sábado, 5 de novembro de 2011

Um dia daqueles!

Hoje foi um daqueles dias em que... bem... começou bem e cedo!
Eram 5h e pouco da matina já estava de pé a fazer vapores ao Martim que estava cheio de tosse e não conseguia dormir. Depois, mamou, vomitou tudo, voltou a mamar e voltou a vomitar. Eram aí umas 7h quando o príncipe adormeceu novamente.

Uma hora depois, tudo de pé novamente! Podres de sono, como se poderá concluir, para ir levar o pirata a casa de uma amiga nossa. Tivémos dificuldade em arranjar quem pudesse ficar com ele, hoje de manhã, porque tinhamos uma formação planeada na VMER, para irmos já há alguns meses. Lá fomos direitos para Lisboa. Quando chegamos ao Hospital de S. Francisco, o segurança não nos deixou seguir para a sala de formação. Não tinha indicação de nada dizia o senhor. Lá fomos, contrariados, procurar no edifício ao lado, onde seria a dita cuja. Ora, um segurança muito simpático, lá nos indicou que no primeiro piso, sala 12, estaria a decorrer a dita formação. Subimos, e ao chegarmos à sala, tudo sentadinho e na tela a passar anatomia. Estranhei estar tudo a horas sentadinho, mas ainda ponderei ter visto mal o horário e estarmos atrasados. Entramos sorrateiramente. Sentámo-nos. Uma moça passou-nos a folha de presenças. Quando ia a escrever, o Paulo olhou para o cabeçalho "Mestrado em Fisiologia de não sei o quê..."

Mestrado?! Não era ali! Saimos pela mesma porta por onde entramos. Fomos tirar satisfações com o segurança. Voltámos ao Hospital à procura da sala de formação... vimos a VMER chegar e lá fomos perguntar aos senhores onde era a formação... "Foi adiada para dia 19".

Adiada? E ninguém avisa?

Sim parece que tinham alterado no site. Nós é que nem fomos confirmar... Para compensar fomos aos pastéis de Belém e depois lá fomos buscar o pirata. Depois dele dormir até às 14h, almoçámos e, enquanto o pai foi trabalhar, eu e o menino fomos até Sesimbra, para os aninhos do R.

Parámos nas bombas. Não tinham multibanco. E eu não tinha dinheiro comigo. Ora, vamos lá que isto chega até às próximas. Ora não chegou. Fiquei sem gasolina e lá tive de pegar no miúdo ao colo e ir a pé até às bombas mais próximas, rezando para que não chovesse e para que tivessem multibanco! Não emprestam garrafões. Lá comprei uma garrafa de água de litro e meio, deitei o conteúdo fora e enchi de gasolina. Vai de voltar a pé para o carro, com o miúdo ao colo, a garrafa na outra mão. Tentei meter a gasolina, mas aquilo saiu tudo para fora e o carro não pegou na mesma. Liguei ao meu pai, que meia hora depois lá apareceu para me salvar. O pirata entretanto já estava impossível de aturar, farto de estar no carro, claro está e com a fralda suja!

O dia lá terminou bem, com o carro a andar. Atrasadíssimos. Lá fomos ao 1º aniversário do R. e, claro, o Martim tinha de ir estrear o chão da garagem da minha amiga, com a cabeça, assim só para ver se era duro! Agora está a dormir uma bela soneca. Quando acordar, logo janta.

3 comentários:

Grátis disse...

Coragem! No fim, um sorrisinho, compensa tudo!

Patricia disse...

Todos temos dias assim! Bjs

Mamã da Caroxinha disse...

Bolas que dia difícil...lamento muito que ele esteja doentito e essa queda era escusada...
Mas pronto, olhas para ele e tudo passa é o que vale!
Dias melhores é o que desejo :)
beijocas