sábado, 7 de agosto de 2010

O útero em expansão - Mais dicas da Sapo

O seu útero em expansão:
Azia, sensação de enfartamento, dores nas costas, dores na pélvis, imensas idas à casa-de-banho...
O útero – que já está encostado às costelas – tem um volume cerca de 15 vezes superior ao inicial e pode sentir que o seu corpo deixou de ter espaço suficiente! Se pudesse espreitar para dentro do útero, veria que há muito menos líquido amniótico e o bebé está maior. O seu útero em forma de balão está também a encostar à parede todos os outros órgãos internos e é provavelmente por isso que tem de ir mais vezes à casa-de-banho e que tem azia e outros problemas do foro digestivo. Se não sentir nenhum destes problemas, é uma das poucas sortudas. O seu médico ou parteira quererá provavelmente começar a vê-la todas as semanas até ao parto. Poderá pedir-lhe para contar os movimentos fetais, a fim de controlar o nível de actividade do bebé. Entre este momento e as 37 semanas, irá igualmente fazer uma cultura para detecção de bactérias chamadas estreptococos do grupo B. Esta análise é efectuada através de esfregaço na extremidade inferior da vagina e do recto – o esfregaço tem o tamanho de uma cotonete normal e o procedimento não dói nada. O estreptococos do grupo B é normalmente inofensivo em adultos mas, se o tiver e o transmitir ao bebé durante o trabalho de parto e a expulsão, pode provocar complicações (como pneumonia, meningite ou uma infecção sanguínea). Dado que 10 a 30% das mulheres grávidas têm essa bactéria sem o saberem, é importante fazer o rastreio. (As bactérias entram e saem autonomamente – e é por isso que este rastreio não é efectuado numa fase anterior da gravidez.) Se for portadora de estreptococos do grupo B, receberá um antibiótico intravenoso quando iniciar o trabalho de parto, reduzindo em 70% o risco de infecção do bebé.


Quanto ao tamanho do bebé, ele mexe mas os seus movimentos tornaram-se mais notórios e desconfortáveis. Não comecei ainda a contabilizá-los, mas parece que brevemente vou ter de começar a fazê-lo.

Bem, essa do esfregaço já fiz esta semana. E tinha feito também no Hospital quando lá passei a noite. Não dói mas é desconfortável, pelo menos foi para mim.

E mais umas dicas:
Aliviar as queixas e dores por todo o corpo:

Por esta altura, poderá começar a sentir um desconforto por todo o corpo que tem dificuldade em situar. Para lidar com isso:

• Mude de posição quando estiver sentada ou deitada na cama. Faça algumas experiências para ver o que funciona melhor.



• Seja criativa com almofadas – na cama, é claro, mas também no carro, no sofá ou na cadeira do escritório. Eleve o corpo usando um apoio por baixo da barriga pode aliviar as dores de costas e a pressão que poderá sentir na zona do útero.
• Tente fazer elevações pélvicas. De pé, com as costas direitas, encoste-se a uma parede e flicta ligeiramente as pernas. Pressione o fundo das costas contra a parede, de modo a que todas as costas fiquem em contacto com a parede ao mesmo tempo. Mantenha durante cinco segundos e depois relaxe. Ou então tente fazer o exercício de gatas, para libertar as costas do peso do útero.
• Deite-se durante alguns minutos. Quer seja a barriga, as costas ou os tornozelos a razão do incómodo, não há nada melhor do que repousar sobre o lado esquerdo, apoiando a barriga com uma camisola, uma toalha ou uma almofada. Para maior conforto, prenda uma almofada entre as pernas.

2 comentários:

Bosque das Fadas disse...

Olá:)

Já falta muito pouco para o bebé nascer, desejo um horinha pequenina e que tudo corra bem para ambos.

Bjs

Patricia disse...

Está mesmo, mesmo quase!!! BJs