sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Encontro adiado

O encontro do "Entremães", que habitualmente se realiza no espaço Zambujal, Sesimbra, nos primeiros sábados de cada mês, foi adiado. Quando souber a nova data, eu aviso aqui.

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

E o Outono?

Quem, com este calor, lhe apetece pensar em arrumar a roupa de Verão me de preparar tudo para a nova estação que já entrou? É que nem se fez anunciar. Continuamos com um calor, que até é agradável, mas que já está a ficar fora de época. O miúdo continua a dormir só de bodie e a transpirar imenso, mas agora anda com o pingo no nariz... que fazer, este tempo é mesmo assim, propício às constipações e ao não sabermos o que lhes vestir.

Aqui por estas divagações também digo que tenho estado a falhar. Tenho tido pouco tempo para aqui vir postar e tenho a página sobre amamentação na minha lista de prioridades - mas sem tempo para me dedicar a ela. Sábado realiza-se mais um encontro "Entre Mães", mas este mês não poderei ir. Mas fica aqui na mesma o convite para todas as mamãs (e papás) que queiram aparecer!

Quanto ao trabalho, voltou o ânimo, a vontade de fazer e de tentar mudar alguma coisa. voltou um pouco daquele espírito que andava perdido. Nota positiva pois então.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Fim de semana

Estava cheia de vontade que chegasse o fim de semana, para poder estar com o meu piratinha, poder passar tempo com ele e descansar. Mas ontem entrei em modo desespero. Agora poderia opinar de outra forma sobre o que senti ontem, mas no calor do momento, só me deu para chorar e sentir-me pessimamente comigo mesma. Só queria que o dia corresse bem, que ele comesse bem sem stresses, que dormisse a sestinha depois do almoço... mas afinal correu tudo ao contrário! Uma mãe pode sentir-se desiludida quando o filho não quer o seu colinho? Sim, pode, e foi como me senti ontem. Ele comigo era só birras! Claro que eu sei que é normal, que acontece, que eles nos testam... mas senti-me tão mal com isso. Só sentia que ele preferia estar noutro lado e não comigo.

Hoje o dia correu melhor. Bem, a verdade é que o pus à frente de tudo o que poderia ter para fazer e dei-lhe toda a atenção possível. E mesmo assim, caiu-me de um triciclo e lá deu cabo de um lábio e fez um galo! Comigo mesmo ao lado... enfim, sem comentários. Felizmente, parece que são feitos de borracha e ainda eu me estava a recompor, já ele se estava a rir, ainda com a boca cheia de sangue e eu a tentar pôr-lhe gelo! Logo para a maminha, para o descansar a ele e me acalmar a mim. Terapia certa para os dois claro! À tarde, fomos ao parque com o pai brincar. Foi óptimo. Já lá tinhamos ido ontem com a mana Sara também. E digo que foi óptimo não apenas para ele, mas para mim também, principalmente pelas curtas conversas que ia tendo com algumas mães que ali estavam com os seus bebés. As queixas triviais e que nos fazem sentir iguais umas às outras: "Ele anda péssimo", "É tão teimoso", "Só quer fazer o que quer", e depois aqueles sorrisos e olhares de cumplicidade entre mãe e filho, do tipo "És o meu tesouro!" , "És o melhor filho do mundo!"... e depois já me sentia melhor, mais normal! Os bebés socializavam e as mães e pais também.

E agora por maminha, aqui fica então um convite que me fizeram e que eu repasso!



A Semana Mundial do Aleitamento Materno em Portugal é comemorada de 3 a 9 de Outubro e o tema é: Fale Comigo! Amamentação- uma experiência 3D.
Citando a WABA: Cada um de nós desempenha uma variedade de papéis e tem a arma mais poderosa que se necessita - uma voz para falar aos outros, porque o aleitamento materno é importante, não só para a saúde e o bem-estar, mas também para o ambiente, para os direitos das mulheres e para o progresso social.
Tendo em conta este desafio, nada melhor que a internet e o "mundo" dos blogues para dar voz ao aleitamento materno e à sua importância.
Assim convido todas(os) a unirem-se a esta acção e contribuir para a promoção do aleitamento materno. Como?


Uma ressalva: para mim é amamentação. Não aleitamento materno. Mas isso é só um preciosismo. Interessa é o convite, certo? Por isso, esta semana começo por divulgar aqui que foi criada uma página neste blogue apenas sobre amamentação. É um diário, um bloco de notas, o que lhe queiram chamar, mas serve essencialmente para contar a minha experiência como mãe que ainda amamenta e que acredita que isso é o melhor para o bebé.

Agora, o desafio:

1.Colem esta imagem no vosso blogue ou no facebook de modo a assinalar esta comemoração;


2.Escrevam mensagens com o vosso testemunho de amamentação (o que correu bem, o que correu mal, o que mudavam, o que sentiram...);

3.Publiquem imagens ou vídeos acerca da amamentação;

4.Lancem o convite a mais blogues;

5.Deixem a criatividade e imaginação falar por vocês e promovam a amamentação!   :)

Aceitam o convite?



quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Alguém me explica o que é isto?

Alguém me consegue explicar o que se pretende juntando um grupo de pessoas numa mesma casa, vigiada 24 horas por dia, onde algumas já se conhecem? Sim estou a falar da casa dos Segredos. Vi a outra edição e, apesar de não perder muito tempo com isso, até nem desgostei, procurei descobrir alguns dos segredos, mas isto? A que nível descemos desta vez?

Hoje, parei um pouco em frente da televisão e tentei prestar atenção - ainda não me tinha inteirado de quem eram os novos ocupantes da casa - e fiquei espantada com o que vi. Não querendo dar uma de hipócrita nem de preconceituosa, aquelas pessoas foram escolhidas a dedo para que haja confusão à séria ali dentro. Não me admira que mais cedo do que se espera, haja mesmo cenas de violência física. Quer dizer, quando um dos ocupantes segura outra pelo braço com força e lhe sussurra ameaças - acho que já foram namorados - eu só consigo pensar que, se ele ali sabendo que está a ser visto por milhares de pessoas age assim, como agirá entre quatro paredes com aquela rapariga? Aquela atitude deixou-me a matutar... há ali uma mistura explosiva de músculos e falta de educação. Nota negativa ao programa, pelo menos para já.

Quanto ao resto, não vi muito mais, não me vou manifestar ainda. Mas espero que tenham lá colocado alguns concorrentes um pouco mais interessantes.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Tiraram-me um peso...

... de cima dos ombros. Não tenho tido muita disponibilidade para aqui vir postar, mas a verdade é que esta semana tenho andado muito melhor. Mais calma, com uma sensação de alívio e com uma nova motivação para o trabalho. O motivo? Finalmente deram-me ouvidos e mudaram-me de equipa - ou melhor, eu fiquei "a equipa" é que mudou.

Em casa, o piratinha continua com as suas birras, apesar de ter uns momentos melhores que outros. Quando o vou buscar à ama é uma fita, chora e grita e não quer vir.

domingo, 18 de setembro de 2011

De cabelos em pé

...é como tenho ficado agora com ele na hora das refeições. Ele que sempre gostou de tudo e que sempre comeu bem, agora em casa comigo é uma guerra de trincheiras com comida por todo o lado e uma gritaria desmedida! Depois tem outras refeições em que parece um santinho, come tudo até ao fim sem refilar.

Ralho com ele e estica-me os bracinhos a pedir mimos (e eu a tentar manter o ar de má, mas sem conseguir conter o riso) e quando o pego vai logo procurar mama. Se não dou esperneia até ir para o chão. Calculo que seja mesmo isso, o miminho da mama. Prefere mamar a ter de comer, mas isso não pode ser. Ele sempre teve as duas coisas e não há mal nenhum nisso. Mas a mama não substitui o jantar nem o almoço - substituiu na sexta o jantar, ontem o almoço dele foi uma maçã e maminha (a sopa comeu aí umas três ou quatro colheres...), hoje lá consegui que comesse a fruta a meio da manhã e metade da sopa que é habitual comer ao almoço.

Depois fico triste porque me chateio com ele. Mas as birras têm sido do pior. Ontem jantou muito bem, sem relamações, mas hoje ao almoço a guerra voltou. Já o adormeci, com maminha claro.

E quanto ao resto... já anda pela casa sozinho, sem se apoiar, com uns passinhos cada vez mais seguros. Tão lindo!

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

E passo a passo...

.. lá vamos notando que se vai sentindo mais à vontade. Já consegue estar longos períodos de pé sem apoio, consegue dar passinhos, já bem firmes, mas não arrisca muitas vezes. Parece que prefere manter-se em segurança e andar sempre agarrado a alguma coisa: ou as nossas mãos, ou na parede, num móvel, numa cadeira...

Depois, é aventureiro noutras coisas. Sobe degraus, trepa o fraldário! Era só deixarmos e andava sempre em cima de alguma coisa ou empoleirado onde não deve!

Amanhã já é fim-de-semana e ainda bem! Estou a precisar de descanso, foi uma semana para esquecer. Felizmente hoje o dia até está a correr melhor...

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Dia de consulta

Hoje foi dia de consulta. Muita demora para começar, só fomos atendidos quase duas horas depois de chegarmos. O piratinha lá se foi entretendo com um balde de brinquedos mas ia ficando saturado conforme o tempo pasava - ele e nós!

Continua a aumentar pouco de peso, mas como diz a médica, é um bebé muito vivaço e mexido, por isso é normal não engordar muito. Fizeram aquelas perguntas da praxe, a que respondi como mãe muito certinha.

Cá o rapaz não se roga a comer nada. Não faz alergias. Não reage mal a estranhos. É bem disposto e risonho. Dorme lindamente. Que mais eu podia pedir?

Segundo a enfermeira - muito simpática, adorei - posso começar a dar-lhe leite de vaca (ah sim?) e do gordo - ele tem bebido meio-gordo ou daquele especial crescimento, temos de alterar isso. E já pode comer ervilhas (pode? ora se não pudesse já comeu tantas vezes!) e favas - essas ainda não provou.

Continuo a dar-lhe maminha, opção minha e dele claro está. Porque assim somos felizes.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Socialização do bebé

Nas reuniões de mães e pais a que vou, na festinha de anos dele... vejo como se comporta perante as outras crianças e como reage aos adultos. É um bebé sociável. Passa facilmente de colo em colo, comunica com toda a gente, dá mimo e procura atenção. Mas a socialização de um bebé nem sempre é igual. Desde cedo eles mostram o seu próprio "feitio" até na relação com os outros.

Inicialmente, o bebé está muito centrado em conhecer-se a si próprio e ao seu corpo, interagindo com a mãe na medida em que necessita que as suas necessidades sejam satisfeitas. Mais tarde, começa a interessar-se pelo rosto humano - começa a reconhecer os traços do rosto da mãe - e irá agora também interessar-se por objetos coloridos, ou por brinquedos com melodias suaves.

Passa algum tempo e rapidamente, brinca com as mãozinhas, leva-as à boca, chupa na roupa ou num brinquedo... Mexe nos pés, abana-os... Está na verdade a descobri-los!

Ao seu lado pode estar outro bebé. Pode interessar-se em tocar-lhe - tem curiosidade, mas não está interessado em interagir com o outro ainda - quer apenas descobri-lo. Na maior parte dos casos, os bebés desta idade brincam paralelamente, cada um absorvido pelas suas próprias actividades, ao lado uns dos outros, mas sem realmente interagirem. Isto é perfeitamente normal, dado que os bebés nesta idade ainda são bastante egocêntricos.

O facto de se concentrarem nas suas próprias capacidades e necessidades faz parte do seu desenvolvimento. Contudo, com o tempo, começará a notar que o bebé começa a olhar para os outros bebés ou a observá-los a brincar.

Quando menos nos apercebemos, ele já se senta! Um novo mundo de capacidades se está a abrir agora para ele e para o seu desenvolvimento! Começa a interessar-se mais por tudo o que o rodeia, por outras crianças e bebés. Consegue segurar melhor nos brinquedos e começa a aprender algumas destrezas: atirar-lhe uma bola e esperar, incentivando-o, a que a devolva, é uma excelente brincadeira!

Poderá gatinhar ou arrasta-se, ou mesmo até caminhar se agarrado na mão do pai ou da mãe, até outro bebé que tenha despertado o seu interesse e até tentar usar o mesmo brinquedo. O bebé poderá inclusivamente tentar imitar o palrar e os sons (sim, e por vezes os gritos!) de outros bebés. Estes são elementos fundamentais da socialização.

Na verdade, não tem de fazer nada de especial para incentivar este comportamento, pois acontece natural e gradualmente. Ainda é muito cedo para se preocupar com conceitos como a partilha. Eles tendem a gostar sempre do que é do outro. É normal.

Mas fará sentido juntar dois bebés pequenos? Na minha opinião sim. Durante algum tempo, o facto de se juntar com outras mães e com os seus bebés terá menos a ver com as oportunidades sociais para os bebés e mais com a socialização – e a sanidade mental – dos adultos, mas também acho que faz falta ao bebé estar com outros bebés como ele. Desde cedo.

para perguntar na consulta de 1 ano

Estava um bocado preocupada com umas bolinhas que o M. tem na parte de trás do pescoço e que às vezes ficam mais visíveis. Já falei anteriormente nelas à médica mas a resposta foi que era normal, desde que não lhe doessem. De facto, acho que não o incomodam - a mim é que me incomoda muito vê-las ali. Agora até estão mais pequenas. Mas parece que não fazem parte e que não deveriam ali estar! Vou voltar a perguntar apesar de que nos últimos dias até diminuiram de tamanho.

"Os gânglios são pequenas massas de tecido linfático semelhantes a nódulos (uma espécie de bolinhas) que estão repartidos por diversas partes do corpo. Contêm células que defendem o organismo contra as infecções." (1)

São sinais de alarme:

- o ganglio dói quando lhe tocamos? - (não, não me parece que doa)
- o seu diâmetro supera os 3 cms? - (não, deve ter aí 1 cm cada um)
- continua maior que 1 cm ao fim de um mês? - (acho que os vi ali desde sempre, mas não tem 1 cm)
- a pele está vermelha? - (nada)
- se é duro ou não se mexe - (não apertei mas acho que é duro, mas mexe-se bem)
- a criança sente-se mal ou tem febre sem razão aparente? - (teve febre quando começou com a varicela e nessa altura notei que os ganglios incharam mais, mas anda normalmente bem disposto)
- quando se desconhece a causa do inchaço.

Bibliografia:
(1) - "De A a Z - A saúde do Bebé: Ganglios", Bebé d'Hoje, nº101;

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

E eis que continua tudo na mesma

Vim trabalhar com aquela réstia de esperança que algo tivesse mudado. Mas a vida é madrasta e continua tudo na mesma. O mesmo mau ambiente. Péssimo aliás. As conversas cruzadas e eu sem saber como será amanhã. Espero bem que algo mude nos próximos dias senão vou dar em doida.

domingo, 11 de setembro de 2011

Sobre nós

Tenho andado ocupada e com a cabeça a saltar entre tantas coisas que me tem sido difícil vir até aqui e escrever tudo o que me vai na alma.

Para começar as coisas boas. No dia 6 o meu pequenino fez um aninho. Festejámos junto dos amiguinhos dele, em casa da ama. Recebeu uma bola de futebol - quase tão pesada como ele, lol - "autografada" pelos amiguinhos da sala. Eu fiz-lhe um bolo de iogurte, com cobertura de creme de pasteleiro, e com gomas a enfeitar. Não estava nada de especial, mas estava bom. Ele também não ligou muito ao bolo, estava mais interessado nas prendas e em rasgar os papéis de embrulho.

Ontem fizémos a festa cá em casa, com a família e os amigos mais chegados. Passaram por cá alguns bebés: o G. que já anda! Parabéns! A priminha S. e a prima L. que estão lindíssimas as duas! O R. que era o mais novinho do grupo e que nos dava os seus sorrisos mais lindos! E portaram-se todos muito bem. Correu tudo bem apesar do meu receio de fazer uma festa com muita gente cá em casa e de como o Martim reagiria a isso, mas nada, ele esteve sempre muito feliz, sorrisos para toda a gente, brincou e à noite, na maminha, estava verdadeiramente cansado, mas também feliz! O nosso bolinho (lindo e delicioso por sinal) veio daqui! Depois publico as fotos do bolo!

Mas a semana que passou não foi cheia de coisas boas. Recomecei a trabalhar no dia 1 - como disse - e estou a chegar ao meu limite, ainda nem duas semanas passaram! Estou farta de ser tomada por estúpida e de ser criticada e gozada. O meu esforço não é valorizado, não vejo humildade nas outras pessoas para aprendern nem para se esforçarem um pouco mais. Na verdade, sinto que estão sempre à espera que eu escorregue. Sabem aquele cinismo que se sente e não sabemos em quem confiar?

Estou saturada. Choro. Revolto-me, mas de nada vale. Uns dizem para eu fazer queixa - das vezes que o fiz de pouco me valeu - outros para eu esperar. Não sei em quem acreditar, nem sei o que fazer. Só sei que hoje, passada a euforia da festa do meu filho, estou cheia de medo que amanhã chegue e de ter de voltar a passar aqueles portões. Quero sair dali o mais depressa possível. Quero voltar a ter vontade de ir trabalhar. Quero trabalhar com gosto e não com medo de falhar. Quero voltar a confiar em mim mesma e no meu trabalho, mas também quero ser respeitada como profissional, e acima de tudo como pessoa.

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

A melodia das primeiras palavras

"O aparecimento da linguagem é entendido como um dos principais sinais de que a criança comunica de forma satisfatória com o mundo que a rodeia e de que o seu desenvolvimento intelectual se está a fazer de forma harmoniosa."(1)
Lembra-se quando sentiu o primeiro pontápé? O seu bebé ainda estava dentro da sua barriga, mas mesmo que o movimento tenha sido involuntário, você sentiu-o! O seu bebé estava ali, era real e sentir os seus movimentos era uma forma de comunicarem! Muito antes das primeiras palavras, o bebé já conversa com a mãe. O seu primeiro olhar é para ela e a ternura desse momento marcará notoriamente os dois. Mais tarde, dará o primeiro sorriso verdadeiro.

"Ainda que comecem a falar por volta dos 12 meses, a linguagem começa a desenvolver-se muito antes, praticamente desde o nascimento."(2)

Ao longo dos primeiros meses de vida, ouvirá as conversas e os sons que o rodeiam e começará a compreendê-los muito antes de ser capaz de verbalizar. As primeiras palavras só mais tarde de farão ouvir, mas entretanto o bebé conversará ainda muito com os seus papás, de outra maneira: uma forma de comunicação tanto visual como sonora, mas mais importante que tudo, uma comunicação baseada na vinculação que se foi estabelecendo.

Os brinquedos adequados para os primeiros meses de vida, são os sonoros: músicas suaves, sons de animais, canções de embalar... as histórias e os livros são também importantes, pois proporcionam momentos de partilha mãe/pai/bebé e de uma aprendizagem muito importante para o bebé: o contato com a cadência e melodia daquela que vai ser a sua língua materna.

Bibliografia:
(1) OOM, Paulo, "As primeiras palavras", Pais e Filhos, Julho de 2006;
(2) "Já disse mamã! As suas primeiras palavras", Bebé d'Hoje, Fevereiro de 2011;

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Meu docinho

O meu docinho faz amanhã um ano!

Tão grande o meu bebé! Há um ano atrás, estava aqui na minha barriga a preparar-se para uma viagem única. Foi uma noite de pouco sono, em que tal como hoje o papá também estava a trabalhar.

Eu aventurei-me a fazer um bolinho para ele levar amanhã para lanchar com os amiguinhos na ama. Um simples bolo de iogurte que é para ele também poder comer à vontade! (Isto se o bolo sair alguma coisa de jeito!)

E hoje quando o fui buscar à ama não queria vir! Agarrou-se a ela com unhas e dentes- quando lá cheguei estava repimpado a comer uvas, quem lhe dá comida dá-lhe tudo - e depois agarrou-se à mãe de outra menina e vai de birra para não vir para o meu colo! Eu dizia-lhe adeus e ele acenava e agarrava-se ao pescoço dela. Nada de querer vir para mim!

Veio o caminho todo a chorar até casa! Raio do miúdo, que já não gosta de ser contrariado!

sábado, 3 de setembro de 2011

Entremães... e bebés!

Hoje foi mais uma manhã do Entremães. Mais uma vez gostei bastante do encontro. O tema desta semana era a amamentação - o início - e falamos daqueles mitos que nos enfiam na cabeça e que eu também já aqui falei no blogue e que, muitas vezes, tendem a deixar-nos inseguras, com  medo que o leite não seja suficiente, que o bebé tenha fome... enfim, para muitas de nós presentes isso foi uma realidade e tivemos de gerir a nossa vontade de continuar a amamentar e a frustração e o medo de estarmos a falhar esse objetivo.

É muito bom esta partilha. Sabermos que não estamos sós. Tenho pena de não ter tido este apoio logo de início porque de certeza que me tinha feito sentir mais segura. O Martim também gostou. Estavam lá outros meninos e meninas e ele seguia-os muito, procurava os brinquedos, os lápis de cera... Fartou-se de brincar e por algumas vezes pôs-se de pé e largou as mãozinhas. Não tarda está a andar sozinho. Já se vai aventurando, um passinho atirando-se logo para os nossos braços, outro passinho para se tornar a agarrar logo onde pode, mas andar mesmo ainda não.

Está quase a fazer um aninho!



sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Fazia-lhe falta os amigos!

Boa noite.

Ontem recomecei a trabalhar. O piratinha ficou feliz por regressar à ama e aos amigos. Assim que lá chegou os olhos dele brilhavam de tão contente que ele estava - obrigada Maggie por me teres apresentado a esta pessoa que tão bem faz ao meu filho - e já nem me ligou mais. Depois o pai foi buscá-lo e ele fez uma birra para se vir embora ao fim do dia!

Ontem foi o meu dia de anos, pelo que fomos jantar fora os três. Portou-se bem ao jantar (comeu em casa antes de ir para depois estarmos mais à vontade), arranjaram uma daquelas cadeiras que se prende na mesa e enquanto foi novidade ele torceu-se todo para ver como é que aquilo funcionava... claro que eu estava ali mesmo ao lado de coração nas mãos não fosse ele passar por algum buraco! E enquanto houve pão para ele comer tudo bem, o pior foi quando lhe tirámos da mão uma colher, que ele estava a usar para fazer da mesa uma bateria, e vai de gritaria e de se começar a torcer para ir para o chão... lá se acabou o jantar calminho que foi um instante!

Depois fomos beber café com um primo que, como é hábito nos donos de cafés, vai de dar um chupa ao miúdo. Resultado: ele adorou (eu é que nem por isso) e desde o alto da pinha à sola das sandálias tudo estava pegajoso!

Não comeu quase nada mas foi vê-lo a esfregar as mãos no chupa, o chupa na cara, o chupa no (pouco) cabelo - sorte senão depois para tirar eu queria ver! Todo ele era uma rebuçado pegado! Chegou a casa, caiu na cama e foi até de manhã!

Hoje quando o fui buscar já só lá estava ele. Estava todo contente a brincar e mostrou-me os brinquedos. Em casa, depois da banhoca, jantou, mamou e já está a dormir ferradinho à mais de uma hora! Hum, fazia-lhe tanta falta a brincadeira na ama e com os amiguitos!

E amanhã, não se esqueçam do encontro no Espaço Zambujal, às 10h30m. No entremães vamos falar de amamentação e vai ser, de certeza, muito interessante. Eu estarei lá.