quinta-feira, 21 de abril de 2011

Mais sobre boas noites...

... e não só. Como já tinha dito no post anterior, muitas vezes a hora de adormecer o bebé, pode ser um problema que alguns pais vivem diariamente e que os pode deixar "à beira de um ataque de nervos!"

"Por vezes é possível ver que a criança está a combater o sono – esfrega os olhos, boceja repetidamente e perde o controlo perante a mínima frustração. Outras vezes poderá parecer completamente desperta, até mesmo hiperactiva, mas isso pode ser outra forma de manifestar a exaustão. O que acontece aqui é a versão infantil do lema "há tanto para fazer, e temos tão pouco tempo"; passa-se tanta coisa à sua volta – o pai está na sala a ver o correio, os animais andam a correr pela casa e a mãe entra e sai de todas as divisões – ele só quer participar em toda esta acção. Além disso, à semelhança de todas as crianças da sua idade, o seu filho está a começar a compreender que é uma pessoa separada da mãe e que tem personalidade própria, e por isso quer afirmar a sua independência. Recusar-se a ir para a cama à noite é uma das formas que encontra para afirmar a sua capacidade de controlo."(1)

Nunca é demais relembrar, que o bebé aprende através da rotina e dos hábitos que esta cria. Esta rotina é favorecedora de normas que o bebé se vai habituando a seguir. Por outro lado, saber o que o espera ajuda-o também a sentir-se seguro.

"A melhor lição que lhe pode ensinar é como se acalmar sozinho até adormecer. Siga uma rotina de deitar (banho, livros e cama, por exemplo), para que ele saiba o que se espera dele e aquilo que o espera à noite. Pode dizer-lhe que, se ele ficar na cama, voltará daí a cinco minutos para ver se ele está bem. Faça-o sentir-se seguro e saber que estará sempre por perto."(1)
E para aqueles que já são um bocadinho mais crescidos e que tendem a testar ainda mais os limites...

"Apresente opções aceitáveis à hora de dormir. Por esta altura, o seu filho está a começar a testar os limites da sua independência recém-descoberta. Para ajudá-lo a sentir que tem controlo, sempre que possível, deixe que faça as suas próprias escolhas à hora de dormir, desde a história que quer ouvir ao pijama que quer vestir. O truque é oferecer apenas duas ou três alternativas e assegurar que todas são satisfatórias para si. Por exemplo, não pergunte "Queres ir para a cama agora?" Ele podia responder que não, o que não é aceitável. Em vez disso, tente "Queres ir para a cama agora ou daqui a cinco minutos?" Dá assim sempre a hipótese de escolher mas ganha sempre a contenda, independentemente da resposta."(1)

Ou não fossem eles os maiores ditadores lá de casa...


Bibliografia:

(1) - http://familia.sapo.pt/johnson/dos_12_aos_36_meses/o_sono_do_bebe/824316.html

Sem comentários: