quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Placenta prévia



Voltando ao tema da placenta... "Fala-se de Placenta Prévia quando este órgão se encontra implantado no endométrio, mais abaixo do que o normal."(1) Este problema é um dos maiores responsáveis por hemorragias na segunda metade da gravidez.





"Em condições normais, a placenta encontra-se implantada na parede da parte superior da cavidade uterina, no fundo do útero, enquanto que, em caso de placenta prévia, encontra-se situada mais abaixo, muito próxima ou até mesmo revestindo o orifício interno do útero, mas sempre antes da parte inferior do feto."(1)
Ou seja, "acaba por cobrir total ou parcialmente o colo do útero, podendo tapá-lo de forma a impedir a saída do bebé. Num parto normal aquele atravessa o canal vaginal para nascer e a placenta é expelida após a sua saída. Perante uma placenta prévia, o feto só consegue atravessar a vagina depois da expulsão da mesma, o que interrompe o fornecimento de sangue ao bebé."(2)

É de facto, "uma complicação rara", que pode ser detectada a partir do 3º Trimestre, através de uma ecografia. "Geralmente ocorre em mulheres que tenham tido mais do que uma gravidez ou que apresentem anomalias no útero como os fibromas (tumor benigno)."(2)

Também se constatou ser mais frequente "nas que têm a sua primeira gravidez em idades avançadas e nas que evidenciam problemas uterinos que dificultam a normal implantação do feto, como malformações congénitas, endometrioses, tumores, cicatrizes provocadas por infecções ou intervenções anteriores, entre outras causas."(1)

"De acordo com a relação da placenta com o orifício interno do útero, é possível distinguir três graus do problema: placenta prévia marginal, caso a extremidade chegue até à margem do orifício, mas não o revista; placenta prévia parcial, quando apenas o reveste parcialmente; placenta prévia total, caso o revista por completo."(1)

Sinais e sintomas:

Este problema origina uma "hemorragia vaginal, provocada pelas rupturas vasculares proporcionadas pelo deslocamento da placenta em relação à parede uterina".(1)

"Embora a primeira hemorragia, repentina e indolor, não costume ser abundante e desapareça de forma espontânea, tem a tendência para se repetir. A intensidade das hemorragias vaginais, de sangue fresco, com uma cor vermelha brilhante, varia consoante cada caso. Caso não sejam significativas, a gravidez pode prosseguir a sua evolução normal."(1)

"Todavia, o principal perigo da placenta prévia evidencia-se no momento do parto, já que a dilatação do colo uterino provoca o descolamento da porção da placenta localizada sobre o seu orifício interno, o que pode originar uma hemorragia abundante. De facto, o parto por via vaginal pressupõe um grande risco quando a placenta se interpõe entre o feto e o canal do parto."(1)


Bibliografia:
(1)- http://www.midipédia.inf.br/;
(2)- "Afinal, para que serve a placenta?" - Crescer com Saúde, Fevereiro de 2006;

Sem comentários: