quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Alimentação Saudável - Parte 3

Em continuação do que foi falado nas postagens anteriores sobre este tema, existem ainda alguns itens a abordar.

"A influência da alimentação da mãe sobre a saúde do seu futuro filho é um facto inquestionável: hoje, sabemos que a ausência de certos nutrientes no feto pode ser causa directa de mal-formações congénitas, como a espinha bífida ou o baixo peso à nascença."(1)

Uma conclusão tirada por investigadores da Universidade de Southampton, que avaliaram a espessura das paredes das artérias de 200 crianças é que "uma alimentação com défice de calorias pode dar origem, no futuro, a problemas nas artérias do bebé."(2) Isto significa que quanto menor for o aporte calórico da dieta da mãe, mais espessas seriam as paredes arteriais dos filhos, o que aumenta os riscos de formação de coágulos e de ateroesclerose no futuro. Para uma grávida a dieta deve conter 2500 calorias diárias.

"Além de manter o crescimento do feto, a grávida tem de:

- atender às suas exigências habituais de energia para realizar as tarefas quotidianas;
- sintetizar tecidos novos - a placenta, o útero e as mamas em crescimento - bem como possiblitar a formação do líquido amniótico e um maior volume de sangue;
- constituir uma reserva de energia, que se armazenará sob a forma de gordura, principalmente nas coxas, ancas e mamas. (...)as hormonas da gravidez são responsáveis por um bom número de adaptações metabólicas, que afectam o aproveitamento dos açucares da dieta, as gorduras e as proteínas, bem como o aumento da absorção de minerais indispensáveis, como o cálcio e o ferro."(1)

A falta de cálcio pode levar "a sofrer de osteoporose em fases mais avançadas da vida", bem como de "hipertensão, durante a gravidez." Assim como, "a falta de ferro, pode levar a mãe a ter anemia, elevando "as probabilidades de parto prematuro e de baixo peso à nascença."(1)

Também é muito importante não esquecer que "é importante ter uma alimentação variada e equilibrada. É através de si que o seu filho receberá aquilo de que necessita para crescer e desenvolver-se."(3)
"Mas tome atenção: a mãe não precisa de comer por dois! Coma em qualidade e não em quantidade! Deve alimentar-se várias vezes ao dia e pouco de cada vez, procurando fazer refeições pequenas e com intervalos regulares."(3)
"Fale com o médico que a acompanha para saber qual o aumento de peso aconselhado para si durante a gravidez."(3)

"Deve evitar comer doces, fritos e beber sumos refrigerantes."(3)
"Há doenças, como a toxoplasmose, que se transmitem através dos alimentos mal lavados e mal cozinhados, entre outras formas de contaminação. Fale com o seu médico para saber se é, ou não, imune à toxoplasmose e outras doenças que podem implicar riscos para o bebé."(3)


Bibliografia:

(1)-Anuário-2004, Superbebés;
(2)-Pais e Filhos, Setembro de 2006;
(3)-http://www.portaldasaude.pt/portal

Sem comentários: