domingo, 24 de outubro de 2010

Crescimento do Bebé

Para começar este post, aqui fica um excerto da Newsletter da Sapo sobre as seis semanas do bebé:
http://ardina.sapo.pt/verNewsletter.html?hr=fd621dac8749f2b47fff78f4bf25a0b6&hc=b6e3fc0d19a616941a8a2a7d1078d845
"Às 6 semanas, praticamente todos os bebés já reconhecem os pais e muitos mostram o seu contentamento com um sorriso de boas-vindas. Este "sorriso social" é um dos primeiros sinais de que o seu bebé está a desenvolver a capacidade de socializar. Já para não falar que é um dos momentos mais ternurentos e emocionantes a que assistirá.
E não é tudo. O seu bebé pode também franzir o sobrolho, fazer beicinho, alçar as sobrancelhas e arregalar os olhos. Estes maneirismos são inconscientes, nesta altura – quando franze o sobrolho, não será porque está embrenhado em profundos pensamentos. Mas o seu bebé tem observado com atenção o seu comportamento e está a experimentar as diferentes expressões faciais que observou. Pense nisto como um "treino expressional." Ao fazê-lo o bebé está a tornar-se cada vez mais apto a aprender a comunicar, o que o irá ajudar a lidar com o mundo."

A verdade é que amanhã o meu bebé completa sete semanas de vida. Esta semana, começamos duas novas etapas com ele. A primeira foi a alteração do banho. Antes colocavamos pouca água e o banho era algo rápido, só mesmo para limpar, mas como ele manifesta tanto agrado na água, na semana que terminou começamos a encher um pouco mais a banheira e a deixá-lo na água mais tempo. O bebé fica apoiado nas nossas mãos, mas com as mãos e os pés livres para poder espernear e mexer à vontade. Assim pode experimentar melhor a sensação da água no corpo e é uma forma de conhecer melhor o seu próprio corpo. Como está a chegar a altura em que vai ganhando algum controlo nos seus movimentos, optámos por esta pequenina, mas para ele, tão importante alteração na hora da banhoca.
A segunda instituimos ontem. Fizemos um tapete de actividades, na sala, para ele. Colocámos então cobertores e almofadas, com alguns brinquedos. E ele fica deitado no tapete e pode mexer o corpo consoante a sua vontade. O resultado:

- reparámos que dirige a mão mais próxima para os objectos para onde está a olhar; estica-se e tenta alcançá-los;
- sorri e faz outras expressões enquanto dirige o olhar para os brinquedos e objectos em redor;
- às vezes sorri para quem se deita ao seu lado - mãe, pai, mana... - outras vezes, choraminga porque quer atenção, dizer: "estou aqui";
- hoje conseguiu segurar na ponta de um dos bonecos e puxá-lo para si até ficar junto à sua cara;
- fica mais tempo "sozinho" sem reclamar.

E hoje, para completar estas mudanças, começamos com as canções. Ele já ouvia música, mas habitualmente era dos brinquedos - aquelas melodias calmas, ou sons diversos - mas hoje pus a tocar várias canções infantis tradicionais (viva o youtube - é uma vergonha, mas eu sou educadora e confesso que não tenho cd's infantis, tinha tudo no meu computador e nunca cheguei a passar para cd). Hoje ouvimos:

-"os patinhos" (hora de deitar), "a loja do mestre andré", "doidas, doidas, doidas" (andam as galinhas), "olha a bola manel" (tudo em português);
-"o pintinho", "a galinha amarelinha", "o sapo não lava o pé", "a baratinha" (versão brasileira);

Hoje também houve um almoço de família em que estiveram presentes mais dois bebés. O meu ficou pasmado a olhar para uma das bebés quando os pusémos frente a frente nos nossos colos. Esticou a mão enquanto fazia várias expressões com a cara. Estava a treinar a sua "conversa" - mas ela não lhe deu muito troco. É mais novinha, por isso é normal. Mas aqui o meu filho fartou-se de rir para toda a gente, ia ao colo de todos e estava sempre contente. É muito sociável!

Quanto ao excerto que aqui coloquei, o meu filho também faz beicinho. Muitas vezes até. Quando falo com ele, "responde-me" com várias expressões faciais. É capaz de passar todo o tempo da mamada na "conversa" comigo, eu a falar, muitas vezes a dizer parvoíces, e ele atento a olhar fixo para mim e, de vez em quando, ri. Quando o faz, larga a mama e depois abre muito a boca para a tentar apanhar. Com a ajuda aqui da mamã, consegue, e volta a rir... deixa a maminha sair outra vez! Ai ai e a culpa é de quem? Da mãe, que não consegue estar calada!

Sem comentários: