sábado, 15 de dezembro de 2012

Dezembro

Triste mês este que traz tantas desgraças e tantas más notícias. Frio, como estão as mágoas dos que cá ficam a recordar os que se vão, tão cedo na vida, embora. E cá deixam os frios e amargos dias da recordação e da inércia do não poder fazer, do não ser capaz de ignorar. Do querer e não poder.
Mês chuvoso como as lágrimas que molham os olhos de quem já desistiu de querer ver... infelicidade e luto. Na Primavera da vida que tarda em chegar, vai-te embora inverno maldoso que desdenhas e ris dos que sofrem e não lhes dás tréguas, nem com o sol que espreita nas manhãs frias.

Sem comentários: