terça-feira, 5 de janeiro de 2010

A criança e a disciplina

 Este é um dos temas que tentarei abordar durante este mês. Será que a criança necessita mesmo de disciplina? E o que é isso? Pais e Educadores têm dúvidas nesta área (eu incluída) quando se trata de impor limites às crianças, com medo de errar e ser demasiado brandos ou demasiado severos. Mas temos de ter em conta alguns pontos importantes:
Ponto 1 - Todos erramos!
Ponto 2 - Ninguém nasce pai nem mãe! A sabedoria vem da experiência!
Ponto 3 - O melhor sempre me ensinaram que é achar o meio termo.
Estas premissas valerão também quando se fala de disciplina.

"A disciplina é o segundo presente mais importante que um pai pode dar a uma criança. O amor vem em primeiro lugar."

T. Berry Brazelton


Um dos principais objectivos da educação, é ensinar os filhos a serem disciplinados, orientando-os para que ajam de maneira aceitável e aprendam a conviver com regras e limites, o que se consegue de uma forma nem sempre fácil, com avanços e recuos. Aqui ficam alguns exemplos de comportamentos disciplinadores:

- Em pequenos, conseguir que tenham, desde cedo (primeiro dia de vida), uma rotina para fazerem as suas refeições, tomar banho e dormir, sem muitas confusões.

- Quando maiores, que façam adequadamente os trabalhos de casa, sejam educados, aprendam a cumprimentar as pessoas, agradecer um presente, sem nunca perderem a iniciativa própria.

- Na adolescência, que saibam aceitar horários para chegar a casa, tenham responsabilidade e autonomia com as suas tarefas escolares e os seus pertences.

Todo o lar deve ter as suas próprias regras, que devem ser respeitadas e aplicadas coerentemente e com o comum acordo dos pais (tarefas domésticas, horários para ver televisão, horários para dormir, etc.). Se um permite e o outro não, então a criança fica confusa e vai tentar aproveitar-se desta situação para desafiar os limites.

Embora seja natural que um dos pais assuma o papel de disciplinador, esse papel deve igualmente ser partilhado por ambos a fim de evitar que os filhos possam ver um dos pais como o "bom" e o outro como o "mau" - situação que é muito difícil de reverter. É, por isso, fundamental uma partilha constante de cuidados.



"Educar é conviver com a criança, caminhar a seu lado e não por ela, podendo oferecer o seu exemplo, que é uma das melhores formas de ensinar e nunca esquecer que para educar é necessário tempo para dar dedicação e amor."
E. Pisani Leite

Os melhores exemplos são a melhor forma de educar e também, de disciplinar. Se a criança vê o pai recusar a sopa e passar logo ao prato principal, como é que encarará depois a obrigação de a comer? Não seria provavelmente mais fácil mostrar bons exemplos à criança do que obrigá-la com ameaças a fazer algo que ela não quer naquele momento?

Elsa Filipe

Sem comentários: