segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

A vida às vezes é madrasta... atualização

Faltava-me atualizar a ituação das pequeninas que estão (ainda) a cargo do meu pai.

São duas meninas saudáveis, mas que por infortúnio da mãe estar no hospital, estão agora sem ninguém. Sem ninguém não é bem asim. Felizmente, o meu pai acolheu-as em casa e é como se já fizessem parte da família. Algumas pessoas ajudam (depois há aquelas parvas que vão para o café comentar "coitado, com três a cargo dele agora ainda foi buscar mais duas" ou coisas piores que nem vale a pena pôr aqui), com alimentação, vestuário, fraldas. Se virmos bem as coisas, tem sido a comunidade a envolver-se no bem estar destas bebés e que tem ajudado o meu pai a dar-lhes uma vida melhor. No sábado fui levar um saco de roupa para a mais pequenina. Mimos pelo menos têm, algo que não sei se teriam com o suposto pai...

É que, perdoem-me o desabafo, onde anda o pai (ou o companheiro da mãe das meninas, salvo seja)? Não as vai buscar, mora no mesmo prédio e elas todas os dias dormem e comem na casa do meu pai. Se é para isso, mais vale que esta passe a ser a sua famíla (de acolhimento, de adoção whatever) mas é uma família que já se está a apegar a elas. A mãe, infelizmente, continua no hospital e as informações sobre o seu estado de saúde são poucas. Já se fala de tanta coisa, que prefiro não adiantar aqui muito mais até ter a certeza. Elas estão entregues.

E depois, há aquela senhora que ficou como ama a tomar conta da mais pequenina. Começou numa segunda-feira. Na sexta-feira avisou que não podia vir no sábado. E no Domingo avisou que o Centro de Emprego lhe tinha ligado para ir a uma entrevista na segunda e desde aí ninguém sabe dela. Senhores da Segurança Social: a intenção foi boa, mas por favor escolham melhor as amas. Esta senhora de certeza que tinha outros interesses. Desculpem lá: o Centro de Emprego não telefona ao domingo a marcar entrevistas! Ou estarei errada?

Sem comentários: