quarta-feira, 20 de abril de 2011

Dorme bem bebé!

Quando nasce, o bebé altera as rotinas dos papás e existe uma adaptação constante de ambos, pais e bebé. Este fica junto dos papás, seja para facilitar na hora das mamadas, seja porque aquele quarto é mais quentinho, ou porque "assim dá mais jeito", ou então porque os pais assim querem e pronto. (O meu dorme no nosso quarto ainda, mas na cama dele - e não gosta de dormir connosco).

Mais tarde, a preocupação dos pais passa por colocar o bebé a dormir no seu quarto e é aqui que muitas vezes os problemas de adaptação começam a acentuar-se.

A adaptação do bebé à sua nova cama pode passar por diferentes fases. Primeiro consideramos os intervalos das mamadas. O bebé acorda para mamar e, terminando a refeição, regressa novamente para a cama, sem chorar? Ou pelo contrário, necessita adormecer na mama e acorda quando é colocado na cama, tendo de voltar para a mama?

Estes ciclos tornam-se cansativos particularmente para as mães, que muitas vezes acabam por ceder e deixar o bebé a dormir na sua cama, junto dos pais. Ora esta situação nem sempre está errada, se se der o caso de ser uma opção dos pais, mas quando esta ocorre por cansaço e por dificuldade do bebé adormecer "longe" da mãe, o problema passa a ser outro. Segundo alguns estudos, dormir com os pais, na mesma cama ou no mesmo quarto, não tem porque ser um factor de perda da capacidade de autonomia e auto-regulação dos ciclos de sono do bebé. Mas pode passar, noutros casos a ser uma dificuldade quando se tenta alterar a rotina. Voltamos ao choro do bebé: acudir cedo é meio caminho andado para o bebé se sentir em segurança. Ora com o bebé no mesmo quarto, acudir a esse choro torna-se mais fácil, senão mais rápido. Mas não tem porque ser um problema quando o bebé está noutra divisão: se bem adaptado, ele saberá que se precisar dos pais, eles acudirão ao seu choro. Mas também aprenderá desde cedo a entreter-se sozinho com um brinquedo, a observar as luzes que se projetam no tecto ou a ouvir a sua música de embalar favorita, sabendo que os pais estão "perto".

A criação de "regras" - que não são mais que hábitos - influenciam pelo lado positivo o desenvolvimento de autonomia nos mais pequeninos, criando bases válidas e importantes para um crescimento saudável.

Qaundo é que o bebé deve passar para o quarto dele? Quando os pais acharem necessário, quando acharem que ele está mais "independente", quando o bebé dorme toda a noite, quando deixa de acordar para mamar.. enfim, por várias razões, desde que os pais assim o entendam. Não se deve é, na minha opinião, impor esta mudança se, até aí, se cedeu sempre a deixar o bebé adormecer ao colo ou n acama dos pais, porque "custa ouvir chorar". E aqui para nós... eles são manhosos e sabem como nos fazer ceder... desde o primeiro dia. Esqueceram-se foi de nos entregar o livro de instruções quando eles nascem.

Outra fase, surge quando o bebé já consegue ficar toda a noite no seu quarto - e podemos depois mais tarde trocar experiências e dar dicas para facilitar essa adaptação - mas, por um motivo qualquer (por exemplo, doença) o pequenino volta a precisar de uma atenção redobrada e volta a acordar durante a noite. Pode ser uma situação passageira ou não. Depende da forma como a adaptação já estava estabelecida e como os pais lidam com a questão. Não há soluções infalíveis e não há detentores da verdade, pois cada mãe e cada filho são únicos e têm relações estabelecidas de vinculação que são sempre diferentes.

Sem comentários: