domingo, 14 de julho de 2013

É só água!


Expliquem-me as mães que terão talvez o mesmo drama que eu - não é bem um drama, é mais uma constatação de um facto que eu não consigo explicar - porque é que o meu filho adora água, gosta de ir para a piscina, e quando vamos à praia, só se aproxima qb da água. Ou seja, bem longe, não vá aquilo puxá-lo e engoli-lo?

E se o levamos para lá, grita desalmadamente, como se a água fria queimasse. Não o obrigamos a ir pois até se diverte, brinca nas poças e até deixa que o molhemos com o balde. O que me incomoda não é ele não querer sair da sua zona de conforto, o que me preocupa é ele entrar num estado de terror quando o faz.

O prazer da areia nos pés

Eu sempre fui apaixonada por praia, e nos meus outros tempos, em que as responsabilidades eram outras, permitia-me pegar na toalha, biquini e num livro e ir até À praia. Senatava-me junto ao muro e embrulhava-me na toalha até que o sol começasse a aquecer e me despertasse daquela melancolia.
Fugia do sol abrasador e das grandes confusões do verão de Sesimbra, do trânsito e dos chapéus de sol. Nunca gostei de chapéus, nem de sol nem de chuva.

Gosto sim de sentir a areia entre os dedos, o fresco da água nas pernas...

Hoje não é dia de praia. É dia de trabalho.
Na semana passada tivémos alguns dias excelentes de praia, até que a chuva resolveu começar a espreitar e estragou-nos aquela rotina tão feliz, que até nos permitiu umas saídas em família. :)