domingo, 1 de novembro de 2009

Dia de Finados

Amanhã celebra-se o Dia de Finados e, sejamos crentes ou não, penso que é importante partilharmos com as crianças as nossas heranças culturais.
Assim, aqui ficam algumas notas importantes:


O culto aos mortos (mais precisamente dos que se encontram no Purgatório) foi estabelecido pela Igreja católica com o nome de Finados.

É comemorado no dia 2 de Novembro de cada ano, logo depois do dia de Todos os Santos (1 de Novembro).
No início não se comemorava nos cemitérios. Só com o tempo é que a festa evoluiu e se fez acompanhar com velas e flores nos cemitérios.
Sabias que o culto dos mortos existe em quase todas as culturas do mundo? Até nas que nunca ouviram falar umas das outras!
Em Portugal e noutros países da Europa, o Dia de Finados é celebrado com tristeza, pois recordam-se as pessoas de família e amigos que já morreram.
As pessoas vão aos cemitérios, deixam ramos de flores nas campas e acendem velas para iluminar os falecidos no caminho até ao Paraíso e mandam rezar missas em seu nome.
Sabias que as flores que se põem nas campas são, por tradição nesta altura do ano, os crisântemos?
Mais um pormenor muito mórbido (brrr) acerca do Dia de Finados e o Dia de Todos os Santos: o terramoto de 1755, aquele enorme que houve em Lisboa e que matou milhares de pessoas, foi no dia 1 de Novembro!
Imagina as pessoas nas igrejas, a rezar pelos seus mortos... Foi uma grande tragédia, e tudo isto fez com que as consequências do terramoto fossem ainda piores. Houve incêndios, pessoas soterradas, etc.
Mas existem países em que o Culto dos Mortos é comemorado de uma maneira completamente diferente.

Por exemplo, no México, que também é um país católico, fazem uma festa enorme e alegre!



México - Festa dos Mortos


A celebração do Dia dos Mortos revela-nos a espiritualidade dos mexicanos e a sua relação estranha com a morte.

Nesta data acabam semanas de preparação para se comunicar com os seres queridos que já morreram.
Diz-se que esta festa une a família e fortalece as relações da comunidade mexicana, já que é uma tradição que vem desde a época dos astecas (povo que aí vivia antes dos espanhóis chegarem).
Os astecas eram conhecidos como "o povo da morte", porque acreditavam que, depois que um rápido encontro com a vida, as pessoas iam para o "Reino dos Nove Mundos".

Dois meses do ano eram, então, dedicados ao culto dos mortos:

- um para as crianças pequenas que tinham morrido;

- e um para os adultos.
Cinco séculos depois, essa tradição asteca começou a usar também ideias e tradições da religião católica.
Segundo a tradição mexicana, nos dias 1 e 2 de Novembro, Deus deixa os mortos virem visitar os seus familiares que ainda estão na Terra.

Ao mesmo tempo, têm a oportunidade de comer e beber aquilo de que gostavam, e é por isso que se preparam os altares.
Todo o México se prepara para receber bem os "muertitos", como carinhosamente lhes chamam.
Assim, no dia 1 de Novembro, ao meio-dia, chegam as crianças que já morreram. Para elas é feito um altar com muitas velas, que iluminam o seu caminho de volta a Terra.

O altar é decorado com flores e papel recortado com motivos da morte. Além disso, são colocados doces, brinquedos e "pão de mortos" (um pão que se assemelha aos ossos humanos).
No dia 2 de Novembro, à meia-noite - 0 horas da madrugada, chegam os adultos. Para se ter a certeza de que encontrarão o caminho do cemitério para as suas casas, são espalhadas pétalas de flores e velas pelas ruas.

No altar preparado pela família, o morto encontrará as oferendas feitas pelos seus parentes, com os seus pratos favoritos em vida.
Nesses dias, além de montar os altares, as famílias vão aos cemitérios, onde acendem milhares de velas, fazem mais oferendas, colocam imagens de santos e rezam.





Sabias que durante estes dois dias poucas pessoas dormem? Pois é, faz-se festa dia e noite! Há música, comida e dança por todo o lado!





Também são organizados desfiles de homens e mulheres mascarados para evitar que as almas se apeguem demais aos familiares e se demorem por cá.





No dia 3 de Novembro é tudo recolhido.

O Dia dos Mortos acaba com visitas aos parentes (vivos!) para que sejam distribuídos os presentes.

Tudo isso acompanhado, claro, por muita festa!
Sabias que alguns dos familiares das pessoas mortas até vão ao cemitério mudar-lhes de roupa para que estejam bonitos no dia do seu regresso?

Para nós é uma tradição muito estranha, não é?



Estas e outras curiosidades podes encontrar no site:


Sem comentários: