sábado, 31 de dezembro de 2011

Balanço 2011 - parte 2

Gravidez - de algumas amigas - este ano de 2012 vão nascer mais alguns bebés que serão notícia neste blogue. Foi um tema aqui falado, em posts relacionados por exemplo com a vinculação mãe bebé ou com problemas com o cordão umbilical.

Histórias - as minhas e as dos outros. Umas felizes outras tristes. As histórias que fizeram notícia e que foram importantes para este blogue.

Irmã - a minha que se revelou uma das pessoas mais importantes da minha vida.

Jogos - e festas infantis, pinturas faciais e muitas novidades no blogue mardopirata.blogspot.com.

Livros - li "A epidemia" de Robin Cook, "O negociador" de Frederick Forsyth, "O vendedor de sonhos" de Augusto Cury, "Precious, a força de uma mulher" de Saphire...entre outros que marcaram este ano. Podem ver os resumos em eraumaeoutravez.blogspot.com.

Maternidade - ser mãe serviu para que eu aprendesse muita coisa e fez-me ver a vida com outros olhos. Os meus sonhos mudaram e a minha vida passou a ser pensada sempre em função do meu filho.

Martim - o meu tesouro.

Novidades - o anúncio do casamento da minha irmã - Março de 2012.

O meu bebé - tornou-se uma constante neste blogue, tornando-se o seu tema mais central.

Paulo - a pessoa que tem a paciência suficiente para me aturar! Um pai maravilhoso.

Quero - saúde para mim e para a minha família; dinheiro suficiente para dar uma boa vida ao meu filho, com aquilo que ele precisa e que nada de importante lhe falte. Quero ter forças para levar os meus sonhos avante e conseguir mudar de vida neste novo ano.

Ritmos - de samba, no Carnaval. Máscaras para recordar. A primeira fantasia do meu bebé e a sua nova paixão: a bateria que era do pai e tudo onde possa bater e fazer barulho!

Sofia - a minha sobrinha mais linda!

Trabalho - tive momentos complicados, 2011 começou mal em termos de trabalho, desiludi-me muito, mas felizmente está a acabar um pouco melhor. Para o ano espero que as coisas evoluam favoravelmente.

Ultimo - dia do ano, últimos desejos: quando comer as passas logo à noite sei bem o que vou pedir; quando se concretizar vocês saberão o que eu pedir. Vai depender muito do meu trabalho, empenho e de muita sorte.

Vinculação - existe em cada olhar, cada festa que o Martim me faz, até nas dentadas que me dá em vez de beijos (pois os beijinhos dele são sempre cheios de baba e com dentes à mistura), na hora da maminha, nos abraços...

Xau - até para o ano... e já só falta o Z! Este post já está a ficar muito extenso... mas é sentido sabem?

Zé - da Mota, o meu pai, Fernando, o meu tio... e tantas pessoas importantes para mim durante este ano que agora termina e a quem eu aqui deixo um beijo e desejos de boas entradas em 2012!

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Balanço 2011 - parte 1

Este ano que agora termina merece um post especial dedicado a um balanço dos aspetos positivos e negativos, começando pelo blogue doiscontigo. Durante este ano, foram muitos os assuntos tratados, os temas discutidos e a variedade de conteúdos. Passamos de um blogue dedicado à educação em geral, para um blogue dedicado à maternidade e ao primeiro ano de vida do Martim. As minhas aventuras como mãe, as minhas dúvidas, por vezes até algum desepero, desabafos e criticas. De A a Z, muito foi falado. Esta é a minha lista. convido-vos a deixarem aqui a vossa também. O que acham do convite?

Afetos - um beijo gostoso de quem amo, os bracinhos pequeninos do meu filho em volta do meu pescoço enquanto diz mamã, o seu olhar enquanto mama e me fixa nos olhos aquele doce mar azul. O seu riso logo de manhã, aos pulos na cama e carregado de energia! Podia ainda acrescentar aqui - alguns percebem - dar a mão a uma pessoa que se leva ao hospital e apenas devolver-lhe um sorriso, sabendo que nada mais podemos fazer. Dar força a uma família, mesmo quando sabemos que a esperança se está a terminar. Receber uma coisa muito especial, com o maior valor de todos, porque é dada de coração e nos faz sentir que, apesar de tudo, tivemos significado na vida dessa pessoa. Obrigada.

Amamentação - quase a fazer os 16 meses, o Martim continua a mamar no peito, sempre que quer. passei por várias dificuldades e pensei em desistir, mas arranjei força para seguir em frente e continuar. O apoio é essencial. Foi dos temas que se calhar aqui mais foi falado no blogue.

Bebés - o meu em particular, que é o mais lindo de todos  -todas as mães dizem isto não é? - cresceu muito durante este ano. Já diz algumas palavras, é um brincalhão, está sempre bem disposto. Às vezes consegue tirar-me do sério ou fazer-me sentir uma mãe desnaturada, mas é a melhor coisa da mnha vida! E outros bebés (uns que fizeram parte deste blogue, outros apenas que fazem parte da minha vida e do Martim) - a Sofia Mariano, a Lianor, o Rodrigo, o pequenino Joel que nasceu à dias, o pequeno Gustavo, o Gabriel, a Bárbara que foi a priemira amiga do Martim, os seus novos amiguitos, Leo e Mel, e as meninas um pouco mais crescidas: Maria, Inês...

Crescimento - medir não chega para contar como ele cresceu. As coisas que é capaz de fazer, o que aprendeu. E eu também cresci - como pessoa, como mãe.

Desenvolvimento - um patamar de cada vez, seja na linguagem, na cognição, ou nas suas capacidades físicas e motricidade, vi o meu bebé no melhor da sua vida. Mas também tive a felicidade de, através das vossas palavras, ver o crescimento dos vossos filhos e sentr-me também feliz com as suas conquistas. Obrigado por me abrirem as portas de vossa casa, como mãe isso foi muito importante.

Entremães - O entremães é um grupo de mães (e pais) que se juntam uma vez por mês, para falar de assuntos relacionados com a maternidade. Levamos os bebés, dizemos parvoíces, mas sobretudo discutimos coisas sérias. Ali não há criticas negativas - há pessoas que passaram por experiências iguais à nossa e que nos sabem apoiar sem julgamentos. Somos todas mães (e pais) com os nossos defeitos, os nossos medos, as nossas alegrias, as nossas diferenças e os nossos filhos.

Família - é auilo que temos de melhor, mesmo que por vezes pareça que nem lá está. Este ano aprendi a conhecer quem é realmente importante. Quem é família, mesmo sem parentesco. As primas e tias que gahei e que ganhou também o meu filho. As pessoas com quem posso realmente contar - essas são a verdadeira família.

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Bebeteca

Nós descobrimos um novo espaço aqui pertinho de casa para umas tardes giras com o bebé: a bebeteca! Incluída na biblioteca do Seixal, a bebeteca abre-se como um espaço seguro, divertido e didático, para os mais pequeninos.
Tão perto e só na terça começamos a lá ir. Ontem repetimos a dose, porque o Martim adorou! Eu aproveitei e fiz o cartão da biblioteca. Ainda não tive foi tempo de ir fazer a primeira requisição. Novas leituras se preparam para 2012!

Outra coisa:
Ama no Seixal - 150 euros.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Em casa.

Estou em casa desde sexta-feira, no seguro. Dei cabo de um tendão do pulso direito, na quarta-feira, ainda pensei que melhorasse mas isso não aconteceu. Por ordem do médico fico em casa e estou proibida de fazer esforços ou pegar em pesos. Pelo menos até segunda-feira que vem.

Vou aproveitar para ler e para descansar. O piratinha vai na mesma para a ama, porque também tenho de evitar andar com ele ao colo. Escrever custa um bocado e ando a treinar a mão esquerda - dizem que faz bem ao cérebro, talvez saia desta experiência mais inteligente! Quem sabe?

sábado, 17 de dezembro de 2011

Biblioteca

Hoje passsámos a tarde na Biblioteca Municipal do Barreiro. Ainda não a conhecia. Adorei e desejo lá voltar e explorá-la melhor. Hoje o dia foi dedicado aos mais novos da casa: brincadeira e faz-de-conta em fartura!

O importante é mesmo aproveitar estes pequenos prazeres e vê-los ser crianças! O Martim adorou brincar com os carrinhos, a pista e com as frutas e legumes da zona da casinha! O espaço é amplo e está muito bem dividido. Além disso, e não fosse uma biblioteca, tem ainda muitos livros ao alcance dos mais pequenos, que podem explorar, desfolhar, espalhar e brincar... num primeiro contato antes de realmente os serem capazes de ler.

sábado, 10 de dezembro de 2011

Sinto-me...

... como o tempo. Aborrecida.
O dia parece que está a fugir-me por entre os dedos e não estou a conseguir fazer nada do que tinha planeado para hoje. E é o únivco dia livre da semana. Amanhã tenho de me levantar cedo e ir deixar o pirata com a avó para ir até Sines. Vai ser cansativo e hoje precisava mesmo de descansar e de organizar a casa, preparar a semana que vem e essas coisas que têm de ser feitas e que às vezes, detestamos!

sábado, 3 de dezembro de 2011

E hoje...

...participamos em mais um Entremães. Conhecemos o bebé Santiago que nasceu há uns dias e revimos outros amiguinhos e mamãs.
Com muitas conversas cruzadas, bebés e brincadeiras, se passou mais uma manhã divertida. A tarde foi para mais uma ida à escola de samba, rever amigos e passar bons momentos. E não tarda vamos passear mais um bocadinho. Há que aproveitar o sol, mesmo que o frio insista em nos perseguir.

Bom fim de semana!

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Entremães

Sábado, no Espaço Zambujal, decorrerá mais m encontro desta vez com o tema: "Introdução de sólidos e amamentação no regresso ao trabalho"

Que problemas podem surgir quando se tem de ir trabalhar e ainda queremos amamentar? E se o bebé não pega no biberão? E se não conseguimos tirar leite sufciente com a bomba? e se ele não comer quando estamos longe?

Que mãe não passou por estas (ou outras) questões quando chegou a hora de regressar ao trabalho?

Este vai ser o tema deste encontro. Apareçam, a entrada é livre, os bebés ou as crianças mais velhas podem ir e os pais também são bem-vindos! Este espaço situa-se na estrada nacional 379, quem vai de Santana para o Zambujal e fica na biblioteca municipal. É um espaço agradável.
Mais informações aqui!

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Greve??

E quem é que vai fazer greve amanhã?

Eu estou numa daquelas posições ingratas em que, mesmo concordando com os motivos da greve e mesmo tendo direito a fazê-la, peso na minha consciência o que poderá advir da minha greve. Primeiro, ninguém é insubstituível. O que eu não fizer, outro fará. Em segundo lugar, a população em geral, mesmo respeitando a greve, não se lembrará disso quando precisar de uma ambulância: qualquer cidadão tem de ser socorrido... se não for por um, será por outro - mas e o tempo que demorará este sai não sai, por causa da greve?

Por isso, eu amanhã estou solidária, mas vou cumprir o meu horário de trabalho. Tal como o farão milhares de colegas pelo país fora, como farão médicos e enfermeiros e outros profissionais cujo trabalho é indispensável para o regular funcionamento da sociedade. Se merecem? O governo merecia que parássemos o país... mas a população não tem culpa.

Tal como outros profissionais, sejam bombeiros, PSP, GNR, enfermeiros... enfim... estaremos amanhã em luta, mesmo que nos vejam a trabalhar, mesmo que vos entremos em casa para vos socorrer ou se peparem connosco num acidente ou na entrada de um hospital.

domingo, 20 de novembro de 2011

O Bolo do Martim

Hoje lembrei-me (e como andava por aqui a visitar um blog amigo, aqui fica a foto).

Este foi o bolo de 1º aniversário do Martim! Para recordar. Simples e delicioso. Bolo de compal, com recheio suave de chocolate.



Que acham? Foi feito pela Xana.

Coração de mãe...

... apertadinho, apertadinho, uma noite mal dormida, sempre a pensar em ti!
Ontem jantamos na avó e como hoje cedinho tinha de te ir lá levar o piratinha, ficou logo lá a dormir. Dei-lhe o banhinho, a maminha e fui eu que o deitei a dormir. Depois vim embora. Ele ficou bem e de certeza que quem sentiu mais a separação até fui eu... mas que querem? Fiquei assim com o coração pequenino a noite toda!

Ele está a crescer, essa é que é a verdade, mesmo que para mim seja sempre o mesmo bebé.

sábado, 12 de novembro de 2011

Dia a dois

Hoje eu e o pirata passamos um dia a dois. Começamos por ir até ao Zambujal, a mais um encontro do Entremães. Desta vez eramos pouquinhas - onde andam essas mamãs e esses bebés, hã?? - mas deu para conversar-mos um bocadinho e isso faz sempre bem.

Mas não sem antes passarmos pelo café do avô Zé para tomar o pequeno-almoço. O pirata hoje estava tão chochinho que nem queria andar a brincar pelo café como é hábito. Só queria colo e mimos. Não bebeu o leite nem quis bolachas, nem pão. Está cheio de ranhocas ainda. Só a maminha da mãe.

No Encontro lá se cansou e veio para o meu colo mamar. Adormeceu e veio até casa a dormir ferrado.
Passámos a tarde a brincar os dois e, agora, está a dormir depois de mais uma mamada. Poderão estranhar, mas quando está adoentado, prefere a maminha a comer seja o que for e, mal por mal, sempre se alimenta e sossega. Menos mal.

Agora ando a atualizar o blogue http://www.mardopirata.blogspot.com/. Passem por lá e vejam as novidades que vão surgir.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Se eu pudesse...

...escolhia ter-te sempre bem disposto, sem birras, sem gritaria. E agora não tinhas adormecido zangado comigo e eu não estaria aqui triste, porque não jantaste. Mamaste, mas não foi suficiente para me ajudar a passar bem a noite, nem para me matar as saudades que tive tuas hoje, bebé.

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Mais um encontro

Sábado realiza-se mais um encontro do Entremães, desta vez com o tema: Obstáculos na amamentação.
É um dos temas recorrentes destes encontros, uma vez que a nossa moderadora, Sandra, é uma adepta da amamentação. Estes encontros servem principalmente para partilhar experiências e para aprendermos umas com as outras.

E porque amamentar nem sempre é simples nem fácil, importa conhecer quais os obstáculos que podem surgir e quais as formas para os ultrapassarmos e não desistirmos logo que surge um problema.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Esta tosse que não passa...

...e não nos deixa dormir descansados de noite. É assim que temos andado nos últimos dias.
Ontem levei-o à urgência e, tal como calculava, é só uma constipação. Mas a tosse não há meio de passar. Está a fazer puffs de ventilan, aerossóis e soro, (e aqui para nós um xarope caseiro de cenoura e açucar mascavado que não faz mal a ninguém). Tem dois dentinhos a nascer e isso também pode estar a ajudar à festa. De resto, tem andado sempre bem disposto, não fosse ensopar babetes de baba e ranho, ninguém diria que está doente.

sábado, 5 de novembro de 2011

Um dia daqueles!

Hoje foi um daqueles dias em que... bem... começou bem e cedo!
Eram 5h e pouco da matina já estava de pé a fazer vapores ao Martim que estava cheio de tosse e não conseguia dormir. Depois, mamou, vomitou tudo, voltou a mamar e voltou a vomitar. Eram aí umas 7h quando o príncipe adormeceu novamente.

Uma hora depois, tudo de pé novamente! Podres de sono, como se poderá concluir, para ir levar o pirata a casa de uma amiga nossa. Tivémos dificuldade em arranjar quem pudesse ficar com ele, hoje de manhã, porque tinhamos uma formação planeada na VMER, para irmos já há alguns meses. Lá fomos direitos para Lisboa. Quando chegamos ao Hospital de S. Francisco, o segurança não nos deixou seguir para a sala de formação. Não tinha indicação de nada dizia o senhor. Lá fomos, contrariados, procurar no edifício ao lado, onde seria a dita cuja. Ora, um segurança muito simpático, lá nos indicou que no primeiro piso, sala 12, estaria a decorrer a dita formação. Subimos, e ao chegarmos à sala, tudo sentadinho e na tela a passar anatomia. Estranhei estar tudo a horas sentadinho, mas ainda ponderei ter visto mal o horário e estarmos atrasados. Entramos sorrateiramente. Sentámo-nos. Uma moça passou-nos a folha de presenças. Quando ia a escrever, o Paulo olhou para o cabeçalho "Mestrado em Fisiologia de não sei o quê..."

Mestrado?! Não era ali! Saimos pela mesma porta por onde entramos. Fomos tirar satisfações com o segurança. Voltámos ao Hospital à procura da sala de formação... vimos a VMER chegar e lá fomos perguntar aos senhores onde era a formação... "Foi adiada para dia 19".

Adiada? E ninguém avisa?

Sim parece que tinham alterado no site. Nós é que nem fomos confirmar... Para compensar fomos aos pastéis de Belém e depois lá fomos buscar o pirata. Depois dele dormir até às 14h, almoçámos e, enquanto o pai foi trabalhar, eu e o menino fomos até Sesimbra, para os aninhos do R.

Parámos nas bombas. Não tinham multibanco. E eu não tinha dinheiro comigo. Ora, vamos lá que isto chega até às próximas. Ora não chegou. Fiquei sem gasolina e lá tive de pegar no miúdo ao colo e ir a pé até às bombas mais próximas, rezando para que não chovesse e para que tivessem multibanco! Não emprestam garrafões. Lá comprei uma garrafa de água de litro e meio, deitei o conteúdo fora e enchi de gasolina. Vai de voltar a pé para o carro, com o miúdo ao colo, a garrafa na outra mão. Tentei meter a gasolina, mas aquilo saiu tudo para fora e o carro não pegou na mesma. Liguei ao meu pai, que meia hora depois lá apareceu para me salvar. O pirata entretanto já estava impossível de aturar, farto de estar no carro, claro está e com a fralda suja!

O dia lá terminou bem, com o carro a andar. Atrasadíssimos. Lá fomos ao 1º aniversário do R. e, claro, o Martim tinha de ir estrear o chão da garagem da minha amiga, com a cabeça, assim só para ver se era duro! Agora está a dormir uma bela soneca. Quando acordar, logo janta.

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Produtos Nestlé

Hoje quando estava a ver o meu email apareceu-me um aviso sobre produtos da Nestlé que teriamos de repassar dando conta que poderia haver vidro nos boiões de uma gama de painhas. Sou consumidora e isso alertou-me, mas estranhei a imagem que vinha não corresponder ao produto que se falava. De qualquer das formsa li atentamente - nnca cá tinha visto nada daquele género - e a verdade é que aquele produto nem é vendido no nosso país. Não repassei a mensagem porque estranhei o conteúdo da mesma. Agora aqui fica o que a própria Nestlé me enviou  (e a outros consumidores) a alertar para este rumor que passa na Internet. Como este, circulam outros. Estejam atentos.

Olá Mamã! Voltou a surgir um rumor na internet acerca da recolha de boiões de frutas da Nestlé. A informação que circula não corresponde à realidade, pelo que contamos consigo para ajudar a esclarecer a situação e repor os factos!
No dia 29 de Junho de 2011, a Nestlé França anunciou a recolha voluntária de um lote específico de "Nestlé P'tit Pot" 80g (variedade banana, com o lote L10980295, com prazo de validade de 10/2012 e código de barras 7613033089732), no seguimento de uma reclamação efectuada por uma Consumidora que referiu ter encontrado dois pedaços de vidro no interior de um frasco.
Como medida de precaução, a Nestlé decidiu recolher este lote do mercado francês. Foram tomadas todas as medidas necessárias para averiguar a causa do incidente, em parceria com as autoridades competentes, tendo-se concluído que se tratava de um caso único e isolado.
Este produto não é comercializado em Portugal, apenas em França, e mais nenhum produto da Nestlé, em qualquer outro país, foi afectado.
A Qualidade e a Segurança dos nossos produtos constituem prioridades não negociáveis para a nossa Companhia.
Reenvie por favor esta mensagem a familiares e amigos que possam ter interesse nesta informação.

E já está mais um!

Ontem terminei com aproveitamento o módulo de Operador de Central. Ainda faltam mais umas quantas horas de formação. Deste já me safei. Ufa!

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Modo zombie

Ontem à noite houve "festa" até às quatro da matina, com o piratinha irritado, vomitou três vezes, muito choroso mas sem febre. Chegámos a casa depois da formação, a avó com ele no colinho e aquele ar de "Mamã tou doentinho!" que eles tãobem sabem fazer e que nos derrete logo o coração - mais cama para mudar, roupa vomitada e por aí fora.

Só queria colo e maminha, mas nem assim dormiu na nossa cama - não consegue só quer a cama dele, na nossa é só cowboiada e nada de dormir - ou seja, ele na cama dele, e eu com o braço passado entre as grades para lhe massajar a barriguinha e ele dormir. Quando eu pensava que ele já adormecera e parava, lá se punha novamente a chorar. Tem dois dentinhos a nascer e deve ser por causa deles que anda mais irritadiço.

Hoje tem estado bem ainda não voltou a vomitar, está só ranhoso e com tosse. Vamos ver se não está a chocar ali mais nada. Tem sido uma semana cansativa, com trabalho de dia e curso à noite. E só acabamos no Domingo à tarde.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Pelos Rafaéis deste país

O bullying é um drama que afeta crianças e jovens em todo o mundo. Ser enxovalhado, pressionado, agredido, humilhado, e.. por fim... atingir o tal ponto de ebulição em que o sangue ferve nas veias e a reação se dá. Mas para este Rafael, a reação seguiu o trilho errado e em vez de o libertar das amarras e o trazer à vida, seduziu-o para uma saída aparentemente mais fácil e dócil, da morte.

Para todos os Rafaéis do nosso país e para todos os pais:

- A força mede-se pela determinação em querer agir e em fazê-lo para mudar. Seja um aviso, seja uma reprimenda ao agressor, seja tão apenas um puxar de orelhas, ou ir mais além, temos de punir quem agride, quem violenta, quem persegue. Para que os Rafaéis deste país tenham um espaço por onde caminhar seguros, e para que se sintam protegidos e não abandonados. Para que queiram a vida em vez de procurarem o sossego da morte. Um sossego que não tinham na escla que os devia proteger...

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Já são 19h?

Para eu ir a correr buscar o meu bebé e enchê-lo de beijos. Apetecia-me tanto um abracinho dele agora!

 Acho que já estou a stressar antecipadamente por saber que vou ter pouco tempo com ele nos próximos dias... Amanhã, eu e o pai, começamos uma nova formação de 50 horas. Vai ser cansativo, e o pior é ter de deixá-lo para virmos para o curso. Mas vai ter de ser...

domingo, 16 de outubro de 2011

Feliz dia bebé

Felicidades bebé linda da tia! Completaste ontem 1 aninho de vida, mas a tua festinha foi só hoje. Muita brincadeira e alguns amigos presentes. O dia estava bom e pudemos brincar no jardim, correr na relva. O Martim esteve sempre animado e bem disposto: quem lhe dá espaço e liberdade para correr, fá-lo feliz!

E eu entretanto conclui mais esta formação, nos bombeiros.
Sábado já começo outra - e se calhar o pai também vai na mesma turma - vão ser mais 50 horas em que além do trabalho, vou estar longe do bebé. Que canseira!

sábado, 15 de outubro de 2011

Já só faltam dois dias...

... para terminar o curso que estou a fazer. O curso chama-se Técnicas de Socorrismo (por aqui chamado de TS) e vem de certa forma substuituir o antigo TAT (Tripulante de Ambulância de Transporte). Com a variante deste ter 50 horas, aumentando assim as horas de componente prática - as práticas simuladas.

Amanhã termina.

sábado, 8 de outubro de 2011

Os projetos do meu filho

Com tanta coisa, tinha-me esquecido... esta semana o meu menino veio para casa acompanhado de um novo projeto! Senti logo que ele estava a ficar mais crescido! (Sim e ele ainda está numa ama e não numa sala de Creche cheia de projetos).

Mas esta semana trouxe para casa um grãozinho já germinado. Puseram em algodão e regaram dia após dia, até nascer uma plantinha. Já a transplantámos para um vaso. Espero é que não morra, pois queria que ele tivesse ainda a oportunidade de a regar mais vezes e de a ver crescer!

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Sabiam que...

... estas são as páginas mais vistas neste blogue hoje (07/10/2011)?

Placenta prévia - 23 de Set de 2010 (78 Visualizações de páginas)
De embrião a feto - 1 de Set de 2010 (27 Visualizações de páginas)
Da concepção à formação - 31 de Ago de 2010 (10 Visualizações de páginas)
As experiências-chave em Creche - 24 de Out de 2010 (9 Visualizações de páginas)
Desenvolvimento do bebé - do 6º ao 8º mês de gestação - 2 de Set de 2010 (8 Visualizações de páginas)

Será que andam aí umas mães grávidas a procurar informação? Então para essas mamãs - se assim é - aqui fica o convite: comentem e contem as vossas experiências sobre cada um desses momentos!
Isto faz-me pensar que tenho de renovar alguns tópicos e dedicar mais tempo aqui ao blogue, que tem andado um pouco paradinho ultimamente.

Origem geográfica do público que visita o meu blogue:

Brasil 206


Portugal 154

Holanda 25

Estados Unidos 6

Bahrain 4

Rússia 4

Angola 3

Costa Rica 2

França 2

Porto Rico 2

 
Um Olá especial ao Brasil e ao meu cantinho Portugal... mas não tinha ideia que era visitada por pessoas na Holanda (Olá!) e Estados Unidos, Angola ou Rússia. Fico muito grata por saber!
 
 
(será que é verdade estas estatísticas, ou não?)

Dedicada à amamentação

Acabei agora de deitar o meu menino.
O dia começou cedo... bem cedo pelas 5h e tal da manhã quando acordou a choramingar. Dei-lhe mama, acalmou, mas quando o tirei do peito, voltou a ficar irrequieto. Depois o pai adormeceu-o e lá ficou mais um bocadinho... sabemos que está a ficar doentinho e isso deixa-o mais irritado - não costuma acordar de noite.
O resto do dia correu como normalmente: deixei-o na ama e fui trabalhar. Ele ficou bem, bem disposto, alegre. Tal como nos outros dias, ele hoje brincou, sorriu, comeu, dormiu, chorou e fez as suas birras. Não sei se sentiu a minha falta, mas eu assim que o deixo fico logo cheia de saudades dele. Quando acabei o trabalho, o que mais desejava era chegar perto dele e sentir o seu cheiro, beijar as suas bochechas e o seu narizinho, ouvir a sua voz dócil. Fomos para casa a conversar os dois, à nossa maneira. Dei-lhe banhinho e depois o seu jantar. Foi difícil de comer - como tem sido nos últimos dias - mas lá comeu a sopa com o peixinho e a frutinha. Mas o melhor do dia, foi o culminar de tanta coisa, o pequeno mimo que nos faz sentir bem aos dois: sentei-o no meu colo, e ele procurou logo o que sabe ser seu por direito. Ajudei-o a aconchegar-se e ele mamou durante alguns minutos, fitando-me e procurando o meu rosto com a sua mãozinha pequena. É a sua forma de dizer: "Amo-te mamã!", mesmo sem saber ainda falar. E depois de um dia cansativo, sinto-me completa quando o tenho a mamar, "Amo-te filho", digo-o, mas não precisava pois sei bem que te sentes desejado. Não adormeces logo, ainda queres brincar. Beijo-te o nariz, mordisco-te o queichinho e tu ris satisfeito. Adoro ouvir-te rir. De vez em quando, vens perto de mim e procuras atenção, metes-te comigo, deitas a cabeça nas minhas pernas. Faço-te cócegas. Depois tentas trepar pelo sofá. Esticas os bracinhos, queres chegar a alguma coisa... algo que não podes mexer. Brincamos mais um pouco. Tens o narizinho entupido e alguma tosse, mas estás bem disposto. Vamos trocar a fralda e, volto a aconchegar-te no peito, mamas mais uns minutos e, no fim, ainda queres brincar com a minha mama.
Depois levo-te ainda acordado para a tua cama, estás cheio de sono, mas a vontade de brincar é mais forte. Passa da hora dos bebés dormirem. Ponho-te na tua caminha e brinco um pouco contigo e com os teus peluches. O móbil toca, uma música suave de embalar. Deixo-te... mas só depois de te encher de beijos uma e outra vez... e pouco tempo depois já não te ouço, espreito mais uma vez... e estás finalmente a dormir.

Esta semana foi cansativa, saí várias vezes tarde do trabalho, e ainda por cima o piratinha está a ficar adoentado, com tosse e ranhoca. Esta foi a segunda noite que acordou às 5h - ele e nós - pelo que tenho andado podre de sono! Tinha pensado postar algumas coisas sobre amamentação, mas não tenho tido tempo nenhum. Mas podem sempre ler a minha experiência em algumas postagens anteriores e na página sobre o tema que se encontra na lateral deste blogue.

No Hospital Garcia de Orta está - não sei até quando - uma pequena exposição fotográfica sobre alguns momentos de inteira cumplicidade entre mães e filhos. No meio de um dia de trabalho, como o de ontem, parar e olhar para aqueles momentos, fez-me pensar que a felicidade está nas mais pequenas coisas. Como poder ter o meu filho nos braços e beijar-lhe o nariz!

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Encontro adiado

O encontro do "Entremães", que habitualmente se realiza no espaço Zambujal, Sesimbra, nos primeiros sábados de cada mês, foi adiado. Quando souber a nova data, eu aviso aqui.

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

E o Outono?

Quem, com este calor, lhe apetece pensar em arrumar a roupa de Verão me de preparar tudo para a nova estação que já entrou? É que nem se fez anunciar. Continuamos com um calor, que até é agradável, mas que já está a ficar fora de época. O miúdo continua a dormir só de bodie e a transpirar imenso, mas agora anda com o pingo no nariz... que fazer, este tempo é mesmo assim, propício às constipações e ao não sabermos o que lhes vestir.

Aqui por estas divagações também digo que tenho estado a falhar. Tenho tido pouco tempo para aqui vir postar e tenho a página sobre amamentação na minha lista de prioridades - mas sem tempo para me dedicar a ela. Sábado realiza-se mais um encontro "Entre Mães", mas este mês não poderei ir. Mas fica aqui na mesma o convite para todas as mamãs (e papás) que queiram aparecer!

Quanto ao trabalho, voltou o ânimo, a vontade de fazer e de tentar mudar alguma coisa. voltou um pouco daquele espírito que andava perdido. Nota positiva pois então.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Fim de semana

Estava cheia de vontade que chegasse o fim de semana, para poder estar com o meu piratinha, poder passar tempo com ele e descansar. Mas ontem entrei em modo desespero. Agora poderia opinar de outra forma sobre o que senti ontem, mas no calor do momento, só me deu para chorar e sentir-me pessimamente comigo mesma. Só queria que o dia corresse bem, que ele comesse bem sem stresses, que dormisse a sestinha depois do almoço... mas afinal correu tudo ao contrário! Uma mãe pode sentir-se desiludida quando o filho não quer o seu colinho? Sim, pode, e foi como me senti ontem. Ele comigo era só birras! Claro que eu sei que é normal, que acontece, que eles nos testam... mas senti-me tão mal com isso. Só sentia que ele preferia estar noutro lado e não comigo.

Hoje o dia correu melhor. Bem, a verdade é que o pus à frente de tudo o que poderia ter para fazer e dei-lhe toda a atenção possível. E mesmo assim, caiu-me de um triciclo e lá deu cabo de um lábio e fez um galo! Comigo mesmo ao lado... enfim, sem comentários. Felizmente, parece que são feitos de borracha e ainda eu me estava a recompor, já ele se estava a rir, ainda com a boca cheia de sangue e eu a tentar pôr-lhe gelo! Logo para a maminha, para o descansar a ele e me acalmar a mim. Terapia certa para os dois claro! À tarde, fomos ao parque com o pai brincar. Foi óptimo. Já lá tinhamos ido ontem com a mana Sara também. E digo que foi óptimo não apenas para ele, mas para mim também, principalmente pelas curtas conversas que ia tendo com algumas mães que ali estavam com os seus bebés. As queixas triviais e que nos fazem sentir iguais umas às outras: "Ele anda péssimo", "É tão teimoso", "Só quer fazer o que quer", e depois aqueles sorrisos e olhares de cumplicidade entre mãe e filho, do tipo "És o meu tesouro!" , "És o melhor filho do mundo!"... e depois já me sentia melhor, mais normal! Os bebés socializavam e as mães e pais também.

E agora por maminha, aqui fica então um convite que me fizeram e que eu repasso!



A Semana Mundial do Aleitamento Materno em Portugal é comemorada de 3 a 9 de Outubro e o tema é: Fale Comigo! Amamentação- uma experiência 3D.
Citando a WABA: Cada um de nós desempenha uma variedade de papéis e tem a arma mais poderosa que se necessita - uma voz para falar aos outros, porque o aleitamento materno é importante, não só para a saúde e o bem-estar, mas também para o ambiente, para os direitos das mulheres e para o progresso social.
Tendo em conta este desafio, nada melhor que a internet e o "mundo" dos blogues para dar voz ao aleitamento materno e à sua importância.
Assim convido todas(os) a unirem-se a esta acção e contribuir para a promoção do aleitamento materno. Como?


Uma ressalva: para mim é amamentação. Não aleitamento materno. Mas isso é só um preciosismo. Interessa é o convite, certo? Por isso, esta semana começo por divulgar aqui que foi criada uma página neste blogue apenas sobre amamentação. É um diário, um bloco de notas, o que lhe queiram chamar, mas serve essencialmente para contar a minha experiência como mãe que ainda amamenta e que acredita que isso é o melhor para o bebé.

Agora, o desafio:

1.Colem esta imagem no vosso blogue ou no facebook de modo a assinalar esta comemoração;


2.Escrevam mensagens com o vosso testemunho de amamentação (o que correu bem, o que correu mal, o que mudavam, o que sentiram...);

3.Publiquem imagens ou vídeos acerca da amamentação;

4.Lancem o convite a mais blogues;

5.Deixem a criatividade e imaginação falar por vocês e promovam a amamentação!   :)

Aceitam o convite?



quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Alguém me explica o que é isto?

Alguém me consegue explicar o que se pretende juntando um grupo de pessoas numa mesma casa, vigiada 24 horas por dia, onde algumas já se conhecem? Sim estou a falar da casa dos Segredos. Vi a outra edição e, apesar de não perder muito tempo com isso, até nem desgostei, procurei descobrir alguns dos segredos, mas isto? A que nível descemos desta vez?

Hoje, parei um pouco em frente da televisão e tentei prestar atenção - ainda não me tinha inteirado de quem eram os novos ocupantes da casa - e fiquei espantada com o que vi. Não querendo dar uma de hipócrita nem de preconceituosa, aquelas pessoas foram escolhidas a dedo para que haja confusão à séria ali dentro. Não me admira que mais cedo do que se espera, haja mesmo cenas de violência física. Quer dizer, quando um dos ocupantes segura outra pelo braço com força e lhe sussurra ameaças - acho que já foram namorados - eu só consigo pensar que, se ele ali sabendo que está a ser visto por milhares de pessoas age assim, como agirá entre quatro paredes com aquela rapariga? Aquela atitude deixou-me a matutar... há ali uma mistura explosiva de músculos e falta de educação. Nota negativa ao programa, pelo menos para já.

Quanto ao resto, não vi muito mais, não me vou manifestar ainda. Mas espero que tenham lá colocado alguns concorrentes um pouco mais interessantes.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Tiraram-me um peso...

... de cima dos ombros. Não tenho tido muita disponibilidade para aqui vir postar, mas a verdade é que esta semana tenho andado muito melhor. Mais calma, com uma sensação de alívio e com uma nova motivação para o trabalho. O motivo? Finalmente deram-me ouvidos e mudaram-me de equipa - ou melhor, eu fiquei "a equipa" é que mudou.

Em casa, o piratinha continua com as suas birras, apesar de ter uns momentos melhores que outros. Quando o vou buscar à ama é uma fita, chora e grita e não quer vir.

domingo, 18 de setembro de 2011

De cabelos em pé

...é como tenho ficado agora com ele na hora das refeições. Ele que sempre gostou de tudo e que sempre comeu bem, agora em casa comigo é uma guerra de trincheiras com comida por todo o lado e uma gritaria desmedida! Depois tem outras refeições em que parece um santinho, come tudo até ao fim sem refilar.

Ralho com ele e estica-me os bracinhos a pedir mimos (e eu a tentar manter o ar de má, mas sem conseguir conter o riso) e quando o pego vai logo procurar mama. Se não dou esperneia até ir para o chão. Calculo que seja mesmo isso, o miminho da mama. Prefere mamar a ter de comer, mas isso não pode ser. Ele sempre teve as duas coisas e não há mal nenhum nisso. Mas a mama não substitui o jantar nem o almoço - substituiu na sexta o jantar, ontem o almoço dele foi uma maçã e maminha (a sopa comeu aí umas três ou quatro colheres...), hoje lá consegui que comesse a fruta a meio da manhã e metade da sopa que é habitual comer ao almoço.

Depois fico triste porque me chateio com ele. Mas as birras têm sido do pior. Ontem jantou muito bem, sem relamações, mas hoje ao almoço a guerra voltou. Já o adormeci, com maminha claro.

E quanto ao resto... já anda pela casa sozinho, sem se apoiar, com uns passinhos cada vez mais seguros. Tão lindo!

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

E passo a passo...

.. lá vamos notando que se vai sentindo mais à vontade. Já consegue estar longos períodos de pé sem apoio, consegue dar passinhos, já bem firmes, mas não arrisca muitas vezes. Parece que prefere manter-se em segurança e andar sempre agarrado a alguma coisa: ou as nossas mãos, ou na parede, num móvel, numa cadeira...

Depois, é aventureiro noutras coisas. Sobe degraus, trepa o fraldário! Era só deixarmos e andava sempre em cima de alguma coisa ou empoleirado onde não deve!

Amanhã já é fim-de-semana e ainda bem! Estou a precisar de descanso, foi uma semana para esquecer. Felizmente hoje o dia até está a correr melhor...

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Dia de consulta

Hoje foi dia de consulta. Muita demora para começar, só fomos atendidos quase duas horas depois de chegarmos. O piratinha lá se foi entretendo com um balde de brinquedos mas ia ficando saturado conforme o tempo pasava - ele e nós!

Continua a aumentar pouco de peso, mas como diz a médica, é um bebé muito vivaço e mexido, por isso é normal não engordar muito. Fizeram aquelas perguntas da praxe, a que respondi como mãe muito certinha.

Cá o rapaz não se roga a comer nada. Não faz alergias. Não reage mal a estranhos. É bem disposto e risonho. Dorme lindamente. Que mais eu podia pedir?

Segundo a enfermeira - muito simpática, adorei - posso começar a dar-lhe leite de vaca (ah sim?) e do gordo - ele tem bebido meio-gordo ou daquele especial crescimento, temos de alterar isso. E já pode comer ervilhas (pode? ora se não pudesse já comeu tantas vezes!) e favas - essas ainda não provou.

Continuo a dar-lhe maminha, opção minha e dele claro está. Porque assim somos felizes.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Socialização do bebé

Nas reuniões de mães e pais a que vou, na festinha de anos dele... vejo como se comporta perante as outras crianças e como reage aos adultos. É um bebé sociável. Passa facilmente de colo em colo, comunica com toda a gente, dá mimo e procura atenção. Mas a socialização de um bebé nem sempre é igual. Desde cedo eles mostram o seu próprio "feitio" até na relação com os outros.

Inicialmente, o bebé está muito centrado em conhecer-se a si próprio e ao seu corpo, interagindo com a mãe na medida em que necessita que as suas necessidades sejam satisfeitas. Mais tarde, começa a interessar-se pelo rosto humano - começa a reconhecer os traços do rosto da mãe - e irá agora também interessar-se por objetos coloridos, ou por brinquedos com melodias suaves.

Passa algum tempo e rapidamente, brinca com as mãozinhas, leva-as à boca, chupa na roupa ou num brinquedo... Mexe nos pés, abana-os... Está na verdade a descobri-los!

Ao seu lado pode estar outro bebé. Pode interessar-se em tocar-lhe - tem curiosidade, mas não está interessado em interagir com o outro ainda - quer apenas descobri-lo. Na maior parte dos casos, os bebés desta idade brincam paralelamente, cada um absorvido pelas suas próprias actividades, ao lado uns dos outros, mas sem realmente interagirem. Isto é perfeitamente normal, dado que os bebés nesta idade ainda são bastante egocêntricos.

O facto de se concentrarem nas suas próprias capacidades e necessidades faz parte do seu desenvolvimento. Contudo, com o tempo, começará a notar que o bebé começa a olhar para os outros bebés ou a observá-los a brincar.

Quando menos nos apercebemos, ele já se senta! Um novo mundo de capacidades se está a abrir agora para ele e para o seu desenvolvimento! Começa a interessar-se mais por tudo o que o rodeia, por outras crianças e bebés. Consegue segurar melhor nos brinquedos e começa a aprender algumas destrezas: atirar-lhe uma bola e esperar, incentivando-o, a que a devolva, é uma excelente brincadeira!

Poderá gatinhar ou arrasta-se, ou mesmo até caminhar se agarrado na mão do pai ou da mãe, até outro bebé que tenha despertado o seu interesse e até tentar usar o mesmo brinquedo. O bebé poderá inclusivamente tentar imitar o palrar e os sons (sim, e por vezes os gritos!) de outros bebés. Estes são elementos fundamentais da socialização.

Na verdade, não tem de fazer nada de especial para incentivar este comportamento, pois acontece natural e gradualmente. Ainda é muito cedo para se preocupar com conceitos como a partilha. Eles tendem a gostar sempre do que é do outro. É normal.

Mas fará sentido juntar dois bebés pequenos? Na minha opinião sim. Durante algum tempo, o facto de se juntar com outras mães e com os seus bebés terá menos a ver com as oportunidades sociais para os bebés e mais com a socialização – e a sanidade mental – dos adultos, mas também acho que faz falta ao bebé estar com outros bebés como ele. Desde cedo.

para perguntar na consulta de 1 ano

Estava um bocado preocupada com umas bolinhas que o M. tem na parte de trás do pescoço e que às vezes ficam mais visíveis. Já falei anteriormente nelas à médica mas a resposta foi que era normal, desde que não lhe doessem. De facto, acho que não o incomodam - a mim é que me incomoda muito vê-las ali. Agora até estão mais pequenas. Mas parece que não fazem parte e que não deveriam ali estar! Vou voltar a perguntar apesar de que nos últimos dias até diminuiram de tamanho.

"Os gânglios são pequenas massas de tecido linfático semelhantes a nódulos (uma espécie de bolinhas) que estão repartidos por diversas partes do corpo. Contêm células que defendem o organismo contra as infecções." (1)

São sinais de alarme:

- o ganglio dói quando lhe tocamos? - (não, não me parece que doa)
- o seu diâmetro supera os 3 cms? - (não, deve ter aí 1 cm cada um)
- continua maior que 1 cm ao fim de um mês? - (acho que os vi ali desde sempre, mas não tem 1 cm)
- a pele está vermelha? - (nada)
- se é duro ou não se mexe - (não apertei mas acho que é duro, mas mexe-se bem)
- a criança sente-se mal ou tem febre sem razão aparente? - (teve febre quando começou com a varicela e nessa altura notei que os ganglios incharam mais, mas anda normalmente bem disposto)
- quando se desconhece a causa do inchaço.

Bibliografia:
(1) - "De A a Z - A saúde do Bebé: Ganglios", Bebé d'Hoje, nº101;

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

E eis que continua tudo na mesma

Vim trabalhar com aquela réstia de esperança que algo tivesse mudado. Mas a vida é madrasta e continua tudo na mesma. O mesmo mau ambiente. Péssimo aliás. As conversas cruzadas e eu sem saber como será amanhã. Espero bem que algo mude nos próximos dias senão vou dar em doida.

domingo, 11 de setembro de 2011

Sobre nós

Tenho andado ocupada e com a cabeça a saltar entre tantas coisas que me tem sido difícil vir até aqui e escrever tudo o que me vai na alma.

Para começar as coisas boas. No dia 6 o meu pequenino fez um aninho. Festejámos junto dos amiguinhos dele, em casa da ama. Recebeu uma bola de futebol - quase tão pesada como ele, lol - "autografada" pelos amiguinhos da sala. Eu fiz-lhe um bolo de iogurte, com cobertura de creme de pasteleiro, e com gomas a enfeitar. Não estava nada de especial, mas estava bom. Ele também não ligou muito ao bolo, estava mais interessado nas prendas e em rasgar os papéis de embrulho.

Ontem fizémos a festa cá em casa, com a família e os amigos mais chegados. Passaram por cá alguns bebés: o G. que já anda! Parabéns! A priminha S. e a prima L. que estão lindíssimas as duas! O R. que era o mais novinho do grupo e que nos dava os seus sorrisos mais lindos! E portaram-se todos muito bem. Correu tudo bem apesar do meu receio de fazer uma festa com muita gente cá em casa e de como o Martim reagiria a isso, mas nada, ele esteve sempre muito feliz, sorrisos para toda a gente, brincou e à noite, na maminha, estava verdadeiramente cansado, mas também feliz! O nosso bolinho (lindo e delicioso por sinal) veio daqui! Depois publico as fotos do bolo!

Mas a semana que passou não foi cheia de coisas boas. Recomecei a trabalhar no dia 1 - como disse - e estou a chegar ao meu limite, ainda nem duas semanas passaram! Estou farta de ser tomada por estúpida e de ser criticada e gozada. O meu esforço não é valorizado, não vejo humildade nas outras pessoas para aprendern nem para se esforçarem um pouco mais. Na verdade, sinto que estão sempre à espera que eu escorregue. Sabem aquele cinismo que se sente e não sabemos em quem confiar?

Estou saturada. Choro. Revolto-me, mas de nada vale. Uns dizem para eu fazer queixa - das vezes que o fiz de pouco me valeu - outros para eu esperar. Não sei em quem acreditar, nem sei o que fazer. Só sei que hoje, passada a euforia da festa do meu filho, estou cheia de medo que amanhã chegue e de ter de voltar a passar aqueles portões. Quero sair dali o mais depressa possível. Quero voltar a ter vontade de ir trabalhar. Quero trabalhar com gosto e não com medo de falhar. Quero voltar a confiar em mim mesma e no meu trabalho, mas também quero ser respeitada como profissional, e acima de tudo como pessoa.

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

A melodia das primeiras palavras

"O aparecimento da linguagem é entendido como um dos principais sinais de que a criança comunica de forma satisfatória com o mundo que a rodeia e de que o seu desenvolvimento intelectual se está a fazer de forma harmoniosa."(1)
Lembra-se quando sentiu o primeiro pontápé? O seu bebé ainda estava dentro da sua barriga, mas mesmo que o movimento tenha sido involuntário, você sentiu-o! O seu bebé estava ali, era real e sentir os seus movimentos era uma forma de comunicarem! Muito antes das primeiras palavras, o bebé já conversa com a mãe. O seu primeiro olhar é para ela e a ternura desse momento marcará notoriamente os dois. Mais tarde, dará o primeiro sorriso verdadeiro.

"Ainda que comecem a falar por volta dos 12 meses, a linguagem começa a desenvolver-se muito antes, praticamente desde o nascimento."(2)

Ao longo dos primeiros meses de vida, ouvirá as conversas e os sons que o rodeiam e começará a compreendê-los muito antes de ser capaz de verbalizar. As primeiras palavras só mais tarde de farão ouvir, mas entretanto o bebé conversará ainda muito com os seus papás, de outra maneira: uma forma de comunicação tanto visual como sonora, mas mais importante que tudo, uma comunicação baseada na vinculação que se foi estabelecendo.

Os brinquedos adequados para os primeiros meses de vida, são os sonoros: músicas suaves, sons de animais, canções de embalar... as histórias e os livros são também importantes, pois proporcionam momentos de partilha mãe/pai/bebé e de uma aprendizagem muito importante para o bebé: o contato com a cadência e melodia daquela que vai ser a sua língua materna.

Bibliografia:
(1) OOM, Paulo, "As primeiras palavras", Pais e Filhos, Julho de 2006;
(2) "Já disse mamã! As suas primeiras palavras", Bebé d'Hoje, Fevereiro de 2011;

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Meu docinho

O meu docinho faz amanhã um ano!

Tão grande o meu bebé! Há um ano atrás, estava aqui na minha barriga a preparar-se para uma viagem única. Foi uma noite de pouco sono, em que tal como hoje o papá também estava a trabalhar.

Eu aventurei-me a fazer um bolinho para ele levar amanhã para lanchar com os amiguinhos na ama. Um simples bolo de iogurte que é para ele também poder comer à vontade! (Isto se o bolo sair alguma coisa de jeito!)

E hoje quando o fui buscar à ama não queria vir! Agarrou-se a ela com unhas e dentes- quando lá cheguei estava repimpado a comer uvas, quem lhe dá comida dá-lhe tudo - e depois agarrou-se à mãe de outra menina e vai de birra para não vir para o meu colo! Eu dizia-lhe adeus e ele acenava e agarrava-se ao pescoço dela. Nada de querer vir para mim!

Veio o caminho todo a chorar até casa! Raio do miúdo, que já não gosta de ser contrariado!

sábado, 3 de setembro de 2011

Entremães... e bebés!

Hoje foi mais uma manhã do Entremães. Mais uma vez gostei bastante do encontro. O tema desta semana era a amamentação - o início - e falamos daqueles mitos que nos enfiam na cabeça e que eu também já aqui falei no blogue e que, muitas vezes, tendem a deixar-nos inseguras, com  medo que o leite não seja suficiente, que o bebé tenha fome... enfim, para muitas de nós presentes isso foi uma realidade e tivemos de gerir a nossa vontade de continuar a amamentar e a frustração e o medo de estarmos a falhar esse objetivo.

É muito bom esta partilha. Sabermos que não estamos sós. Tenho pena de não ter tido este apoio logo de início porque de certeza que me tinha feito sentir mais segura. O Martim também gostou. Estavam lá outros meninos e meninas e ele seguia-os muito, procurava os brinquedos, os lápis de cera... Fartou-se de brincar e por algumas vezes pôs-se de pé e largou as mãozinhas. Não tarda está a andar sozinho. Já se vai aventurando, um passinho atirando-se logo para os nossos braços, outro passinho para se tornar a agarrar logo onde pode, mas andar mesmo ainda não.

Está quase a fazer um aninho!



sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Fazia-lhe falta os amigos!

Boa noite.

Ontem recomecei a trabalhar. O piratinha ficou feliz por regressar à ama e aos amigos. Assim que lá chegou os olhos dele brilhavam de tão contente que ele estava - obrigada Maggie por me teres apresentado a esta pessoa que tão bem faz ao meu filho - e já nem me ligou mais. Depois o pai foi buscá-lo e ele fez uma birra para se vir embora ao fim do dia!

Ontem foi o meu dia de anos, pelo que fomos jantar fora os três. Portou-se bem ao jantar (comeu em casa antes de ir para depois estarmos mais à vontade), arranjaram uma daquelas cadeiras que se prende na mesa e enquanto foi novidade ele torceu-se todo para ver como é que aquilo funcionava... claro que eu estava ali mesmo ao lado de coração nas mãos não fosse ele passar por algum buraco! E enquanto houve pão para ele comer tudo bem, o pior foi quando lhe tirámos da mão uma colher, que ele estava a usar para fazer da mesa uma bateria, e vai de gritaria e de se começar a torcer para ir para o chão... lá se acabou o jantar calminho que foi um instante!

Depois fomos beber café com um primo que, como é hábito nos donos de cafés, vai de dar um chupa ao miúdo. Resultado: ele adorou (eu é que nem por isso) e desde o alto da pinha à sola das sandálias tudo estava pegajoso!

Não comeu quase nada mas foi vê-lo a esfregar as mãos no chupa, o chupa na cara, o chupa no (pouco) cabelo - sorte senão depois para tirar eu queria ver! Todo ele era uma rebuçado pegado! Chegou a casa, caiu na cama e foi até de manhã!

Hoje quando o fui buscar já só lá estava ele. Estava todo contente a brincar e mostrou-me os brinquedos. Em casa, depois da banhoca, jantou, mamou e já está a dormir ferradinho à mais de uma hora! Hum, fazia-lhe tanta falta a brincadeira na ama e com os amiguitos!

E amanhã, não se esqueçam do encontro no Espaço Zambujal, às 10h30m. No entremães vamos falar de amamentação e vai ser, de certeza, muito interessante. Eu estarei lá.

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Últimos cartuchos

As férias estão a acabar. Regresso dia 1 ao trabalho. O bebé regressa à ama. Vamos regressar à rotina, ao acordar mais cedo, ao não o ter a toda a hora para encher de mimos - e ainda mais agora que ele nos dá mimos e nos "beija" de uma forma babada e maravilhosa! Ainda tenho tanto para fazer. O tempo passou e nem dei conta.

E nestes dias lá vou dando conta que a minha vida gira à volta do meu Solzinho, que se chama Martim e que é toda a luz da minha vida! Quer dizer, que tudo passou a girar à volta dele já sabia desde à um ano atrás pelo menos... No Sábado houve um fogo grande aqui na zona e não pude lá estar porque tinha o piratinha comigo. Era vê-los a passar... o heli aqui perto... e eu no sofá com ele na mama... as sirenes, a coluna de fumo a estender-se... e o leite a pingar, que primeiro alguém espera para comer e para trocar a fralda... e a mãe é mãe e deixa de ser bombeira. O pai foi, mas eu o máximo que pude fazer foi ir até ao quartel "passear" um bocado e ficar por lá a dar uma ajuda e pouco mais, sempre com o meu pequenino comigo. Ser mãe é assim - tudo o resto fica para segundo plano!

No Domingo já estive lá. A avó ficou com ele. Não havia o alvoroço do dia anterior, mas fiquei contente por lá estar na mesma, por fazer a minha parte, mesmo sendo pouco. Às vezes, temos de pensar assim...

Tenho os ombros vermelhos e hoje o sol quase que nem se deixou ver. Um dia planeado para irmos à praia de manhã, mas estava frio e vento e não apetecia. Só fomos depois do lanche, mas entretanto andámos a passear e, mesmo com o céu nublado, tenho os ombros e o peito vermelhos!

O pirata está quase quase a fazer um aninho! Vai ser um dia para recordar. Vou fazer uma pequena festa no fim-de-semana depois do aniversário, mas a maioria dos convidados serão bebés como ele. Alguém tem ideias ou dicas para aquilo não correr muito mal? É que nunca organizei nada para bebés tão pequeninos!

sábado, 27 de agosto de 2011

Problemas em amamentar: mastites e abcessos!

O nome só por si assusta! Este é mais um post sobre amamentação, uma forma de partilhar alguma informação que vou encontrando. Cada uma de vós agora, analisa e comenta.

Desta vez procurei informação sobre as mastites.

A mastite é uma infeção no peito que traz febre. "O peito torna-se duro, vermelho e muito doloroso. Nestes casos, é necessário o uso de analgésicos, antipiréticos e antibióticos."(1)

Se houver proliferação de germes, "inicia-se um processo inflamatório que pode vir a ser complicado."(2)

É essencial que se continue a retirar o leite, usando uma bomba por exemplo. Pode-se dar esse leite ao bebé, mas se o sabor ficar alterado ele poderá rejeitar e nesses casos, por vezes até se recomenda começar com o leite em pó. Para mim, desde que a criança aceite o leite não deve haver problema e tirar o leite ajuda a mãe a recuperar, contribuindo para a diminuição das dores provocadas pela rigidez e pelos desconfortáveis caroços que se podem formar. "Em principio quando a mãe melhorar, a amamentação poderá ser retomada, sem grandes dramas."(2)

Se a mastite não for convenientemente tratada pode em "cerca de 5 a 10% dos casos resultar num abcesso mamário", o qual se identifica "através da palpação."(2) Quando detetado, deve-se consultar um especialista, que poderá aconselhar ao seu esvaziamento recorrendo a "drenagem cirúrgica ou aspiração."(2) No entanto, estes casos são os mais graves. Na maioria das vezes, a mãe consegue ir tirando o leite, principalmente se continuar a amamentar o bebé, evitando assim ter de recorrer a processos mais invasivos.

Um conselho meu: eu situações de dúvidas, dor na amamentação sem razão aparente, desconforto... consultem alguém que vos possa realmente ajudar. Existem diversas pessoas e grupos de apoio à amamentação que ajudam mesmo! E pessoalmente ou por telefone, é sempre melhor para criar relações de entreajuda.

E não se esqueçam que sábado (3 de Setembro) vai decorrer mais um Entremães, no Espaço Zambujal, Sesimbra!

Bibliografia:
(1) - OOM, Paulo, "Amamentação - 20 regras práticas", Pais e Filhos, Março de 2000;
(2) - BATISTA, InÊs de Barros, "Malditas Mastites", Pais e Filhos, Junho de 2005;

domingo, 21 de agosto de 2011

Baba e mais baba!

Um babete... dois babetes... três... quatro... e o dia ainda não chegou ao fim! Ensopam com a baba e lá conseguimosver que andam aí mais dentes a espreitar... Quem é a mãe que não se vê aflita com tanto pingo de baba?
"Durante a dentição (ainda que não tenha saído o primeiro dente) produz-se um aumento da baba. Alguns pediatras acreditam que acontece porque esta etapa coincide com a introdução de alimentos sólidos na dieta do bebé, e a saliva é essencial para a sua ingestão. Outros asseguram que a inflamação das gengivas e a sensação de ter um corpo estranho na boca (o novo dente) faz aumentar a salivação."(1)

Esta salivação abundante é característica. Os bebés "babam" de modo excessivo. "O desconforto, a dor, ou a coceira provocados pelo estiramento das mucosas da gengiva provocam uma maior salivação. Tome cuidados especiais, secando constantemente a boca de seu bebê para evitar que a saliva irrite a pele do queixo e das bochechas."(2)

"Também há especialistas que afirmam que a partir dos 3 meses as glandulas salivares começam a amadurecer e a aumentar a sua produção. A criança não consegue tragar toda a saliva que se cria e por isso expulsa-a."(1)

É bom saber que a situação melhora por volta dos 2 anos, quando a criança já domina a arte de deglutir.

Bibliografia:
(1) - "Primeiros dentes - verdades e mentiras", Bebé d'Hoje, nº 116;
(2) - http://profissaosupermae.blogspot.com/2011/02/denticao.html

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

E sobre os primeiros passos...

Do orgulho dos papás... aos poucos vai dando os seus primeiros passinhos. Agarrado no sofá, ou passando de uma das nossas pernas para a outra... da mãe para o pai. Às vezes, assim sem reparar, larga as duas mãos para logo se voltar a segurar, ou não e, nesses casos lá vai mais uma queda. Sem danos, na maioria das vezes.

E assim vai descobrindo o seu próprio ponto de equilíbrio. Um dia, sem dar-mos conta, está a dar os primeiros passinhos. A ganhar a sua independência. A descobrir um mundo novo e a aprender novas capacidades. E assim vai crescendo o meu bebé, que ainda ontem puseram no meu peito, olhos abertos para o mundo. Tão pequenino.

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Os primeiros passinhos...

...dele foram hoje! E tinha de ser no quartel dos Bombeiros. Tanto andaram com ele de um lado para o outro, a prometer mexer em água que ele lá se ia largando de uma mão para a outra, dando pequenos passinhos e rindo. Tão contente que ele estava - e a mamã toda babada! Agora é que vai ser! Mas por enquanto, ainda não se larga sozinho por iniciativa dele. Mas não deve tardar nada.

E o dia não ficou por aqui. À tarde fomos à praia um bocadinho. As crianças são maravilhosas e veio logo uma menina fazer amizade com ele - ou melhor, brincar com o baldinho e o regador dele. Tinha mais um ano que o pirata e a diferença nota-se no modo de brincar, apesar do pirata tentar imitar o que a menina fazia. E comunicavam muito bem os dois.

Andámos a brincar com as ondinhas! Nada de medos, muito aventureiro, adora a areia e água! E hoje até tinhamos bandeira verde, pena ter ficado frio pouco depois de chegarmos à praia. Este verão está para esquecer.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Os primeiros dentes

Já são cinco! Lindos!

Dentes de leite, dentes decíduos, dentes temporários, dentes provisórios, primeira dentição e da primeira infância. Existem vários mitos sobre o nascimento dos primeiros dentes. Dizem que dá febre, mas pode ser uma coincidência e não a causa da febre; dizem que nascem primeiro os de baixo, mas nem sempre assim acontece.

Os dentes do meu piratinha têm saído sem grandes problemas - além de muita, mesmo muita baba - sem febre e sem noites mal dormidas. Espero sinceramente que com os restantes a regra se mantenha!

O nascimento dos dentes não causa doenças nos bebés!

"Os primeiros dentes (normalmente a partir dos seis meses) costumam coincidir biologicamente com uma etapa na qual as defesas que o bebé recebeu da sua mãe após o nascimento e durante a amamentação começam a diminuir. Por isso, os pequenos são muito mais vulneráveis aos vírus e bactérias mais comuns, que são os que provocam as tosses, otites ou gastroenterites."(1)

Nem febre!

"A erupção dos dentes não provoca febre. É uma ideia muito alargada entre as mães durante gerações, mas os pediatras e dentistas negam que exista essa relação. (...) É possível que o bebé esteja a atravessar um processo infeccioso que nada tenha a ver com a dentição (...) e estes sim podem provocar febre alta. Ao subir a temperatura corporal, o metabolismo acelera e digamos que faz com que o dente que estava prestes a aparecer saia mais depressa."(1)

Os mordedores parecem ser bons amigos!

"A boca é uma fonte de exploração para os bebés: além de chupar, sugar e morder, proporciona-lhes prazer e tranquilidade, e se estão em plena dentição, com muito mais motivo. A proximar-lhes à boca algo fresquinho ou duro que possam morder à vontade ou esfregar as gengivas com fricção, não só os alivia, mas também cumpre uma função: limar pouco a pouco a pele que as cobre e onde os dentes de leite se encontram enterrados (...) vai favorecendo o aparecimento do dente." (1)

E a limpeza é importante!

Mesmo antes dos dentinhos nascerem, segundo dizem "já que deles dependem os definitivos. Isto porque os primeiros dentes estão a guardar o lugar para os permanentes que se estão a formar por baixo."(1)

E desmamar, não é necessário quando nascem os dentes!

Porque não há porque o bebé magoar a mãe, se este "estiver bem colocado no peito, com a sua boca bem aberta e muito pegada ao mamilo."(1) Se magoar, devemos dizer-lhe isso e tirá-lo da mama por uns instantes - são pequenos mas percebem a mensagem que lhes queremos transmitir.

Bibliografia:
(1) - "Primeiros dentes: verdades e mentiras", Bebé d'Hoje, nº 116;

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Muito High-scope...

... foi ontem a tarde do meu piqueno. Ora pois então: para que serve o quintal da avó? Para brincar com uma caixa de fruta, virá-la de todas as maneiras possíveis, entrar lá dentro, sair, entrar, sair... muitas e muitas vezes! Brincar com um garrafão de água vazio, brincar com a bola (fazer a mãe e o pai correr atrás dela, para o cão não a comer...), chamar o cão, andar atrás dos gatos, agarrado à nossa mão, ou nas cadeiras... e com umas croks novas, que não o atrapalham nada ao contrário do que eu tinha pensado.

Explorar, experimentar e sair de lá com os joelhos pretos! E a roupa toda suja e cheia de pão de milho colado ao fundo dos calções tipo pasta!

Não é tãaaao pedagógico? Eh eh!

E parece que lá vem mais um dentinho! Ontem reparei que já está uma pontinha a espreitar...

domingo, 14 de agosto de 2011

Bloqueio dos ductos mamários

Como é hábito aqui por este blogue, aqui vos deixo mais uma pequena pesquisa sobre alguns problemas que podem surgir na amamentação. Como sempre, também, aqui podem deixar os vossos comentários e opiniões sobre o assunto.

O bloqueio dos ductos mamários "ocorre quando o leite produzido numa determinada área da mama não é drenado de forma adequada. A situação dá-se com mais frequência quando a mama não é totalmente esvaziada, quando o bebé apresenta uma sucção insuficiente ou quando os intervalos entre mamadas são demasiado longos."(1) Este problema pode ocorrer em qualquer fase da amamentação - seja nos primeiros dias, seja por exemplo, quando a mãe volta ao trabalho e passa mais horas sem amamentar.

Para ajudar a resolver este problema, deve-se "continuar a dar de mamar do lado afetado" para desta forma esvaziar os ductos bloqueados. Quando tal não é possível, se a mãe já está a trabalhar por exemplo, tirar com a bomba é uma opção. Depois de vazios, sente-se o alívio da dor, mas também resulta se pusermos um saco de água quente sobre o peito no intervalo das mamadas, ou se tomarmos um duche e massajar-mos a área que está mais rija e dorida com a água quente. Só em casos mais graves, o antibiótico é receitado. De qualquer forma, deixar de dar mama não é uma solução pois só iria piorar a situação.

Bibliografia:
(1) - BATISTA, Inês de Barros, "Malditas Mastites", Pais e Filhos, Junho de 2005;

Quando o cordão tem anomalias

Mais uma pesquisa que aqui quero partilhar convosco.

As situações são raras, mas pode acontecer que o cordão umbilical tenha algumas anomalias. Esta é uma das principais estruturas que permitem a vida no ventre materno. Quando não se detetam outras causas, uma anomalia deste órgão pode ser a causa principal de morte fetal.

Asfixia - quando ocorre a obstrução completa da veia ou das artérias que o formam, podendo levar à morte do feto durante a gravidez ou mesmo do bebé no momento do parto.

Artéria umbilical única - é uma situação muito rara (ocorre em apenas 1% dos fetos) e quando isolada (sem outras complicações associadas) pode não ter consequências, embora seja essencial uma vigilância especial e atenta da gravidez.

Prolapso do cordão - quando o cordão exterioriza antes do bebé. Acontece entre 1 a 3 casos em cada 300 partos. Devem ser acautelados os cuidados necessários para que não ocorra asfixia do bebé, devido à pressão da cabeça deste sobre o cordão, pressionando os vasos que lhe permitem uma boa oxigenação, essencial durante o esforço do parto. No entanto, "a sua ocorrência é mais frequente quando o feto está em apresentação pélvica e com os pés abaixo das nádegas."(1) Cordões mais pesados e compridos, são mais susceptíveis a esta complicação.

Vasa prévia - ocorre em cerca de 1 em cada 1000 nascimentos, quando há inserção do cordão nas membranas fetais em vez de no centro da placenta. "Nestes casos, após a entrada dos vasos do cordão nas membranas, estes acabam por entrar na placenta pela sua margem ou mais adiante."(1)
Se a placenta estiver inserida na área proximal do orifício interno do colo do útero, "canal por onde sairá o bebé, pode haver uma porção desses vasos que passa esse orifício de um lado ao outro. E é aos vasos umbilicais nesta localização que se chama vasa prévia."(1) Na suspeita de um caso de vasa prévia, pode ser programada uma cesariana antes da entrada em trabalho de parto, de forma a evitar as complicações deste defeito de implantação do cordão umbilical.

Circulares do Cordão - ocorre em cerca de 1/4 dos nascimentos, sendo por isso uma situação menos rara que as anteriores. Acontece quando o cordão se dispõe à volta do pescoço, das pernas ou do tronco de bebé, numa ou em mais voltas.

Nó verdadeiro do cordão - acontece em cerca de 1% dos nascimentos . Não traz consequências a não ser que o cordão seja muito curto e o bebé o aperte demasiado ao descer o canal de parto.



Bibliografia:

(1) - FERREIRA, José Carlos, "O cordão que dá vida", Pais e Filhos, Outubro de 2005;

sábado, 13 de agosto de 2011

11 meses!

Este post vem um pouco atrasado... mas a vida é mesmo assim. O piratinha fez 11 meses no dia 6 deste mês.

Está com 8 quilinhos, alto e magricela, mas lindão (mãe babada, né?) Acho que se está a desenvolver bem e, acima de tudo, sinto que é um bebé feliz e isso é o mais importante de tudo. E o tempo passa a correr, sem dar conta já passou quase um ano desde que o tenho aqui. Mudou tanto, já não é aquele bebé pequenino que dormia no carrinho, sossegado. As roupas deixaram de lhe servir, os sapatos não cabem nos pezinhos, as mãos agora são mais ágeis e as pernas mais fortes permitem-lhe estar de pé bastante tempo e dar pequenos passos, apoiado apenas numa mão ou agarrado a algo. E quer andar em pé agarrado a tudo!

Tem mais dois dentinhos a querer aparecer, mas se for como os outros ainda vai demorar... É muito comunicativo e falador, mas dificilmente perceber-mos a sua linguagem ("Té" é Cão, "Cá" é pato (Quá-quá?), "Á-Tá" deve ser "já está" - diz sempre que acaba de comer, qaundo acabo de o vestir... e "Dá", serve para tudo, para pedir seja o que for estica a mãozinha e "dá". E normalmente resulta.

Continua a comer bem, mas agora as horas de refeição deixaram de ser calmas: quer ser ele a levar a comida à boca, mesmo que seja a sopa! Enfia as mãos na boca e tira os pedacinhos de fruta, olha bem para ver o que é e depois, volta a pôr na boca... quer fazer o mesmo com a papa, com a sopa e depois fica pronto para o enfiarmos diretamente na banheira!

Está a mostrar o seu próprio feitio e a teimosia é um dos traços que tem mais marcados. Ele tenta de todas as formas chegar àquilo que quer e não desiste. Está sempre atento, quando lhe tiramos alguma coisa e a escondemos ou trocamos de sítio para não lhe mexer, não tarda ele está lá. Teimoso a tentar mexer novamente. Ontem fechei a porta da casa-de-banho para ele não abrir a torneira do bidé - já aprendeu - e coloquei-o no quartinho dele a brincar. E, segundos depois, lá estava ele, a bater com as duas mãos na porta da casa de banho e a gritar! Uma nova aquisição cá em casa - os gritos! Não aprendeu a pedir, mas aprendeu a gritar para nos chamar e conseguir o que quer... como nem sempre o consegue, a gritaria prolonga-se. Azar...

Adora praia e não tem medo da água - mas ainda vamos com muita calma só molhar o pézito - e entretem-se a brincar com o balde e as pás, especialmente se o enchermos de água! É só chapinhar!

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Férias!!!

A sensação de "não ter nada para fazer" típica das férias inundou-me logo de manhã - depois, passou, claro! Pois isto de estar de férias não significa ficar a mandriar o dia todo!

Hoje aproveitei para curtir a manhã com o meu piratinha... uma sonequinha em cima de mim, aninhado no meu peito, tão bom! À tarde rumámos até Sesimbra. Fomos visitar o avô e os tios. Depois fomos ter com a bisavó do bebé e com a priminha.

Pelo fim da tarde, lá pelas 19h caímos na praia, os quatro. A minha sobrinha desta vez fez aqui as delícias da tia e até areia comeu! O meu filho, claro está, adorou e divertiu-se imenso. brincou com o balde e as pás e até fomos tomar uma banhoca rápida de mar... (molhar pés, pernocas, barriguinha... a mamã aqui, só molhou o que teve de ser para segurar o bebé, não fosse a água estar gelada lá para aqueles lados) - uma aventura a repetir! Saímos de lá já passava das 20h e ainda me faltava uma escalada a pé até ao carro e rumar a casa para tratar do principe. Ufa!

Depois de uma banhoca e de maminha, caiu a dormir - mas apenas o suficiente para eu me despachar - mais um biberão de leite com papa e agora sim, está ferrado a dormir. Estava completamente moído da praia, os olhos quase a fechar de sono. Mas a fazer força para se manter acordado! Pirata!

sábado, 6 de agosto de 2011

Sábado de chuva

Hoje o dia esteve fresco e a chuva chegou mesmo a dar um ar da sua graça, mas nada que impedisse mãe e filho de aproveitar a liberdade (sim, depois de vários dias de cativeiro por causa da varicela) e sairem para uma tarde diferente.

Primeiro, fomos visitar um amiguinho assim bebé como ele: o R. de 9 meses, que assim que conseguiu, vá de puxar os pézinhos do Martim que ainda acordava... mas logo que despertou era vê-los os dois a brincar e a conversar, numa interação que foi uma delícia para as duas mamãs babadas dos seus rebentos!

Depois, lá fomos as duas e mais os dois piratas até ao Zambujal.
Como planeado, pela primeira vez lá fui ao encontro do Entre mães. E só vos posso dizer que adorei. Superou as minhas expetativas. Um encontro informal mas tão útil que me faz pensar: mas onde é que eu andei? Já devia ter ido mais cedo! A partilha de informação e de experiências entre mães é muito positiva e devia haver mais espaços para isso. Espaços onde podemos falar sem receio de sermos julgadas.

Além de tudo, adorei o espaço, e ainda mais estarmos sentadas no chão, enquanto os nossos rebentos partilhavam brinquedos, pintavam em papel de cenário com lápis de cera - daqueles que se podem comer e que vou ter de comprar para o Martim - e houve tempo para mamar, dormir, mudar fraldas... numa constante conversa e troca de experiências.

Estes encontros vão repetir-se aos primeiros sábados de cada mês, pelas 10h30m, no Espaço Zambujal, perto de Sesimbra. Vou tentar repetir a experiência e todas as mamãs que quiserem vir são bem vindas! E os pais também - já existem alguns que participam e sinto que era importante aumentar o leque de pais pois a maternidade não é uma coisa só das mães... não concordam?

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

E já acabou...

... a baixa, os dias passados fechada em casa com o meu pequenino. Foram dias bons porque os pude passar ao seu lado e pudemos encher-nos um ao outro de mimos, mas custaram a passar por não podermos sair para lado nenhum, porque ele e eu ficámos saturados, porque eu precisei de tempo para mim e não o tive.

E daqui a poucas horas estou de volta ao trabalho. E sinceramente não me apetecia nada voltar a olhar para certas caras, ouvir comentários, nada. Felizmente, não tarda estão aí as férias.

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Amamentação: quando acontece a subida do leite!

Não se esqueçam! Dia 6 de Agosto, no Espaço Zambujal, conversamos sobre Amamentação!

Subida do leite:
É um dos acontecimentos mais comuns de quem amamenta e nem sei se lhe posso chamar um problema. Acontece e pronto!

Falam-nos disto nas consultas pré-natal. Eu passei por esta situação tinha o meu bebé 6 dias. O desconforto de nos sentir-mos repentinamente inundadas de leite que sai sem parar, passa a dor quando o peito começa a ficar inchado e quente, com o excesso de leite. A solução passa por se tirar o leite em excesso, dando de mamar com maior frequência ou usando a bomba. Podemos também congelar o leite e dá-lo mais tarde ao bebé. São momentos dolorosos, mas principalmente são situações ocasionais que devem ser geridas com calma - (agora falo do alto da minha experiência de quase 11 meses a amamentar, mas leiam lá para trás e vejam como andava desesperada nessa altura - foi só um aparte!) - e com o apoio importante do companheiro, que poderá ajudar nestas ocasiões.

Estas subidas de leite, podem conduzir à inflamação dos ductos mamários e às mastites que já falei atrás nos posts anteriores sobre este tema. Partilhem as vossas experiências pois assim também ajudamos as mães que agora começam esta nova fase das suas vidas, que não é tão fácil como nos fazem acreditar - mas que se correr bem é maravilhosa!

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

O sono do bebé

O melhor momento do dia... adormeceu finalmente, deitado sobre o meu peito. Sereno. 

É tão delicioso quando o pirata adormece no meu colo, se aninha e fica ali, sereno e feliz. Transpira sempre imenso e acabamos por ficar sempre os dois molhados, com as gotinhas que se formam e lhe escorrem pela cabecita.

Ainda adormece na maminha a maior parte das vezes, mas à tarde - principalmente nestes dias que temos passado juntos - vamos os dois para cima da cama e, depois de brincar um bocado - faz muitas gracinhas - acaba por se aninhar até adormecer. Muda de posição várias vezes, ri, chora e grita, mas depois parece que vai progressivamente acalmando e percebendo que chegou a hora de dormir.

Antes era mais fácil... punha-o na caminha dele e ele dormia sozinho. Agora que começou a mexer-se mais e a pôr-se de pé, custa mais adormecer. Descobriu que há tanto para fazer acordado que resiste ao sono cada vez mais... mas tal como antes, raras continuam a ser as noites em que acorda. Só quando está mais adoentado, incomodado com a fralda, ou ultimamente com o calor.

"Nos primeiros meses de vida, o ritmo de sono dos bebés está marcado pela alimentação. Depois, o seu descanso começa a organizar-se de outra forma, com períodos de sono mais longos e previsíveis, embora a maioria das crianças não durmam cinco horas seguidas até aos cinco ou seis meses."(1)

Era bom que isto fosse regra não era?

Mas não é! Ora adormecem sempre na mama - e não vale a pena deitá-los antes porque não dormem! Ora só querem aquela chucha e não outra! Ora dormem sempre destapados e vamos lá teimosamente quinhentas vezes tapá-los, mesmo que se voltem a destapar no segundo seguinte! Muitos são os hábitos e costumes dos nossos bebés na hora de dormir.

Aqui ficam alguns hábitos do piratinha lá de casa:

- dorme na cama dele desde o primeiro dia;
- dorme ainda no quarto dos papás;
- adormece na mama, mas também consegue dormir sem ter de mamar;
- dorme a noite toda, por vezes sonos de 8 ou 9 horas seguidas!
- dorme de lado ou de barriga para baixo, desde que se começou a virar...
- às vezes, acorda com a cabeça onde estavam antes os pés, ou com as pernas enfiadas nas grades da caminha, tanto que se mexe durante a noite!
- põe as mãos debaixo da cabeça, tipo "tou na praia"...
- acho que sonha e que "fala" nos sonhos; sorri muito enquanto dorme - devem ser bons sonhos! Às vezes "acorda" a gritar e depois volta a dormir como se estivesse a ter um pesadelo...

E os vossos bebés? Que hábitos têm?

Bibliografia:
(1) - "O sono do bebé", Bebé d'Hoje - nº 166;

domingo, 31 de julho de 2011

Para refletir...

Nós que somos mães (e pais) às vezes agimos sem pensar. Quantas vezes! Umas vezes arrependemo-nos no instante seguinte, noutras nem damos conta que errámos e deixamos o comportamento prolongar-se. Não somos más mães - embora por vezes tenhamos essa sensação - mas apenas mães!

Ontem, lia "O vendedor de sonhos" de Augusto Cury. Entre as linhas que de tal forma me estavam a prender encontrei um trecho sobre educação. Sobre o assassinato da infância na actualidade e da falta do prazer nas pequenas coisas da vida. Quantos de nós tiramos tempo de qualidade para estarmos com os nossos filhos? Para estar realmente?

Para quem não conhece o livro, aqui fica um pouco desse trecho que me fez pensar... Não pela situação em si - não me revi propriamente naquela situação em concreto - mas pelo sentimento de impotência perante as birras que o meu pirata às vezes já faz. E de como tenho dificuldade em saber como reagir, sem ceder, sem prolongar a birra e sem perder as estribeiras.

"Enquanto recordava a minha infância, o mestre parecia perscutar-me. Puxando o fôlego com vigor, comentou sobre o assassinato da infância na actualidade, uma das coisas que mais o perturbavam:
- Internet, jogos de vídeo, computadores são úteis, mas têm destruído algo inviolável: a infância. Onde está o prazer do silêncio? Onde está a arte da observação? (...)
De repente, teve uma reacção que eu nunca tinha presenciado. Vários pais passavam por nós levando os filhos, entre sete e nove anos, às compras. Eles estavam muito bem vestidos, ao rigor da moda (...)Mas revelavam evidente insatisfação. Alguns começavam a impor o que queriam consumir. Os pais, para não se perturbarem com os seus gritos e atritos, cediam.
(...)
- O que estão vocês a fazer aos vossos filhos? Levem-nos para os bosques! Tirem-lhes os sapatos, deixem-nos andar descalços na terra! Façam-nos subir às árvores, estimulem-nos a inventar as suas brincadeiras.(...)
- Quem quiser voar como uma borboleta levante as mãos.
Três crinaças levantaram as mãos, duas ficaram indiferentes e três esconderam-se atrás dos seus pais e responderam:
- Tenho medo de borboletas.
Os pais sentiram-se ofendidos com a petulância dos intrusos.
(...)
- Peço desculpa pelos meus gestos e espero que, um dia, diante dos vossos filhos, não precisem de pedir desculpas pelos vossos.
(...)"

Simplesmente, adorei!

sábado, 30 de julho de 2011

Amamentar: um seguro de saúde nem sempre fácil

Dar mama é bom! Sim, lá vão dizendo por aí que é do melhor, mas quem tem ou teve problemas com a amamentação, sabe que nem sempre é um mar de facilidades e que muitas mães (e eu incluo-me nesse grupo) choraram algumas vezes, fosse de dor, fosse de receio de não estar a proporcionar ao bebé o suficiente...

Dia 6 de Agosto às 16 horas, realiza-se um encontro para futuras mamãs que irá esclarecer algumas dúvidas sobre amamentação, mas principalmente será um espaço de partilha de experiências e de troca de informações. No Zambujal, perto de Sesimbra. O encontro é grátis e não carece de inscrição prévia. Por isso, apareçam! Eu também irei lá estar!



Contactos:
www.bionascimento.com
e-mail: geral@bionascimento.com
tlf.: + 351 93 720 16 30
fax: 21 087 82 15
"Amamentar pode não ser fácil. Para quem acabou de ter o primeiro filho pode até ser muito complicado. Por isso toda a informação é importante."(1)

Aqui ficam alguns problemas que podem surgir, mas que, se solucionados, não são impeditivos de continuar a amamentar:

- bloqueio dos ductos;
- subida do leite;
- mastite;
- abcesso mamário;
- gretas e fissuras;

Mas, "não vale desistir cedo de mais. O esforço investido na continuidade da amamentação, considere-o como um seguro de saúde para o seu filho e para si."(1)

Existem algumas associações de apoio à amamentação:

- http://www.sosamamentacao.org.pt/
- www.lalecheleague.org/Portugal.html
- http://www.mamamater.pt/ - tel.: 214532019
- http://www.leitematerno.org/


Bibliografia:

(1) - LAMÚRIAS, Patrícia, "Aprender a dar de mamar", Pais e Filhos, Julho de 2006;

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Para as mamãs!

Jovens Mães e Futuras Mães …..
No dia 6 de Agosto vai realizar-se em Sesimbra - no Espaço Zambujal, mais propriamente - um Encontro de reflexão sobre a importância da Comunicação para a Amamentação.


Vai ser sorteada uma Barriga de Gesso entre as Grávidas presentes, e todas as participantes vão receber um Vale de Desconto para a Almofada Cucut, uma gentileza da Eva Baby Care. Se tudo correr como perspectivamos, vamos ter um encerramento bem divertido e animado! Este ano queremos envolver a geração mais nova. Venha e traga consigo uma Adolescente! Elas são o Futuro de uma Amamentação em grande escala, e delas podem surgir as melhores ideias desta 3ª dimensão da Amamentação: a Comunicação!
Passo a informação, e conto para a vossa ajuda, para divulgarem este projecto pelos vossos contactos.
Se puderem apareçam no dia 6 de Agosto, no Espaço Zambujal, para partilharem as vossas experiências.

As malditas pintas

Tenho estado em casa com o pequenino, numa espécie de férias forçadas. Está a melhorar mas demorará ainda alguns dias a ficar totalmente bem.

A varicela é contagiosa e o surto que atingiu o meu pirata veio das crianças que estão com ele na ama. Já esperava, pois mesmo que os meninos tivessem ficado em casa - como ele está agora - o contágio pode dar-se nos dias que antecedem o aparecimento dos sintomas. A doença está lá mas demora uns dias a manifestar-se. Da mesma forma ele pode ter contagiado outras crianças com as quais teve contato (a priminha por exemplo).

Qual é o período de contágio da varicela?
"O período de contágio da varicela é de cerca de dez dias (desde o dia anterior ao aparecimento da erupção até todas as vesículas estarem secas, formando crostas que já não contêm vírus vivos). Em alguns casos, em que a erupção é ligeira, este período pode ser menor, mas a legislação obriga a um período de afastamento escolar de dez dias, nas crianças em idade escolar que contraíram varicela."(1)
Ao fim de quanto tempo após o contacto com um doente com varicela aparece a doença, no caso de haver contágio?

"O tempo que decorre desde o contágio até ao aparecimento da varicela (período de incubação) é de cerca de quinze dias, podendo variar desde dez e vinte dias."(1)

Por isso, quando vemos as manchas - e eu até vi na sexta, mas só no Domingo começaram a manifestar-se em força - já houve um período prévio em que a criança era portadora do vírus e contagiou outras.

"Outra característica da erupção da varicela é a sua rápida evolução, passando as lesões da pele por várias fases num período de poucas horas. As primeiras lesões são manchas de cor rosada (máculas), que se tornam salientes (pápulas), formam pequenas bolhas com líquido transparente no centro (vesículas) que ao secarem vão formar uma crosta."(1)
"Devido à sua rápida evolução a característica mais evidente da erupção cutânea (exantema) da varicela é a coexistência dos quatro tipos de lesões (máculas, pápulas, vesículas e crostas) ao fim do primeiro ou segundo dia de doença. As lesões da varicela poupam a palma das mãos e a planta dos pés e atingem o couro cabeludo e as mucosas (garganta, órgãos genitais e conjuntiva), onde podem causar pequenas feridas dolorosas. Outra característica da varicela é causar habitualmente prurido (comichão), que pode ser intenso."

No caso do meu pirata, a planta dos pés não foi poupada. Aliás, tem entre os dedos das mãos, planta dos pés, tornozelos, sovacos, virilhas, junto aos olhos, dentro dos ouvidos... Enfim, pelo corpinho todo!

"Em relação à febre, é um sintoma variável na varicela, podendo ir de quase inexistente a febre elevada (39º - 40º), sendo a sua intensidade geralmente proporcional à extensão da erupção."(1)


Bibliografia:

(1) - http://www.medicoassistente.com/varios/varicela

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Apetece-me...

...ir ali e abraçá-lo. Muito, muito, muito. Senti-lo apertadinho nos meus braços, até desaparecer esta sensação.
Amo-te muito filhote do meu coração. Estarei sempre presente para ti e para onde eu for irás sempre comigo. Ninguém se intrometerá na nossa felicidade.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Mãe a tempo inteiro

É o que tenho sido e o que vou ser nos próximos dias. Nada mau se pudessemos sair de casa. Aqui fechados é de dar em doidos. O piratinha já está habituado a acordar e ir para a rua - ora para ir para a ama, ora para um passeio - mas assim o dia inteiro em casa, anda impossível!

Só me quer a mim. Parece uma lapa agarrado às minahs pernas! Sabem tão bem os miminhos!

Tenho aproveitado para fazer de tudo com ele. Muita brincadeira e muitos mimos, mas já não sei que mais inventar... a imaginação acaba-se! E não consigo fazer nada em casa enquanto está acordado - ora ontem só adormeceu pelas 23h30m - nem sestas, nem sonecas - e ao fim da tarde já andava a cair de sono, com uma birra daquelas!

Vamos ver como corre hoje - pelo menos, neste momento, dorme uma sestinha boa! Está a recarregar as pilhas para logo fazer mais umas asneiras!

terça-feira, 26 de julho de 2011

A varicela

Ela anda por aí - segundo tenho ouvido - e já apareceu por aqui por casa. Mas de que se trata?
Aqui ficam algumas coisas que descobri, na net, sobre esta doença:

O que é a varicela?

"A varicela é uma doença infecciosa causada por um vírus chamado Vírus da Varicela Zoster (porque é também o agente causador do herpesInfecção recidivante por vírus que determina erupção cutânea, nas mucosas ou nos genitais que é dolorosa e transmissível sexualmente ou por contacto directo com as lesões. Pode ocasionar cefaleias, conjuntivite, encefalite, encefalomielite, estomatite, glossite, hipertermia, leucoencefalite, Iinfadenite, prurido ou morte. Frequentemente, é co-mórbido com a SIDA ou outras imunodeficiências. zoster ou zona)."(1)

A varicela é uma doença contagiosa?

"Sim. A varicela é uma doença muito contagiosa, embora a sua transmissão dependa quase sempre do contacto directo com a pessoa infectada, pois o vírus é muito sensível à lavagem das mãos de quem trata do doente e ao arejamento dos locais onde este permanece. A transmissão pelo ar (através das gotículas de saliva), é teoricamente possível mas muito rara."(1)

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Férias forçadas

Belíssimo! Graças ao meu filhote pintinhas tenho férias "forçadas"! Confirma-se a varicela. Esta noite teve febre. Muitas borbulhas, com bolhas a formar-se. Não podemos sair de casa. Hoje fui tratar da baixa e ele ficou em casa com o pai, mas o resto da semana fico de castigo em casa.

Muitos mimos, quer colinho a toda a hora. Continua a comer bem, o que é bom. Acordou várias vezes de noite e as sestas também foram curtinhas, mas lá vai descansando.

A ida à SAP foi mesmo só por causa do papel para levar para o trabalho. Para esquecer. O médico não queria passar nada - sim eu sei que "é só varicela" e que é uma doença auto-imune, mas ele é um bebé! Não se sabe queixar! Eu ainda me surpreendo, enfim... felizmente o meu centro de saúde é melhor. Pena a médica dele estar de férias. Estamos apenas a pôr o óleo de dermosina. Nada de toalhitas, só aguinha. Anda à fresca com roupa larga, para não apertar bolha nenhuma. Tem muitas na cabeça e na cara, perto dos olhos. Tenho mais dificuldade em pôr óleo nessas porque esfrega muito os olhos.

domingo, 24 de julho de 2011

Varicela?

Pintas, pintas e mais pintas! Está coberto dos pés à cabeça! E pelo meio umas maiores, com bolhas de água no meio. Essas é que me preocupam mais, porque podem deixar marca e podem infetar.
De resto, continua o mesmo pirata: a comer e dormir bem, a brincar e a fazer asneiras a todo o instante. Risonho, sem febre. Agora está a fazer a sesta.

Quando acordar vamos ali num instante à SAP. Ui que medo! Detesto aquela SAP, não funciona, mas não tenho outra hipótese e ir a correr para o hospital, só por causa de varicela, não me parece bem. Mas vamos ver...

sábado, 23 de julho de 2011

Borbulhas

Ontem era uma, depois outra. Hoje tem várias. Parecem bolhinhas.
Anda bem disposto, apirético, brincalhão. Dormiu bem, comeu melhor. Sem stress, vamos ver se ficam por aqui ou se alastram mais.

Ontem foi dia de aniversário do papá. Muito passeio, muita brincadeira, muitos mimos e colinho para este pirata. Um belo passeio pela costa, com direito a pôr o pé na areia e tudo! À noite, um jantar diferente, com a priminha também por perto, para delícia dos dois que implicaram um com o outro até se cansarem e um adormecer e o outro lutar contra o sono até cair de cansaço, já no carro a caminho de casa. Só acordou quase às dez da manhã o meu piratinha!

Hoje já anda a fazer asneiras, claro está!

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Mães trabalhadoras...

... crianças infelizes?

Desde já respondo: Não. Não tem de ser necessariamente assim.
Primeiro, nem se coloca a questão dos pais que trabalham. Fala-se da mãe. Mas e o pai, não será também tão importante? No nosso país a lei é desigual entre os direitos da maternidade e da paternidade. Criam-se bebés dependentes das mães e por isso elas se sentem culpadas ao ter de os deixar com alguém. São responsáveis por eles e arcam com essa responsabilidade mesmo quando esta parece ser repartida com o outro projenitor - isto na maioria dos casos e salvo algumas exceções, claro está.

A ansiedade de ir trabalhar e deixar a criança com outra pessoa - na creche, na ama, com os avós - é real e eu passei (e ainda passo) por ela, mas trabalhar é uma necessidade tanto economica, como social e de realização pessoal. Sempre trabalhei e tive horários preenchidos. Com a chegada do Martim tive de me adaptar mas não deixei de fazer nada do que fazia antes. Mas claro que por vezes, dou comigo a pensar que poderei não estar presente quando os marcos da vida dele acontecerem: as primeiras palavras, os primeiros passos... e isso deixa-me triste.

"A separação torna-se muito difícil porque, à medida que o tempo vai passando, a ligação entre mãe e filho aumenta."(1) Concordo com este facto, mas não é também verdade que esta ligação pode ser ela mesma transmissora de segurança emocional para a criança e, complementarmente, para a mãe? Para a criança - ou bebé - porque esta vinculação facilita a aquisição da sua própria autonomia e essa é indispensável para uma boa adaptação à ama ou à Creche, e para a mãe, porque ela sabe que o seu bebé está seguro e que vai ficar bem e que esta experiência será enriquecedora para o seu crescimento. Por outro lado, temos de pensar que há aquisições que só serão feitas fora do ambiente familiar. "Há especialistas que defendem a integração de uma criança pequena na creche. Esta decisão permite-lhe que se relacione desde cedo, com outras pessoas."(1)

"Ao estimular o seu filho a criar relações de amizade fora do núcleo familiar, está a facilitar o processo de separação entre si e o seu bebé." - Bem, nem tanto ao mar nem tanto à terra, um bebé cria relações, mas não sabe o que é amizade - apenas mais tarde irá desenvolver essa capacidade - enquanto que a noção de separação, surge bem mais cedo.

Bem vistas as coisas, não me culpo de ir trabalhar ou de ir a formações, porque sei que o meu bebé fica bem na ama ou na casa da avó. Muitas vezes, tenho dificuldade em encontrar quem fique com ele durante as horas de formação ou nos casos de ter de trabalhar aos fins-de-semana, mas tudo se tem resolvido. Quando é preciso, falto ou encontro outras formas de dar a volta à situação. O ideal é haver uma adaptação em família e sabermos com quem podemos contar nas horas de maior aperto. E, claro está, primeiro está o meu bebé, isso nem é posto em causa!

(1) - ESTEVES, Carla Oliveira, "Mães trabalhadoras, crianças infelizes?", Crescer com Saúde, nº 141;