domingo, 29 de abril de 2012

E ontem nem contei que...

... fomos à piscina. O papá foi assistir à aula, da bancada, e ainda tirou fotos nossas na água! O meu peixinho hoje até conseguiu ficar mais tempo "sozinho" a "nadar", que bom!
Depois fomos às compras, mas no regresso, com a tosse vomitou no carro! Uhg!

À tarde fomos à bebeteca, a um atelier de Música para bebés, o primeiro do Martim. Correu muito bem, eles eram muito simpáticos e cativaram logos os bebés com o seu tom de voz calmo e as melodias suaves e simples, a sonoridade de vários instrumentos e as canções e danças novas que aprendemos. Durante aquela hora, despertaram os sentidos dos bebés presentes e até as mães se soltaram e cantaram com eles em coro, com direito a cantiga de embalar e muitos miminhos. Eu adorei e o Martim estava encantado e portou-se muito bem. É uma experiência a repetir assim que houver oportunidade.

: ( segundos

Ontem à noite, mandei-o para a cama. Ele foi, ajudei-o a subir, deitou-se e puxou o lençol para cima. Lindo bebé da mamã que já entende tudo. Então chamei o pai e estávamos os dois à porta do quarto a vê-lo, quando, nem sabemos como se virou e caiu da cama contra a mesa de cabeceira. Sangue por todo o lado. Cortou o freio do lábio superior.
Hoje ainda tem o lábio um bocadinho inchado. Não comeu quase nada de manhã e agora não quis a sopa. Não sei se tem dores e por isso, por esta vez, não vou insistir muito com ele. Espero é que não tenha afetado os dentes.

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Maldito irs

Sim sou daquelas pessoas que deixa tudo para o último dia. E não consigo encontrar o código de acesso. E a esta hora que fazer? Aguardar por 2ª feira, ir de urgência às Finanças e rezar para conseguir enviar tudo no último dia. Todos os anos deixo para o fim, não há emenda!

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Workshop - Suporte Básico de Vida

Realiza-se no próximo dia 26 de Maio, no quartel dos Bombeiros Mistos do Concellho do Seixal, o Workshop "Suporte Básico de Vida - Adulto". Eu vou estar presente e agradeço desde já a vossa divulgação!
Não faltem, vamos tratar de assuntos muito importantes!

Estou preocupada...

... com o meu pequenino. Dormiu muito mal de noite - passei a noite em claro - e está muito queixoso. Não sei se é ouvidos, dentes ou outra coisa. Já liguei para a ama e continua murchinho, não quis comer e agora está a descansar. Vamos ver.

sábado, 21 de abril de 2012

Um, dois...

...três! E mergulha. Salta para a água sem medos.Pela primeira vez hoje consegui que ele estivesse dentro de água sem eu o estar a segurar. De braçadeiras, lá conseguiu encontrar o seu ponto de equilibrio, algo difícil, para o seu corpinho ainda de bebé. E eu ando cheia de vontade de voltar a praticar natação, também.

Depois da piscina fui deixá-lo a casa da madrinha e vim fazer o meu serviço voluntário. Cá estou, à espera que o tempo passe rápido para ir para casa descansar e brincar com o meu filhote lindo.

sexta-feira, 20 de abril de 2012

O meu bebé...

...está a ficar muito crecido! Já andamos a treinar as idas ao bacio. Ele já pede "mãe, à cocó" sempre que tem a fralda suja, ou quando quer fazer cocó. Fica bastante incomodado enão descansa até lhe trocarmos a fraldinha.

Nesta fase ando a tentar que ele se mantenha sentado no bacio, por alguns minutos. De manhã, à tarde quando vem da ama e, se possível, antes de ir dormir. O problema tem sido ele precisar de algo para se entreter, enquanto lá está. No outro dia, agarrou os lápis de cor e ficou entretido, mas no meio ia uma caneta e o resultado foi uma bela obra de arte nas pernocas! Ontem ficou a pintar as pernas com caneta mais uma vez, mas acabou por fazer chichi, levantou-se de repente e entornou tudo. Sem problema. Assim que o tempo aquecer, começamos a sério.

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Tocar!

"O toque é de primordial importância para o bem-estar, para a saúde física e mental da criança durante o seu desenvolvimento. E continua a ser de primordial importância para todos nós, toda a vida." (1)

Quando estou com o meu filho, apercebo-me que passo o tempo a beijá-lo, a fazer-lhe festas na cara e a agarrá-lo. Ao contrário de alguns bebés que se afastam perante a demasia de mimo das mães, o meu gosta e mostra-se feliz quando é acarinhado. Não é um bebé mimado. É um bebé feliz. Mas tudo depende do gosto da criança, que tal como nós, nem todos gostamos de ser constantemente apertados. O Martim, por exemplo, gosta de adormecer com um bracinho debaixo da minha cabeça e com a outra mão, vai-me mexendo na cara, no nariz, nas orelhas. Sempre o fez, mesmo quando ainda mamava, a sua mão livre estava sempre a mexericar, e isso sabia bem a ambos.

"Tocar, acariciar, fazer festas a um bebé, a uma criança é indispensável para que um e outra vão construindo a sabedoria dos contornos do seu corpo..." (1)

Beijar e acariciar não tem de ser considerado um comportamento negativo - apesar de haver pais que assim pensem - muito pelo contrário. Se nos culpamos tantas vezes por passarmos pouco tempo com eles, porque não aproveitar os momentos ternos do deitar e deixá-los adormecer agarradinhos a nós, enquanto lhes cantamos baixinho ou lhes contamos uma história? Não serão estes momentos também importantes e geradores de bebés e crianças felizes e seguras de si mesmas?

Bibliografia:
1 - EMPIS, Isabel Abecassis, "Materna mente - façam festas aos vossos filhos", Pais e Filhos, (nº 171); 

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Sem medo da água

Ainda que até aos quatro anos as crianças não estejam ainda preparadas para aprender a nadar, os bebés podem desfrutar do contato com a água da piscina e aproveitar os benefícios das atividades aí realizadas. O Martim começou no início de Março a ir às aulas de natação para bebés e o resultado tem sido excelente: adora estar na água, porta-se lindamente e está a criar laços comigo que nunca se irão desfazer. Disso estou certa! Nestas idades o objetivo principal é a diversão e a familiarização com o meio aquático, bem como o desenvolvimento psico-motor.

"O bebé vai descobrindo o seu próprio corpo e as suas habilidades através da sua própria investigação. E, uma vez ultrapassado o medo da água, o passo seguinte é desfrutar dela com a mãe ou o pai."(1)

O Martim tem ido sempre comigo e têm sido momentos maravilhosos. Ele adora água, e mesmo ainda mostrando pouca vontade de se afastar de mim, tenho notado que está mais à vontade dentro de água. Ainda não o mergulhei totalmente na água, pois ele já passou a fase do 1º ano e está mais consciente dos perigos e dos seus próprios medos - não querendo criar-lhe uma situação que se torne um fator de medo, evito o mergulho sem ele esperar, mas deixo que de vez em quando dê uns "pequenos mergulhos fortuitos" e beijo-o de seguida, acarinhando-o e incentivando-o a repetir a experiência.

Quem tiver dúvidas disso, experimente. Vale a pena e os benefícios são enormes. Aqui na piscina da Amora pago pouco mais de 15€ o que é suportável. Os balneários não são maus. A água é que (para mim) podia ser um bocadinho mais quentinha!

Bibliografia:
1 - Natação para bebés, Bebé d'Hoje (nº 167);

domingo, 15 de abril de 2012

O meu Ó-ó!

Ontem o Martim portou-se muito bem na sesta. À noite, escurecemos um pouco o quarto e estive com ele na caminah a ler-lhe histórias e a cantar. Acalmou e ficou muito sossegado aconchegado ao meu colo. Estava quase a adormecer e eu a preparar-me para o deixar passar a primeira noite no quarto dele. Mas o pai chegou e, ao aperceber-se da sua chegada, levantou-se de um pulo. Acabou a calma daquele momento e, "porque está frio", "tentamos mais lá para o verão" ou "esperamos pelas férias", o colchão voltou para a sua cama, no nosso quarto e ele voltou para a nossa cama. Depois de adormecer, ficou na caminha dele e dormiu mais ou menos bem a noite toda. Acordou a perguntar "o ó-ó?" - depois de algum tempo é que acordei realmente e me lembrei que tinha deixado no outro quarto a almofada onde ele se costuma deitar agora. Nem me tinha apercebido que aquilo era importante para ele. É um retangulo de esponja do IKEA, às riscas, nem é uma almofada! De manhã, quando acordou, ficou a conversar com os "bebés" (como ele chama aos peluches dele) até eu o ir levantar.

Agora está a dormir a sesta. Na minha cama. Hoje não me apeteceu andar a trocar colchões de um quarto para o outro. Adormeceu agarrado a mim, num abraço apertado, quentinho e carinhoso, com aquele cheirinho a bebé. Tão bom!

sábado, 14 de abril de 2012

Mudar para o quarto dele - 2

Adormeceu, ao fim de uma hora de conversa, brincadeira, mais conversa e alguns ralhetes... agarrado a mim, a segurar com as duas mãozinhas a minha cara junto da cara dele.
Saí de lá dorida de estar deitada no chão ao lado do colchão dele. Adormeceu às duas. E ainda está a dormir (já passa das quatro da tarde). Não correu muito bem, mas também não correu mal. Está no quarto dele. Sozinho.

Mudar para o quarto dele - 1

Olá! Hoje aventurei-me e resolvi pôr o colchão do Martim no quarto dele. Não é a mesma coisa que ter uma mobília dele mas ainda temos medo que caia da cama e por isso resolvi experimentar pôr apenas o colchão no quarto dele. Por enquanto anda a brincar lá, vamos ver se dorme a sesta à tarde. É a primeira tentativa...

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Explicações

Caros amigos, estou a dar explicações do 1º ao 6º ano.

Estudar não tem de ser uma dor de cabeça, mas quando começa a faltar pouco tempo para o final do ano letivo, as dificuldades começam  a adensar-se.
Notas para recuperar, provas de aferição, preparação para provas globais e pouca disponibilidade dos pais. Assim, a aposta num complemento educativo é uma mais valia e um investimento no futuro.

Explicações de Inglês, Português e Matemática. (Também para outros níveis de ensino)
Mais informações, entrem em contato comigo através deste blog ou em http://www.matrdopirata.blogspot.com/.
Tel.: 963988723


quinta-feira, 12 de abril de 2012

Depois de tantos anos...

... tive 1.8 (numa escala de 1 a 5) na classificação de bombeiro. Sou inadequada.
E pronto. Sem mais comentários.

: (

Ontem estava triste, deprimida, em baixo... porque me voltei a chatear com o Martim.
Hoje estou assim, como o tempo... frustrada...

terça-feira, 10 de abril de 2012

Sabia que...

O seu filho irá adquirir cerca de 20 dentes de leite entre os cinco meses e os três anos de idade?

Os dentes começam a se formar antes do nascimento. Por volta dos quatro meses de idade, começam a nascer os primeiros dentinhos de leite. Todos os 20 dentes de leite normalmente nascem até os três anos, muito embora o ritmo e a ordem de erupção variem muito.


Os primeiros dentes costumam aparecer por volta dos seis meses. Este é um marco importante para a família inteira, mas também um período doloroso para o seu bebé. O mais provável é que ele fique muito irritável durante o rompimento dos dentes. O seu bebé vai babar-se muito e morder os pequenos punhos e as gengivas vão inchar. Lágrimas frequentes, falta de apetite e o rabinho assado anunciarão a chegada dos primeiros dentes. Para os pais mais afortunados, o rompimento dos dentes pode ser um acontecimento discreto, que não causa qualquer dor ao bebé. Mas, independentemente do que aconteça, ver o seu bebé com o primeiro dente vai ser um momento emotivo para a mamã e para o papá!





domingo, 8 de abril de 2012

Sabiam que...

Um bebé de 15 meses pode já ter sentido de justiça?

Um bebé de 15 meses tem sentido de equidade e já é capaz de perceber se lhe serviram mais ou menos comida do que a outra pessoa. A noção de justiça surge muito mais cedo do que pensavam os especialistas, que já sabiam de estudos anteriores que, aos dois anos, as crianças conseguem ajudar-se e aos seis demonstram comportamentos justos.
Condutas morais, como o sentido de Justiça, nunca tinham sido identificadas tão cedo. Foram-no, agora, através de uma investigação de um grupo de peritos da Universidade de Washington, nos EUA, liderado por Jessica Sommerville, especialista em desenvolvimento infantil.

Durante a investigação, citada pelo Jornal de Notícias, foram analisados 47 bebés, todos com cerca de 15 meses, que ao colo dos pais assistiram a pequenos vídeos. Num dos filmes, é mostrada uma pessoa que divide uma taça de bolachas de forma equitativa por duas pessoas, primeiro, e de forma desigual, depois. No segundo vídeo, o procedimento foi o mesmo, mas com um jarro de leite.

Os investigadores tentaram perceber a que partes dos vídeos as crianças davam mais atenção. A partir de um fenómeno que se chama “violação da expectativa”, concluíram que os bebés fixavam-se mais naquilo que os surpreendia. «Olhavam com mais atenção quando um dos recipientes se enchia com mais bolachas ou com mais leite do que outro», explicam os investigadores.

http://www.paisefilhos.pt/index.php/criancas/dos-0-aos-2-anos/4050-sentido-de-justica-aos-15-meses

 

sábado, 7 de abril de 2012

O Coelhinho da Páscoa existe?

Nesta Páscoa não deixe de lado a imaginação e brinque com os seus filhso. Divirta-se e pase momentos felizes, recorde a sua infância, os momentos em família e as travessuras que fazia. Conte-lhes episódios da sua infância, do que você fazia com os tios e os primos. Esta é a minha dica para os papás esta Páscoa, pois mais de que desejar uma Páscoa feliz, vale a pena pensar no verdadeiro sentido deste dia e de como o poderemos tornar uma tradição familiar.
Hoje estou a trabalhar, mas assim que sair, tenho algumas coisas para ir preparar para que o dia amanhã se torne diferente. Espero conseguir pelo menos que o Martim tenha uma Páscoa especial e que descubra algumas coisas novas! Afinal, no ano passado ele era ainda muito pequenino, mas este ano pode já participar!


Pegadas no chão, caminho de pelinhos brancos até o ovo de chocolate... Construir um universo de fantasia para a criança é mesmo uma delícia. E a Páscoa é uma ótima oportunidade para isso: contar a história de que o coelho vai visitar a casa e deixar rastros deve fazer parte da infância de nossos filhos, sim.
Até os 6 anos, a criança está em uma fase em que a fantasia é muito intensa. “Acreditar nesses personagens faz parte do desenvolvimento cognitivo”, explica Carmen Alcântara, psicóloga clínica e psicanalista, mestre pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP). “Essa magia auxiliará a formação do pensamento simbólico e das representações mentais, além de exercitar a linguagem.” Seu filho, no futuro, vai se tornar mais criativo, capaz de fazer analogias e de criar metáforas. E o principal: incentivar a crença no coelho da Páscoa e em outros personagens cria uma reserva emocional de situações prazerosas, que serão lembradas quando seu filho já for grande. Um espaço para devaneios é importante para se refugiar da realidade do mundo adulto.

http://revistacrescer.globo.com/Revista/Crescer/0%2c%2cEMI301453-10526%2c00-SEU+FILHO+AINDA+ACREDITA+NO+COELHINHO+DA+PASCOA.html



Gostei de...

Um ano e ainda mama? Sim!
Dar de mamar depois dos 12 meses tem vantagens 


http://www.paisefilhos.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=4341&Itemid=364

Este artigo é da revista Pais e Filhos e defende a continuação da amamentação após o 1º ano de vida. Como já aqui referi, dei de mamar até aos 16 meses. Muitas vezes me senti tentada a deixar mais cedo por razões laborais e o que mais me custava era chegar a casa com o peito cheio de leite e ele já ter jantado, porque tinha passado a hora e a mãe ainda não tinha chegado a casa. Se fosse hoje talvez tivesse seguido outro rumo e lutado mais pelos meus direitos, entrando com uma atitude mais positiva e menos submissa nesta decisão. De certo que teriam aumentado os meus problemas no local de trabalho, por isso entendo perfeitamente este artigo e a importância de nos mantermos informadas quanto aos nossos direitos.

