domingo, 15 de maio de 2011

Crescer em Segurança 1

Ao crescer, a criança gosta de explorar e de descobrir tudo o que a rodeia, ganhando assim independência e autonomia e detestando restrições à sua mobilidade, que é a sua forma de aprendizagem mais natural.

No entanto, o nosso mundo não está preparado para as crianças. Tem de ser modificado para ser protetor, sem as condicionar. Esta é uma preocupação constante de pais e educadores, pois não podemos guardar os nossos bebés e crianças na palma da nossa mão ou debaixo das nossas saias, até porque mesmo connosco por perto, os acidentes podem acontecer.

Vale a pena pensar nisto, uma vez que a morbilidade e a mortalidade associadas aos acidentes com crianças, são evitáveis. É isto que nos diz o Plano Nacional de Saúde 2004-2010, cuja monitorização esteve a cargo do Alto Comissariado da Saúde, e que identifica a área da Prevenção de Acidentes como de intervenção necessária e urgente.

Algumas das medidas de prevenção utilizadas com as crianças mais pequenas necessitam de ser revistas consoante a criança vai crescendo. Nas idades mais novas, a vigilância próxima é fundamental e a presença constante de um adulto necessária. Com as crianças mais velhas, proibir serve de pouco se a criança não compreende as razões. A par da segurança do ambiente onde a criança vive e brinca, é importante conversar com ela acerca de determinados perigos e sobre as consequências de não cumprir as regras. É essencial começar a ensinar-lhe a importância de adoptar comportamentos seguros em diferentes situações.

Adaptado de:
"Vale a pena crescer em segurança" - APSI

Sem comentários: