quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Como não educar os seus filhos

Este texto encontrei no blog "Educando com o coração", mas já o tinha recebido por e-mail também. E resolvi postá-lo pois faz-nos pensar em como por vezes também cometemos erros.



COMO NAO EDUCAR SEUS FILHOS


Policiais de Houston, no Texas, publicaram uma norma de 10 pontos de “como criar um delinqüente”. É interessante meditar neste resumo:



1- Comece na infância a dar a seu filho tudo o que ele quiser. Assim, quando ele crescer, acreditará que o mundo tem obrigação de lhe dar tudo o que ele deseja.



2- Quando ele disser nomes feios, ache graça. Isso o fará considerar-se interessante.


3- Nunca lhe dê qualquer orientação religiosa. Espere até ele chegar aos 21 anos e “decida por si mesmo”.

4- Apanhe tudo o que ele deixar jogado: livros, sapatos, roupas. Faça tudo para ele,
 para que aprenda a jogar sobre os outros toda a responsabilidade.

5- Discuta com freqüência na presença deles. Assim não ficará muito chocado quando o lar se desfizer mais tarde.

 

6- Dê-lhe todo o dinheiro que quiser.


7- Satisfaça todos os seus desejos de comida, bebida e conforto. Negar pode acarretar “frustrações prejudiciais” .

8- Tome partido dele contra vizinhos, professores e policiais. (Todos têm má vontade com seu filho).

9- Quando ele se meter em alguma encrenca séria, dê esta desculpa: “Nunca consegui dominá-lo”.E, finalmente…

10- Prepare-se para uma vida de desgosto. Vivemos num mundo com tanta violência e visível falta de educação. Vale a pena pensarmos melhor em que tipo de valores estamos repassando aos nossos filhos. Se você achou interessante esta mensagem repasse ao maior número possível de pais, professores e de, futuros pais. O mundo precisa de cidadãos de bem, e a responsabilidade também é nossa.



(fonte desconhecida) De Jonathan Polk traduzido por Ricardo Gomes
Postado por Paty Longo no blog Educando com o Coração

1 comentário:

Cybele Meyer disse...

Olá Elza, tudo bem?

Isso que você falou em meu blog "Educar Já!" é uma grande verdade. Somos impulsionadas a comprar a todo o momento, não importando se estamos dentro de casa (através de propagandas televisivas) ou fora de casa através de vitrines, outdoors e outros.
O espírito de Natal acaba se misturando ao consumismo. Temos sim é que incentivar a solidariedade, o respeito, o ser educado e tantas outras ações que estão ameaçadas de extição.
Adorei seu cantinho. Já estou te seguindo
Volte sempre que quiser ao Educar Já!
beijinhos com carinho