domingo, 28 de novembro de 2010

Infertilidade

"Actualmente, entre 15 a 20% da população mundial tem problemas de fertilidade."(1) É um problema que afecta por isso muitos casais e pode ter diferentes causas. "A prevalência da infertilidade conjugal é de 15-20% na população em idade reprodutiva. A taxa de infertilidade masculina é similar à taxa de infertilidade feminina. Em média, 80% dos casos apresentam infertilidade nos dois membros do casal, sendo, geralmente, um mais grave do que o outro."(2)

"A infertilidade é o resultado de uma falência orgânica devida à disfunção dos orgãos reprodutores, dos gâmetas ou do concepto. Um casal é infértil quando não alcança a gravidez desejada ao fim de um ano de vida sexual contínua sem métodos contraceptivos."(2)

"Também se considera infértil o casal" em que, apesar de a mulher engravidar, ocorrem mais de três abortos seguidos. (2)

Existem diversas causas para a infertilidade, dos quais podemos apontar o síndrome dos ovários poliquísticos, a endometriose e algumas formas de tratamentos oncológicos como alguns tipos de rádio e quimioterapia.

Este é um problema do casal e nunca de um dos membros apenas. "A infertilidade trata-se sempre no âmbito do casal e nunca em indivíduos isolados."(1) Não há culpas, embora muitas vezes a mulher ou o homem se sinta culpado com a situação em si, o que pode conduzir a outros problemas, como a depressão.

"A idade en que uma mulher pretende engravidar é a principal causa isolada para a subfertilidade. Quando nascemos já trazemos todos os ovócitos que teremos para o resto da vida."(1) Ao longo da vida, a mulher vai como que gastando os seus ovócitos o que ao longo do tempo lhe vai diminuindo a oportunidade de conseguir engravidar. "A partir dos 28 anos, observa-se uma perda progressiva da capacidade de resposta dos folículos primordiais aos níveis hormonais. Deste modo, o ovário tende a deixar de formar folículos maduros, dando origem, com uma frequência cada vez maior, a folículos contendo ovócitos imaturos ou a folículos com ovócitos anormais (em morfologia e em estrutura genética), podendo mesmo não ovular. Os ciclos menstruais mantêm-se geralmente ritmados, independentemente do ciclo ovárico. Estas anomalias devem-se ao facto dos ovócitos estarem parados há vários anos, o que permite o seu envelhecimento. Em consequência, por exemplo, a taxa de trissomia 21 aumenta para 1/500 recém-nascidos aos 34 anos e 1/100 recém-nascidos aos 39 anos."(2)
"São os homens quem parece manifestar problemas de fertilidade mais preocupantes e os cientistas crêem que isso se deve a factores ambientais, como poluentes e alimentação."(1)

"O homem nasce com células mãe nos testículos e só inicia a produção dos espermatozóides a partir da puberdade. Esta produção mantém-se toda a vida, apesar da concentração, morfologia normal e mobilidade dos espermatozóides tender a diminuir com a idade, geralmente já fora do período reprodutivo."(2)


Conselhos para se manter fértil por mais tempo:

- deixe de fumar. "O estrago é tanto que uma mulher que fume 20 cigarros por dia vê a sua fertilidade dez anos envelhecida: aos 25 anos terá as mesmas hipóteses de engravidar de uma mulher de 35."(1)
- até engravidar, use dupla protecção;
- mantenha um bom índice de massa corporal (entre os 19 e os 25);
- beba com moderação;
- experimente a acunpuctura: "há alguns anos, vários estudos comprovaram que a acunpuctura aumentava as hipóteses de conceber, quanto mais não seja porque é eficaz a baixar os níveis de stress e ansiedade que atingem mulheres que tentam engravidar."(1)
- afaste-se dos poluentes.


Bibliografia:

(1)-Revista Activa, Abril de 2009 (pp. 88 a 91);
(2)-www.apfertilidade.org

Sem comentários: