os soluços são contracções bruscas e repentinas - por vezes ritmadas - do diafragma, um músculo que separa as cavidades torácica e abdominal. No caso dos lactentes, quando uma pequena quantidade de leite retorna ao esófago, irrita as terminações nervosas da mucosa, provocando a contracção do diafragma."(1)

E então, apresentam uma solução:

"A melhor forma de ultrapassar esta crise é limpando a zona irritada." Isto é fácil, bastará dar ao bebé um pouco de leite ou água que "ao ser ingerido, limpará as mucosas do esófago."(1)


Bibliografia:

(1)-"Soluços, vómitos e regurgitações", Bebé Saúde, Fevereiro de 2004;

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Contacto materno - primeira relação humana

"A primeira relação humana que o bebé aprende a estabelecer é com a mãe", sendo com ela "que desenvolve a primeira relação social e afectiva marcada por uma grande dose de dependência."(1)


A importância do contacto pele com pele precoce foi estudada por dois investigadores norte-americanos (Klaus e Kennell) nos anos 70. Os seus estudos revelaram "que os bebés colocados junto das mães, pele com pele, logo após o parto e que assim permanecem durante uma hora revelam, nos dois anos seguintes, uma ligação de maior qualidade com as mães. Outra constatação é o desenvolvimento linguístico dessas crianças que é, também, mais rápido do que o habitual."(2)

Após o parto, esta vinculação torna-se num acto de conhecimento mútuo, "e que termina num gesto físico de adopção daquele filho como seu."(2)

Este gesto foi depois desenvolvido como método de estimulação de bebés prematuros acreditando-se que o contacto pele com pele beneficiava o seu crescimento e desenvolvimento em diversas áreas - método cangurú. Por outro lado, a relação entre mãe e bebé é a base das relações humanas que o bebé vai desenvolver ao longo da vida. A segurança que esta primeira relação lhe transmite facilita posteriormente a sua confiança, a comunicação, o pensamento e a própria aprendizagem ao longo da vida.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Vamos ajudar?

"O objectivo da Ajuda de Berço é procurar responder com eficácia, segurança e afectividade à situação de desamparo em que se pode encontrar uma criança. Enquanto o fazemos damos abrigo, colo e todos os cuidados necessários aos pequeninos que nos são confiados.

Tudo na Ajuda de Berço se orienta de acordo com este fim: que a criança encontre um projecto de vida definido no qual seja respeitada a sua dignidade, a dignidade humana."


Esta IPSS conta com duas casas de acolhimento. Ultimamente têm vindo a pedir uma ajuda "extra" em alguns programas de televisão - hoje, no "Você na TV", na TVI - porque estão em risco de ter de encerrar uma das casas onde acolhem bebés e crianças pequenas. A crise infelizmente chega a todos, inclusivé aqueles que tentam ajudar.
 
Esta é uma das formas de ajudar:
 
http://www.projectovaquinha.com/abcdavaquinha/
- comprando uma colecção de livros infantis - 3€ por livro - total: 18 €

Ligando para um destes números:

760 100 410 - contribui com 0,60 €
761 100 410 - contribui com 1 €
762 100 410 - contribui com 2 €
Eu comecei por tentar conhecer um pouco melhor esta instituição. A contribuição de cada um é pessoal, mas divulgar é a primeira parte. Eu já comecei por fazer um bocadinho dessa pequena parte.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Tema da Semana

Halloween.

Jardim-de-Infância:
Uma bruxa vem visitar a sala dos meninos e traz histórias de encantar com fadas e bruxas:
- oposição bem e mal;
- trabalhar a biblioteca da sala;
- ordenar os livros por assuntos;
- construir bruxas a partir de materiais de desperdício;
- recriar uma história com fantoches feitos pelas crianças e apresentar noutra sala a outros meninos.

Cores do halloween - preto e laranja, fazer uma actividade com essas duas cores. Explorar como se conseguem essas cores.

A Abóbora:
- levar uma abóbora para a sala;
- visitar uma quinta pedagógica - observar a abóbora na terra, explorar texturas, cheiros, sabores...
- fazer doce de abóbora com as crianças;


Creche:

Trabalhar com os mais pequeninos:

Com os mais pequeninos penso que explorar um tema semanal, pode parecer mais difícil, mas é possível de se fazer na medida em que se podem explorar diversos aspectos. Por exemplo, a educadora pode trazer uma abóbora para a sala e deixar as crianças explorá-la de diversas formas:

- deixá-los mexer, tocar, cheirar, provar... as crianças pequenas aprendem através de todos os seus sentidos, nunca esquecer disto!
- aproveitar a oportunidade para fazer mais uma actividade de digitinta, usando a cor laranja e expor na sala todos os trabalhos das crianças!
- fazer alguns bonecos recortados em cartolina preta e laranja e oferecer às crianças - elas também podem receber prendinhas sem terem de participar na sua produção - silhuetas de bruxas, morcegos, abóboras...

Canções para todas as idades:

 - do "Avô Cantigas" - Fantasminha Brincalhão.

Hum... lembrei-me agora: lençóis espalhados pela sala, fingir que somos fantasmas, dançar com lençóis... trabalhar a motricidade global, os jogos em equipa, o faz-de-conta...

domingo, 24 de outubro de 2010

Canção do Pintinho

Crescimento do Bebé

Para começar este post, aqui fica um excerto da Newsletter da Sapo sobre as seis semanas do bebé:
http://ardina.sapo.pt/verNewsletter.html?hr=fd621dac8749f2b47fff78f4bf25a0b6&hc=b6e3fc0d19a616941a8a2a7d1078d845
"Às 6 semanas, praticamente todos os bebés já reconhecem os pais e muitos mostram o seu contentamento com um sorriso de boas-vindas. Este "sorriso social" é um dos primeiros sinais de que o seu bebé está a desenvolver a capacidade de socializar. Já para não falar que é um dos momentos mais ternurentos e emocionantes a que assistirá.
E não é tudo. O seu bebé pode também franzir o sobrolho, fazer beicinho, alçar as sobrancelhas e arregalar os olhos. Estes maneirismos são inconscientes, nesta altura – quando franze o sobrolho, não será porque está embrenhado em profundos pensamentos. Mas o seu bebé tem observado com atenção o seu comportamento e está a experimentar as diferentes expressões faciais que observou. Pense nisto como um "treino expressional." Ao fazê-lo o bebé está a tornar-se cada vez mais apto a aprender a comunicar, o que o irá ajudar a lidar com o mundo."

A verdade é que amanhã o meu bebé completa sete semanas de vida. Esta semana, começamos duas novas etapas com ele. A primeira foi a alteração do banho. Antes colocavamos pouca água e o banho era algo rápido, só mesmo para limpar, mas como ele manifesta tanto agrado na água, na semana que terminou começamos a encher um pouco mais a banheira e a deixá-lo na água mais tempo. O bebé fica apoiado nas nossas mãos, mas com as mãos e os pés livres para poder espernear e mexer à vontade. Assim pode experimentar melhor a sensação da água no corpo e é uma forma de conhecer melhor o seu próprio corpo. Como está a chegar a altura em que vai ganhando algum controlo nos seus movimentos, optámos por esta pequenina, mas para ele, tão importante alteração na hora da banhoca.
A segunda instituimos ontem. Fizemos um tapete de actividades, na sala, para ele. Colocámos então cobertores e almofadas, com alguns brinquedos. E ele fica deitado no tapete e pode mexer o corpo consoante a sua vontade. O resultado:

- reparámos que dirige a mão mais próxima para os objectos para onde está a olhar; estica-se e tenta alcançá-los;
- sorri e faz outras expressões enquanto dirige o olhar para os brinquedos e objectos em redor;
- às vezes sorri para quem se deita ao seu lado - mãe, pai, mana... - outras vezes, choraminga porque quer atenção, dizer: "estou aqui";
- hoje conseguiu segurar na ponta de um dos bonecos e puxá-lo para si até ficar junto à sua cara;
- fica mais tempo "sozinho" sem reclamar.

E hoje, para completar estas mudanças, começamos com as canções. Ele já ouvia música, mas habitualmente era dos brinquedos - aquelas melodias calmas, ou sons diversos - mas hoje pus a tocar várias canções infantis tradicionais (viva o youtube - é uma vergonha, mas eu sou educadora e confesso que não tenho cd's infantis, tinha tudo no meu computador e nunca cheguei a passar para cd). Hoje ouvimos:

-"os patinhos" (hora de deitar), "a loja do mestre andré", "doidas, doidas, doidas" (andam as galinhas), "olha a bola manel" (tudo em português);
-"o pintinho", "a galinha amarelinha", "o sapo não lava o pé", "a baratinha" (versão brasileira);

Hoje também houve um almoço de família em que estiveram presentes mais dois bebés. O meu ficou pasmado a olhar para uma das bebés quando os pusémos frente a frente nos nossos colos. Esticou a mão enquanto fazia várias expressões com a cara. Estava a treinar a sua "conversa" - mas ela não lhe deu muito troco. É mais novinha, por isso é normal. Mas aqui o meu filho fartou-se de rir para toda a gente, ia ao colo de todos e estava sempre contente. É muito sociável!

Quanto ao excerto que aqui coloquei, o meu filho também faz beicinho. Muitas vezes até. Quando falo com ele, "responde-me" com várias expressões faciais. É capaz de passar todo o tempo da mamada na "conversa" comigo, eu a falar, muitas vezes a dizer parvoíces, e ele atento a olhar fixo para mim e, de vez em quando, ri. Quando o faz, larga a mama e depois abre muito a boca para a tentar apanhar. Com a ajuda aqui da mamã, consegue, e volta a rir... deixa a maminha sair outra vez! Ai ai e a culpa é de quem? Da mãe, que não consegue estar calada!

As experiências-chave em Creche

São conhecidas de quem aplica o modelo High Scope, ou Aprendizagem activa, em Jardim-de-Infância. Podem ser utilizadas na prática educativa de Creche. E existem formas de as aplicar e avaliar, tal como o fazemos no Jardim-de-Infância.

As Experiências-Chave:
As experiências-chave estão organizadas em 9 domínios abrangentes da aprendizagem de bebés e crianças pequenas, sendo uma estrutura de apoio ao desenvolvimento. Ainda que interligadas, este modelo apresenta estratégias de sustentação para cada uma:

Desenvolver o sentido de si próprio – as acções com objectos e interacções com os adultos têm como suporte experiências-chave como: expressar iniciativa, distinguir “eu dos outros, resolver problemas com que se depara ao explorar e brincar, fazer coisas por si próprio, que permitem à criança “desenvolver um sentido do self.” (1).

Aprender acerca das relações sociais – O envolvimento nas experiências-chave (estabelecer vinculação com a educadora responsável, estabelecer relações com outros adultos, criar relações com os pares, expressar emoções, mostrar empatia pelos sentimentos e necessidades dos outros, desenvolver jogo social), permitem à criança confiar nela própria e nos outros. Estas interacções sociais são importantes na medida em que as “relações precoces influenciam o modo como no futuro irão abordar as pessoas.” (1)

Aprender a reter coisas através da representação criativa – As experiências-chave permitem que a criança de tenra idade actue sobre os objectos através dos sentidos e do seu corpo, construindo a partir dessas experiências imagens mentais desses mesmos objectos. Assim, “o inicio da internalização, ou visualização mental, de qualquer coisa constitui a primeira experiência (...) com aquilo que se chama representação.” (1). Trata-se de aquisições importantes, pois a utilização de imagens mentais e a imitação, ou seja, o “conhecimento figurativo” da criança de idade pré-escolar “desenvolveu-se a partir de acções realizadas no período sensório-motor (do ano e meio aos dois).” (2)

Ganhar competências no movimento e na música – Experiências-chave tais como movimentar o corpo, partes dele ou objectos, proporcionam situações nas quais os bebés e crianças pequenas “(...)aprendem a medir a sua força física e os seus limites e exercitam padrões de movimentos(...).” (1)

Aprender competências de comunicação e linguagem – A linguagem do bebé inicia-se muito antes de saber falar, “comunicam os seus sentimentos e desejos através (...) de choro, movimentos, gestos e sons.” (1). Quando o adulto reage correctamente aos sinais ou gestos da criança, desenvolve a sua confiança, encorajando-a no seu desejo de comunicar, pois “não são precisas palavras para veicular e compreender segurança, aceitação, confirmação ou respeito.” (1). As experiências-chave: ouvir e responder, comunicar verbalmente e não verbalmente, participar na comunicação dar-e-receber, explorar livros de imagens, apreciar histórias, lengas-lengas ou cantigas, promovem oportunidades de comunicação para os bebés e crianças pequenas que “os integra na comunidade social e lhes permite participar nela como contribuintes.” (1).

Aprender sobre o mundo físico explorando objectos – o bebé e/ou a criança mais pequena apreende as características dos objectos explorando-os activamente, numa “intensa sede de experiência sensorial” (1) através das seguintes experiências-chave: explorar objectos com as mãos, pés, mãos, boca, olhos, ouvidos e nariz, descobrir a permanência do objecto, explorar e reparar como as coisas podem ser iguais ou diferentes.

Aprender os primeiros conceitos de quantidade e de número - Através de experiências-chave tais como explorar o número de coisas, experimentar “mais” e a correspondência de “um para um” os bebés e as crianças pequenas “começam a estabelecer as bases de compreensão da quantidade e do número” (1)a ter a percepção que os objectos existem, que se podem encaixar ou adaptar um ao outro. Mais tarde, “irá conduzir à compreensão da classificação, seriação, (...) conservação do número” (2)

Desenvolver a compreensão de espaço - “A consciência e o domínio do espaço levam muito tempo a desenvolver-se” (Idem, ibidem:293). Assim, experiências-chave como, explorar e reparar na localização dos objectos, observar pessoas e coisas de várias perspectivas, encher e esvazia, pôr dentro e tirar para fora, desmontar coisas e juntá-las de novo, permitem que a criança à medida que tem uma maior mobilidade e actividade, comece “ a expandir o seu sentido de espaço” (1).

Desenvolver a compreensão de tempo – “Para bebés e crianças, tempo significa agora, (...) o presente” (1). Assim, proporcionar ocasiões de aquisição de noções básicas baseadas nas experiências-chave (antecipar acontecimentos familiares, reparar no inicio e final de um intervalo de tempo, experimentar depressa e devagar e repetir uma acção para fazer com que volte a acontecer, experimentando causa e efeito) permite à criança construir, um sentido temporal dos acontecimentos.

Bibliografia:

(1) - POST, Jacalyn, HOHMANN, Mary (2004), Educação de bebés em infantários, Fundação Calouste Gulbenkian, 3ª Edição, Lisboa.
(2) - POST, Jacalyn, BERNARD, Banet, WEIKANT, David P.(1992), A criança em acção, Fundação Calouste Gulbenkian, 3ª Edição, Lisboa.

sábado, 23 de outubro de 2010

Viagem pelo trabalho de parto

"O nascimento de um bebé e de uma mãe é muito mais do que um assunto do corpo."(1)

Cada mãe terá a sua própria descrição deste momento. Não vou falar do meu parto, apenas colocar algumas afirmações acerca da forma como este decorre. Apenas aspectos técnicos que podem ser ponto de reflexão para as futuras mamãs.

Os sinais que antecipam o parto são vários e podem ser sentidos de forma diferente por cada mulher. Começam quando ocorre o apagamento do colo do útero - pré-parto. A occitocina é a hormona responsável pelo início das contracções, "muito irregulares e pouco perceptíveis: a cada meia hora, quinze minutos, uma hora depois..."(2)

A tranquilidade no início de todo o processo é importante para que o parto ocorra da melhor forma. "A Adrenalina, hormona que segregamos em momentos de stress, pode parar o trabalho de parto e isso é precisamente o que costuma acontecer, quando com um parto ainda numa fase muito inicial, chegamos a um hospital onde o lugar, o odor, as pessoas, são desconhecidas e nos falta intimidade."(2)

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Episiotomia

Este é um tema que eu já queria ter apresentado há algum tempo, mas o afastamento em relação ao meu parto também me ajudou a explorá-lo de uma forma diferente, com experiência pessoal nesta que é uma das práticas cirúrgicas mais usadas em Obstetrícia em Portugal, muito além da "meta traçada pela OMS para o número ideal de episiotomias em cada país - 10% dos partos vaginais."(1)

Consiste numa "incisão no períneo e na parede vaginal que tem por objectivo facilitar o parto e evitar uma ruptura." É um dos poucos procedimentos "realizados sem qualquer consentimento da mulher."(1)

Aqui começa a minha discórdia em relação a esta questão. O parto na sua parte física já é um acto de violência para a mulher cujo corpo sofre várias alterações que ocorrem de forma natural. Mas a episiotomia não é natural e nem sempre se justifica, embora seja preferível a deixar que o períneo rasgue por si. Se nos questionam e nos fazem assinar tantos documentos quando estamos a entrar no bloco de partos, porque não sermos consultadas acerca deste assunto? É uma violentação do nosso corpo, de uma área sensível e que tem uma recuperação difícil. Afecta a mulher tanto física como psicologicamente, podendo interferir também na recuperação da vida sexual do casal. Mas sem darmos conta, já está, já nos cortaram e agora resta esperar que nos cosam e que a recuperação ocorra da melhor forma.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Amamentar - Diferença de ideias

Hoje estive a conversar com a minha irmã sobre a minha sobrinha e voltamos a perceber as diferenças que ainda há nas enfermeiras e médicas de um centro de saúde para outro. A ela ensinaram-na a dar apenas 10 minutos em cada mama. Não estranhei quando ela me disse que a menina tinha perdido peso - é normal visto amanhã ainda fazer apenas 1 semana - o que não concordo é com a opinião da médica que a mandou acordar a menina de duas em duas horas para mamar porque perdeu peso. Afinal, não é normal na primeira semana haver perda de peso? Não foi nada de relevante, cerca de 150 gramas mais ou menos pelo que parece. Qual é o stress?

Ora dando apenas 10 minutos de cada maminha, não chega a usufruir de todas as qualidades do leite da mamã. A menina bebe apenas o início do leitinho de cada uma das mamas.

Não desfazendo... a minha sobrinha é linda, linda, linda!

Dia de consulta

Ontem foi dia de consulta aqui do piqueno - só para pesar: 4090 gramas! Já está a ficar pesadinho! O tacho é bom! É o meu orgulho e estou muito contente por ter optado por o amamentar. Desta vez esperamos quase uma hora para entrar - o que não é habitual - e durante esse tempo, houve uma altura em que estavam três crianças a brincar na salinha. Coloquei-o ao colo para ele ver os meninos e não é que se fartou de rir? Começou por dirigir o olhar para onde estavam as outras crianças, depois começou com sorrisinhos e a seguir já se ria e fazia vocalizações - nova conquista, mas ainda só se ouvem de vez em quando... Foi giro vê-lo a interagir à sua maneira com as outras crianças. Eram mais velhas e passavam pertinho dele e sorriam e falavam com ele. O mais pequenino estava ainda na fase de aquisição da marcha e usava as cadeiras e as nossas pernas para se apoiar. Quando passou por mim, descobriu o meu bebé e começou a rir-se para ele. Assim comunicaram os dois, sem que fosse preciso falarem e sem a intervenção de nenhuma das mães.

E durante a espera assisti a uma cena, que só me apeteceu levantar e bater na mãe - ok, se calhar não era caso disso, mas fiquei espantada com tamanha estúpidez - estava uma mãe com um bebé que se tinha um mês era muito, a dar biberão. Até aqui nada estranho, não fosse a quantidade absurda de leite. A meio, o bebé afastou a tetina e bolçou imenso leite para fora. Ora a dita senhora, limpou a boca do menino e toca de lhe voltar a enfiar o biberão. Teve de beber todinho até ao fim, obrigado, ele afastava a tetina e ela voltava a pô-la na boca dele. Seria necessário que ele bebesse aquele leite todo? Deviam ser aí uns 150 ou 200 ml sem exagero nenhum.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Simbiose mãe-bebé - aprendendo a comunicar

"Do que já não parece haver dúvidas é que a relação entre a mãe e o filho, no decorrer da gravidez, revela uma importância enorme em termos de interferência no bem-estar da criança que vai nascer. Ou seja, as trocas emocionais entre ambos vão muito mais longe do que se pensava." (1)

Esta é a primeira etapa do relacionamento do bebé com o mundo que o rodeia. Depois de nascer, um olhar bastará para o bebé comunicar com a mãe e provocar nela um sorriso. "Como primeira relação humana", esta vinculação "tem uma importância fundamental no desenvolvimento somático, psicomotor, afectivo e social da criança."(2)


segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Tema da Semana

Para trabalhar no tapete, ou na mesa redonda, numa sala de Jardim-de-infância.

Esta semana proponho que se trate o binómio pobreza/riqueza, enquadrado no Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza, que se assinalou ontem (dia 17).

Perante algumas imagens alusivas a este binómio, as crianças devem tecer livremente os seus comentários acerca do que ali vêem. Cada criança poderá ter uma forma diferente de interpretar uma imagem, assim como os seus conceitos de pobreza e riqueza poderão divergir. Cabe ao adulto orientar e facilitar o diálogo e a partilha de ideias entre as crianças. É uma boa oportunidade de trabalhar com as crianças algumas regras: esperar pela sua vez para falar, ouvir o que os colegas têm a dizer...

Poderá também ser uma oportunidade de trabalhar a escrita.

domingo, 17 de outubro de 2010

Mais uma menina na família

Estamos todos babados com o nascimento de mais uma menina na família. A S. nasceu na sexta-feira, dia 15 por volta das 20h. com 3645gramas e 51 cm. Nasceu no HGO, de 41 semanas, parto normal, induzido horas antes, com ajuda de uma episiotomia porque a bebé apresentava uma circular do cordão umbilical.

Sou tia de uma menina linda! A minha irmã ainda continua na maternidade. Estão a fazer análises à bebé porque está um pouco amarela, mas brevemente deve vir para casa.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Vinho nos lanches escolares!

Ora algo que não me tinha apercebido, mas que merece uma reflexão - perdoe-me a Bárbara Wong (http://educaremportugues.blogspot.com/) por lhe roubar este excerto da postagem... as minhas desculpas - pois parece que o vinho é mais importante no nosso país do que o leitinho para os nossos filhos levarem na mochila para lanchar!

O IVA: a ideia de se taxar a 23 por cento bens que para muitas famílias são essenciais (não na minha, mas eu sou solidária) como os leites achocolatados, aromatizados, vitaminados e enriquecidos, as bebidas e sobremesas lácteas, os sumos e néctares de frutos; para não falar das latas de grão, ervilhas, pêssego, ananás e salsichas, etc... (essas já entram em minha casa). E o vinho mantém-se nos 13 por cento. Sim, leite com chocolate e sumos naturais a 23, mas vinho a 13 porque, mais uma frase estafada, - dá de comer a muitos portugueses...



Nem queria acreditar nisto quando li, mas é mesmo verdade. Já o IVA a 23% me chateia imensamente e me deixa ainda mais fula, agora que o vinho seja taxado a 13% isso sim ainda me faz passar mais. Sim, sou contra os bêbados e tudo o que se associa aos excessos de consumo de álcool. Sou contra as pessoas que pagam "um copo" ou "uma mine" a uns amigos, mas que não se lembram de lhes perguntar: "É pá! Queres levar uns pacotes de leite para os putos lancharem? Eu pago." E olhem que conheço alguns casos de "bons" pais que bebem um café e um digestivo, ou passam a tarde de garrafa de cerveja na mão - para matar a sede (???) - mas cujos filhos andam mal nutridos e mal vestidos e que sobrevivem com a ajuda dos subsídios sociais e do apoio de familiares.

Mais um desabafo... Hoje estou em dia não!

Crise????

Crise? Qual crise? Então se o sr. Primeiro Ministro é só sorrisos, no debate quinzenal da Assembleia da República, não deveríamos nós também estar felizes?
Só coisas boas, ora vejamos:
- vamos comprar menos coisas, menos comida - logo não engordamos tanto!
- vamos andar mais a pé, porque o carro fica à porta - logo, menos poluição, mais exercício físico e mais saúde!
- vamos sair menos à noite - logo, vamos passar mais tempo, em casa, com a família!
- vamos ter a carteira mais leve - logo, a mala também estará mais leve, logo a nossa coluna beneficia com a diminuição do peso!
- vamos trazer menos peso nos sacos das compras - logo, mais uma vez, a saúde da nossa coluna beneficia, logo teremos menos dores, logo vamos gastar menos em analgésicos.

Bom, não é?

Estou fula! Recebi hoje a notificação que os srs da segurança social me vão atribuir o subsídio por doença a partir de 30/07/2010. Ora vem mesmo a tempo não é? Atenção, a notificação, que dinheiro nem vê-lo ainda - até porque é imenso! 11,93 Euros dia! Uma fortuna! Quanto à licença de maternidade, também não sei ainda de nada, mas deve vir uma fortuna penso eu. E o abono? Terei abono de família para o meu piqueno? Se calhar sou rica e não sabia!

Ah e claro que os senhores do BES, também estão do meu lado e já me avisaram que o Spread vai aumentar pois, ora bem, deixei de receber lá a transferência do ordenado. Estar de baixa nessa altura e agora de licença não conta nada. Vão aumentar e pronto!

Indução do Parto

Daqui a umas horas vão induzir o parto da minha irmã. A minha primeira sobrinha está bem instalada e não lhe apetece vir cá para fora.
Deve ter ouvido falar da crise.

Acho que ela faz amanha 41 semanas e será esse o motivo da indução.

Vou ser tia! Já falta pouquinho, pouquinho...

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Tema da semana

Sala de Jardim-de-Infância

Nota:
Eu continuo sem estar no activo. Estas propostas são apenas isso: ideias sobre temas diversos sobre os quais eu me lembrei de escrever.

 Esta semana o tema é: Catástrofes Naturais

Festejou-se ontem (13) o dia internacional das catástrofes naturais. Por todo o mundo, o tema mais falado nos noticiários foi o resgate dos mineiros do Chile, mas porque não pegar nesse tema e levar jornais para a sala para as crianças procurarem essa notícia - certamente pelas imagens será até fácil, uma vez que quase de certeza que em casa terão ouvido falar dos mineiros ou visto na televisão imagens da mina, das famílias...

Estar preparado para falar sobre coisas tão diversas como:

- o que é uma mina?
- onde há minas?
- que faz um mineiro?
- medo do escuro (outros medos das crianças)
- porque é que aquele acidente aconteceu?
- o que é um sismo / tremor de terra?
- o que devemos / não devemos fazer se houver um sismo?
- onde fica o Chile?

A ideia principal é pegar naquilo que as crianças ouviram /já sabem e ajudá-las a falar sobre isso. Quando há um mediatismo desta natureza sobre um assunto, é natural que a criança tenha curiosidade em saber mais sobre ele e escondê-lo ou não dar respostas concretas à criança, não será o caminho mais correcto a tomar. Há que ter o cuidado de explicar de forma a que a criança perceba e apenas até onde ela quiser ir. Não é preciso entrar em pormenores se a criança não focar a sua atenção neles.

A conversa pode começar neste tema e rapidamente seguir para outro campo completamente diferente. Deve-se deixar que a criança guie a conversa por momentos, pois pode ser esse o assunto que realmente a perturba e não aquele que nós pensamos. Por exemplo, uma criança poderá referir que dentro da mina "está escuro" e outra logo acrescentar "eu tenho medo do escuro", e então outras também dirão qual é o seu medo. Se a Educadora as deixar seguir a conversa a partir desse ponto, poderá posteriormente guiá-las através de um jogo ou de uma actividade que explore os medos de cada criança ou apenas o medo do escuro em particular.


Brincar com crianças

Brincar!

A brincadeira é tão importante para o desenvolvimento da criança como qualquer outra coisa. Brincar favorece o desenvolvimento de vários aspectos da personalidade da criança. E nós, pais e educadores, qual o nosso papel? De que forma podemos contribuir de forma eficaz, para facilitar o ambiente de brincadeira?

• Podemos ajudar disponibilizando tempo para as brincadeiras: há tempo para tudo, não é verdade? A criança até pode (e deve) ter tarefas, ter uma rotina, mas dessa rotina deve fazer parte um tempo grande destinado às brincadeiras. Sejam estas brincadeiras sozinha, fazendo de conta ou jogando um jogo, sejam em par ou em grupo, em casa ou na rua.

• Estando atentos à idade e às necessidades de cada criança, facilitando-lhes os brinquedos adequados: a criança cresce e rapidamente uma menina deixa de gostar de bonecas e precisa de outros brinquedos que a satisfaçam. O brinquedo também pode ser desafiador.

• Respeitando e facilitando elementos que favoreçam a criatividade das crianças;

• Enriquecendo e valorizando as brincadeiras realizadas pelas crianças, até integrando-se como participante das brincadeiras e do seu faz-de-conta, fingindo, interessando-se por elas...

• Colocando-nos ao nível da criança e reflectindo sobre as brincadeiras e os sentimentos que dela possam surgir: ao brincar de faz-de-conta, a criança espelha na situação que recria ora algo que viu na televisão, uma história que ouviu e que quer interpretar ao seu jeito, ora algo que lhe vai na alma, algo que a preocupa e que para si tem uma importância brutal. Não precisa de um adulto que lhe diga que é "a fingir", ela sabe-o, mesmo que não o mostre, mas naquele momento ela precisa de fingir para vivenciar essa situação e tentar encontrar as suas próprias estratégias de resolução. Ora pode ainda querer imitar a mãe ou o pai, da forma como ela os vê, ou a sua professora, fazendo as mesmas expressões que a vê fazer na escola enquanto lecciona, ou até vestir-se com roupas idênticas às da mãe de uma amiga...

• Ajudando a resolver conflitos: consolidando por palavras e frases simples e claras qual o problema que a criança tem de resolver e quais as formas que tem para o resolver. Conflitos com outras crianças - com os irmãos porventura - ou até consigo mesma (conflitos interiores).

• Podemos e devemos ainda considerar as preferências de cada criança. Através das brincadeiras ela terá a oportunidade de expressar os seus interesses, necessidades e preferências. O nosso papel será particularmente o de propiciar-lhes novas oportunidades e novos materiais que enriqueçam as suas brincadeiras. No entanto, respeitando sempre a vontade e a motivação da criança de forma a não forçá-la a participar em determinada brincadeira.

Acima de tudo...
... não esquecer que a brincadeira é centrada na criança e que é sempre ela a personagem principal. Os pais e/ou educadores são meros participante que a acompanham no seu jogo.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Brincar com bebés é importante!


"Brincar com um bebé pequeno, significa respeitar o seu sistema fisiológico, bem como o motor, o afectivo e o cognitivo."
 Brazelton (1)

Brincar.
O que é isto? Sabemos ainda brincar, quando chegamos a adultos? Penso bem que não - salvo raras excepções - pois perdemos o mais importante: a liberdade e o fascínio que temos quando somos crianças!

Um bebé mesmo desde muito pequeno, começa a brincar e este acto favorece a aprendizagem e o desenvolvimento, bem como ajuda à aquisição de diversas competências.


terça-feira, 12 de outubro de 2010

O choro do bebé

É nos primeiros meses que o bebé passa no mundo que ele vai aprender e adquirir as capacidades que lhe permitirão comunicar, alimentar-se e até mesmo, viver em sociedade. "A primeira infância é simultaneamente a fase mais crítica e a mais vulnerável do desenvolvimento de qualquer criança."(1)

E a primeira forma que ela tem de se relacionar com os que a rodeia é através do choro. "O choro é uma forma de comunicação, um apelo que o lactente faz para ser atendido, um pedido de socorro..."(2) "Os bebés e as crianças pequenas precisam de um relacionamento constante,"(1) sendo por isso importante atender logo ao choro do bebé uma vez que esta é a única forma que ele sabe usar para comunicar as suas necessidades.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

De volta...

... ao Viva Fit!

E não é que nem estou tão mal como pensava? Entre a última vez que treinei e hoje, o peso a perder nem chega a 1 kg! Quanto às medidas, o que mudou mais foi mesmo o peito, mas quanto a isso, nada feito. Adorei regressar, rever algumas das pessoas com quem treinava e poder sair de casa também me fez muito bem. Desta vez, o menino ficou com o papá em casa, mas quando tiver de o levar é na boa, até porque há outras mães que também levam os bebés para lá.

Amanhã é que vão ser elas... vamos ver o que me vai doer.

domingo, 10 de outubro de 2010

Cólicas no recém-nascido - parte 2

Já aqui falei das cólicas, particularmente do que as origina. Hoje ficam aqui algumas dicas que fui aprendendo para ajudar o bebé a vencer estes episódios terríveis e que tanto desconforto e dor trazem.

Este é um problema que se manifesta em muitos bebés, com diversas causas possíveis. "Trata-se de um espasmo doloroso do intestino que afeta bebês com poucas semanas de vida. O pequenino vai mostrar o seu sofrimento chorando horas seguidas. A cólica começa a manifestar-se à tarde ou à noitinha, pode durar meses ou desaparecer a qualquer altura, geralmente antes do terceiro mês de vida, sem qualquer tipo de tratamento. É uma sensação nova para o bebé e dói muito. O choro de cólica é estridente e o bebé apresenta as seguintes características: fica inquieto, com o rosto vermelho, faz caretas, se contorce e encolhe as perninhas até a barriguinha. "(1)

As mamãs podem ajudar os seus bebés se conseguirem estar alerta aos sinais e conhecerem o que alivia o seu bebé. "O choro das cólicas distingue-se de todos os outros, pois o bebé grita, fica com a cara vermelha e junta os joelhos à barriga. Uma posição que costuma aliviar o bebé, pois ajuda a libertar o excesso de ar no tubo digestivo, é deixá-lo de barriga para baixo no colo, ou com a barriga apoiada no antebraço. Uma massagem também pode ajudar, fazendo movimentos circulares na barriga do bebé, sempre no sentido dos ponteiros do relógio ou empurrando as suas pernas flectidas contra a barriga."(2)

"Barriga contra barriga. Nada melhor que um contato pele a pele para recém-papais e recém-nascidos com cólicas. Ficar debruçado sobre um lugar quentinho diminui as dores."(1) E é bem verdade que este contacto acalma e suaviza a dor do bebé. Ambos se confortam afinal nestes momentos maravilhosos de contacto pele-com-pele em que a criança finalmente acalma o seu choro e se sente mais protegida e acompanhada.
Segundo um estudo da Universidade de Melbourne, Austrália, as cólicas podem ser reduzidas se a mãe eliminar da sua "dieta alguns alimentos potencialmente mais alergénicos", isto no caso de bebés amamentados.(3) "A alimentação da mãe que amamenta deve ser saudável, com bastante líquidos, porem deve-se evitar a ingestão de alimentos como chocolates, refrigerantes e condimentos. O sistema digestivo do recém-nato tem dificuldade de digerir substancias muito apimentadas."(1)

É ainda importante "aguardar a criança arrotar por pelo menos 10 minutos após a mamada, em posição elevada. Muitas vezes a criança arrota quando se muda sua posição."(1) No entanto, quando a criança adormece na mamada essa espera para que arrote é muitas vezes difícil para os pais - e agora falo por mim pessoalmente, porque não gosto de o ter ali ao ombro tanto tempo e muitas são as vezes em que o acabo por deitar sem que tenha arrotado. O que tem acontecido é que por vezes arrota pouco tempo depois e acaba por bolçar um pouco do leite que acabou de ingerir.


Bibliografia:

(1)-http://www.uff.br/disicamep/colicas.htm
(2)-"As cólicas, sempre as cólicas", Pais e Filhos, Outubro de 2005, (p.99)
(3)-"Dieta da Mãe reduz cólicas do bebé amamentado", Pais e Filhos, Maio de 2006, (p. 116)

sábado, 9 de outubro de 2010

Porque é que os bebés estremecem?

Principalmente, porque os recém-nascidos têm mais sinapses, ou ligações, no seu sistema nervoso do que os adultos.
Isto faz com que sejam mais sensíveis ao ambiente que os rodeia, explica Romi Webster, pediatra do Children's Hospital Boston. É por este motivo que o seu bebé estremece tão facilmente quando há um movimento súbito ou um som mais alto.
Os bebés pequenos têm também os músculos flexores mais tonificados – se esticar a perna do seu bebé, por exemplo, verá que volta imediatamente à posição flectida assim que a largar. Esta maior tonificação dos músculos diminui ao longo dos primeiros nove meses de vida, ao mesmo tempo que a coordenação motora melhora, permitindo ao seu bebé suavizar os movimentos à medida que cresce.

Mantenha-se atenta se os estremecimentos se prolongarem muito para além das 4 a 6 semanas, afirma Webster, ou se notar que não consegue parar os estremecimentos excessivos quando coloca a mão sobre o membro a estremecer. Nestes casos, será aconselhável levar o bebé a um pediatra que poderá avaliar a necessidade de outros cuidados médicos.

In.: http://familia.sapo.pt/johnson/dos_0_aos_6_meses/perguntas_frequentes/829831.html

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Utilizar, ou não, uma chupeta.

Chuchar é um instinto natural.
Nalgumas ecografias, é possível ver os bebés a chuchar no dedo, ainda no útero. Muitos continuam a ter uma forte necessidade de chuchar após o nascimento; mesmo depois de comer, continuam dispostos a chuchar.

Utilizar, ou não, uma chupeta, fica ao seu critério. Alguns pais não conseguem passar sem a chupeta considerando-a uma forma prática de acalmar um bebé impaciente ou de adormecer o bebé. Outros rejeitam a chupeta, baseados em argumentos estéticos e preferem não se preocupar com o apanhar a chupeta e ter de a lavar, sempre que cai. (Pode levar a mão do seu bebé à boca para o acalmar ou utilizar o seu próprio dedo mindinho para isso.)

Não há qualquer motivo físico para não dar uma chupeta ao seu bebé. Eis aqui algumas sugestões, se o quiser fazer: Se estiver a amamentar, não utilize a “chucha” se não depois de o bebé ter aprendido a pegar no peito e se o seu fluxo de leite for constante, o que deverá acontecer mais ou menos nesta altura. Quando utiliza uma chupeta na primeira semana, pode ser mais difícil para o bebé aprender a mamar, uma vez que os movimentos da boca necessários para chuchar no mamilo e na chucha são ligeiramente diferentes.

Evite utilizar logo a "chucha". Dê-lhe de comer, ponha-o a arrotar, mude a fralda, embale-lo, acarinhe-o e responda às necessidades básicas do seu bebé quando este estiver impaciente, em vez de optar por colocar logo a chupeta assim que ele refila. O seu bebé será menos dependente da chupeta, ao crescer, se a utilizar de forma contida nos primeiros tempos. Deverá utilizar a chupeta para ajudar a relaxar e não como substituto de afecto e carinho.
Não se preocupe, porque a chupeta não afecta o crescimento dos dentes do seu bebé. Os dentes definitivos só aparecerão por volta dos 5 ou 6 anos e, por essa altura a “chucha” será apenas uma recordação. As crianças que chucham no dedo, por outro lado, poderão ter mais dificuldades em deixar este vício, ao mudar os dentes de leite, o que poderá causar futuros problemas dentários.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Semana Mundial do Espaço

Festeja-se de 4 a 10 de Outubro a Semana Mundial do Espaço.

A Semana Mundial do Espaço é uma celebração internacional da contribuição da ciência e tecnologia espacial para o melhoramento da condição humana. Foi oficialmente declarada pelas Nações Unidas como sendo, anualmente, a semana de 4 a 10 de Outubro.
A Semana Mundial do Espaço é a ocasião ideal para os professores recorrerem ao espaço como meio de estimular os estudantes para a matemática, ciência e outros assuntos. Para ajudar os professores nesta tarefa existe disponível, gratuitamente, no seguinte endereço http://www.spaceweek.org/ um Guia de Atividades para Professores (Teacher Activity Guide). Para encorajar a participação, a Associação Internacional da Semana do Espaço atribui prêmios a professores e estudantes, sendo que os vencedores galardoados numa gala global.


In.: http://www.worldspaceweek.org/intro_-_portuguese.html


Próximas datas festivas:

Agora sim, já mais actualizada e para ajudar a planear as próximas actividades...

Dia 10 - Dia Mundial da Saúde Mental;
Dia 13 - Dia Internacional para a Redução das Catástrofes Naturais;
Dia 15 - Dia Internacional das Mulheres Rurais;
Dia 16 - Dia Mundial da Alimentação;
Dia 17 - Dia Internacional para a Irradicação da Pobreza;
Dia 18 - Dia Mundial da Menopausa; Dia Europeu contra o tráfico de seres humanos;
Dia 20 - Dia Mundial da Osteoporose;
Dia 24 - Dia das Nações Unidas;
Dia 25 - Dia Internacional das Bibliotecas escolares; Dia Europeu da Justiça Civil;
Dia 28 - Dia Mundial da Terceira Idade e Dia Internacional da Animação;
Dia 30 - Dia Nacional da Prevenção do Cancro da mama;
Dia 31 - Halloween - dia das Bruxas.

Tantas datas para festejar! Temas para trabalhar não faltam não é?

Dias festivos já festejados este mês

Ando um pouquinho atrasada neste post eu sei. Mas é só porque faz algum sentido conhecer-mos o que se vai festejando por aí a cada dia.
Para que não haja dúvidas... estes já passaram, mas ficam registados.

Dia 1 - Dia Mundial da Música e Dia Internacional das pessoas idosas:

"Declaração do Milénio das Nações Unidas compromete os líderes mundiais no cumprimento, até 2015, das oito Metas do Milénio para o Desenvolvimento, no combate à pobreza, fome, doença, iliteracia, degradação ambiental e discriminação contra as mulheres, ao abrigo dos princípios humanos da Dignidade, Igualdade e Equidade."(1)

Dia 2 - Dia Internacional da Não Violência:

"No Dia Internacional da Não-Violência comemora-se o nascimento de um dos maiores porta-vozes da causa, Mahatma Gandhi. “A não-violência é a maior força da humanidade”, ele disse."(2)
Dia 3 - Dia Mundial do Dentista - sabiam? Alguém fez alguma actividade sobre Saúde Oral que queira partilhar?

Dia 4 - Dia Mundial da Arquitectura, Dia Mundial do Habitat e Dia Mundial dos Animais:

"O Dia Mundial dos Animais é celebrado a 4 de Outubro, a data comemorativa foi instituida em 1929 no Congresso de Proteção Animal em Viena na Áustria. A data escolhida deve-se ao fato de que em 4 de Outubro de 1226 morreu São Francisco de Assis santo protetor dos animais."(3)

Dia 5 - Implantação da República e Dia Mundial do Professor:

"Em todas as circunstâncias, o que se põe em evidência é o papel fundamental que os professores desempenham na área vital da educação e da formação das pessoas. São estes os profissionais que lutam diariamente, esforçando-se para oferecerem uma educação de qualidade, às crianças de todo o mundo."(4)

Bibliografia:

(1) - http://cspace.eportuguese.org/tiki-read_article.php?articleId=608
(2) - http://unicrio.org.br/dia-internacional-da-nao-violencia-%E2%80%93-2-de-outubro-de-2010/
(3) - http://www.bigmae.com/dia-mundial-dos-animais-4-de-outubro/
(4) - http://www.fne.pt/content/item/show/id/3742

Hoje falamos de Indução

Indução do trabalho de parto:

As formas de nascer são várias e, estará errado quem pense, que uma é melhor que a outra. O parto é, sempre, um momento único, aconteça ele de que forma for. Será marcante para cada mãe por motivos diferentes. O nascimento do bebé é algo que os pais anseiam juntos, mas é um processo que normalmente se inicia como que de surpresa, mesmo que se saiba mais ou menos o dia previsto.

Por outro lado, existem os partos marcados para serem despoletados. São os chamados induzidos.


quarta-feira, 6 de outubro de 2010

1º Mês!

Pois é! Aqui o meu pequerrucho fez hoje um mês de vida!
O tempo passa muito depressa e tenho tentado não deixar passar em branco nenhum momento de cada dia que passa - seja com fotografias, seja registando num diário - para que um dia ao olhar para trás tenha todos os momentos importantes bem marcados. É que eu não faço ideia de quando fiz o meu primeiro sorriso, ou quando andei pela primeira vez e não quero que um dia o meu filho sinta essa falta!

Hoje foi dia de consulta.
Aumentou de peso - 3530 gramas.
Continua só com maminha o que para mim é óptimo! Não precisa de suplementos nem nada.
Começou a fazer o Aero-Om porque a médica diz que tem a barriga distendida dos gases. À bocado era líquido rosa por todo o lado!
Hoje também recebemos muitos telefonemas a saber aqui da vedeta - sim, porque não é para mim que ligam, é para a minha vedeta - e uma visita inesperada dos tios-avós.

O rapazito hoje também começou a usar gorro! Já tem a cabeça maior, é bem verdade! E eu toda contente porque tenho imensos para lhe colocar!

terça-feira, 5 de outubro de 2010

SPESE

Sociedade Portuguesa para o Estudo da Saúde Escolar

Podemos encontrar aqui alguns workshops, acções de formação e afins sobre diversos temas relacionados com saúde e educação.

http://www.spese.pt/index.php?option=com_content&view=category&layout=blog&id=23&Itemid=9

Feriadinho

Quando se está em casa - no meu caso de licença - passa um pouco ao lado a história do feriado, não fosse ter-se falado na Implantação da República na televisão o dia inteiro. Mas isto dos feriados mesmo quando estava a trabalhar passava um pouco "a leste" porque trabalhava sempre nestes dias. Só me lembrava no fim do mês quando vinham mais alguns tostões!

Mas agora que história é aquela do D. Duarte Pio ser o sucessor do trono, caso voltassemos a ter Monarquia no nosso país? Reis lembra-me coroa, ouro, riqueza, luxo, sumptuosidade títulos, mas também um acentuar das diferenças sociais - classes mais marcadas do que temos hoje. Se há desigualdade? Claro que sim e muita. Há muita injustiça principalmente. Mas sinceramente duvido que com a Monarquia isso ficasse diferente, aliás até acho que seria pior. Mas isso sou aqui eu mais os meus botões...

E hoje fomos visitar uns amigos nossos que também tiveram bebé. Claro que a conversa foi sobre... bebés, amamentação, soluços, bolsado, partos... haveria de ser sobre o quê?
E aqui o moçoilo amanhã já faz um mês! O tempo passa a correr! Há um mês atrás estava eu a preparar-me para me ir deitar sem saber que no dia seguinte já teria o meu filho nos braços. E tal como há um mês atrás, o papá tinha ido também trabalhar durante a noite. Mas hoje, ao contrário de há um mês atrás, já não durmo sozinha - tenho aqui o meu pequeno homem a fazer-me companhia... lol

Implantação da República

"Heróis do Mar, Nobre Povo..."

 Mais um feriadinho e porquê? Nem todos saberão o porquê de não irem trabalhar pois poucos se interessarão pela nossa história. É desta assim mais recentezinha que eu mais gosto. Interessa-me mais.

Pois é, festejam-se hoje os 100 anos da Implantação da República em Portugal.

A Implantação da República Portuguesa foi o resultado de um golpe de estado organizado pelo Partido Republicano Português que, no dia 5 de Outubro de 1910, destituiu a monarquia constitucional e implantou um regime republicano em Portugal.

O último rei português foi D. Manuel II.
Com a República ganhámos uma nova bandeira e popularizaram-se outros símbolos nacionais, tais como o Hino. A escolha recaiu sobre "A Portuguesa", já entoada mesmo antes da própria República se instalar.


segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Dia do Animal




Hoje festejou-se o Dia do Animal.
Um dia que não deve passar em branco.




É preciso educar mentalidalidades.
É preciso aprender a respeitar e a cuidar de todos os animais.



É necessário mudar hábitos para se preservarem habitats.
Preservando habitats, cuidam-se de ecossistemas e das espécies que nele habitam e que dele dependem.



Festejar o dia do animal não é só falar nele: é fazer algo pela natureza, pelos animais e por todos nós.

O berçário

Este post é dedicado a todas as Educadoras que este ano estão nas salas de Creche, em particular no berçário. É uma sala onde é fácil sentirmo-nos perdidas ou até que a nossa função ali não é valorizada.

Cólicas no recém-nascido - parte 1

Durante este primeiro mês de vida, o meu filho teve alguns episódios de cólicas. Começaram logo na sua primeira semana de vida e deram-nos a todos noites péssimas. O pior era ele chorar e eu sem saber o que fazer para o aliviar. Quer dizer, fazíamos as massagens, tentávamos acalmá-lo, mas vê-lo com dores tão pequenino, partia-me o coração! Nessa altura, sentia-me desesperada, só o queria ajudar a livrar-se daquilo, só o queria ter no meu colinho para que ele se sentisse protegido.

Outro problema que notei durante o primeiro mês, foram os soluços que surgem sempre após as mamadas. O bebé fica agitado e, por vezes, acaba por chorar quando os soluços se tornam mais intensos. Ainda não descobri nada que pudesse fazer para o ajudar, a não ser acalmá-lo e ficar pertinho dele até os soluços se irem finalmente embora. Já me mandaram colocar um pêlo do cobertor na testa do bebé, mas sejamos francos, o que é que isso ajuda? Preciso de soluções mais viáveis!

domingo, 3 de outubro de 2010

Nasceu uma mãe

O meu menino está quase quase a completar o seu primeiro mês de vida e, embora tenha falado um pouco sobre ele e o seu desenvolvimento, a verdade é que o facto dele ter chegado à minha vida fez uma diferença enorme. Principalmemente na gestão do tempo, que agora deixou de ser regulado pelo relógio e passou a ser regulado pelos ciclos de sono/alerta aqui do garoto.

Não foi só um bebé que nasceu. Também nasceram uma mãe e um pai. Acima de tudo, nasceu uma família, o que torna tudo ainda mais maravilhoso.

Novidades!

Primeiro as mais tristinhas... as férias já acabaram... já regressámos a casa... muito cansadinhos, cheios de roupa para lavar! Como é que um bebé suja tanta roupa, numa só semana? Alguém me explica???

E agora as melhores!

No dia 28, terça-feira, há a registar o primeiro sorriso do meu filho! Um sorriso de verdade, enquanto lhe dava de mamar! E depois sorriu também para a avó. Fiquei muito orgulhosa e emocionada de ver o seu lindo sorriso. Passei o reto do dia a pedir-lhe: "Dá mais um sorriso à mamã filho!" Tenho um filho lindo.

No dia 30, quinta-feira, fomos pesar o bebé - numa parafarmácia em Areias de S. João, perto de Albufeira - e o meu menino já pesa 3320 gramas!!!! E agora digam lá que o leite da mamã não é bom? Estou muito feliz!

sábado, 2 de outubro de 2010

Cesarianas de Urgência

Por vezes, seja sem se esperar ou seja planeado, é necessário recorrer a um parto por cesariana.
Pensa-se numa Cesariana de urgência quando existam "situações que condicionem grave risco para a saúde ou vida da mãe ou do bebé."(1)