quarta-feira, 6 de julho de 2011

Amamentar é dar saúde!

Por aqui fala-se bastante em amamentar. Sim, tem uma intenção: a mama é o melhor pitéu que um bebé pode provar! Mas amamentar não é fácil e existem diversas complicações que podem levar as mães a desistir. Apoiar e ensinar, deveria ser prática corrente nas maternidades - apoiar as escolhas das mães, dar força às que querem fazê-lo e não o conseguem logo por algum motivo, não desmotivar com palavras negativas.

Amamentar é:

- satisfazer uma necessidade básica do bebé - a alimentação!
- um momento de partilha entre mãe e filho, logo desde o primeiro minuto, um momento a dois, para se conhecerem mutuamente!
- dar ao bebé defesas para enfrentar o mundo!
- fácil e difícil ao mesmo tempo; é uma escolha de cada mãe.
- partilhar com o bebé a ternura que nos enche o peito de cada vez que olhamos para o nosso filhote!

O sucesso da amamentação depende em muito daquilo que a mãe espera dela mesma - a ansiedade é inimiga de uma boa amamentação. Essa ansiedade pode ser causada pelas dificuldades que a mãe sente ao dar de mamar - dor, desconforto, - ou pelo receio de que o leite não seja bom , não seja suficiente, ou que o bebé fique com fome.

Tenho lido bastante sobre este tema e tenho encontrado algumas opiniões que divergem. O melhor - penso eu - é cada uma de nós seguir aquilo que lhe diz o coração. Só deve amamentar quem o queira mesmo fazer. Se o fizer, que seja um momento de amor e não uma refeição tomada à pressa em qualquer lado. Como em tudo o resto, amamentar é bom quando é feito com amor. Se assim o for, até aqueles maus momentos são ultrapassáveis e ambos beneficiam, mãe e bebé. "Uma mãe fria e tensa que dá de mamar ao bebé poderá levar a uma forma de crescimento tão desarmonioso como a resultante de um suporte de biberão."(1)


Bibliografia:
(1) - SPRINTHALL e SPRINTHALL, "Psicologia Educacional", Mc Graw Hill;

2 comentários:

Filipa Serrão Oliveira disse...

amamento vai fazer 14 meses daqui a dois dias e sou fervorosa apoiante. Mas como dizes e concordo plenamente: para quem quer. Se for feito por obrigação pode transmitir as defesas, mas acho que não é bom para ninguém. A mãe também tem de querer e se for maior a dor do que o prazer, acho que não deve fazer o sacrifício. Beijinho!

Aretusa disse...

Por aqui também sentimos falta de mais orientação e apoio às mamães e as gestantes, pois não basta apenas listar os benefícios, que são muitos, mas às vezes precisa-se de ajuda para se ter sucesso, se não houver essa ajuda, uma mãe acaba deixando de amamentar seu filho.
Beijos,
Aretusa