sábado, 30 de abril de 2011

Parece que foi ontem...

E não é saudosismo, nem nada que se pareça, mas estava aqui a pensar e... não é que parece que foi ontem?

No ano passado por esta altura... Festa das Chagas em Sesimbra... fomos tocar em Sesimbra com a escola de samba e até iamos ficando com o carro bloqueado por termos estacionado onde não devíamos. Ia sendo lindo! E eu já estava grávida, mas ainda cabia no fato de carnaval - sorte estar na bateria - e ainda conseguia tocar.

Parece que foi ontem, mas já passou mais de um ano. Fui cortar o cabelo e saí de lá deprimidíssima porque o corte não saiu nada como estava à espera! Lol
Hoje fui cortá-lo - sim ao fim de mais de um ano - e saí muito contente com o corte e com o atendimento.

terça-feira, 26 de abril de 2011

Para desanuviar...

... aqui ficam alguns "achados"!
Procurem estas e outras no blogue "Tertulices".

Participações aos seguros (reais)


1. O falecido apareceu a correr e desapareceu debaixo do meu carro
(das duas uma: ou era atleta ou mágico!)
2. Para evitar bater de frente no contentor do lixo,atropelei um peão.
(o importante é que não acertou no contentor do lixo!!!)

3. O acidente aconteceu quando a porta direita de um carro apareceu de
esquina sem fazer sinal
(autêntico caso de Ficheiros Secretos)
4. A culpa do acidente não foi de ninguém, mas não teria acontecido se o
outro condutor viesse com atenção.
(desde que a culpa não seja de ninguém...)

Encontram mais em http://tertulices.blogspot.com/?expref=next-blog
Vale a pena!

Semana de férias

Estou a vender uma semana de férias em Setembro, no Sul de Espanha. Não vamos poder gozá-las porque não conseguimos tirar férias nessa altura, o que é pena. A semana inclui o alojamento. Para saberem mais respondam a este post que eu mando-vos o resto das informações.

sábado, 23 de abril de 2011

Fim-de-semana "Grande"...

Talvez para alguns, para mim é mais ao ritmo de um dia normal de trabalho, com a agravante de nos feriados a ama do meu filho não trabalhar - com todo o direito, claro está - e eu ter de andar a pedir que me tomem conta dele. O fm-de-semana grande sabe sempre bem, mas para mim este torna-se uma complicação, quando trabalhei ontem, hoje estou de serviço voluntário e segunda também trabalho. Amanhã pelo menos estou em casa o que já não é nada mau! O pai do piratinha também sofre do mesmo mal que eu, quando folga de um lado, aparecem logo horas para fazer noutro e nós aproveitamos o que podemos, claro está.

Ontem o piratinha ficou a atormentar a cabeça do pai e hoje foi para casa dos meus avós. Está lá a priminha dele por isso vai ser uma tarde de rambóia. A mim só me custa mais por causa da distância. Ser mãe e trabalhadora não é fácil... e ninguém reconhece os sacrifícios que fazemos. não falo em sacrifícios pelo meu filho - faço tudo com a maior das vontades e o maior amor que lhe posso dar - mas sim sacrifício para ir trabalhar diariamente, para organizar os horários com o pai e para que ninguém saia prejudicado. É dose!

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Mais sobre boas noites...

... e não só. Como já tinha dito no post anterior, muitas vezes a hora de adormecer o bebé, pode ser um problema que alguns pais vivem diariamente e que os pode deixar "à beira de um ataque de nervos!"

