sábado, 29 de dezembro de 2012

2012

O ano está a terminar. Foi um ano de crise, o ano da Troika, o ano em que milhares de pessoas ficaram sem emprego. Cada vez são mais os que têm de ir à sopa dos pobres. Este foi o ano em que reparei na carrinha que vem à minha praceta e distribui sacos com comida e roupa a algumas famílias. Pessoas que vivem no meu prédio e nos prédios em redor e com quem me cruzo na ida para o trabalho ou no regresso a casa. Posso dizer que para mim este ano foi bom. Tive trabalho, ganhei sempre o meu ordenado e não tive de ir pedir. Nos tempos que correm, poder ir ao supermercado e escolher o que queremos comer é um luxo. Não peço mais.


Para 2012, desejo que a situação do país melhore, para que eu não perca o meu trabalho e para que o meu ordenado continue a chegar ao fim do mês como tem acontecido até aqui. Às vezes basta olhar para o lado e perceber a sorte que temos. Na profissão que exerço, lido com os lados mais opostos da vida. A vivenda luxuosa que nos ofusca e em que até quase sinto vergonha de entrar e de pisar os tapetes e logo a seguir a barraca onde vive uma família nas condições mais desumanas da miséria. Lido com a vida e com a morte. Com a velhice, com o suicídio, com a desgraça. Lido com uma gravidez planeada e um casal feliz, com a gravidez escondida de todos e o filho que não se quer e se vai dar para adoção. Lidei este ano com mais do que muitas vezes consegui suportar. Lidei com lágrimas, com sorrisos, com palavras de raiva e de amor, com desabafos de traição e de agressões escondidas entre quatro paredes. Mas estou aqui e quero continuar.

Este ano foi bom pois pude pintar a cara de muitos meninos felizes. Pude ganhar algum dinheiro a fazer o que me dá prazer. Pude partilhar algumas tardes bem passadas na companhia de muitas crianças.

Este ano foi melhor porque abracei um novo projeto. Um projeto que já exigiu muito de mim e que tem vindo a melhorar a minha prestação como formadora, mas também como pessoa.

E com esse outro projeto veio: os meus meninos e meninas que um dia talvez sejam bombeiros, mas que já vestem a farda e que, para meu orgulho, querem ser melhores e aprender tanto, que às vezes, fico na dúvida se o que sei será suficiente para os ensinar e guiar.

Este ano foi bom: o meu primeiro livro foi publicado, mesmo que a minha participação tenha sido uma de entre várias, foi o meu primeiro livro e isso basta para me fazer sentir orgulhosa. E por falar em orgulho: o meu bebé está cada vez mais crescido! Aos meus olhos, o meu pirata é o mais lindo! E acima de tudo: está bem e saudável, o que se pode bem dizer: é uma sorte! Uma sorte que outras mães como eu, não têm e sofrem todos os dias pelos seus pequeninos. Força Mariana, força Maria Inês. O próximo ano será melhor.

Perdi um pouco o contato aqui no blogue, mas conheci outros locais com os quais me identifiquei. Conheci mamãs orgulhosas e babadas e percebi que não sou só eu que faço asneiras. Ser mãe ajuda-nos a crescer e todos os dias aprendemos. Não há um manual e não existe perfeição na maternidade.
2012, está a terminar. Que termine em grande!

sábado, 15 de dezembro de 2012

Dezembro

Triste mês este que traz tantas desgraças e tantas más notícias. Frio, como estão as mágoas dos que cá ficam a recordar os que se vão, tão cedo na vida, embora. E cá deixam os frios e amargos dias da recordação e da inércia do não poder fazer, do não ser capaz de ignorar. Do querer e não poder.
Mês chuvoso como as lágrimas que molham os olhos de quem já desistiu de querer ver... infelicidade e luto. Na Primavera da vida que tarda em chegar, vai-te embora inverno maldoso que desdenhas e ris dos que sofrem e não lhes dás tréguas, nem com o sol que espreita nas manhãs frias.

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Este Natal...

...anime ainda mais a sua festa!!

Já pensou no que vai fazer na festa de Natal da sua empresa? E os mais novos, como os vai animar durante toda a tarde?
Este ano, torne a sua festa especial!

Nós tratamos da animação da sua festa! Recebemos os mais novos e passamos a tarde com eles em inúmeras brincadeiras e muita diversão, enquanto os pais se divertem!

Neste Natal, pode contar com:

- Pinturas Faciais!
- Modelagem de Balões!
- E muita animação!

E udo isto a preços muito competitivos! Peça já o seu orçamento através do email: atelierdossaberes@gmail.com ou pelo tel.: 963988723.

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

:(

Hoje estou em casa com o meu pequenote... mais uma bronqueolite. Está a fazer Ventilan e Atrovent. Mas energia não lhe falta e boa disposição! E ontem portou-se muito bem no Hospital, mesmo doentinho.

domingo, 25 de novembro de 2012

Fim de semana!

Adoro esta chuva, este tempo casmurro, sem sol, molhado e com cheiro a terra. Ontem foi dia de piscina de manhã, mas de tarde ficamos os dois em casa a brincar. Fiquei com a sala revirada mas isso não interessa nada! Importa que eu e o meu filho partilhámos momentos, numa tarde fria de Inverno. Tão bom.
E hoje, custou sair de casa cedo com ele, mas tinha os meus meninos da escola de infantes e cadetes à espera e não podia voltar a faltar.
Agora estamos no quentinho, a brincar, a ver televisão. Já fizémos pinturas com as mãos, desenhámos com lápis de cor e com canetas de feltro e agora tenho a sopa dele ao lume para irmos jantar.
Bom fim de semana!
...e ele é só ver-me no computador que pede logo o "ioioio" (dança kuduro) para dançar!











Sabiam que...

...hoje se comemora o Dia Internacional da Não violência contra as mulheres?
Eu acho triste ter de haver um dia para se falar deste assunto. É um sinal de que ainda há muito por fazer neste campo. Calamos e não pedimos ajuda para os gritos na porta ao lado? Quem nunca fez isso?

Já lá vai o tempo em que entre marido e mulher não se podia meter a colher! Haja quem não tenha medo de meter a colherada! Ligue 112 e denuncie. Peça ajuda por quem já não o consegue fazer.

domingo, 18 de novembro de 2012

Quando é que uma criança está em risco?

A Lei 147/99 (n.º 2 do artigo 3.º) considera que uma criança ou o jovem está em perigo quando, designadamente, se encontra numa das seguintes situações: está abandonada ou vive entregue a si própria; sofre maus tratos físicos ou psíquicos ou é vítima de abusos sexuais; não recebe os cuidados ou a afeição adequados à sua idade e situação pessoal; é obrigada a actividade ou trabalhos excessivos ou inadequados à sua idade, dignidade e situação pessoal ou prejudiciais à sua formação ou desenvolvimento; está sujeita, de forma directa ou indirecta, a comportamentos que afectem gravemente a sua segurança ou o seu equilíbrio emocional; assume comportamentos ou se entrega a actividades ou consumos que afectem gravemente a sua saúde, segurança, formação, educação ou desenvolvimento sem que os pais, o representante legal, ou quem tenha a guarda de factos, se lhes oponham de modo adequado a remover essa situação.


(BRÍGIDO, Pedro Luís Silva, Intervenção do Serviço Social com Crianças e Jovens em Risco – Ética e Prática Profissional - Departamento de Ciência Política e Políticas Públicas, ISCTE-IUL)

É importante pensarmos nas definições existentes para criança em risco?
Se isso nos levar a agir e não a esconder a cabeça na areia, sim. É importante sabermos o que é, como se determina, que profissionais estão envolvidos nas Comissões de Proteção, quais as suas funções e como estas se interligam entre si. A lei pode ser difícil de perceber, mas não é de todo impossível distinguir uma situação em que uma criança se encontra em risco. Basta olharmos os jornais diários para acharmos diversos casos. Muitos a mim me revoltam, outros trazem-me as lágrimas aos olhos pela sua violência. Aumentaram os casos, ou aumentou a sua difusão pelos media? Eu acho que é a segunda hipótese, sem no entanto descartar à partida a existência de um maior número de casos, caso tivesse dados concretos dessa situação. Terá havido um real aumento dos casos? Talvez sim, mas o que houve mesmo foi o aumento da sua difusão e do apareciemento de cada vez mais gente sem medo de falar, desde a mediatização do caso Casa Pia. Se teve alguma coisa de positivo, foi isso: dar voz aos que foram abusados e aos que sobrem maus tratos.

sábado, 17 de novembro de 2012

Dos maus tratos: o abuso sexual e o síndrome de Munchausen por procuração


Abuso Sexual: corresponde ao envolvimento de uma criança ou adolescente em
actividades cuja finalidade visa a satisfação sexual de um adulto ou outra pessoa mais velha.

Baseia-se numa relação de poder ou de autoridade e consubstancia.se em práticas nas quais a criança/adolescente, em função do estádio de desenvolvimento:

‐ Não tem capacidade para compreender que delas é vítima;
‐ Percebendo que o é, não tem capacidade para nomear o abuso sexual;
‐ Não se encontra estruturalmente preparada;
‐ Não se encontra capaz de dar o seu consentimento livre e esclarecido.

O abuso sexual pode revestir-se de diferentes formas – que podem ir desde
importunar a criança ou jovem, obrigar a tomar conhecimento ou presenciar
conversas, escritos e espectáculos obscenos, utilizá‐la em sessões fotográficas e
filmagens, até à prática de coito (cópula, coito anal ou oral), ou introdução vaginal
ou anal de partes do corpo ou objectos, passando pela manipulação dos órgãos
sexuais, entre outras ‐ as quais se encontram previstas e punidas pelo actual art.º
171.º do Código Penal (CP)6, que trata expressamente do crime de abuso sexual
de crianças.
Sempre que do acto resulte gravidez, ofensa à integridade física grave ou morte da vítima, infecções de transmissão sexual ou suicídio, a pena será agravada em metade ou em um terço, nos seus limites máximos e mínimos, conforme o caso em apreço e de acordo com a idade da vítima. O mesmo sucede se esta for descendente, adoptada ou tutelada do agente – art.º 177º CP.
Frequentemente, o abuso sexual é perpetrado sem que haja qualquer indício físico
de que tenha ocorrido, facto que pode dificultar o diagnóstico. Recomenda-se, sempre
que possível, a colaboração da saúde mental infantil, tanto na ajuda para o diagnóstico
como para a intervenção. Contudo, em algumas situações, é possível identificar sintomas/sinais deste tipo de mau trato.
Alguns sinais, sintomas e indicadores de abuso sexual

- Lesões externas nos órgãos genitais (eritema, edema, laceração, fissuras, erosão, infecção);
- Presença de esperma no corpo da criança/jovem;
- Lassidão anormal do esfíncter anal ou do hímen, fissuras anais;
- Leucorreia persistente ou recorrente;
- Prurido, dor ou edema na região vaginal ou anal;
- Lesões no pénis ou região escrotal;
- Equimoses e/ou petéquias na mucosa oral e/ou laceração do freio dos lábios;
- Laceração do hímen;
- Infecções de transmissão sexual;
- Gravidez.


Síndrome de Munchausen por procuração diz respeito à atribuição à criança, por
parte de um elemento da família ou cuidador, de sinais e sintomas vários, com o
intuito de convencer a equipa clínica da existência de uma doença, gerando, por vezes,
procedimentos de diagnóstico exaustivos, incluindo o recurso a técnicas invasivas e
hospitalizações frequentes.
Trata-se de uma forma rara de maus tratos, mas que coloca grandes dificuldades de diagnóstico, dado que sintomas, sinais e forma de abuso são inaparentes ou foram provocados subrepticiamente.

São indicadoras de Sindroma Munchausen por Procuração situações como, por
exemplo, as seguintes:
ministrar à criança/jovem uma droga/medicamento para provocar determinada sintomatologia; adicionar sangue ou contaminantes bacterianos às amostras de urina da vítima; provocar semi-sufocação de forma repetida antes de acorrer ao serviço de urgência anunciando crises de apneia.

A lei na questão da criança e jovem em risco:

Quando falamos em maus tratos falamos em leis. Mas o que dizem realmente as leis sobre este assunto. Aqui fica um artigo para analisarmos e pensarmos sobre algumas das suas alíneas.

Lei de protecção de crianças e jovens em perigo (N.o 204 — 1-9-1999 DIÁRIO DA REPÚBLICA — I SÉRIE-A 6117)

Artigo 3º
1 — A intervenção para promoção dos direitos e protecção da criança e do jovem em perigo tem lugar quando os pais, o representante legal ou quem tenha
a guarda de facto ponham em perigo a sua segurança, saúde, formação, educação ou desenvolvimento, ou quando esse perigo resulte de acção ou omissão de terceiros ou da própria criança ou do jovem a que aqueles não se oponham de modo adequado a removê-lo.
2 — Considera-se que a criança ou o jovem está em
perigo quando, designadamente, se encontra numa das
seguintes situações:

a) Está abandonada ou vive entregue a si própria;
b) Sofre maus tratos físicos ou psíquicos ou é vítima de abusos sexuais;
c) Não recebe os cuidados ou a afeição adequados à sua idade e situação pessoal;
d) É obrigada a actividades ou trabalhos excessivos ou inadequados à sua idade, dignidade e situação pessoal ou prejudiciais à sua formação ou desenvolvimento;
e) Está sujeita, de forma directa ou indirecta, a comportamentos que afectem gravemente a sua segurança ou o seu equilíbrio emocional;
f) Assume comportamentos ou se entrega a actividades ou consumos que afectem gravemente
a sua saúde, segurança, formação, educação ou desenvolvimento sem que os pais, o representante
legal ou quem tenha a guarda de facto se lhes oponham de modo adequado a remover essa situação.

Tipos de maus tratos (cont.)


Mau trato Físico:
Este resulta de qualquer acção não acidental, isolada ou repetida, infligida por pais, cuidadores ou outros com responsabilidade face à criança ou jovem, a qual provoque (ou possa vir a provocar) dano físico.
Este tipo de maus tratos engloba um conjunto diversificado de situações traumáticas, desde a Síndroma da Criança Abanada até a intoxicações provocadas.

Sinais que podemos observar nestas crianças:

- Equimoses, hematomas, escoriações, queimaduras, cortes e mordeduras em locais pouco comuns aos traumatismos de tipo acidental (face, periocular, orelhas, boca e pescoço ou na parte proximal das extremidades, genitais e nádegas);

- Sindroma da criança abanada (sacudida ou chocalhada);

- Alopécia traumática e/ou por postura prolongada com deformação do crânio;

- Lesões provocadas que deixam marca(s) (por exemplo, de fivela, corda, mãos,

chicote, régua…);

- Sequelas de traumatismo antigo (calos ósseos resultantes de fractura);

- Fracturas das costelas e corpos vertebrais, fractura de metáfise;

- Demora ou ausência na procura de cuidados médicos;

- História inadequada ou recusa em explicar o mecanismo da lesão pela criança ou

pelos diferentes cuidadores;

- Perturbações do desenvolvimento (peso, estatura, linguagem, …);

- Alterações graves do estado nutricional.   Para saber mais:   Alopécia ou alopecia é a redução parcial ou total de pelos ou cabelos em uma determinada área de pele. Ela apresenta várias causas, podendo ter uma evolução progressiva, resolução espontânea ou controlada com tratamento médico. Quando afeta todo os pêlos do corpo, é chamada de alopécia universal.  
Mau trato psicológico ou emocional:O mau trato psicológico resulta da privação de um ambiente de segurança e de bem-estar afectivo indispensável ao crescimento, desenvolvimento e comportamento equilibrados da criança/jovem.
Engloba diferentes situações, desde a precariedade de cuidados ou de afeição adequados à idade e situação pessoal, até à completa rejeição afectiva, passando pela depreciação permanente da criança/jovem, com frequente repercussão negativa a nível comportamental.
Alguns sinais e sintomas que podemos observar nestas crianças:

- Episódios de urgência repetidos por cefaleias, dores musculares e abdominais sem causa orgânica aparente;

- Comportamentos agressivos (autoagressividade e/ou heteroagressividade) e/ou auto-mutilação;

- Excessiva ansiedade ou dificuldade nas relações afectivas interpessoais;

- Perturbações do comportamento alimentar;

- Alterações do controlo dos esfíncteres (enurese, encoprese);

- Choro incontrolável no primeiro ano de vida;

- Comportamento ou ideação suicida.   Para saber mais...   Enurese é a falta de controle da micção em idade que em que isto já deveria ter ocorrido. Encoprese é a dificuldade de controlar o esfíncter anal para a eliminação de fezes, voluntária ou não, em que eventualmente podem-se sujar as roupas do indivíduo. É uma desordem de causa fisiológica ou emocional, pode ocorrer tanto em adultos como em crianças, e é mais frequente nos indivíduos de sexo masculino.

Nas crianças a causa geralmente é psicológica, podendo estar ligada ao medo, ao stress, raiva e angústia.

Ainda sobre o tema dos maus-tratos...

Os maus tratos em crianças e jovens dizem respeito a qualquer acção ou omissão não acidental, perpetrada pelos pais, cuidadores ou outrem, que ameace a segurança, dignidade e desenvolvimento biopsicossocial e afectivo da vítima.

Temos que pensar que este deve ter uma abordagem multi-disciplinar, ou seja que existem vários tipos de maus-tratos.
Quanto ao conceito em si, existe uma multiplicidade de situações que consubstanciam a prática de maus
tratos, os quais podem apresentar diferentes formas clínicas, por vezes associadas: negligência (inclui abandono e mendicidade), mau trato físico, abuso sexual, mau trato psicológico/emocional e Síndroma de Munchausen por Procuração.

Negligência:
é a incapacidade de proporcionar à criança ou ao jovem a satisfação de necessidades básicas de higiene, alimentação, afecto, educação e saúde, indispensáveis para o crescimento e desenvolvimento adequados. Regra geral, é continuada no tempo, pode manifestar-se de forma activa, em que existe intenção de causar dano à vítima, ou passiva, quando resulta de incompetência ou incapacidade dos pais, ou outros responsáveis, para assegurar tais necessidades.
Podemos destacar alguns sinais de negligência:

- Carência de higiene (tendo em conta as normas culturais e o meio familiar);
- Vestuário desadequado em relação à estação do ano e lesões consequentes de
exposições climáticas adversas;
- Inexistência de rotinas (nomeadamente, alimentação e ciclo sono/vigília);
- Hematomas ou outras lesões inexplicadas e acidentes frequentes por falta de
supervisão de situações perigosas;
- Perturbações no desenvolvimento e nas aquisições sociais (linguagem,
motricidade, socialização) que não estejam a ser devidamente acompanhadas;
- Incumprimento do Programa‐Tipo de Actuação em Saúde Infantil e Juvenil e/ou
do Programa Nacional de Vacinação;
- Doença crónica sem cuidados adequados (falta de adesão a vigilância e
terapêutica programadas);
- Intoxicações e acidentes de reptição.

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

A criança em risco...

...é a criança:
- vitima de maus tratos;
- em absentismo / insucesso escolar;
- pertencente a minorias étnicas;
- vinda de meios desfavorecidos - ou seja, a criança que vem de uma família que não dispoem de recursos que assegure as condições necessárias para essa criança, ou que omita a satisfação das suas necessidades.
- integrada numa família disfuncional;

A UNESCO, na Declaração de Salamanca definiu o conceito de alto risco como “a presença de
características ou condições da própria criança ou do meio no qual cresce e se desenvolve, as quais
implicam uma alta possibilidade de produzir efeitos negativos sobre o seu processo de crescimento e
desenvolvimento, até ao ponto de determinar um atraso de maior ou menor amplitude”.

Esta criança:
• Não tem reunidas as condições necessárias para usufruir dos seus direitos;
• Tem condicionado o seu estado de saúde, a sua educação, os seus relacionamentos…

Fatores a considerar nestes casos:
• Reprodução do Ciclo de Pobreza – Condiciona a igualdade de oportunidades futuras.

A criança em risco é...

...“Aquela que pelas suas características

biológicas ou enquadramento sócio-familiar,
apresenta maior probabilidade de ser alvo de
dificuldades que comprometem a satisfação
das suas necessidades e o seu processo de
desenvolvimento”

(Penha – 2000)
 
 
Às vezes não há é tempo de olhar para o lado e observar o que se está a passar mesmo debaixo do nosso nariz. O risco não está apenas nos bairros pobres, nem são apenas as crianças "sujas" que vemos na rua a brincar. O risco pode estar no lar mais rico ou na família que, aparentemente, parece ser perfeita. O grande problema é esse. Estas crianças não têm um letreiro na testa!

domingo, 11 de novembro de 2012

Um joguinho

Este foi-me enviado pela Luana do blog "Uma mãe para dois". Então é assim:

As regras são estas:

- Escrever onze coisas aleatórias sobre você.
– Responder as onze perguntas que a pessoa lhe mandou e criar onze novas perguntas para as pessoas para quem irá mandar.
– Escolher onze pessoas para repassar esse meme e colocar os links de seus respectivos blogs.
– Avisar os blogs escolhidos.
– Não retorne esse meme para quem te enviou.
– Postar as regras.


11 coisas sobre mim:

- Adoro chocolate.
- Não gosto de sardinhas.
- Adoro sol.
- Gosto de frio e de roupa de Inverno.
- Adoro escrever.
- Gosto de estar em casa, no sofá, no quentinho.
- Destesto pessoas que não respeitam o trabalho dos outros.
- Não tenho paciência para esperar.
- Queria ser perfeita, mas não sou.
- Amo duas pessoas na vida.
- Sou feliz.

As respostas:
1- Como você imagina o mundo daqui 20 anos?
Não muito diferente, ainda em crise e com mais gente a usar a tecnologia. Vamos talvez perceber que perdemos muitos valores e que deixamos para trás as coisas mais importantes, mas vamos ganhar muito mais coisas boas e vamos sair por cima.

2- Qual a maior loucura que você já fez na vida?
Sair de um bom emprego para arriscar um novo trabalho. E correu mal.

3- O que levaria com você se fosse para uma ilha deserta?
Livros.

4-O que não pode faltar no seu dia?
Um beijo do meu menino.

5-Você concorda que o tempo muda as pessoas?
Não. O tempo não muda ninguém. As pessoas vão-se revelando com o passar do tempo.
6-Qual foi o maior mico que você já pagou?
Não sei, talvez chegar atrasada num sitio importante.
7-Você já chorou sem motivo?
Claro.

8-O que mais te irrita: Internet caindo, horário eleitoral, telemarketing, fila de banco ou trânsito?
Fila de banco.

9-O que mais se orgulha em sua vida?
Do meu filho.

10-Quanto tempo passa em frente ao computador?
Apenas o suficiente.

11-Qual palavra define o que você está sentindo esse exato momento?
Dúvida. Será "qual" ou "Que" palavra? Esse novo acordo dá cabo de mim.
Os blogs que escolhi para o próximo jogo:

Educar em Português
O Mundo Catita da Rita ♥.
A Sala da Carmo
Sala da Marta
No Mundo das Crianças
Caixinha de Sorrisos
às nove no meu blogue

A História das Carochinhas
Este é meu!
Manias de ser MÃE
blogue da Martinha

As perguntas que eu faço a estes blogues:

1- Quando começou a blogar?
2- Escrever pode ser: um vício, uma obrigação ou um prazer?
3- Que qualidade mais gosta de ver numa pessoa?
4- Qual a primeira coisa que faz quando se levanta da cama?
5- Que livro está a ler neste momento?
6- Que pessoa você tem mais saudades?
7- Que cheiro lhe traz mais recordações?
8- Qual a viagem que nunca fez e que quer mesmo fazer?
9- Faria tudo por amor?
10- Acredita no Pai Natal ou no Menino Jesus?
11- Os seus filhos (ou sobrinhos, irmãos mais novos) ainda esperam pelo Pai Natal?

O "Re(c)tângulo"

Ontem foi um dia especial para mim. Foi o lançamento daquele que foi o meu primeiro livro. O meu e o da Donzília Martins, do Eugénio Bernardes, do Humberto Oliveira, do João Barreta, da Marta Martins Silva, da Raquel Silva e do Vitor Batista. O "Retângulo" nasceu de oito contos, que foram escolhidos de entre uns cem retângulos que concorreram. Eu gosto imenso de escrver, mas nunca tinha tido a oportunidade de editar nada e por isso esta experiência foi tão importante para mim. Fiquei orgulhosa de fazer parte deste trabalho e o resultado foi um livro que vou guardar com todo o carinho, por ser o primeiro com o meu nome, a circular nas livrarias.

Foi o meu primeiro lançamento e não posso dizer que tenha corrido mal, aliás, não correu porque cheguei na parte final, já depois do lançamento em si, de cantarem os parabéns à "Alfarroba" e de cortarem o bolo. Saímos de casa a tempo e fomos buscar a avó, o Martim a dormir no banco de trás e nós dois convencidíssimos que seria fácil encontrar algo na Cidade Universitária. O Museu da República? Não ninguém ouviu falar, ninguém conhecia nada ali com aquele nome. Bati a inúmeras portas, descobrimos outros museus, a Torre do Tombo estava fechada, as faculdades e universidades, desertas, exceto um grupo de escuteiros que se passeava por ali. Ninguém sabia nem havia sinais, placas ou indicações que nos dissessem onde era o dito cujo. Depois de uma hora às voltas, conseguimos aceder ao email através do telemóvel e chegar a um número de contato. Após várias explicações que nos levaram a perder mais duas vezes, lá chegámos a um sítio que não tinha nada a ver com a Cidade Universitária que eu conhecia. Já tinha terminado tudo naquele momento, mas ainda havia um lugar vago na mesa para me sentar e assinar alguns livros. Não deu para conhecer melhor os outros autores - dos outros 4 que lá estiveram ontem. No fim trouxe 10 livros, um dos quais assinado pelos outros autores presentes no lançamento do livro.


Gostei de partilhar este dia com o Paulo, o meu filhote Martim e a avó Clarisse. Sempre presentes nos momentos bons e maus da minha vida. Não tive grande vontade de convidar mais pessoas, até porque as que quiseram saber de mim, sabiam onde eu estava. Agora resta-me ler o livro e conhecer os contos dos outros autores. E vocês se tiverem curiosidade, comprem o livro. Obrigado.

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Projetos com bebés?

Em creche, os projetos são possíveis. Mas como?

Os projectos com bebés têm os seus temas derivados basicamente da observação e da leitura que a educadora realiza do grupo e de cada criança. Ela deve prestar muita atenção ao modo como as crianças agem e procurar dar significado às suas manifestações. É a partir destas observações que ela vai encontrar quais os temas, os problemas, a questão referente aos projectos. São pensados em moldes diferentes do que os projetos dos mais velhos. São uma construção do dia-a-dia, da relação dos adultos com os bebés e dos adultos entre si. Tem como primeiro objetivo o desenvolvimento são e harmonioso do bebé, como um todo.

O trabalho com bebés e crianças mais pequenas faz-se na relação entre o educador e o bebé, na sua motivação para o abraçar e acarinhar e para o entender. Mãe de um bebé de dois anos, é para mim ainda mais real que estas manifestações de carinho e de mútuo entendimento, valem mais do que mil palavras e do que atividades feitas só por si sem nexo nem objetivo. Eles aprendem mais da exploração dos objetos e do seu próprio corpo, bem como da cinestesia entre estes dois vetores. O material educativo, é muitas vezes, se não supérfulo, apenas um recurso a usar. Uma roca, um carro, uma bola são coisas que se tornam extensões da própria criança e dos movimentos que ela faz com eles. O que importa é a forma como leva as mãos à boca ou mexe nos próprios pés, como consegue segurar uma argola entre os dedos, é o chutar, o atirar, o agarrar, o brincar, não o objeo em si mesmo.

domingo, 28 de outubro de 2012

A linguagem e as primeiras palavras

Tenho ouvido algumas mães dizerem que os bebés falam muito, outras que acham que o filho fala pouco ainda. O meu fala a língua dele, mas nós em casa cá nos vamos entendendo. Ele comunica à maneira dele. E hoje por acaso passei neste artigo do site da Dodot. Não será dos mais oficiais, mas diz de uma forma clara e objetiva, alguns pontos fulcrais a ter em atenção nesta fase.
O momento para começar a falar varia muito. Para as crianças que ainda não falam, a melhor maneira para avaliar a sua progressão é observar a sua linguagem gestual. Se o seu bebé consegue gesticular claramente e utiliza o seu corpo para comunicar, significa que já entende os conceitos básicos da comunicação. É provável que nem sequer se aperceba de que já está a falar sem parar. As crianças que já sabem falar também utilizam a linguagem corporal, geralmente quando não podem expressar verbalmente o que querem. Eles apontam para as coisas e fazem mímica para demonstrar o que querem. Se quer que o seu pequeno utilize palavras, pode dizer-lhe coisas como, 'acho que sei o que queres, mas porque não tentas dizer-mo?'. Tente. 'É um camião... ou uma casa... ou uma boneca?' É provável que a criança tente imitar a palavra. Responder às intenções do seu filho é muito mais útil do que corrigir o que ele diz.

Nota: Se o seu pequeno não utiliza gestos nem palavras para comunicar, informe o pediatra. Pode acontecer que precise de uma avaliação mais profunda.


35 anos.

Hoje os Bombeiros Mistos do Concelho do Seixal festejaram o seu 35º aniversário. O dia começou cedo, com um desfile temático no Seixal em que foi possível voltar a ver a viatura da Mundet e os "seus bombeiros", bem como todas as valências da nossa Associação representadas. Eu tive o prazer de conduzir a formatura dos Infantes e Cadetes, realidade que há uns anos não se via no nosso quartel, mas que este ano fizémos renascer.

O dia continuou, com convívio e desfile apeado, seguido da promoção dos nossos novos bombeiros e sessão solene - essa parte era a que dispensávamos, mas tal não é possível - e agora um jantar convívio entre bombeiros, comando, direção, família e amigos. Um dia que se teve cheio de sol, como se quer no Verão de S. Martinho que nos apareceu mais cedo, talvez como uma benção, de S. Pedro, padroeiro do nosso Seixal.




Felicidades a todos os Bombeiros. Os mais velhos, que hoje nos presentearam com a sua presença, os mais novos que hoje começam uma nova etapa de responsabilidade na sua vida e os pequenos que um dia, talvez, sigam as nossas pegadas e se tornem homens e mulheres empreendedores e responsáveis.

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Cinco de Outubro.

Ensina-se na escola o significado deste dia, pergunta-se na rua se sabem porque hoje é feriado... Para o ano, não haverá feriado será mais um dia igual aos outros. Se hoje muitos não sabem porque é feriado, para o ano, mais ainda nem saberão que dia é.
E assim vai o nosso país.

sábado, 29 de setembro de 2012

Próximo Workshop


Público-alvo: População em geral; profissionais na área da educação, geriatria; forças de segurança pública; serviços de atendimento ao público, outros…


Plano:
• Sistema Integrado de Emergência Médica - Onde me enquadro e que funções desempenho?
• Noções de funcionamento da Cadeia de Sobrevivência – Como posso pedir ajuda?
• Medidas de segurança - Que precauções devo tomar?
• Abordagem da vítima
•Suporte Básico de Vida Pediátrico
•Desobstrução da via aérea



Local: Quartel-sede Bombeiros Mistos do Concelho do Seixal
Alameda dos Bombeiros Voluntários, 2840-395 Seixal
Horário:
Inicio às 9:00 – Fim às 13:00



Custo:

Sócios 10€

Não Sócios 12,50€

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Apetece-me... falar de bebés!

Não vos apetece?
Bebés pequeninos que sairam agora da barriga da mamã e que ainda trazem a forma da barriga, tão recém-chegados que são. E nas minhas pesquisas, assim do nada, achei este artigo da revista Pais e Filhos deste mês, que aqui partilho. Um artigo sobre os reflexos dos bebés - apenas por curiosidade - e a forma como desenvolve a sua locomoção. É que olhando para o meu com 2 anos feitos, até parece que já nos esquecemos como ele foi pequeno e frágil.

"Quando o bebé nasce, traz ainda a forma da barriga da mãe. Vem enroladinho, pernas e braços encolhidos, como que a proteger-se do mundo novo que o espera. Lentamente, vai desenrolando, perdendo a estranheza e ganhando a curiosidade. Quer ver tudo, saber tudo e para tal terá de se mexer. Os primeiros movimentos executados por um bebé são tentativas de explorar as superfícies que o rodeiam. O sentido do tacto está bem ativo e é por isso que o colo o acalma mais do que tudo. É normal também o bebé agitar muito os braços e as pernas durante as primeiras semanas. São contorções que mostram que está pouco confortável, infeliz ou muito estimulado. Cedo descobre que se fincar os calcanhares é impulsionado para cima. Daí que, quando deixamos o bebé sozinho no berço, ele suba até bater com o topo da cabeça na cabeceira. É a sua primeira forma de locomoção. Muitos dos primeiros movimentos do bebé são reflexos, que vão desaparecendo ao longo dos meses. Por exemplo, sempre que o bebé, deitado de costas, vira a cabeça para o lado, provoca a extensão do braço do mesmo lado, enquanto o outro se mantém encolhido. Esta postura é chamada de reflexo tónico-cervical ou de reflexo de esgrimista, pois faz lembrar as posições de esgrima. Serve para que o bebé possa descobrir a mão e desaparece antes de conseguir rolar, o que acontecerá por volta dos três meses. Nessa altura, já estará completamente esticado e pronto para rolar sobre si próprio. É mais fácil virar-se estando de barriga para baixo, embora alguns bebés comecem por virar mesmo estando de costas. Rolar é mais uma etapa no rápido desenvolvimento do bebé. Deve ser encorajado e aplaudido. Mas como não se sabe quando este dia vai chegar, o mais seguro é nunca deixar o bebé sozinho no muda-fraldas ou na cama de casal, mesmo que seja só por um instante. Pode rebolar e cair. É que cada etapa alcançada traz sempre uma alegria e um motivo de cuidado."




sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Workshop sobre Trauma!

Os acidentes acontecem. Em todo o lado e a todo o instante. Em casa, na rua ou no nosso local de trabalho. Por isso é tão importante saber como agir e sabê-lo bem, para:

- prestar um rápido auxílio;
- ajudar a vítima, sem agravar o seu estado de saúde;
- não nos colocarmos a nós e aos outros em perigo;

Foi a pensar nos acidentes domésticos (quedas, feridas provocadas por utensílios de cozinha...) nos acidentes com crianças (hematomas, quedas no parque...) e nos acidentes que podemos assistir na rua (rodoviários, atropelamentos...) que criámos este workshop.

Realiza-se já amanhã no quartel sede dos Bombeiros Mistos do Seixal, das 9h às 13h.
Ainda estamos a aceitar inscrições, por isso não hesitem em participar. Podem inscrever-se através de um email para workshop.bmseixal@gmail.com

Vamos falar de situações de trauma e o que fazer perante cada uma delas, vamos ensinar técnicas de imobilização e de controlo de hemorragias e vamos ainda responder a muitas das vossas questões.

Apareçam!

domingo, 9 de setembro de 2012

O bebé e os objetos de afeto

O seu bebé tem um objeto ou peluche que leva para todo o lado? Estava aqui a lembrar-me que o meu filho nunca teve um boneco especial que levasse sempre com ele. Gosta de vários e consoante a sua vontade, ora lhe apetece dormir agarrado aos tambores, ora se deita com os peluches... ora chega à cama e empurra de lá os bonecos todos e dorme sozinho. Nós nunca impusémos nada. Ontem, por exemplo, adormeceu agarrado a um boneco do Ruca, enorme e que ocupava mais espaço que ele na cama.

Até agora o Martim ainda não se agarrou a nenhum brinquedo em especial. Adora as suas bolas e os carrinhos servem para levar para a cama e para brincar até adormecer, mas pode ser um ou o outro, não mostra ter preferência por um único. No entanto, muitas crianças começam nesta idade a mostrar preferência por um determinado objecto transitivo. Mas o que é isso e o que representa para a criança?

Este termo foi inicialmente criado por Donald Winnicott em 1953, para denominar um objeto concreto selecionado e preferido pelo bebé e pela criança pequena em certas situações com vista a alcançar a tranquilidade. Este objeto pode ser um ursinho de peluche, uma fralda, um cobertor, etc.

Em termos psicológicos, o objeto transitivo constitui um tipo de mediador entre o mundo interno do bebé ou criança e o mundo externo, a realidade que o envolve, já que, apesar de ser algo palpável, é investido de simbolismo e significado subjetivo.

Segundo Winnicott, esta capacidade de utilização por parte do bebé de um objeto transitivo consente e permite a transição da primeira relação, que é oral, que tinha com a mãe, para a verdadeira relação de objeto. Este objeto é sentido como algo quase inseparável do bebé, mas em simultâneo representa a posse de algo que não é ele próprio, mas que é verdadeiramente só dele.

A função deste objeto prolonga-se durante toda a vida, como algo que é pertencente tanto ao imaginário como ao mundo real. Pode ser manifestado em vários tipos de experiência, mas especialmente nas atividades de criação sejam elas artísticas, culturais ou religiosas ou outras, que representam a capacidade do sujeito de se poder localizar no domínio do imaginário e da ilusão.


In.: http://www.infopedia.pt/$objecto-transitivo

Quem fez aninhos, quem foi?

O meu bebé!
Fez dois aninhos no dia 6 de Setembro. Está um menino grande!

Festejamos no próprio dia com um bolinho de iogurte com cobertura de chocolate, depois do jantar. Ele estava contente em ter gente lá em casa que não é habitual e em abrir alguns presentes. O que de certeza mais gostou foi a bateria que o meu pai lhe ofereceu! Acabou-se o sossego lá em casa! Ainda por cima, pusemos o videoclip dos Xutos a passar na Tv e o rapaz delirou... já é fã!

Ontem foi o batizado dele. Foi uma festa muito grande, que nos deu um grande trabalhão, mas no fim valeu a pena. Só tenho a agradecer às pessoas que me ajudaram a pôr de pé esta festinha e a dedicá-la ao meu filhote.
Ele portou-se muito bem e, memo na igreja, estava bem disposto. Acho que ele entendeu que algo de especial se estava ali a passar e que era o centro das atenções. Agora quando vê que estamos a falar dele, faz uma cara de envergonhado, e começa a esconder o riso.
Delícioso.
Fartou-se de brincar e de correr. Deixámo-lo bastante à vontade, pôde ir à mesa escolher o que queria comer e brincou livremente. Portou-se muito bem! Chegou a casa de rastos de tão cansado que estava e adormeceu agarrado ao Ruca (o boneco é quase do tamanho dele e ficou sentado a conversar com o boneco, depois deitou-se abraçado a ele e a um cão de peluche e adormeceu) e hoje de manhã até deu pena ter de o ir acordar.

Parabéns meu pequenino.
E parabéns ao meu pai que fez aos no mesmo dia do meu filho também.

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Para a próxima consulta

Está quase no dia da próxima consulta do meu bebé e estou bastante ansiosa. Então eu não sou tão estúpida que nunca me tinha apercebido que a pele da pilinha dele estava tão presa? Não desce nada e possivelmente já só lá irá com cirurgia. Estou preocupada com tudo isto e com as dores por que ele terá de passar.

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

De bebé a menino!

Ainda é o meu bebé. O meu bebé que encho de mimos e de beijos sempre que posso.
Mas já dorme sozinho na cama dele. Adormece com os bonecos e não precisa de mim lá nem do biberão do leitinho. Já não precisa da fralda para dormir e não fez nunca chichi na cama. Come sozinho e bebe leite do copinho - com muitas nódoas na roupa é claro!
Mas já é um menino crescido!

domingo, 19 de agosto de 2012

Sem fraldas!

A noite passada o Martim já dormiu sem fralda. Boa!
e sem asneiras nenhumas! Em contrapartida, ontem no café do meu pai fez chichi duas vezes nas cuecas e em casa fez cocó... sem comentários.

terça-feira, 14 de agosto de 2012

"Oh mamã!"

E foi com um "oh mamã" que ele me levou na certa, e se desfez em lágrimas nos meus braços. E depois adormeceu. Mas não sem antes ter mostrado que estava deveras chateado comigo - por ter ficado dois dias sem me ver? claro... - fazendo asneira atrás de asneira e fugindo de mim quando lhe tentava pegar, ou respondendo um redondíssimo "Não!" quando lhe pedia um beijo.
É que por via de eu ter saído tarde no domingo e o ter deixado mais essa noite na casa dos meus tios, ele pareceu ficar sentido comigo. Ontem presenteou-me com um "Oh mamã" que me fez quase ir às lágrimas e com uma chilreada de palavras que não entendi mas que o significado poderia bem tentar adivinhar... e não eram todas bonitas de certeza!
Depois eram quase duas da manhã saltou para a nossa cama e veio dormir o resto da noite abraçado em mim, apertando-me cada vez que eu me tentava mexer. Tão bom, sentir assim as saudades dele. Vale por tudo. Vale por hoje eu estar aqui de serviço e dormir longe dele e, já sentindo a falta dos seus abracinhos, trocar o turno de amanhã para enfim poder dormir em casa. Aqueles minutos de mimo antes de adormecer valem tudo.

sábado, 11 de agosto de 2012

Sem nós.

O meu filho foi passar o fim-de-semana a casa dos meus tios. Está sem nós, hoje e amanhã.
Liguei já duas vezes e nem quis saber de mim. Estava a brincar. Ora isso é muito mais importante do que falar com a chata da mãe.
E nem 2 anos tem... quando tiver 10 ou 12 escuso mesmo de lhe ligar. Mas claro que vou continuar a fazê-lo.

Mesmo assim pequenino, a verdade é que não estranha ficar fora de casa. Ora na casa da avó, ora na casa da ama que tão bem cuida dele. Ou nos tios. É porque é preciso, porque nós pais temos mesmo de trabalhar e porque no nosso trabalho ele não pode ir connosco. E porque temos de estar descansados porque nem sempre saímos a horas nem sabemos a que horas saímos.
Esta noite nem é das piores porque vamos dormir em casa, mas os horários ficam facilitados ficando ele com alguém que o possa deitar cedo e levantar um pouco mais tarde. Amanhã às 8h estou de volta ao quartel e o pai em Lisboa a pegar na ambulância também... É assim, nós na correria e ele de férias. Pais desnaturados? Talvez, mas ele um dia vai compreender.

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Sobre nós.

Ontem adormeceu na minha cama, serenamente. Porque eu quis, porque tinha saudades do seu cheirinho a bebé.
Porque sim. É bom e eu gosto. E ele também.
E porque não faz mal mimar.

sábado, 4 de agosto de 2012

O lúdico tem lugar na sala de aula?

"Brincar com crianças não é perder tempo, é ganhá-lo. Se é triste ver meninos sem escola, mais triste ainda é vê-los sentados, enfileirados em salas sem ar, com exercícios estéreis, sem valor para a formação do homem”.



(Carlos Drummond de Andrade)

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

E este, alguém quer comentar?

"Valorizar o lúdico, significa levar o brinquedo para a sala de aula e também munir os profissionais de conhecimentos para que possam entender e interpretar o BRINCAR, assim como utilizá-lo para que auxilie na construção do aprendizado da criança."
"A relação da brincadeira e o desenvolvimento da criança permitem que se conheça com mais clareza importantes funções mentais, como o desenvolvimento do raciocínio e da linguagem."
(DRUMOND, Simone Helen. A ludicidade do século XXI ainda na visão de Dom Bosco e Madre Mazzarello, 2010.)




terça-feira, 31 de julho de 2012

O seu filho é uma boa pessoa!

Hoje estou de voluntário aqui nos bombeiros e aproveito as horas mortas para completar o curso de e-learning que estou a fazer e para ver os meus emails- Enquanto passava por mensagens já algo antigas, revi uma que tinha guardado para ler mais tarde. É sobre um excerto de um livro. Fiquei com vontade de o ler...

Conhecem o Dr Carlos Gonzalez? Já me tinham falado dele em diversas ocasiões, mas nunca li o livro dele. Partilharam comigo um excerto do livro “Besame Mucho” do Dr. Carlos González. Adorei e vou agora partilhar convosco. Depois digam lá que ele não tem uma perspetiva interessante do crescimento, dos afetos e da relação mãe-bebé?

"O seu filho é uma boa pessoa
... de facto, não sei para que serviria ter filhos, se não pudéssemos confiar neles.
CHARLES DICKENS, Nicholas Nickleby
Muitos especialistas, provavelmente bem-intencionados, falam-nos dos problemas comportamentais das crianças. Existem problemas de alimentação, problemas de sono, ciúmes, violência, egoísmo... Toda a gente nos fala dos problemas dos nossos filhos, como detectá-los, como preveni-los ou como solucioná-los, de como nos «manipulam» e a razão por que é preciso estabelecer limites. Ninguém nos lembra que os nossos filhos são boas pessoas. E são-no. Têm forçosamente de o ser. Nenhuma espécie animal poderia sobreviver se os seus indivíduos não nascessem com a capacidade de adquirir o comportamento normal dos adultos e com a tendência para o fazer. Não é necessário muito esforço para ensinar um leão a comer carne e uma andorinha a voar para África. O que é difícil, o que requer métodos de educação absolutamente aberrantes, seria conseguir um leão vegetariano e uma andorinha que não emigrasse. A imensa maioria dos recém-nascidos, quando criados adequadamente (isto é, com amor, respeito e contacto físico), serão crianças normais e, mais tarde, adultos normais. O ser humano é um animal social e, por isso, a capacidade para amar e ser amado, respeitar e ser respeitado, ajudar os outros e obter ajuda dos outros membros do grupo, compreender e respeitar normas sociais (em resumo, ser uma boa pessoa) são aspectos normais da nossa personalidade. A educação esmerada, a religião ou a lei podem dar-nos outras coisas; mas não são imprescindíveis para se conseguir ser uma boa pessoa. Os nossos antepassados, sem dúvida, já eram boas pessoas quando viviam em grutas, do mesmo modo que as galinhas são «boas galinhas» sem necessidade de escola ou de polícia.

E alguém arisca comentar?

sábado, 28 de julho de 2012

Quem arrisca comentar?

"A capacidade de brincar abre para todos: crianças, jovens e adultos, uma possibilidade de decifrar enigmas que os rodeiam."



"A brincadeira é o momento sobre si mesmo e sobre o mundo, dentro de um contexto de faz-de-conta."
(DRUMOND, Simone Helen. A ludicidade do século XXI ainda na visão de Dom Bosco e Madre Mazzarello, 2010.)

sexta-feira, 27 de julho de 2012

O Martim no carnaval de verão

Uma noite muito boa, maravilhosa, que eu e o meu filho adorámos! Ele sempre gostou de música, principalmente de "tum-tuns" como ele mesmo lhes chama. Olha para trás e espera o resto da bateria da escola de samba, que faz ecoar a sua música pela vila. A ele, não faz confusão o barulho, nem a confusão das pessoas que se aglomeram rua fora a ver-nos passar. Não se importa com a roupa, nem com a cara pintada.
Com o avançar da noite, os olhos começam a ceder e a querer fechar-se... mas ele continua até ao fim da avenida, rua abaixo, até acabar, sem se sair vencido.
Filho meu, que tanto amo, tal é o orgulho que tenho de ti e tal o orgulho que sentia ao ver-te desfilar. O meu pequeno lobisomen!

Alguém quer comentar?

"Brincar hoje nas escolas está ausente de uma proposta pedagógica que incorpore o lúdico como eixo do trabalho infantil."
"A escola simplesmente esqueceu a brincadeira, na sala de aula ou ela é utilizada com um papel didático, ou é considerada uma perda de tempo."

(DRUMOND, Simone Helen. A ludicidade do século XXI ainda na visão de Dom Bosco e Madre Mazzarello, 2010.)










sábado, 14 de julho de 2012

A pasta dos trabalhos do meu filho

Ou como poderia escrever, a pasta dos "trabalhinhos" se os quisesse desapreciar - o que não é de todo o caso - pois, ele não está na idade de fazer trabalhos nem de (como li mesmo agora num outro blogue num post que amei e comentei logo) estar a ser "puxado".
Ontei, na casa da ama do meu filho reparei nalguns trabalhos expostos na parede e fui ogo "cuscar" - eram dos mais crescidos, cada um diferente do outro, explorando técnicas e materiais diferentes - e o Martim, que estava ao meu colo quis deitar logo a mão. "Não são teus amor," disse-lhe e a ama mostrou-me os "dele". Numa pasta azul, estavam guradadas já as suas poucas obras de arte. Numa folha vários riscos (da sua mãozinha de 22 meses) ao lado de alguns bonecos. "São da M. esses, apanhei-a já ela tinha desenhado na folha do Martim" - esclareceu-me a ama. Claro que eu sabia que aqueles traços, ainda infantis, mas mais definidos, eram de uma criança mais velha e sabem que até me agradou que ela tivesse guardado aquela folha? Ele tem ali as suas tentativas de desenhar - livremente -  e o modelo de uma menina de 3 anos, que na sua ingenuidade o quis ensinar a fazer como ela. É tão bom não é? E assim eles estão a crescer juntos, a servir de modelos uns para os outros, a ensinarem-se mutuamente.
Noutra folha, uma gravura foi pintada pelo meu filho, com traços retos e usando a sua força na folha para conseguir nela transpor a cor. Ali não importava o desenho previamnete marcado, nem o limite das linhas - isso nem devia lá estar - importa a forma como, tal como os mais velhos que pintavam com cuidado dentro das linhas, ele quis tentar também participar numa atividade como os outros. Não ficou no chão com os legos, quis sentar-se, quis pôr-se de joelhos, quis chegar à mesa e pintar. Melhor que tudo, participar.
Tão bom!

domingo, 8 de julho de 2012

Mais um dia...

... aqui enfiada. Não se passa nada. Tudo calmo.
Antes não me custavam tanto passar os fins de semana no quartel, mas agora teria muito mais prazer em estar em casa com o meu filhote. Vida de mãe muda muita coisa - até os nossos gostos.

domingo, 1 de julho de 2012

Já abriu!

Conhece Pé de Moleque?
E cocada branca, já provou?

Apareça no Duplo Sabor e prove as nossas especialidades!
Duplo Sabor é um café - snack bar que junta o melhor da comida portuguesa com as especialidades brasileiras. Prove as nossas saladas e as nossas baguetes!

Ótimos sabores, bem perto!
Centro Comercial da Amora - junto do ginásio. Só hoje: Café e bolo apenas 1 euro!

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Duplo Sabor

Olá caros amigos e seguidores do meu blogue.
desta vez venho aqui só para vos dizer que este Domingo, dia 1 de Julho, o meu pai vai inaugurar o seu novo café.
Fica no Centro Comercial de Amora, no último piso, junto do ginásio e chama-se "Duplo sabor". É um espaço agradável, decorado de forma leve em tons de laranja e onde se poderão provar algumas especialidades a preços bastante convidativos. A zona convida a um passeio pelo jardim das Paivas, a visitar as lojas do Centro Comercial e a um fim de tarde calmo, com uma bebida fresca e, quem sabe uns caracóis para abrir o apetite para um jantar leve.

Estarei por lá e conto com a vossa visita!

segunda-feira, 25 de junho de 2012

E o bom tempo...

... continua, mas as férias estão a terminar. Nos últimos minutos das réstia de um fim de semana, deu para visistar Sesimbra, as festas de S. João, a casa do meu pai. E ontem, para passear, sentir o calor torrar as pernas e a água fria do tanque a arrefecer no fim de tarde regado com caracolado!
E assim acabam uns dias que, além de bons, foram diferentes nas experiências, nas visitas, nos sabores. Acabou o tempo livre para ler sem hora de deitar... e ainda tenho de terminar os livros que trouxe da biblioteca, devolvê-os e pensar nos próximos que trarei comigo para casa - pequenos prazeres que não dispenso, mesmo quando os dias são de trabalho.

 Cheira a Verão.
Amanhã regresso ao trabalho.

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Pormenores II

 Fontanário.
Estói.

 Fontanário.
Estói.

Martim.

Pormenores.

 Ruínas Romanas. Estói.
Visitas por 2€, adultos.

 Aldeia de Castelão.

 Andorinhas. Estói.


Miradouro.
Perto de Cova da Muda.

domingo, 17 de junho de 2012

Férias em terras algarvias!

Está uma algarviada aqui por "casa". O Martim está a jogar à bola com a avó e com o pai. A esta hora está cheio de energia... e nós a cair de podres! Ontem era uma da matina e ele ainda estava acordado - vai sair daqui todo com os horários todos baralhados.
Chegámos ontem à tarde, hoje já houve direito a piscina e passeio até ao alto da Serra de Monchique. Eu e o pai fomos ao ginásio - algo que nunca fazemos, por isso amanhã esperam-se muitas dores nas pernas.
Está tudo a correr bem. E ainda por cima Portugal ganhou à Holanda e passou mais uma fase, algo que quase ninguém esperava.

domingo, 10 de junho de 2012

Aquilo porque nos perdemos...



Atuação da Escola de Samba Batuque do Conde, na Feira Festa, sábado.

E aqui andamos...

...a aproveitar os dias de férias.
Na sexta fomos ao parque brincar. Estava lá a ama do Martim e duas meninas que andam com ele também. Ele ficou muito feliz de as encontrar. À tarde fomos passear com o papá e à noite fomos à feira Festa na Quinta do Conde. Cansado como estava ia a dormir no carro, mas quando tocou a Batuque do Conde ele lá estava de cabeça no ar e a dançar ao meu colo - vibra com samba, batucada...

Ontem levei o Martim à natação, depois fomos ao parque brincar um bocadinho.
À tarde, fomos à escola de samba. Já não iamos lá há tanto tempo! Que saudades. Houve ensaio de bateria e depois uma caracolada, enquanto assistíamos ao jogo Portugal-Alemanha. O Martim fartou-se de tocar (tambores e baterias é com ele) e nem enquanto comia o caldo-verde largou as baquetas nem o instrumento. (E eles ainda são piores que o meu filho - fazem-lhe as vontades todas).

Hoje o tempo está só a fazer caretas. Acordámos cedo e já andámos a brincar e a fazer desenhos com lápis de cor e de cêra. Agora está a dormir a sesta. Depois temos de ir buscar a mana para vir brincar também!

Bom feriado!

sexta-feira, 8 de junho de 2012

: (

Acho que ele está adoentado... mas ainda não percebi o que tem.

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Desejo um bom Feriado.

Bom dia!
Eu continuo aqui no quartel. O meu filho está na avó. Portou-se lindamente de noite, dormiu bem sempre agarradinho na avó.
Já só faltam umas horinhas para estar com ele outra vez. Saudades!

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Jornada de 36 horas...

... no quartel. Sim estou de férias mas é assim que isto funciona - para ganharmos mais uns trocos ao fim do mês, lá nos sujeitamos a mais umas horinhas de serviço - e a mim o dinheiro faz-me falta. Se bem que me sabia bem melhor estar em casa com o meu filhote.
Hoje ficou com o pai e passou aqui para me visitar de manhã e à tarde novamente (e para ver os "nonis"). Já não fazia Ecin's desde que engravidei dele.
Esta noite fica a dormir na casa da avó. O pai vai trabalhar para o Inem.
Amanhã também vai ficar na avó. Eu vou continuar por aqui e o pai vai estar por Cacilhas. Tem de ser assim.
Mas confesso que me custa um pouco (ou muito) despedir-me dele e vir trabalhar à noite.

terça-feira, 5 de junho de 2012

Na cama nova...

...desde dia 28 de Maio. Fomos buscar a caminha no dia anterior e na segunda deitei-me lá com ele, mais para ver como reagia. Afinal dormiu lá a noite toda. Fica uma luz acesa no corredor e quando acorda de noite chama por nós. A cama é baixinha e ele desce sozinho. Não tem grades.
Está um homenzinho o meu bebé!

A verdade é que eu já esperava este momento há bastante tempo, mas o pai não estava muito virado para aí. Afinal correu super bem e ele gosta mesmo da cama nova. A ama ofereceu-lhe uma almofada no dia da Criança e uma amiga minha está a fazer-lhe um tapete em trapilho. Eu pintei a cómoda dele com várias cores. O quartinho dele felizmente já se parece um quarto de rapazinho! E ele passa mais tempo lá agora do que passava antes.

Umas vezes no bacio...

...outras no chão! São estas algumas das novidades que temos para contar.
O Martim já usa o bacio e têm-se estado a portar bem. Começamos mais a sério  no dia 13 de Maio, aproveitando os dias mais quentes e logo na segunda-feira seguinte levou cuequinhas para a ama. Na terça, mandei-o de cuecas vestidas logo de manhã e não fez nada durante a viagem. Lindo bebé! Depois na quarta-feira, foi novamente de cuequinhas vestidas e ficou assim o resto da manhã. Daí por diante tem sido sempre assim. Usa fralda só para irmos à rua ou para dormir. Só que às vezes, como hoje, mesmo que o ponha várias vezes no bacio, refila que não quer estar sentado e acaba por fazer chichi no chão.

Outra coisa que tenho reparado e que não sei até que ponto não tem a ver também com isto, ele agora tem feito cocó todos os dias e até mais do que uma vez por dia. Era um bebé muito preso dos intestinos, mas ultimamente tem sido o inverso. Não sei se é do calor, da comida, ou se é da posição em que se senta no bacio e faz força. Temos diminuído em muito o número de fraldas gastas cá em casa. Quando quer cocó ou chichi pede (às vezes) ou só faz quando o sentamos no bacio. As fraldas muitas vezes aguentam as idas à rua ou a sesta sem qualquer molhadela.

Fora de horas.

Claramente e com tanto por fazer ainda. Mas já não passava aqui à tanto tempo que deu saudades.
Estou de férias, o meu menino está a dormir desde as 22h30m e eu agora pude parar um pouco e vir até aqui espreitar. E deixar-vos um beijinho.

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Hoje é dia da Criança.

E de manhã perguntaram-me assim: "Que vais dar ao teu menino?"
E eu: "Nada."
"Mas é o dia da criança..."

Sim, não me levem a mal, mas ele ainda não percebe. Vai brincar com os amigos, vai participar nas atividades com a ama. Tem tudo o que lhe faz falta. Não tem uma prenda paar desembrulhar. Paciência. Vão haver outros anos e ele aí vai começar a pedir brinquedos e coisas que nessa altura terei de decidir se posso dar ou não.

Feliz Dia da Criança.

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Momentos.

Tenho andado ocupada e por isso tem sido muito difícil passar aqui e trazer-vos novidades ou partilhar das vossas (aqueles que sigo com mais frequência e que não tenho visitado, que me desculpem). Convido-vos a dar uma espreitadela aqui: http://workshop-bmseixal.blogspot.pt/
Foi uma experiência muito interessante. Correu muito bem, apesar de muitas bocas maldosas acharem (ou desejarem) que iríamos falhar. Não falhámos e esperam-se mais ações destas. Já participaram em algo semelhante? Como correu convosco? Eu estava super nervosa. Acho que, no fundo, estávamos todos com medo que não aparecessem as pessoas esperadas ou que cometessemos alguma gafe! Foi uma experiência muito boa e aprendi muito com todo o processo.

O próximo será sobre Prevenção na Época Balnear. Não deixem de se inscrever.

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Dia de casamento

No dia 19 de Maio, jntaram-se para contrair matrimónio Ana e Afonso Mariano. Até aí tudo bem... não fosse haver miúdos à mistura, uma madrinha que passou o dia a embirrar com os sapatos e com a relva... um pai da noiva atrasado (tanto que a senhora do registo se foi embora e só voltou mais tarde)... uma noiva a dar mama no copo de água... uma mota, um mini, e outros precalços que fizeram deste um dia ainda mais especial.

Entre sorrisos e lágrimas, felicidades para os noivos e que tudo vos corra bem, nesta vossa vida já tão atribulada! Vocês merecem!

domingo, 6 de maio de 2012

Feliz Dia da Mãe!

Hoje é dia da mãe e por isso dedico este post a uma pessoa muito especial que já não se encontra entre nós. A minha mãe. Esta foto é dela comigo ao colo. Foi uma pessoa que teve de lutar pela vida e a quem a vida destinou um fim antecipado, mas que sei que nos amou até ao último minuto. E a ela agradeço a pessoa que hoje sou e a mãe em que me tornei.

Eu e o meu filho. No seu primeiro dia de vida, numa das primeiras tentativas para mamar. Num momento só nosso. Ser mãe é termos de pensar em nós sempre em segundo lugar. É ficar de barriga cheia quando o nosso bebé come bem, é ficar horas a vê-lo dormir sereno e sentirmo-nos felizes por isso, é ter alguém que nos levanta os braços a pedir ajuda quando cai a jogar à bola...
É tudo isto e muito mais, tanta coisa que aqui não caberia. Mesmo que o tempo não se esgotasse. Mesmo que eu conseguisse explicar por palavras o que é ser mãe.

sábado, 5 de maio de 2012

E nunca é de mais recordar!

Olá. Venho convidar-vos a participar no Workshop de Suporte Básico de Vida que se realiza dia 26 deste mês, pelas 9h. Tem a duração de 4 horas e o custo de 12.5€ para não-sócios e 10€ para sócios dos Bombeiros do Seixal. Estamos à vossa espera!
Inscrições pelo mail: workshop.bmseixal@gmail.com
Espero por vocês!


Como peixe na água!

O meu bebé já fez dois meses de piscina! Está a evoluir muito bem.

É o mais pequenito do grupo! Mas habitualmente isso nem se repara... hoje o professor pôs um step no fundo da piscina. Punhamos os bebés no step e eles lançavam-se de novo para os nossos braços. Quando foi a vez do Martim, o step andou para trás pelo menos uns 2 metros já que onde os outros meninos de pé tinham cabecita e peito fora de água, o meu ainda não tinha pé!

Já se solta para nadar quando lhe ponho as braçadeiras. Adora estar na água!

Imagens tiradas hoje na aula de natação do Martim, piscina municipal de Amora.

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Finalmente sexta!

E hoje tenho cá a minha afilhada a dormir. Montámos a cama dela na sala, o Martim está escantado a subir e a descer do sofá que agora se transformou em cama. Uma novidade para ele portanto!
E este fim-de-semana vai ser sempre a mil, com tantas coisas para fazer. O casamento da minha irmã está a aproximar-se e ainda tenho tudo por fazer e tempo quase nenhum para tudo...

quinta-feira, 3 de maio de 2012

Eu, ele e...

... os legos. Já não me lembrava como gostava tanto de brincar com legos. Agora é o nosso passatempo cá em casa. Ele gosta. Nós também.

domingo, 29 de abril de 2012

E ontem nem contei que...

... fomos à piscina. O papá foi assistir à aula, da bancada, e ainda tirou fotos nossas na água! O meu peixinho hoje até conseguiu ficar mais tempo "sozinho" a "nadar", que bom!
Depois fomos às compras, mas no regresso, com a tosse vomitou no carro! Uhg!

À tarde fomos à bebeteca, a um atelier de Música para bebés, o primeiro do Martim. Correu muito bem, eles eram muito simpáticos e cativaram logos os bebés com o seu tom de voz calmo e as melodias suaves e simples, a sonoridade de vários instrumentos e as canções e danças novas que aprendemos. Durante aquela hora, despertaram os sentidos dos bebés presentes e até as mães se soltaram e cantaram com eles em coro, com direito a cantiga de embalar e muitos miminhos. Eu adorei e o Martim estava encantado e portou-se muito bem. É uma experiência a repetir assim que houver oportunidade.

: ( segundos

Ontem à noite, mandei-o para a cama. Ele foi, ajudei-o a subir, deitou-se e puxou o lençol para cima. Lindo bebé da mamã que já entende tudo. Então chamei o pai e estávamos os dois à porta do quarto a vê-lo, quando, nem sabemos como se virou e caiu da cama contra a mesa de cabeceira. Sangue por todo o lado. Cortou o freio do lábio superior.
Hoje ainda tem o lábio um bocadinho inchado. Não comeu quase nada de manhã e agora não quis a sopa. Não sei se tem dores e por isso, por esta vez, não vou insistir muito com ele. Espero é que não tenha afetado os dentes.

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Maldito irs

Sim sou daquelas pessoas que deixa tudo para o último dia. E não consigo encontrar o código de acesso. E a esta hora que fazer? Aguardar por 2ª feira, ir de urgência às Finanças e rezar para conseguir enviar tudo no último dia. Todos os anos deixo para o fim, não há emenda!

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Workshop - Suporte Básico de Vida

Realiza-se no próximo dia 26 de Maio, no quartel dos Bombeiros Mistos do Concellho do Seixal, o Workshop "Suporte Básico de Vida - Adulto". Eu vou estar presente e agradeço desde já a vossa divulgação!
Não faltem, vamos tratar de assuntos muito importantes!

Estou preocupada...

... com o meu pequenino. Dormiu muito mal de noite - passei a noite em claro - e está muito queixoso. Não sei se é ouvidos, dentes ou outra coisa. Já liguei para a ama e continua murchinho, não quis comer e agora está a descansar. Vamos ver.

sábado, 21 de abril de 2012

Um, dois...

...três! E mergulha. Salta para a água sem medos.Pela primeira vez hoje consegui que ele estivesse dentro de água sem eu o estar a segurar. De braçadeiras, lá conseguiu encontrar o seu ponto de equilibrio, algo difícil, para o seu corpinho ainda de bebé. E eu ando cheia de vontade de voltar a praticar natação, também.

Depois da piscina fui deixá-lo a casa da madrinha e vim fazer o meu serviço voluntário. Cá estou, à espera que o tempo passe rápido para ir para casa descansar e brincar com o meu filhote lindo.

sexta-feira, 20 de abril de 2012

O meu bebé...

...está a ficar muito crecido! Já andamos a treinar as idas ao bacio. Ele já pede "mãe, à cocó" sempre que tem a fralda suja, ou quando quer fazer cocó. Fica bastante incomodado enão descansa até lhe trocarmos a fraldinha.

Nesta fase ando a tentar que ele se mantenha sentado no bacio, por alguns minutos. De manhã, à tarde quando vem da ama e, se possível, antes de ir dormir. O problema tem sido ele precisar de algo para se entreter, enquanto lá está. No outro dia, agarrou os lápis de cor e ficou entretido, mas no meio ia uma caneta e o resultado foi uma bela obra de arte nas pernocas! Ontem ficou a pintar as pernas com caneta mais uma vez, mas acabou por fazer chichi, levantou-se de repente e entornou tudo. Sem problema. Assim que o tempo aquecer, começamos a sério.

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Tocar!

"O toque é de primordial importância para o bem-estar, para a saúde física e mental da criança durante o seu desenvolvimento. E continua a ser de primordial importância para todos nós, toda a vida." (1)

Quando estou com o meu filho, apercebo-me que passo o tempo a beijá-lo, a fazer-lhe festas na cara e a agarrá-lo. Ao contrário de alguns bebés que se afastam perante a demasia de mimo das mães, o meu gosta e mostra-se feliz quando é acarinhado. Não é um bebé mimado. É um bebé feliz. Mas tudo depende do gosto da criança, que tal como nós, nem todos gostamos de ser constantemente apertados. O Martim, por exemplo, gosta de adormecer com um bracinho debaixo da minha cabeça e com a outra mão, vai-me mexendo na cara, no nariz, nas orelhas. Sempre o fez, mesmo quando ainda mamava, a sua mão livre estava sempre a mexericar, e isso sabia bem a ambos.

"Tocar, acariciar, fazer festas a um bebé, a uma criança é indispensável para que um e outra vão construindo a sabedoria dos contornos do seu corpo..." (1)

Beijar e acariciar não tem de ser considerado um comportamento negativo - apesar de haver pais que assim pensem - muito pelo contrário. Se nos culpamos tantas vezes por passarmos pouco tempo com eles, porque não aproveitar os momentos ternos do deitar e deixá-los adormecer agarradinhos a nós, enquanto lhes cantamos baixinho ou lhes contamos uma história? Não serão estes momentos também importantes e geradores de bebés e crianças felizes e seguras de si mesmas?

Bibliografia:
1 - EMPIS, Isabel Abecassis, "Materna mente - façam festas aos vossos filhos", Pais e Filhos, (nº 171); 

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Sem medo da água

Ainda que até aos quatro anos as crianças não estejam ainda preparadas para aprender a nadar, os bebés podem desfrutar do contato com a água da piscina e aproveitar os benefícios das atividades aí realizadas. O Martim começou no início de Março a ir às aulas de natação para bebés e o resultado tem sido excelente: adora estar na água, porta-se lindamente e está a criar laços comigo que nunca se irão desfazer. Disso estou certa! Nestas idades o objetivo principal é a diversão e a familiarização com o meio aquático, bem como o desenvolvimento psico-motor.

"O bebé vai descobrindo o seu próprio corpo e as suas habilidades através da sua própria investigação. E, uma vez ultrapassado o medo da água, o passo seguinte é desfrutar dela com a mãe ou o pai."(1)

O Martim tem ido sempre comigo e têm sido momentos maravilhosos. Ele adora água, e mesmo ainda mostrando pouca vontade de se afastar de mim, tenho notado que está mais à vontade dentro de água. Ainda não o mergulhei totalmente na água, pois ele já passou a fase do 1º ano e está mais consciente dos perigos e dos seus próprios medos - não querendo criar-lhe uma situação que se torne um fator de medo, evito o mergulho sem ele esperar, mas deixo que de vez em quando dê uns "pequenos mergulhos fortuitos" e beijo-o de seguida, acarinhando-o e incentivando-o a repetir a experiência.

Quem tiver dúvidas disso, experimente. Vale a pena e os benefícios são enormes. Aqui na piscina da Amora pago pouco mais de 15€ o que é suportável. Os balneários não são maus. A água é que (para mim) podia ser um bocadinho mais quentinha!

Bibliografia:
1 - Natação para bebés, Bebé d'Hoje (nº 167);

domingo, 15 de abril de 2012

O meu Ó-ó!

Ontem o Martim portou-se muito bem na sesta. À noite, escurecemos um pouco o quarto e estive com ele na caminah a ler-lhe histórias e a cantar. Acalmou e ficou muito sossegado aconchegado ao meu colo. Estava quase a adormecer e eu a preparar-me para o deixar passar a primeira noite no quarto dele. Mas o pai chegou e, ao aperceber-se da sua chegada, levantou-se de um pulo. Acabou a calma daquele momento e, "porque está frio", "tentamos mais lá para o verão" ou "esperamos pelas férias", o colchão voltou para a sua cama, no nosso quarto e ele voltou para a nossa cama. Depois de adormecer, ficou na caminha dele e dormiu mais ou menos bem a noite toda. Acordou a perguntar "o ó-ó?" - depois de algum tempo é que acordei realmente e me lembrei que tinha deixado no outro quarto a almofada onde ele se costuma deitar agora. Nem me tinha apercebido que aquilo era importante para ele. É um retangulo de esponja do IKEA, às riscas, nem é uma almofada! De manhã, quando acordou, ficou a conversar com os "bebés" (como ele chama aos peluches dele) até eu o ir levantar.

Agora está a dormir a sesta. Na minha cama. Hoje não me apeteceu andar a trocar colchões de um quarto para o outro. Adormeceu agarrado a mim, num abraço apertado, quentinho e carinhoso, com aquele cheirinho a bebé. Tão bom!

sábado, 14 de abril de 2012

Mudar para o quarto dele - 2

Adormeceu, ao fim de uma hora de conversa, brincadeira, mais conversa e alguns ralhetes... agarrado a mim, a segurar com as duas mãozinhas a minha cara junto da cara dele.
Saí de lá dorida de estar deitada no chão ao lado do colchão dele. Adormeceu às duas. E ainda está a dormir (já passa das quatro da tarde). Não correu muito bem, mas também não correu mal. Está no quarto dele. Sozinho.

Mudar para o quarto dele - 1

Olá! Hoje aventurei-me e resolvi pôr o colchão do Martim no quarto dele. Não é a mesma coisa que ter uma mobília dele mas ainda temos medo que caia da cama e por isso resolvi experimentar pôr apenas o colchão no quarto dele. Por enquanto anda a brincar lá, vamos ver se dorme a sesta à tarde. É a primeira tentativa...

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Explicações

Caros amigos, estou a dar explicações do 1º ao 6º ano.

Estudar não tem de ser uma dor de cabeça, mas quando começa a faltar pouco tempo para o final do ano letivo, as dificuldades começam  a adensar-se.
Notas para recuperar, provas de aferição, preparação para provas globais e pouca disponibilidade dos pais. Assim, a aposta num complemento educativo é uma mais valia e um investimento no futuro.

Explicações de Inglês, Português e Matemática. (Também para outros níveis de ensino)
Mais informações, entrem em contato comigo através deste blog ou em http://www.matrdopirata.blogspot.com/.
Tel.: 963988723


quinta-feira, 12 de abril de 2012

Depois de tantos anos...

... tive 1.8 (numa escala de 1 a 5) na classificação de bombeiro. Sou inadequada.
E pronto. Sem mais comentários.

: (

Ontem estava triste, deprimida, em baixo... porque me voltei a chatear com o Martim.
Hoje estou assim, como o tempo... frustrada...

terça-feira, 10 de abril de 2012

Sabia que...

O seu filho irá adquirir cerca de 20 dentes de leite entre os cinco meses e os três anos de idade?

Os dentes começam a se formar antes do nascimento. Por volta dos quatro meses de idade, começam a nascer os primeiros dentinhos de leite. Todos os 20 dentes de leite normalmente nascem até os três anos, muito embora o ritmo e a ordem de erupção variem muito.


Os primeiros dentes costumam aparecer por volta dos seis meses. Este é um marco importante para a família inteira, mas também um período doloroso para o seu bebé. O mais provável é que ele fique muito irritável durante o rompimento dos dentes. O seu bebé vai babar-se muito e morder os pequenos punhos e as gengivas vão inchar. Lágrimas frequentes, falta de apetite e o rabinho assado anunciarão a chegada dos primeiros dentes. Para os pais mais afortunados, o rompimento dos dentes pode ser um acontecimento discreto, que não causa qualquer dor ao bebé. Mas, independentemente do que aconteça, ver o seu bebé com o primeiro dente vai ser um momento emotivo para a mamã e para o papá!





domingo, 8 de abril de 2012

Sabiam que...

Um bebé de 15 meses pode já ter sentido de justiça?

Um bebé de 15 meses tem sentido de equidade e já é capaz de perceber se lhe serviram mais ou menos comida do que a outra pessoa. A noção de justiça surge muito mais cedo do que pensavam os especialistas, que já sabiam de estudos anteriores que, aos dois anos, as crianças conseguem ajudar-se e aos seis demonstram comportamentos justos.
Condutas morais, como o sentido de Justiça, nunca tinham sido identificadas tão cedo. Foram-no, agora, através de uma investigação de um grupo de peritos da Universidade de Washington, nos EUA, liderado por Jessica Sommerville, especialista em desenvolvimento infantil.

Durante a investigação, citada pelo Jornal de Notícias, foram analisados 47 bebés, todos com cerca de 15 meses, que ao colo dos pais assistiram a pequenos vídeos. Num dos filmes, é mostrada uma pessoa que divide uma taça de bolachas de forma equitativa por duas pessoas, primeiro, e de forma desigual, depois. No segundo vídeo, o procedimento foi o mesmo, mas com um jarro de leite.

Os investigadores tentaram perceber a que partes dos vídeos as crianças davam mais atenção. A partir de um fenómeno que se chama “violação da expectativa”, concluíram que os bebés fixavam-se mais naquilo que os surpreendia. «Olhavam com mais atenção quando um dos recipientes se enchia com mais bolachas ou com mais leite do que outro», explicam os investigadores.

http://www.paisefilhos.pt/index.php/criancas/dos-0-aos-2-anos/4050-sentido-de-justica-aos-15-meses

 

sábado, 7 de abril de 2012

O Coelhinho da Páscoa existe?

Nesta Páscoa não deixe de lado a imaginação e brinque com os seus filhso. Divirta-se e pase momentos felizes, recorde a sua infância, os momentos em família e as travessuras que fazia. Conte-lhes episódios da sua infância, do que você fazia com os tios e os primos. Esta é a minha dica para os papás esta Páscoa, pois mais de que desejar uma Páscoa feliz, vale a pena pensar no verdadeiro sentido deste dia e de como o poderemos tornar uma tradição familiar.
Hoje estou a trabalhar, mas assim que sair, tenho algumas coisas para ir preparar para que o dia amanhã se torne diferente. Espero conseguir pelo menos que o Martim tenha uma Páscoa especial e que descubra algumas coisas novas! Afinal, no ano passado ele era ainda muito pequenino, mas este ano pode já participar!


Pegadas no chão, caminho de pelinhos brancos até o ovo de chocolate... Construir um universo de fantasia para a criança é mesmo uma delícia. E a Páscoa é uma ótima oportunidade para isso: contar a história de que o coelho vai visitar a casa e deixar rastros deve fazer parte da infância de nossos filhos, sim.
Até os 6 anos, a criança está em uma fase em que a fantasia é muito intensa. “Acreditar nesses personagens faz parte do desenvolvimento cognitivo”, explica Carmen Alcântara, psicóloga clínica e psicanalista, mestre pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP). “Essa magia auxiliará a formação do pensamento simbólico e das representações mentais, além de exercitar a linguagem.” Seu filho, no futuro, vai se tornar mais criativo, capaz de fazer analogias e de criar metáforas. E o principal: incentivar a crença no coelho da Páscoa e em outros personagens cria uma reserva emocional de situações prazerosas, que serão lembradas quando seu filho já for grande. Um espaço para devaneios é importante para se refugiar da realidade do mundo adulto.

http://revistacrescer.globo.com/Revista/Crescer/0%2c%2cEMI301453-10526%2c00-SEU+FILHO+AINDA+ACREDITA+NO+COELHINHO+DA+PASCOA.html



Gostei de...

Um ano e ainda mama? Sim!
Dar de mamar depois dos 12 meses tem vantagens 


http://www.paisefilhos.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=4341&Itemid=364

Este artigo é da revista Pais e Filhos e defende a continuação da amamentação após o 1º ano de vida. Como já aqui referi, dei de mamar até aos 16 meses. Muitas vezes me senti tentada a deixar mais cedo por razões laborais e o que mais me custava era chegar a casa com o peito cheio de leite e ele já ter jantado, porque tinha passado a hora e a mãe ainda não tinha chegado a casa. Se fosse hoje talvez tivesse seguido outro rumo e lutado mais pelos meus direitos, entrando com uma atitude mais positiva e menos submissa nesta decisão. De certo que teriam aumentado os meus problemas no local de trabalho, por isso entendo perfeitamente este artigo e a importância de nos mantermos informadas quanto aos nossos direitos.

Tânia Beato amamentou o filho Diogo até aos dois anos e dois meses e ainda amamenta a filha Diana, de dois anos. Continuou a gozar a dispensa de amamentação após o primeiro ano e deixou de ter direito a comissões e a prémios de produtividade, «porque as horas gozadas são consideradas absentismo». Apesar de o artigo 65º, da subsecção IV do Código de Trabalho dizer que a dispensa para amamentação «não determina a perda de quaisquer direitos e é considerada como prestação efetiva de trabalho».

Maria Silva (nome fictício), mãe da Joana, de dois anos e meio, cansou-se de tanta sugestão para deixar de dar de mamar. Já lhe “receitaram” pôr verniz, pimenta e vinagre como fórmula para o desmame, apesar de Maria nunca ter perguntado nada a ninguém. Desde a enfermeira do centro de saúde, à médica de família, passando por amigos e familiares, em todo o lado sentiu-se recriminada por ainda dar de mamar. De tal forma, que ganhou vergonha e, quando a filha fez 18 meses, decidiu dizer a toda a gente que tinha deixado de amamentar.
Estes são apenas alguns testemunhos das dezenas que nos chegaram após o apelo que fizemos através do Mamar ao Peito, site de promoção do aleitamento materno. Queríamos saber se as mães sentiam algum tipo de recriminação por darem de mamar após os filhos fazerem um ano de vida. Ficámos impressionadas com a quantidade e com as situações descritas.



sexta-feira, 6 de abril de 2012

Relaxar...

é depois de um dia de trabalho (que embora sem muito serviço, foi cansativo e com alguns picos de adrenalina), sentar-me no sofá com uma taça de flocos de aveia. Sem ninguém em casa (o Martim foi passar o dia à avó e o pai vai trazê-lo depois de jantar) e sem pensar que amanhã também é dia de trabalho.

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Vida de mãe...

...que trabalha, é mesmo assim. Entrar em casa às 19h30m, fazer jantar, (o pai deu jantar ao bebé), comer, ir para o quartel para formação (não poder ir para fogo industrial porque o bebé está em casa com o pai e ele tem de ir trabalhar, não ficar até ao fim da formação...) ir para casa, encontrar o bebé a dormir na minha almofada (lindo e fôfo), o pai a sair para ir trabalhar (foi entrar à meia-noite) e ainda ter de arrumar a casa, preparar roupa para amanhã, arranjar farda lavada e outras coisas que tal...
Depois fico assim... sem sono e, amanhã, já sei que vou andar cansada o dia todo.
E ainda por cima, tinha uma encomenda da Oriflame para fazer até hoje (ontem, aliás, já passa da meia-noite) e não encontrei nem o meu número de acessora, nem as faturas antigas, nem o contato da minha coordenadora ou lá como se chama. O que vale é que é pouca coisa, vou ficar a perder, porque quando conseguir fazer a encomenda já não terei algumas dessas coisas em promoção como tinha. Só comigo!

terça-feira, 3 de abril de 2012

O poder das palavras...

...não é nenhum quando se tem um filho como o meu teimoso como uma burra torta! A quem é que ele sai, é que, sinceramente não sei! Mas como eu ainda tenho de ser mais teimosa que ele - sim porque a adulta sou eu - já está na cama desde as 20h30m! Isto porque não comeu nem metade da sopa, cuspiu a maçã toda e ainda me empurrava o prato e dizia "Não!"
Eu bem tenho tentado que o jantar - momento em que estamos os dois juntos - não seja motivo de guerra. Até já o ponho à mesa connosco e a comer sozinho a sopa - mesmo que metade vá para fora - mas quando ele começa a gritar e a virar o prato não há paciência que aguente. Nem palavras algumas servem para o fazer parar, e lá lhe disse rispidamente, depois de contar até cem: "Não queres comer, tudo bem, vamos lavar a boca e vais parar a cama!"
Lavei-lhe a boca, mudei-lhe a fralda, deitei-o. Vim pôr a fralda no lixo. Fui espreitá-lo.
Já estava a dormir, nem se virou, nem chorou.
Talvez fosse mesmo sono...

quinta-feira, 29 de março de 2012

Prematuros podem ter dificuldades na fala

Segundo um estudo Holandê, os bebés nascidos prematuros podem, entre outras coisas, apresentar maoires dificuldades no desenvolvimento das suas capacidades de linguagem, revela um estudo publicado na revista «Pediatrics», e cujo artigo vim a encontrar na Pais e Filhos. Então é assim:

Para este estudo, os investigadores da Erasmus Medical Center in Rotterdam, na Holanda, analisaram os resultados de 17 pequisas anteriores, os quais envolveram a participação de 1.529 bebés prematuros, nascidos antes da trigésima sétima semana de gestação, e 945 bebés de termo, citou o site Alert.
Os investigadores revelaram que o facto de os bebés nascerem prematuros não significa que venham a desenvolver problemas de linguagem a longo prazo, embora possam passar por momentos mais difíceis na altura em que aprendem os conceitos de linguagem mais complexos e, por isso, são mais susceptíveis a que tal aconteça.
«À medida que crescem, as crianças que nascem prematuramente apresentam maiores dificuldades nas funções linguísticas mais complexas», revelou, em comunicado de imprensa, o líder do estudo, Inge van Noort-van der Spek.
O estudo mostrou que nos primeiros anos de vida existem ligeiras diferenças entre as crianças nascidas prematuramente e as crianças de termo, no que respeita às suas capacidades linguísticas básicas. Contudo, entre os três e os doze anos, as diferenças entre os dois grupos acentuam-se. Esta é uma altura em que se desenvolvem as capacidades de linguagem mais complexas e também quando estas são mais necessárias, o que pode, de acordo com os especialistas, «limitar as atividades sociais e escolares destas crianças».
Mesmo que as crianças prematuras não apresentem problemas de linguagem entre os 18 e os 24 meses, os pediatras devem avaliar a possibilidade da ocorrência deste tipo de problemas antes de as crianças ingressarem na escola.

Ou seja, atenção redobrada para os prematuros neste caso também!

In.:
http://www.paisefilhos.pt/index.php/destaque/4837-prematuros-podem-ter-dificuldades-na-linguagem-


terça-feira, 27 de março de 2012

Gostei.

Encontrei isto num Fórum (Pink Blue). Mito e verdade sobre amamentação:

Mito: A amamentação prolongada por mais de 12 meses fica sem valor, já que a qualidade do leite materno começa a diminuir a partir dos seis meses de vida.


Realidade: A composição do leite materno muda de acordo com as necessidades do bebé conforme este cresce. Mesmo quando o bebé já é capaz de receber outro tipo de alimento, o leite materno é a sua fonte primordial de nutrição durante os primeiros doze meses. Converte-se em complemento dos alimentos ao segundo ano de vida. Além disso, o sistema imunológico do bebé demora entre dois e seis anos para se completar. O leite materno continua a complementar e a ajuda o sistema imune enquanto o bebé mamar. Investigações recentes nos mostram que o leite materno é mais rico em gordura e energia depois de um ano de amamentação: contém quase 12% mais calorias que o leite de uma mãe de um recém-nascido. Ocorre da mesma maneira com os factores protectores.

Fonte: Liga La Leche