Tânia Beato amamentou o filho Diogo até aos dois anos e dois meses e ainda amamenta a filha Diana, de dois anos. Continuou a gozar a dispensa de amamentação após o primeiro ano e deixou de ter direito a comissões e a prémios de produtividade, «porque as horas gozadas são consideradas absentismo». Apesar de o artigo 65º, da subsecção IV do Código de Trabalho dizer que a dispensa para amamentação «não determina a perda de quaisquer direitos e é considerada como prestação efetiva de trabalho».

Maria Silva (nome fictício), mãe da Joana, de dois anos e meio, cansou-se de tanta sugestão para deixar de dar de mamar. Já lhe “receitaram” pôr verniz, pimenta e vinagre como fórmula para o desmame, apesar de Maria nunca ter perguntado nada a ninguém. Desde a enfermeira do centro de saúde, à médica de família, passando por amigos e familiares, em todo o lado sentiu-se recriminada por ainda dar de mamar. De tal forma, que ganhou vergonha e, quando a filha fez 18 meses, decidiu dizer a toda a gente que tinha deixado de amamentar.
Estes são apenas alguns testemunhos das dezenas que nos chegaram após o apelo que fizemos através do Mamar ao Peito, site de promoção do aleitamento materno. Queríamos saber se as mães sentiam algum tipo de recriminação por darem de mamar após os filhos fazerem um ano de vida. Ficámos impressionadas com a quantidade e com as situações descritas.



sexta-feira, 6 de abril de 2012

Relaxar...

é depois de um dia de trabalho (que embora sem muito serviço, foi cansativo e com alguns picos de adrenalina), sentar-me no sofá com uma taça de flocos de aveia. Sem ninguém em casa (o Martim foi passar o dia à avó e o pai vai trazê-lo depois de jantar) e sem pensar que amanhã também é dia de trabalho.

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Vida de mãe...

...que trabalha, é mesmo assim. Entrar em casa às 19h30m, fazer jantar, (o pai deu jantar ao bebé), comer, ir para o quartel para formação (não poder ir para fogo industrial porque o bebé está em casa com o pai e ele tem de ir trabalhar, não ficar até ao fim da formação...) ir para casa, encontrar o bebé a dormir na minha almofada (lindo e fôfo), o pai a sair para ir trabalhar (foi entrar à meia-noite) e ainda ter de arrumar a casa, preparar roupa para amanhã, arranjar farda lavada e outras coisas que tal...
Depois fico assim... sem sono e, amanhã, já sei que vou andar cansada o dia todo.
E ainda por cima, tinha uma encomenda da Oriflame para fazer até hoje (ontem, aliás, já passa da meia-noite) e não encontrei nem o meu número de acessora, nem as faturas antigas, nem o contato da minha coordenadora ou lá como se chama. O que vale é que é pouca coisa, vou ficar a perder, porque quando conseguir fazer a encomenda já não terei algumas dessas coisas em promoção como tinha. Só comigo!

terça-feira, 3 de abril de 2012

O poder das palavras...

...não é nenhum quando se tem um filho como o meu teimoso como uma burra torta! A quem é que ele sai, é que, sinceramente não sei! Mas como eu ainda tenho de ser mais teimosa que ele - sim porque a adulta sou eu - já está na cama desde as 20h30m! Isto porque não comeu nem metade da sopa, cuspiu a maçã toda e ainda me empurrava o prato e dizia "Não!"
Eu bem tenho tentado que o jantar - momento em que estamos os dois juntos - não seja motivo de guerra. Até já o ponho à mesa connosco e a comer sozinho a sopa - mesmo que metade vá para fora - mas quando ele começa a gritar e a virar o prato não há paciência que aguente. Nem palavras algumas servem para o fazer parar, e lá lhe disse rispidamente, depois de contar até cem: "Não queres comer, tudo bem, vamos lavar a boca e vais parar a cama!"
Lavei-lhe a boca, mudei-lhe a fralda, deitei-o. Vim pôr a fralda no lixo. Fui espreitá-lo.
Já estava a dormir, nem se virou, nem chorou.
Talvez fosse mesmo sono...