"Por vezes é possível ver que a criança está a combater o sono – esfrega os olhos, boceja repetidamente e perde o controlo perante a mínima frustração. Outras vezes poderá parecer completamente desperta, até mesmo hiperactiva, mas isso pode ser outra forma de manifestar a exaustão. O que acontece aqui é a versão infantil do lema "há tanto para fazer, e temos tão pouco tempo"; passa-se tanta coisa à sua volta – o pai está na sala a ver o correio, os animais andam a correr pela casa e a mãe entra e sai de todas as divisões – ele só quer participar em toda esta acção. Além disso, à semelhança de todas as crianças da sua idade, o seu filho está a começar a compreender que é uma pessoa separada da mãe e que tem personalidade própria, e por isso quer afirmar a sua independência. Recusar-se a ir para a cama à noite é uma das formas que encontra para afirmar a sua capacidade de controlo."(1)

Nunca é demais relembrar, que o bebé aprende através da rotina e dos hábitos que esta cria. Esta rotina é favorecedora de normas que o bebé se vai habituando a seguir. Por outro lado, saber o que o espera ajuda-o também a sentir-se seguro.

"A melhor lição que lhe pode ensinar é como se acalmar sozinho até adormecer. Siga uma rotina de deitar (banho, livros e cama, por exemplo), para que ele saiba o que se espera dele e aquilo que o espera à noite. Pode dizer-lhe que, se ele ficar na cama, voltará daí a cinco minutos para ver se ele está bem. Faça-o sentir-se seguro e saber que estará sempre por perto."(1)
E para aqueles que já são um bocadinho mais crescidos e que tendem a testar ainda mais os limites...

"Apresente opções aceitáveis à hora de dormir. Por esta altura, o seu filho está a começar a testar os limites da sua independência recém-descoberta. Para ajudá-lo a sentir que tem controlo, sempre que possível, deixe que faça as suas próprias escolhas à hora de dormir, desde a história que quer ouvir ao pijama que quer vestir. O truque é oferecer apenas duas ou três alternativas e assegurar que todas são satisfatórias para si. Por exemplo, não pergunte "Queres ir para a cama agora?" Ele podia responder que não, o que não é aceitável. Em vez disso, tente "Queres ir para a cama agora ou daqui a cinco minutos?" Dá assim sempre a hipótese de escolher mas ganha sempre a contenda, independentemente da resposta."(1)

Ou não fossem eles os maiores ditadores lá de casa...


Bibliografia:

(1) - http://familia.sapo.pt/johnson/dos_12_aos_36_meses/o_sono_do_bebe/824316.html

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Dorme bem bebé!

Quando nasce, o bebé altera as rotinas dos papás e existe uma adaptação constante de ambos, pais e bebé. Este fica junto dos papás, seja para facilitar na hora das mamadas, seja porque aquele quarto é mais quentinho, ou porque "assim dá mais jeito", ou então porque os pais assim querem e pronto. (O meu dorme no nosso quarto ainda, mas na cama dele - e não gosta de dormir connosco).

Mais tarde, a preocupação dos pais passa por colocar o bebé a dormir no seu quarto e é aqui que muitas vezes os problemas de adaptação começam a acentuar-se.

A adaptação do bebé à sua nova cama pode passar por diferentes fases. Primeiro consideramos os intervalos das mamadas. O bebé acorda para mamar e, terminando a refeição, regressa novamente para a cama, sem chorar? Ou pelo contrário, necessita adormecer na mama e acorda quando é colocado na cama, tendo de voltar para a mama?

Estes ciclos tornam-se cansativos particularmente para as mães, que muitas vezes acabam por ceder e deixar o bebé a dormir na sua cama, junto dos pais. Ora esta situação nem sempre está errada, se se der o caso de ser uma opção dos pais, mas quando esta ocorre por cansaço e por dificuldade do bebé adormecer "longe" da mãe, o problema passa a ser outro. Segundo alguns estudos, dormir com os pais, na mesma cama ou no mesmo quarto, não tem porque ser um factor de perda da capacidade de autonomia e auto-regulação dos ciclos de sono do bebé. Mas pode passar, noutros casos a ser uma dificuldade quando se tenta alterar a rotina. Voltamos ao choro do bebé: acudir cedo é meio caminho andado para o bebé se sentir em segurança. Ora com o bebé no mesmo quarto, acudir a esse choro torna-se mais fácil, senão mais rápido. Mas não tem porque ser um problema quando o bebé está noutra divisão: se bem adaptado, ele saberá que se precisar dos pais, eles acudirão ao seu choro. Mas também aprenderá desde cedo a entreter-se sozinho com um brinquedo, a observar as luzes que se projetam no tecto ou a ouvir a sua música de embalar favorita, sabendo que os pais estão "perto".

A criação de "regras" - que não são mais que hábitos - influenciam pelo lado positivo o desenvolvimento de autonomia nos mais pequeninos, criando bases válidas e importantes para um crescimento saudável.

Qaundo é que o bebé deve passar para o quarto dele? Quando os pais acharem necessário, quando acharem que ele está mais "independente", quando o bebé dorme toda a noite, quando deixa de acordar para mamar.. enfim, por várias razões, desde que os pais assim o entendam. Não se deve é, na minha opinião, impor esta mudança se, até aí, se cedeu sempre a deixar o bebé adormecer ao colo ou n acama dos pais, porque "custa ouvir chorar". E aqui para nós... eles são manhosos e sabem como nos fazer ceder... desde o primeiro dia. Esqueceram-se foi de nos entregar o livro de instruções quando eles nascem.

Outra fase, surge quando o bebé já consegue ficar toda a noite no seu quarto - e podemos depois mais tarde trocar experiências e dar dicas para facilitar essa adaptação - mas, por um motivo qualquer (por exemplo, doença) o pequenino volta a precisar de uma atenção redobrada e volta a acordar durante a noite. Pode ser uma situação passageira ou não. Depende da forma como a adaptação já estava estabelecida e como os pais lidam com a questão. Não há soluções infalíveis e não há detentores da verdade, pois cada mãe e cada filho são únicos e têm relações estabelecidas de vinculação que são sempre diferentes.

domingo, 17 de abril de 2011

Anda-me a chocar alguma

O piratinha tem andado com alguma farfalheira e ranhito. Nada de mais, ao que parece, até agora.
Mas hoje achei-o mais quente de manhã quando acordou, mas estava tão bem disposto que achei que fosse mesmo do calor. Mas agora começou a ficar mais chorão, está com 37.9 de temperatura e vomitou o lanche (nele que adora comer, só isso já é estranho).

Já lhe pus ben-u-ron, mamou um bom bocado (por miminho e para compensar o lanche) e agora adormeceu. Vamos ver se é só um mal estar passageiro, ou se anda para aqui a chocar mais alguma coisa. Não sei se será dos dentinhos - esses nesta fase são culpados de quase tudo - mas já lhe saíram dois e ele tem estado bem, sem queixas nenhumas.

Vou aproveitar que hoje é Domingo e não estava mesmo a pensar sair, para ver como evolui, e depois logo se vê.

sábado, 16 de abril de 2011

Está bem de ver...

... que estes dias maravilhosos têm de ser aproveitados. Ontem levei o bebé à ama para ele poder brincar com os outros meninos. É que, mesmo estando em casa, tinha muito que fazer e não ia dar-lhe a atenção toda que ele necessita e merece. Por isso, armei-me em mãe desnaturada e deixei-o lá. Depois do lanche fomos buscá-lo para um passeio à beira-mar na Arrábida e jantar em Sesimbra.

Passo a publicidade, jantámos num snack-bar muito simples, mas com boa comida e preços muito acessíveis, em Santana: "A Deca". Visitem que vale a pena, principalmente ao almoço ou para um lanche ajantarado.

Hoje, a manhã foi para descansar e, após o almoço, lá peguei no piratinha e fomos a pé dar uma voltinha. Anda de pé descalço... tão bom... Agora é hora de descansar em casa mais um bocadinho. Daqui a nada chegam o pai e a mana e lá vamos nós para o parque brincar mais um bocadinho.

Se eu pudesse, era sempre assim que aproveitava os dias...

quinta-feira, 14 de abril de 2011

High Scope em Creche - A roda da aprendizagem

Este é um tema muito querido para mim, uma vez que a valência de Creche é, sem dúvida, o que mais interesse me desperta e aquele que muitas vezes sinto ser um pouco desvalorizado. Felizmente, encontro já muitas colegas que fazem a sua prática em Creche e que partilham a sua forma de trabalhar, as suas dúvidas, as suas ideias, o que permite que todas nós cresçamos como educadoras.

"O modelo curricular High/Scope para bebés e crianças jovens baseia-se na construção activa da realidade através de uma metodologia de aprendizagem pela descoberta, de resolução de problemas e de investigação, permitindo que a criança, mesmo de tenra idade, construa as suas aprendizagens, estruture e dê significado às suas experiências, promovendo, desta forma, a sua confiança e o seu desenvolvimento." (1)

É através destas interacções que os bebés e as crianças mais pequenas, constroem uma bagagem de conhecimentos básicos sobre o mundo que as rodeia, seja adquirindo conhecimento acerca das pessoas e dos objectos, como respondem a determinadas acções, assim como aprender através da acção e da resolução de problemas.

Post e Hohmann (2004), esclarecem que, desde o nascimento, os bebés aprendem activamente recolhendo "informação a apartir de todas as suas acções.(...) Jean Piaget utilizou o termo sensório-motor para caracterizar esta abordagem directa e física da aprendizagem.”(2)

Mas, para que os bebés e crianças pequenas possam efectuar esta aprendizagem é necessário que o ambiente que as rodeia seja emocionalmente rico. As relações de confiança são a chave para que, num contexto social intenso, ocorram situações de aprendizagem activa. Durante este processo de aprendizagem activa, os bebés e crianças mais novas são incentivados a descobrir o mundo ao seu redor explorando e jogando, pois “aprendem com todo o seu corpo e todos os seus sentidos” em situações como: ouvir, agitar, rebolar, gatinhar, escalar, saltar, baloiçar, descansar, comer, fazer barulho, agarrar, roer, sujar...

São cinco os princípios orientadores da "Roda da Aprendizagem" que formam a base desta abordagem:

- observação da criança;
- interacção facilitadora adulto-criança;
- ambiente físico;
- horários e rotinas;
- aprendizagem activa.

Estes princípios guiam o trabalho de equipa dos educadores, a relação educador/família e a planificação do programa.

Observação da criança - Permite ao educador ter um conhecimento individualizado da criança e a possibilidade de reflectir, em conjunto com a equipa para “(...) orientar o seu próprio comportamento de apoio às crianças(...)” e junto com as famílias.

Interacção facilitadora adulto-criança – molda as “percepções que a criança tem de si enquanto ser humano capaz, confiante e merecedor de confiança.”. Quando o adulto abraça, beija, brinca e fala com a criança numa relação calorosa de dar-e-receber, promove um ambiente seguro capaz de encorajar a criança na sua necessidade de exploração activa.

Ambiente físico – É o espaço onde ocorrem as aprendizagens, pelo que deverá ser acima de tudo“ seguro, flexível e pensado para a criança.” Este ambiente deve responder às necessidades e interesses das crianças, oferecer conforto e variedade de materiais.

Horários e Rotinas - Consiste num conjunto de momentos repetidos diariamente. É uma estrutura pela qual a prática educativa se rege, contando com momentos como a chegada e partida, a hora das refeições, o tempo dos cuidados corporais, de escolha livre, de grupo e de exterior. Estes momentos pressupõem um planeamento flexível e cuidado por parte do educador, de forma a responder às necessidades e interesses das crianças, pois “ são suficientemente repetitivos para permitirem que as crianças explorem, treinem e ganhem confiança nas suas competências em desenvolvimento.”

Aprendizagem activa - Tem o lugar mais importante nesta Roda, pois é a partir deste grande pilar que se criam as estruturas do Currículo de High Scope. Este modelo curricular apresenta um conjunto de linhas orientadoras, que denomina de experiências-chave, as quais enquadram o conteúdo das primeiras aprendizagens e do desenvolvimento precoce.



Bibliografia:

(1) - http://repositorio.esepf.pt/bitstream/handle/10000/361/PG-CRE-2009_IsabelSandraCurriculo_e_Avalia_o_em_creche.pdf?sequence=1
(2) - POST, Jacalyn, HOHMANN, Mary (2004), Educação de bebés em infantários, Fundação Calouste Gulbenkian, 3ª Edição, Lisboa.

terça-feira, 12 de abril de 2011

Era uma e outra vez...: Porque ler é importante...

Era uma e outra vez...: Porque ler é importante...

IRS

Já enviei a declaração eletrónica. Acho sempre que falta alguma coisa... Devia mandar isto para um contabilista. Não tenho pago nos últimos anos... mas também não recebo...

E já agora... não era suposto entrar o que recebi da baixa médica e licença de maternidade?

Ajuda aceita-se!!!

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Problemas de pele - Borbulhas do calor

Chega o calor e com ele as alergias e os problemas de pele. Algumas passam rapidamente, outras necessitam de tratamento com cremes ou outra medicação. Um desses problemas que pode afectar os bebés mais novos são as borbulhas do calor, ou a Miliária, nome pelo qual também é conhecida.

O que é a miliária?

A miliária, ("borbulhas do calor" ou "borbulhas de Verão"), é uma erupção de pequenas borbulhas (e, por vezes, pequeníssimas bolhas) na pele que pode surgir quando o bebé sofre de muito calor. As borbulhas podem ser vermelhas, especialmente nas peles mais claras. Crianças de todas as idades apresentam as borbulhas de Verão, mas é mais comum nos bebés.

Se o seu bebé apresentar estas borbulhas, os locais onde mais provavelmente as detectará serão as pregas de pele e as partes do corpo em contacto directo com a roupa, incluindo o peito, a barriga, o pescoço, as virilhas e as nádegas. Se usar chapéu, esta erupção pode surgir igualmente no couro cabeludo ou na testa.

O que causa a miliária?

O bebé transpira para arrefecer. Se transpirar tanto que os poros ficam obstruídos, ao ponto de não permitirem a saída do suor, então desenvolvem-se estas borbulhas. (Os bebés e as crianças pequenas são particularmente sensíveis, dado que têm poros mais pequenos do que os adultos.)
O tempo quente e húmido é a época de excelência da miliária, mas esta também pode ocorrer no Inverno, se o bebé usar demasiadas camadas de roupa ou estiver com febre. Por vezes, os bebés desenvolvem miliária depois de ser aplicada uma pomada para a tosse sobre o peito.

sábado, 2 de abril de 2011

Sol!!!

Hoje esteve um dia maravilhoso de Sol e eu e o bebé aproveitámos para ir até Sesimbra, matar saudades da "Famelga" e passear pela vila. Estivémos com a tia A. e com a prima S.  - que por acaso está Liiiiinda!!! O meu filho espalhou sorrisos e simpatia por todo o lado e espantou a minha irmã por comer tão bem - ela deu-lhe a sopa, e ele a refilar porque queria a colher na boca mais depressa. Eu pelo contrário só consegui, a muito custo dar duas colherzinhas de sopa à minha sobrinha... mas ela também começou apenas à uma ou duas semanas com as sopas e por enquanto prefere a mama. O leite da mãe é o melhor alimento e a gajinha sabe isso e aproveita que tem sempre ali o "tacho" por perto! Espertalhona!

Passamos muito tempo sem lá ir, mas com um calor destes tinha mesmo de aproveitar, já que por acaso até foi dia de folga! É verdade, e hoje até consegui que aqui o piratinha bebesse água - o que é uma tarefa bem complicada - mas com o calor que estava ele tinha mesmo de beber líquidos. Inclusivé acabei por tirar a tetina e bebeu mesmo como se fosse por um copo. Ficou um bocadinho para o molhado, mas secou depressa...

Lembrar: Comprar protetor solar para o M. pois com o sol não se brinca! E um creme para as mordidas das melgas - está com a cara cheia de babas, que foram aparecendo nos últimos dias, mas que hoje com o calor parece que ainda atiçaram mais...