quarta-feira, 18 de maio de 2011

Roséola Infantil ou exantema súbito

Esta mensagem já estava aqui em espera à uns dias para ser editada. Entretanto, houve uns problemas com o blogger e aqui ficou...

Em primeiro lugar quero agradecer à Patrícia do blog "A princesa Maria", pois foi com as suas postagens que fiquei mais atenta e pesquisei sobre este problema. Provavelmente, pelos sintomas é o que o Martim tem. Coincide com todas as queixas que a princesinha também teve e com as mesmas queixas de uma bebé que está com o Martim, na mesma ama e a quem foi diagnosticado Exantema súbito.

O que é Roséola Infantil?



Roséola infantil, também conhecida como exantema súbito, febre dos três dias ou sexta doença, é uma doença infecciosa aguda típica da infância , contagiosa, que afeta lactentes ou crianças pequenas e causa o surgimento de febre alta durante 2 a 3 dias, e, posteriormente uma erupção cutânea (manchinhas na pele) de início súbito, causada por um vírus da família do vírus herpes.

Ela é frequentemente confundida como “alergia a antibióticos”, pois, como gera febre alta e persistente nos primeiros dias, muitas vezes é prescrito antibióticos a criança com Roséola Infantil por médicos inexperientes, ou por pressão da família, no período febril. Como a febre passa espontâneamente em 2 a 3 dias de doença, e, aparece o exantema (manchas), as pessoas atribuem as manchas ao antibiótico e não a doença.


Qual é a idade de aparecimento habitual da Roséola Infantil ?

A Roséola Infantil é uma doença típica da infância, que ocorre quase sempre entre os seis e os doze meses de idade, com alguns casos mais raros no segundo ou terceiro ano de vida. Devido à protecção conferida pelos anticorpos maternos, que atravessam a placenta, a Roséola Infantil é uma doença muito rara antes dos três meses de idade, a partir dos quais há uma perda progressiva desta imunidade, tornando-se a criança susceptível à infecção.


A Roséola Infantil é uma doença contagiosa ?


Sim, a Roséola Infantil transmite-se pelo contacto com outras crianças infectadas . O contacto com vírus dá habitualmente imunidade permanente (protege de novas infecções ), mas há casos , embora raros , de segunda infecção na mesma criança, que parece resultar da reactivação de uma infecção latente.


1 comentário:

Ruanaraquel disse...

Olá!
Descobri o seu blog hoje e não resisto a deixar um comentário, primeiro que tudo parabéns pelo blog, e em relação ao exantema súbito eu tive aos 26 anos, segundo os médicos nunca tinham visto num adulto, mas realmente foi o que aconteceu, e as ditas manchas provocam uma comichão horrorosa! A única coisa que tomei foi ben-u-ron para passar a febre e um creme por causa das manchas para aliviar, mas não aliviava nada. Com esta experiência sempre que me dizem que os bebes têm exantema súbito fico cheia de pena deles pois sei bem o que sofrer naqueles dias. Parabéns pelo bebé e muita sorte!