domingo, 29 de novembro de 2009

Mais um caso a lamentar...

Possivelmente, já todos viram nas notícias a tragédia que atingou uma família de Silves. Um rapaz de 14 anos que acidentalmente disparou uma arma, conhecida como "pressão de ar".

Neste momento está em morte cerebral e não há esperanças para esta criança que, um dia, alguém achou piada, até sabia disparar uma arma.

Não quero parecer rude para com os pais e família deste rapaz, a dor deles deve ser imensa neste momento e o sentimento de culpa irá sempre acompanhá-los.

Mas a culpa será da mentalidade portuguesa (e não só, mas hoje estou só a criticar o nosso povo, pois com os outros "posso eu bem") que continua a achar que não faz mal ter uma arma em casa e que é giro que o rapaz aprenda a disparar sozinho. É nesta sociedade que se coloca na mão de um filho pequeno uma arma e se incita a disparar para uma lata, um pássaro ou um rato que passe no quintal. Esquecem-se que há tempo suficiente para o fazerem quando forem mais velhos e que, pegar numa arma, não faz deles homens.

Aconselho todos os pais a tirarem de casa todas as armas. Sim, mesmo as "pressões de ar"! Elas causam morte, dor e sofrimento. E aconselho as mães a porem as mãos nesta ameaça que têm em casa. Mesmo que os pais chorem e gritem, ou que até saiam de casa. Tenham coragem de tirar as armas de casa e salvar a vida de alguém que não merece morrer.

Elsa Filipe


Brincadeira com pressão de ar acaba em morte cerebral


Jovem de 14 anos nos cuidados intensivos após ter sido atingido na cabeça

Um jovem de 14 anos está na Unidade de Cuidados Intensivos do hospital de Faro, depois de ter sido atingido na cabeça com um tiro de pressão de ar. O acidente aconteceu na sexta-feira à noite quando o jovem e um amigo de 16 anos disparavam contra latas, à porta de casa da vítima, no concelho de Silves.

De acordo com a irmã do jovem ferido, a arma terá embatido numa parede e disparado acidentalmente, atingindo o jovem na cabeça. O rapaz está ligado a um ventilador, mas em morte cerebral. A equipa médica vai realizar alguns exames médicos para avaliar o grau de morte cerebral. A arma com que os dois amigos brincavam era propriedade do jovem, que garante nunca ter imaginado que uma pressão de ar pudesse provocar a morte cerebral do filho.

A GNR apreendeu a arma, identificou o jovem de 16 anos, bem como os pais do rapaz ferido. O processo vai agora passar para o Ministério Público para depois em Tribunal se apurarem as responsabilidades do acidente.

In.: http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/arma-faro-jovem-pressao-de-ar-ferido/1106712-4071.html

Sem comentários: