domingo, 10 de outubro de 2010

Cólicas no recém-nascido - parte 2

Já aqui falei das cólicas, particularmente do que as origina. Hoje ficam aqui algumas dicas que fui aprendendo para ajudar o bebé a vencer estes episódios terríveis e que tanto desconforto e dor trazem.

Este é um problema que se manifesta em muitos bebés, com diversas causas possíveis. "Trata-se de um espasmo doloroso do intestino que afeta bebês com poucas semanas de vida. O pequenino vai mostrar o seu sofrimento chorando horas seguidas. A cólica começa a manifestar-se à tarde ou à noitinha, pode durar meses ou desaparecer a qualquer altura, geralmente antes do terceiro mês de vida, sem qualquer tipo de tratamento. É uma sensação nova para o bebé e dói muito. O choro de cólica é estridente e o bebé apresenta as seguintes características: fica inquieto, com o rosto vermelho, faz caretas, se contorce e encolhe as perninhas até a barriguinha. "(1)

As mamãs podem ajudar os seus bebés se conseguirem estar alerta aos sinais e conhecerem o que alivia o seu bebé. "O choro das cólicas distingue-se de todos os outros, pois o bebé grita, fica com a cara vermelha e junta os joelhos à barriga. Uma posição que costuma aliviar o bebé, pois ajuda a libertar o excesso de ar no tubo digestivo, é deixá-lo de barriga para baixo no colo, ou com a barriga apoiada no antebraço. Uma massagem também pode ajudar, fazendo movimentos circulares na barriga do bebé, sempre no sentido dos ponteiros do relógio ou empurrando as suas pernas flectidas contra a barriga."(2)

"Barriga contra barriga. Nada melhor que um contato pele a pele para recém-papais e recém-nascidos com cólicas. Ficar debruçado sobre um lugar quentinho diminui as dores."(1) E é bem verdade que este contacto acalma e suaviza a dor do bebé. Ambos se confortam afinal nestes momentos maravilhosos de contacto pele-com-pele em que a criança finalmente acalma o seu choro e se sente mais protegida e acompanhada.
Segundo um estudo da Universidade de Melbourne, Austrália, as cólicas podem ser reduzidas se a mãe eliminar da sua "dieta alguns alimentos potencialmente mais alergénicos", isto no caso de bebés amamentados.(3) "A alimentação da mãe que amamenta deve ser saudável, com bastante líquidos, porem deve-se evitar a ingestão de alimentos como chocolates, refrigerantes e condimentos. O sistema digestivo do recém-nato tem dificuldade de digerir substancias muito apimentadas."(1)

É ainda importante "aguardar a criança arrotar por pelo menos 10 minutos após a mamada, em posição elevada. Muitas vezes a criança arrota quando se muda sua posição."(1) No entanto, quando a criança adormece na mamada essa espera para que arrote é muitas vezes difícil para os pais - e agora falo por mim pessoalmente, porque não gosto de o ter ali ao ombro tanto tempo e muitas são as vezes em que o acabo por deitar sem que tenha arrotado. O que tem acontecido é que por vezes arrota pouco tempo depois e acaba por bolçar um pouco do leite que acabou de ingerir.


Bibliografia:

(1)-http://www.uff.br/disicamep/colicas.htm
(2)-"As cólicas, sempre as cólicas", Pais e Filhos, Outubro de 2005, (p.99)
(3)-"Dieta da Mãe reduz cólicas do bebé amamentado", Pais e Filhos, Maio de 2006, (p. 116)

Sem comentários: