sexta-feira, 23 de julho de 2010

Um grande susto!

Na terça-feira apanhei um enorme susto que me valeu muitas nódoas negras e uma noite passada no Hospital. Ia a descer uma calçada, escorreguei e fui mesmo toda ao chão, tipo "baleia" a dar à costa, não sei se estão a ver!
Claro que me assustei imenso porque pensei que tinha logo acontecido alguma coisa ao bebé, mas felizmente não.
No entanto, fui mesmo ao Hospital e, acabei por ficar internada, porque estava com contrações!
Mas não pensem que foi pela queda, porque estas já eu as tinha desde várias semanas e nem sabia. Aquela sensação de barriga rija e que parece que se sente o contorno do bebé e até quase se vê através da pele onde está a cabeça a fazer pressão? Sim, uma novidade para mim, isso são contracções e eu não sabia que as tinha. Pensava que eram dolorosas e como, nunca, senti qualquer dor, nunca pensei que estava a ter contracções.

Ligaram-me no CTG, vieram ver o traçado e faziam caras feias a olhar para ele e eu sem perceber muito bem o que se estava a passar.
Perguntaram-me à quanto tempo as contracções tinham começado e eu: "Que contracções?"
Pois a verdade é que a sensação de barriga rígida já tinha começado à várias semanas e cada vez eram mais intensas.
Faltava pouco para as 33 semanas, mas como é que já me estavam a avaliar o "colo do útero", me fizeram assinar autorizações para cesariana e me internaram logo no bloco?

Felizmente, depois de alguma medicação, muito soro, várias ecografias vaginais e outros exames incomodativos, e uma noite ligada no CTG, de manhã deram-me alta para ir descansar para casa.
Parece que com o bebé está tudo bem, eu é que estou toda dorida e negra da queda! Mas agora já sei: estas pressões e rigidez são de facto contrações e, embora possam ser normais, se forem muito repetidas podem indicar sinal de parto ou até sofrimento do bebé.

Uma lição bem tirada.

Fiquei a conhecer o serviço de obstetrícia de uma forma diferente. Felizmente havia urgência obstétrica no Garcia de Orta, o que nem sempre tem acontecido nestes últimos dias.
Adorei as duas médicas que me assistiram e as enfermeiras também me pareceram óptimas. Qualidades destas a reter:
-muito atenciosas;
-explicavam todos os procedimentos que iam fazendo;
-falavam com calma e davam-me tempo para fazer perguntas e tentar descontrair (dentro do possível).

Sem comentários: