segunda-feira, 26 de março de 2012

Eu, ele e as bolas

No sábado foi dia de piscina. Sr. Martim radiante assim que meteram as bolas dentro de água.
Em casa, deixei-o brincar livremente no corredor da escada com as bolas. Andou de cá para lá, de lá para cá a correr atrás delas enquanto chutava, umas vezes mais cordenado, outras mais atabalhoado. Depois vinha até à porta de casa espreitar para ver se eu ainda estava lá. Já dá uns chutos bem fortes, de pé esquerdo.
Ontem estivemos de serviço voluntário (tanta coordenação e lá calhámos os dois no mesmo dia) e o bebé foi para casa da avó - que saudades! E, por breves instantes, o coração apertou-se... um bebé da idade do nosso que se ia afogando... e pensar que foi tão perto do meu, tão pertinho, tão da mesma idade.

E ele chuta os brinquedos, tal como chuta as bolas. Dá pontapés nos móveis, no que quer que lhe apareça no caminho. E nós a ensinar constantemente o que se pode chutar - as bolas - e o que não se pode, ou seja, tudo o resto. Agora é ele e as bolas, ele e os chutos.
E é ele a dizer "patata", "pêa", "pôpa", "papa", "bebé" e a conversar como só ele sabe, tão lindo! (Mãe babadíssima a falar, claro está - tenho esse direito).

Sem comentários: