sábado, 7 de abril de 2012

O Coelhinho da Páscoa existe?

Nesta Páscoa não deixe de lado a imaginação e brinque com os seus filhso. Divirta-se e pase momentos felizes, recorde a sua infância, os momentos em família e as travessuras que fazia. Conte-lhes episódios da sua infância, do que você fazia com os tios e os primos. Esta é a minha dica para os papás esta Páscoa, pois mais de que desejar uma Páscoa feliz, vale a pena pensar no verdadeiro sentido deste dia e de como o poderemos tornar uma tradição familiar.
Hoje estou a trabalhar, mas assim que sair, tenho algumas coisas para ir preparar para que o dia amanhã se torne diferente. Espero conseguir pelo menos que o Martim tenha uma Páscoa especial e que descubra algumas coisas novas! Afinal, no ano passado ele era ainda muito pequenino, mas este ano pode já participar!


Pegadas no chão, caminho de pelinhos brancos até o ovo de chocolate... Construir um universo de fantasia para a criança é mesmo uma delícia. E a Páscoa é uma ótima oportunidade para isso: contar a história de que o coelho vai visitar a casa e deixar rastros deve fazer parte da infância de nossos filhos, sim.
Até os 6 anos, a criança está em uma fase em que a fantasia é muito intensa. “Acreditar nesses personagens faz parte do desenvolvimento cognitivo”, explica Carmen Alcântara, psicóloga clínica e psicanalista, mestre pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP). “Essa magia auxiliará a formação do pensamento simbólico e das representações mentais, além de exercitar a linguagem.” Seu filho, no futuro, vai se tornar mais criativo, capaz de fazer analogias e de criar metáforas. E o principal: incentivar a crença no coelho da Páscoa e em outros personagens cria uma reserva emocional de situações prazerosas, que serão lembradas quando seu filho já for grande. Um espaço para devaneios é importante para se refugiar da realidade do mundo adulto.

http://revistacrescer.globo.com/Revista/Crescer/0%2c%2cEMI301453-10526%2c00-SEU+FILHO+AINDA+ACREDITA+NO+COELHINHO+DA+PASCOA.html



Sem comentários: