sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Dia Mundial da Alimentação



A má notícia é que um terço das crianças com idades entre os seis e os dez
anos apresentam excesso de peso ou mesmo obesidade.
O estudo da Direcção Geral de Saúde, elaborado através da Plataforma Contra a Obesidade, e conhecido
esta sexta-feira, Dia Mundial da Alimentação, analisou 3487 crianças do primeiro
ciclo do ensino básico, de 185 escolas, tendo concluído que 32 por cento
apresentavam excesso de peso: 18,1 por cento estavam em pré-obesidade e 13,9 por cento podiam mesmo ser consideradas obesas.


Os resultados não surpreendem a
presidente da Associação Portuguesa de Nutricionistas (APN), Alexandra Bento,
para quem o último estudo, ao apresentar uma amostra representativa nacional,
apenas vem confirmar o que outros trabalhos já indicavam.
As causas são para
esta nutricionista, ouvida pelo tvi24.pt, muito evidentes: «As crianças comem
mais e mexem-se menos».
E se as famílias estão mais atentas, «nem sempre
isso significa que entram em acção» para combater o problema, assegura a
presidente da APN, para quem, apesar de tudo, a boa notícia é que «o processo de
mudança já está em curso».
O exemplo partiu do Estado, através, designadamente, do «referencial para uma oferta alimentar saudável» e que, não
sendo vinculativo, sempre vai indicando o que valorizar ou excluir dos menus
escolares.
«Incluir uma peça de fruta nos menus, em detrimento dos bolos» é
apenas um exemplo das sugestões.
Alexandra Bento admite que faria sentido
criar também um manual de boas práticas para as famílias, mas há exemplos muito simples que podem ser deixados.


Ao enviarem o lanche às crianças: «optem por
um sumo de fruta, pão com queijo ou compota; noutro dia iogurte ou bolachas
Maria». O pequeno almoço deve incluir sempre leite, preferencialmente
simples, pão e fruta. Todos os almoços e jantares têm obrigatoriamente de
começar com uma sopa de legumes, seguindo-se a carne ou o peixe e farináceos,
«tudo em pequena quantidade, já que a sopa já serviu para reconfortar».


in.:http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/obesidade-criancas-saude-obesidade-infantil-alimentacao-tvi24/1096159-4071.html


Mais uma notícia para reflectirmos...

Sem comentários: