quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

A vida às vezes é madrasta.

A vida pode mudar de repente sem nós esperarmos. Do nada, num segundo em que se toma uma decisão - boa ou má - podemos mudar duas pequenas vidas. No passado Sábado à noite o meu pai apercebendo-se de movimento no prédio, foi espreitar. Uma das vizinhas, que o meu pai não conhecia, estava a ser levada no INEM, o companheiro dela queria ir também, mas havia duas bebés em casa. O meu pai e a mulher ofereceram-se para ficar essa noite com as bebés. Até hoje estão lá. A mais nova tem 17 dais e a mais velha faz hoje 2 aninhos. A mãe está internada no hospital, o resto da história pouco se sabe... a mais velha nem percebia o que lhe diziam porque a mãe é marroquina e em casa falavam em francês. Roupa só a que traziam no corpo. O meu pai no Domingo foi comprar leite de lata para a bebé - que até ali só conhecia  amama da mãe -  e tem-se desenrascado conforme pode.
Bastou um momento, para aquelas duas bebés estarem na casa de pessoas estranhas. Faz-me pensar se não tiveram sorte por estar ali o meu pai, que com a família está a cuidar delas o melhor que sabe e pode. Mas faz doer o coração saber que as meninas não têm nada. Porque é que as meninas não tinham mais que a roupa do corpo? A bebé tinha ainda a roupa do hospital. Que mundo é este? Que se passaria com esta mãe - já para não falar do pai da criança? Gostava de saber mais sobre elas e poder ajudar. Para já vou mandar roupa que é o que consigo arranjar agora.

2 comentários:

Sónia disse...

No meio do azar as meninas ainda tiveram sorte.

Anónimo disse...

Fiquei impressionada com a história... Já há algum desenvolvimento?

Sandra