sexta-feira, 4 de outubro de 2013

O Jardim de Infância do meu filho

O Martim entrou esta terça feira para o JI ou, como ele diz, para a Escola! Não é bem um JI, é um espaço educativo que vem ao encontro de mães, que, como eu, têm horários que não nos permitem chegar a tempo de ir buscar os nossos filhos às 19h todos os dias. Um espaço que se adequa às necessidades dos pais que trabalham por turnos. Há uma falha enorme nesta área, mas felizmente, nós descobrimos um local, na Cova da Piedade que tem prolongamento de horário e que até fica dentro das nossas possibilidades financeiras.

Estava ansioso por entrar e, assim que lá chegou no primeiro dia, correu a ir brincar e nem se quis despedir de nós. No fim do dia quando o fui buscar, contava-me orgulhoso, que tinha brincado, que tinha dormido bem, que se tinha portado bem. E eu, tal mãe babada e orgulhosa, tão feliz! Agora está a adaptar-se a esta nova rotina. Tentamos que, apesar dos nossos turnos, ele chegue quando possível sempre pela mesma hora e que, à noite se deite cedo para poder descansar bem. Optámos por pedir que ele dormisse à tarde e tem corrido bastante bem. Ele está muito entusiasmado e contente com a escola nova.

O espaço é pequeno, acolhedor, familiar. E ele está a gostar imenso. E ainda bem que optámos por esta alternativa.

sábado, 21 de setembro de 2013

Aniversário do Martim!

O meu filho já fez 3 anos! Quem diria? O tempo passa a correr e nós nem damos conta, mas é assim... sou uma mãe babada e orgulhosa do filho lindo que tenho! Amo-o muito, do fundo do meu coração!


Parabéns amor meu, pelo teu aniversário! Adoro-te!
 


 
Mais fotos da festinha dele em atelierfestasinfantis.blogspot.com

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Não queremos heróis.

Não queremos heróis que perecem nas chamas que não são deles. Não queremos mais mortes de homens e mulheres que lutam pela vossa terra, pelas vossas florestas, pelas vossas casas e animais. Não queremos que mais ninguém dê a vida!
Esperemos que os detidos por fogo posto sejam devidamente punidos. Se não quiserem ter trabalho com eles, entreguem-nos aí numa BAL ou junto de uma GRIF que de certeza haverá alguém com disponibilidade para fazer essa tarefa. Espero que depois não os perdoem porque são alcoólicos, porque têm problemas psiquiátricos, ou porque estavam deprimidos.
É revoltante saber que este inferno ainda não tem fim à vista e que hoje ceifou mais uma vida. Quem vai ser culpabilizado por esta perda e pelos feridos que ainda sofrem e que ficarão com lesões?

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Terceiro ano

Faltam poucos dias, para terminar este terceiro ano da minha viagem como mãe.
E o que foi acontecendo? Tanta coisa!
O meu filho agora diz-me "eu não sou bebé, sou menino" e isso já diz muito da sua personalidade. É um doce de criança. Vejo-o sempre com muito orgulho. Olho para ele, sempre babada, pois sei que tem superado muitas das minhas expetativas. Acredito nele todos os dias! Amo-o muito e por ele faria qualquer coisa. Foi amor à primeira vista, sem dúvida, mas esse amor foi crescendo a cada dia que passamos juntos e, construindo-se nos momentos partilhados e nas ausências que fazem doer o coração!
Ele acompanha-me muitas vezes nas minhas atividades, seja em dias de animação, seja em reuniões e formações nos bombeiros quando não tenho com quem o deixar. Cresceu muito com isso e, apesar de ele até se comportar bem - tendo em conta a idade - sei que esse fato o tem prejudicado um pouco, pois é obrigado a estar quieto, a não ter esse tempo para as suas brincadeiras. Por outro lado, tem-me seguido um pouco para todo o lado e sei que isso lhe criará boas memórias de infância. O pouco que ele se recordar de mim, - pois nesta fase, as memórias vão-se perdendo rapidamente - será certamente bom. Pelo menos assim é o meu desejo. É por isso que as fotos e os registos escritos são tão importantes nesta idade. Porque o nosso cérebro se esquece destas coisas... e um dia ele não se vai lembrar de como foi passar a tarde a fazer molduras com a mãe no Fórum Montijo, nem da vez que foi fazer uma formação de topografia, à noite, a pé pelo Seixal.

Festas e animações

Entre tanto trabalho que tenho tido e esta história de trabalhar por turnos à qual ainda não me habituei a 100%, tenho andado ocupada nas minhas festas de aniversário, na animação de batizados e em tardes de pinturas no Fórum Montijo.
Tudo junto, tem-me sobrado pouco tempo. O que vale são os sorrisos das crianças e, principalmente, a alegria do meu filho...
Aqui ficam alguns momentos para recordar!

Festa da Inês Vicente, nos Bombeiros do Seixal:




Festa da Mariana, no café Pink, no Seixal...



Casamento e batizado em Azeitão, com a Rita Catita, outra animadora, minha grande amiga e uma excelente profissional!

 
 
Batizado do Diogo, um menino da família, ao qual ofereci as pinturas faciais!
 




domingo, 14 de julho de 2013

É só água!


Expliquem-me as mães que terão talvez o mesmo drama que eu - não é bem um drama, é mais uma constatação de um facto que eu não consigo explicar - porque é que o meu filho adora água, gosta de ir para a piscina, e quando vamos à praia, só se aproxima qb da água. Ou seja, bem longe, não vá aquilo puxá-lo e engoli-lo?

E se o levamos para lá, grita desalmadamente, como se a água fria queimasse. Não o obrigamos a ir pois até se diverte, brinca nas poças e até deixa que o molhemos com o balde. O que me incomoda não é ele não querer sair da sua zona de conforto, o que me preocupa é ele entrar num estado de terror quando o faz.

O prazer da areia nos pés

Eu sempre fui apaixonada por praia, e nos meus outros tempos, em que as responsabilidades eram outras, permitia-me pegar na toalha, biquini e num livro e ir até À praia. Senatava-me junto ao muro e embrulhava-me na toalha até que o sol começasse a aquecer e me despertasse daquela melancolia.
Fugia do sol abrasador e das grandes confusões do verão de Sesimbra, do trânsito e dos chapéus de sol. Nunca gostei de chapéus, nem de sol nem de chuva.

Gosto sim de sentir a areia entre os dedos, o fresco da água nas pernas...

Hoje não é dia de praia. É dia de trabalho.
Na semana passada tivémos alguns dias excelentes de praia, até que a chuva resolveu começar a espreitar e estragou-nos aquela rotina tão feliz, que até nos permitiu umas saídas em família. :)

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Detetar a hiperatividade infantil

Se a criança tem o sono agitado, não dorme as horas suficientes, deita-se tarde... poderá estar em risco de desenvolver ou agravar os sintomas do distúrbio do défice de atenção e hiperatividade. "A observação de horários relativamente estáveis e regulares de descanso na infância são da maior importância para o desenvolvimento equilibrado da criança."(1)

"Segundo os resultados da investigação realizada por uma equipa americana, menos horas de sono podem agravar os sintomas do distúrbio do défice de atenção e hiperatividade em idades precoces, nomeadamente, nos primeiros seis anos de vida."(1)

"Até aos três anos, as crianças deverão dormir 12 a 14 horas de sono e dos três aos seis cerca de 10 a 12 horas por noite."(1)

A hiperatividade é um problema mais habitualmente visto em crianças. Os sintomas ´são a desatenção (pessoa muito distraída) e a hiperatividade (pessoa muito ativa, por vezes agitada, bem além do comum). Tais aspectos são normalmente encontrados em pessoas sem o problema, mas para haver o diagnóstico desse transtorno a falta de atenção e a hiperatividade devem interferir significativamente na vida e no desenvolvimento normais da criança ou do adulto.

"O Transtorno por déficit de atenção com hiperatividade (TDAH) tem três sintomas: hiperatividade, falta de atenção e impulsividade. Trata-se da síndrome da conduta, de origem neurobiológica, mais frequente durante a infância. Estima-se que cerca de 5% da população infanto-juvenil, de 3 a 16 anos, sofre, sendo 3 vezes mais frequente nos homens."(2)


Bibliografia:
(1) - SIMÕES, Paula Martins, "Detectar a hiperactividade infantil", Focus, nº 611;
(2) - http://www.gforum.tv/board/1735/325052/hiperatividade-infantil-tdah.html

Às aranhas com o calendário

Em pouco tempo, foi o horário de trabalho que mudou, foram as horas extra do part-time que vão aumentando. São as certezas e as incertezas de cada dia, de cada marcação para a semana que vem, para daqui a dois meses... São os planos que se têm de fazer, contando com os imprevistos, ou rezando para que não aconteçam. Mas como nunca soube rezar, lá vão surgindo as imperfeições na minha agenda. E eu tento que as coisas não se compliquem, que nada fique por fazer.

quarta-feira, 15 de maio de 2013

As otites

A otite é uma inflamação do ouvido e pode ter diversas causas: bactérias, fungos e vírus.

É um problema mais frequente nos meses de Inverno, mas que também pode ocorrer no Verão, quando as idas à praia ou à piscina significarem mais água a entrar e a permanecer no ouvido.

A otite externa atinge o canal auditivo. Se for média atinge o ouvido médio. E se for interna atinge os canais semicirculares (estes são responsáveis pelo sentido espacial).

Muitas vezes, senão quase sempre, as otites são precedidas de uma gripe, constipação ou resfriado. "As secreções nasais passam facilmente para o ouvido, onde se convertem em caldo de cultivo de vírus ou bactérias, o que faz desenvolver a otite. Ou seja, produz-se uma infeção e uma inflamação, que é o que provoca a dor."(1)

Os antibióticos são eficazes se tomados apenas quando necessário e quando perscritos pelo médico assistente, uma vez que a sua toma frequente pode criar resistências que poderão trazer problemas de futuro. Muitas vezes, a administração de um anti-pirético e de um anti-inflamatório é suficiente para debelar a infeção em três a quatro dias, dependendo da sua gravidade.

"A melhor forma de evitar que o seu filho tenha uma otite é pôr de lado a forma excessiva como o agasalha."(2)

Precauções a ter em conta:
- evitar usar cotonetes continuamente e evitar lavar repetidamente os ouvidos.
- colocar tampões nos ouvidos antes de ir para a natação;
- lavar frequentemente o nariz;
- estar atenta aos sinais;
- recorrer à ajuda de um médico especialista.

Sinais e sintomas:
- dor intensa;
- diminuição na audição;
- inchaço nos tecidos;
- comichão;
- corrimento;

Nos bebés, acrescente-se ainda:
- irritabilidade;
- apatia;
- falta de apetite.


Bibliografia:
(1) - "Dói-lhe o ouvido: como tratar a otite", Bebé d'Hoje, Fevereiro 2011;
(2) - ESTEVES, Carla Oliveira, "Como tratar as otites?", Crescer com saúde, nº 141;

Deixem os miúdos brincar!

O texto é brasileiro, mas retrata a importância da brincadeira na construção da identidade da criança como ser social, interveniente e participativo. Às vezes, pensamos que eles brincam sem nexo, sem daí retirar nada, mas eu acho que brincar é sempre proveitoso. É uma forma de aprendizagem como outras e tão ou mais importante. Deixem as crianças brincar então!
"A ludicidade, é tal qual a infância, um construto cultural. Ela foi pensada como
principal meio de socialização das crianças no mundo dos adultos. Por essa razão, a
experiência de uma criança com a ludicidade vai estar fundamentada na cultura geral
em que ela está inserida, modificando-se a cultura lúdica de uma sociedade para outra.

Tendo como invólucro a cultura geral e como fim a socialização, a ludicidade é
rica em significados, ela permite à criança que a vivencia, a experiência de ser criança,
fazer parte da cultura adulta e preparar-se para assumir um papel, uma função social na comunidade de que participa. Por essa razão, a cultura lúdica de um povo revela muito sobre ele, sobre o lugar das crianças em sua sociedade, sobre o modo como elas são ensinadas, socializadas e sobre em que circunstâncias o mundo adulto e infantil se
encontram.

Como construção cultural, e portanto variável, a ludicidade se modifica
principalmente a depender do local em que se realiza. Com base nisso é que esta
pesquisa se propõe a verificar a cultura lúdica das crianças com fins de apreender como
se dá a utilização dos brinquedos de que dispõem ; se são adquiridos de fora de sua
cultura; que brincadeiras são realizadas por elas nos mais diversos momentos do seu
cotidiano; e qual a função que a brincadeira e o brinquedo cumprem no processo de socialização destas crianças."

(OLIVEIRA, Leide, SOUSA, Emilene, Brincar para Comunicar: A ludicidade como forma de Socialização das Crianças - Universidade Federal do Maranhão, Imperatriz, MA)

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Sobre o Dia da Mãe

Lembro-me de ser um dia preparado na escola, ou em que eu e a minha irmã faziamos desenhos ou outras obras para oferecer à minha mãe. Lembro-me de um ano em que ficámos sozinhas em casa e resolvemos fazer um salame. Um belo salame que até leite levou e açucar e ficou horrorosamente liquido e doce - dessa altura vem a minha falta de jeito para a culinária, principalmente para doces e bolos!
Lembro-me que o dia da Mãe deixou de ser importante quando a minha mãe morreu. Passou a ser um dia de tristes memórias e de não querer saber da alegria dos outros. Em situação de estágios ou a trabalhar em Creche mais tarde, esse dia era vivido como outro qualquer, preparava-o com as crianças porque elas mereciam que eu o fizesse, mas tentava não me envolver muito.

Hoje é diferente.
Desde a gravidez, este dia é meu e do meu filho. É um dia de reflexão sobre o meu papel de mãe, sobre a minha relação com o meu filho e sobre as muitas mães que conheço e com as quais partilho as minhas alegrias, as dúvidas e as expetativas. Para todas as mamãs (as minhas mamãs, Entremães, Mães babadas.. que sabem quem são e que são importantes na minha vida) e para as avós e tias que também têm o seu papel na minha vida, o meu muito obrigado por me fazerem ser uma mãe melhor!

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Como explora o livro com o seu filho?

Hoje estava para aqui a passar tempo no face, e vi um artigo sobre a leitura e a importância dos livros. Confesso que sou uma leitura assídua, adoro ler e, sobretudo adoro um bom livro infantil - principalmente um livro que me cative pela capa, pelas ilustrações ou até pelas texturas. Não sei se por ser educadora e ter o espírito mais aberto para este tipo de iniciativas, ou se, apenas porque sempre tive uma boa relação com os livros, a verdade é que fui logo ler o artigo em causa.

"Uma leitura alegre é tão útil à saúde como o exercício do corpo", Emmanuel Kant.

Começa logo pela escolha desta frase de Kant, que compara o exercício da mente com o exercício do corpo. São ambos importantes, pois claro! E ambos têm de ser trabalhados e desenvolvidos em harmonia para que a saúde física e mental nos torne pessoas equilibradas. Mas o que tem isto a ver com a leitura de livros infantis? Ora então, não é de pequenino que se torce o pepino? Então também é desde o berço que a leitura deve ser estimulada. E aprender a ler, não começa na escola quando se juntam as primeiras letras, começa muito mais cedo quando a criança:
- ouve contar histórias;
- morde os livros;
- observa os pais quando estes lhe estão a contar histórias;
- usa os livros como um brinquedo, explorando-o de inúmeras formas;
- observa as ilustrações no livro e associa imagens às palavras;
- constrói mentalmente as suas próprias sequencias, a partir das imagens do livro, mesmo que não pela ordem correta;
- conta ela própria a história!

"A exploração de livros é, naturalmente, uma estratégia bastante associada à aquisição e ao desenvolvimento da linguagem. "

Então, vi no artigo que têm a mesma opinião que eu: há livros lá em casa para o Martim, desde que eu estava grávida dele. Ele tem acesso aos livros e já escolhe a história que quer ouvir.

"A leitura partilhada apoia-se na interação pai-criança, sendo a leitura um momento divertido, agradável, espontâneo, de partilha e entusiasmo comum".

Nem sempre, ou melhor, nem tantas vezes como eu desejaria, lemos histórias ao Martim. Não o fazemos sempre, porque umas vezes é ele que não está disponível para isso e rapidamente se aborrece e quer passar para outra atividade. E noutras vezes, somos nós que não temos disponibilidade para isso. Quando o fazemos, temos tempo para estar com ele de volta do livro, enquanto ele quiser, para ler, reler, contar de outra maneira, brincar ao "lobo e ao porquinho" ("Mãe eu sou o uobo, foge"... e sopra!)

"Mais do que ler o conteúdo do livro e seguir as frases ou as falas das personagens, procura-se que a criança se sinta envolvida e motivada pelo momento da leitura."
A motivação é realmente tão importante. Sem ela de que valeria estar ali a ler as linhas para depois acabar e mandá-lo dormir? E essa motivação tem de ser mútua para que o momento valha a pena. Além disso, muitas vezes, é mesmo ele que vai buscar dois ou três livros da sua caixa e pede para irmos para a cama com ele. Por isso acho que estou a conseguir motivá-lo.

"É indispensável, portanto, dar espaço e liberdade para a criança expressar-se (nomeando e/ou descrevendo as imagens, comentando, colocando perguntas, imaginando…), não esquecendo de valorizar e elogiar as suas respostas e a sua colaboração (Wesseling & Lachmann, 2012)".

E o que dizem sobre uma criança da faixa etária dos 2 - 3 anos (onde se inclui o meu filho)?

- Estimular a criança a falar sobre o livro: fazer comentários; colocar perguntas simples e abertas – O que é? Onde está?, acompanhando os interesses e os tempos da criança;
- Avaliar a resposta da criança, colocando as perguntas anteriores ou dizendo frases incompletas para o seu filho/a completar (exemplo: Olha! É um…);
- Expandir a resposta da criança, repetindo e adicionando informação;
- Solicitar novamente a informação para garantir que a criança aprendeu;
- Elogiar as respostas dadas e assumir uma atitude de interesse e motivação pelas respostas da criança.

Sim costumo fazer isto. E no fim ele já diz: "E vitóia, vitóia, apagou-se a históia! E tenho a boca toda cheia mameuada!" - ou como devia ser "Vitóra vitória, acabou-se a história! Tenho a minha história contada e a boca cheia de marmelada!"

Elsa Filipe
_______________________________________________________________________________


Créditos: http://www.maemequer.pt/desenvolvimento-infantil/crescer/desenvolvimento/como-explorar-os-livros-com-o-meu-filho-a#.UXWj9aJwqSp

Referências bibliográficas

  • Dunst, C. J., Simkus, A. & Hamby, D. W. (2012). Effects of reading to infantsand toddlers on their early language development [Versão eletrónica], Center for Early Literacy Learning, 5 (4) Wesseling, P. B. C. & Lachmann, T. (2012)
  • Aquisição e desenvolvimento da linguagem por meio da biblioteca e programa de leitura dialógica para crianças em idade-escolar [Versão eletrónica], Congreso Iberoamericano de las Lenguas en la Educación: Salamanca
Por Dr.ª Lúcia Magalhães (Terapeuta da Fala)

domingo, 14 de abril de 2013

Saudades...

... do meu bebé. Mais uma noite a trabalhar e ele na avó. Passou lá o fim de semana e só estarei com ele amanhã. Sei que está bem, já falei com ele ao telemóvel, mas as saudades apertam tanto!

sábado, 13 de abril de 2013

Eu sou menino!

É quando se ouve "eu sou menino" da boca de um pirralho de 2 anos e meio que achamos que o tempo passa a correr. Para ele, já não é bebé! "Não sou bebé! Sou o Matim Falipe!" Ora pois é.

sexta-feira, 5 de abril de 2013

Atividades com os mais novos

Que fazer em dias de vendaval como o de hoje?

Apetecia sair de casa, isso era um facto. O Martim até já tinha pedido para irmos ao parque, mas assim que pusemos a cabeça fora da porta... BRRRR! Que vento!
Opção?
Bebeteca!
Aproveitamos para devolver um livro que a mãe já leu e depois entramos no espaço destinado aos mais novos e vamos brincar. À hora que fomos, só estava mais um bebé, mais novinho que o Martim. Entre trocas de olhares e pequenas disputas de brinquedos, lá ficaram cada um para seu lado a brincar. E uma horinha passa depressa ali dentro, num espaço que é apelativo, estimulante e didático, ao mesmo tempo que é um ambiente agradável, calmo e seguro.

segunda-feira, 1 de abril de 2013

Pois é filho...

Ontem à noite, ele muito indignado: "Mãe! Apagaste a tevisão!" Sim, já é hora de iremos dormir. E ele: "Mas eu tava a ver!" Amuou.
Hoje de manhã, quando saímos de casa, antes das 7.00: "Mãe! Tá escuo" com um ar muito desconfiado.
Pois é filho, agora acaba-se a boa vida de acordar às 9h da manhã. É a vida!

sábado, 30 de março de 2013

Mudanças...

Hoje estou a fazer noite.
Houve mudanças nos horários, mudaram-me os turnos, a rotina passou a ser outra e agora entro numa fase de adaptação. Adaptação minha e de todos lá por casa. O filhote já não vai ter a mãe todas as noite para dormir com ele. Vai acordar mais cedo alguns dias da semana - bem mais cedo! Mas também vamos passar mais tempo juntos, tempo que quero que seja de qualidade e bem aproveitado! A mudança pode ser algo bom, não é?

sexta-feira, 22 de março de 2013

Dia Mundial da água

"O Dia Mundial da Água celebra-se anualmente a 22 de Março. A data visa alertar as populações e os governos para a urgente necessidade de preservação e poupança deste recurso natural tão valioso.

A gestão dos recursos de água tem impacto em vários setores, nomeadamente na saúde, produção de alimentos, energia, abastecimento doméstico e sanitário, indústria e sustentabilidade ambiental.

As alterações climáticas provocam graves impactos nos recursos de água. Alterações atmosféricas como tempestades, períodos de seca, chuva e frio afetam a quantidade de água disponível e afetam os ecossistemas que asseguram a qualidade da água."

Origem da Data

"A comemoração surgiu no âmbito da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento e Ambiente que decorreu na cidade brasileira do Rio de Janeiro, em 1992. Os países foram convidados a celebrar o Dia Mundial da Água e a implementar medidas com vista à poupança deste recurso e promover a sua sustentabilidade.
Factos sobre a água

O volume total de água no planeta Terra é de 1.4 bilhões km3. Os recursos de água doce rondam os 35 milhões km3 (cerca de 2.5% do volume total de água).
Destes 2.5%, cerca de 24 milhões km3 (ou 70%) estão em forma de gelo (zonas montanhosas, Antártida e Ártico).
30% da água doce disponível está armazenada no subsolo (lençóis freáticos, solos gélidos e outros). Isto representa 97% de toda a água doce disponível para uso humano.
Os lagos e rios de água doce contêm aproximadamente 105.000 km3 (ou 0.3% de toda a água doce mundial)
O total de água doce disponível ronda os 200.000 km3 - menos de 1% de todos os recursos de água doce disponíveis.
A atmosfera da Terra contém aproximadamente 13.000 km3 de água.
70% da água doce é utilizada na rega, 22% na indústria e 8% no uso doméstico.
Em 60% das cidades europeias com mais de 100.000 habitantes, a água do solo está a ser usada de modo mais rápido do que a sua restituição."

Texto retirado daqui: www.facebook.com/educadoresdeinfancia

terça-feira, 19 de março de 2013

Feliz dia do Pai

O Dia do Pai é comemorado em muitas culturas, sendo que em Portugal é comemorado no dia 19 de Março. Este é o dia de São José, santo popular da igreja católica (marido de Maria, mãe de Jesus Cristo).

Diz-se que a instauração do Dia do Pai teve origem nos Estados Unidos da América, em 1909. Sonora Luise, filha de um militar resolveu criar o Dia dos Pais motivada pela admiração que sentia pelo seu pai, William Jackson Smart. A festa foi ficando conhecida em todo o país e em 1972, o presidente americano Richard Nixon oficializou o Dia dos Pais.

Uma outra versão, mais antiga, diz que na Babilónia, em 2000 A.C. um jovem rapaz de nome Elmesu escreveu numa placa de argila uma mensagem para o seu pai, desejando saúde, felicidade e muitos anos de vida ao seu pai. Quem sabe se virá daí a origem da tradição de ofertar presentes feitos pelos próprios filhos e postais por eles ilustrado?

Por aqui a prenda já está escolhida e aguarda só que o pai chegue a casa e a possa abrir. A mais importante é a que foi feita com a sua pequena mãozinha, pois essa sabemos que o pai vai guardar bem guardada, pois o seu valor é enorme!





segunda-feira, 18 de março de 2013

Reconheço que...

...desde que tenho facebook, este blog tem ficado um pouco esquecido. Já merece uma boa atualização. E os blogs que sigo, também estão a merecer uma visita da minha parte... já aí passo a dizer Olá!
Beijos.

quinta-feira, 14 de março de 2013

Festas infantis!

Um sorriso não se pode obrigar, é algo que se sente e que nunca se pode esconder.


Faça da festa de anos do seu filho um momento único que ele vai pedir para repetir! Festas infantis mais divertidas: animação e pinturas faciais.

atelierfestasinfantis.blogspot.com


Este é o novo endereço do Atelier dos Saberes. Visitem e fiquem a par das novidades e das minhas andanças e participações.

Estou a adorar imenso fazer nascer sorrisos na cara dos mais pequenos. Espero um dia fazê-lo consigo, na festinha do seu princópe ou da sua princesa!

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Água!

Depois de uma aula que não houve e outra que em que fui eu que me baldei com ele, no sábado foi dia de regressar à piscina. Desde que entrou à um ano atrás, notou-se bem a evolução dele, a forma como se mexe dentro de água e como já se controla melhor para não engolir uns perdigotos! Entre mergulhos e muita brincadeira, lá se passaram os 25 minutos de piscina.

Esta atividade, apesar de curta e de ser apenas uma vez por semana, tem sido essencial no desenvolvimento dele. Ajuda-o a ganhar autonomia e a perder medos, a ganhar confiança nele próprio e nas suas capacidades. Na água, noto que está a crescer quando me larga o pescoço e "nada" de um lado para o outro "sozinho". Também reparo que ele agora já está muito mais atento ao que se passa à sua volta e que vai verbalizando o que vê e o que sente: "Olha a menina, mãe", "Eta é a minha mamã, eta é tua mamã", "Tá fia!" Interage com os outros e com a professora, já reconhece que há algo que tem de fazer e tenta. Está a crescer!

sábado, 19 de janeiro de 2013

Em alerta...

... devido ao mau tempo. Infelizmente nem posso ir para o quartel porque estou com o meu filhote.

Mas tive tanta pena de o levantar com este temporal que o deixei a dormir e baldámo-nos à piscina. Ele está tão sossegado e mimoso na cama!

Para aproveitar, vai um chocolate quente e ver a chuva e o vento da janela, pois com pena minha não posso ir ajudar os meus colegas que tiveram uma noite péssima e cheia de trabalho. Infelizmente as pessoas não fazem prevenção para estas situações.

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

E hoje...

... é dia de trabalho e de começar a planear o fim-de-semana. Este ano já comecei a fazer animações e pinturas faciais, o que, intervalando com o trabalho, a Escola de Infantes e Cadetes e a Escola de Samba, me tem deixado quase tempo nenhum livre.

No primeiro fim de semana do ano, logo após a primeira aula de piscina deste ano do Martim, rumei a Sesimbra. A ideia era ajudar a minha irmã na escolha de um espaço para... hum, isso ainda não vou contar... depois aproveitámos para passear à tarde um bocado com os garotos (o meu filho e a Sofia).
À tarde tive ensaio na escola de Samba, Batuque do Conde.
No Domingo, de manhã estive na primeira aula deste ano, da Escola de Infantes e Cadetes dos Bombeiros Mistos do Concelho do Seixal. Felizmente à tarde deu para irmos passear e recarregar baterias. Mas logo logo uma nova semana começava.

No fim-de-semana seguinte, além da piscina, à tarde fui fazer pinturas faciais para o Fórum Montijo a convite de uma amiga minha. Já lá tinha estado outras vezes e é sempre bom, pois não se cai no tédio e todos os dias são diferentes e animados!
No Domingo, a manhã foi passada em formação de Combate a Incêndios de manhã e de mais umas horas a trabalhar no Fórum Montijo de tarde.

Este fim-de-semana a dose vai repetir-se e já tenho uma festa marcada para dia 26 deste mês. Estou bastante animada com tudo, mas confesso que também um pouco cansada.